Turismo: CAMPANHA REFORÇA A TURISTAS QUE NÃO CANCELEM VIAGENS AO PARANÁ

Objetivo é que viagens e eventos sejam adiados e não cancelados, mais uma estratégia para amenizar os prejuízos do setor e evitar o desemprego em massa e a falência de empresas.

Empresas do setor de turismo e eventos também são beneficiadas pelo pacote econômico anunciado pelo Governo o Estado para amenizar os prejuízos em função da crise desencadeada pela pandemia do novo coronavírus. Elas também podem ter acesso ao crédito de R$ 1 bilhão disponibilizado por meio de linhas de financiamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e da Fomento Paraná.

Outra iniciativa é o apoio e incentivo da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo à campanha “Não cancele, remarque!”, com o objetivo de evitar a falência de empresas e o desemprego. A campanha foi adotada por operadoras, agência de viagens e outros segmentos do setor.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, que também é presidente do Conselho Paranaense de Turismo (Cepatur), pede bom senso. “O governo está trabalhando para minimizar os problemas e amparar o setor. Mas, é preciso conscientização, tanto por parte do empresário quanto da população. Essa crise vai passar e o sonho de uma viagem pode ser realizado no futuro. O diálogo entre os envolvidos, buscando remarcar e não cancelar, é muito importante”, disse.

Em franco crescimento, o setor movimentou no País cerca de R$ 930 bilhões em 2019 e gera em torno de 25 milhões de empregos no Brasil. Segundo a secretaria estadual, um em cada quatro brasileiro trabalha direta ou indiretamente neste mercado.

É um dos setores mais impactados pela crise e demandará um prazo maior para recuperação. A adoção de postura criteriosa no trato com o cancelamento de pacotes de viagens, passagens aéreas e eventos tem sido a orientação para minimizar os efeitos” destaca o secretário.

Além das ações anunciadas pelo Governo do Estado, o governo federal editou uma medida provisória que concede prazo de até um ano para reembolso de valores referentes às vendas de pacotes turísticos e passagens aéreas canceladas. A Resolução nº 440 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) prevê que o pagamento seja efetuado em até sete dias, em caso de cancelamento, prazo ampliado com a resolução.

Nunes sugere que as empresas esgotem todas as possibilidades de diálogo, oferecendo opção de datas futuras e atrativos que motivem a remarcação. “As companhias aéreas estão operando com número pequeno de voos e baixa procura de passageiros. As redes hoteleira e gastronômica estão vazias. Com a dilação do prazo para reembolso, a expectativa do setor é que os cancelamentos caiam nos próximos dias”.

O presidente da Paraná Turismo, Jacob Mehl, reafirma a atenção do Governo do Estado em apresentar medidas pontuais e a urgência da colaboração de todos.

PACOTE ECONÔMICO – O Governo do Estado adota outras inúmeras medidas para reduzir os impactos econômicos por conta da pandemia. O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou um conjunto de ações que somam R$ 1 bilhão para estimular a atividade econômica e preservar o emprego e a renda dos paranaenses.

O valor está distribuído entre linhas de crédito para o setor produtivo e pequenos empreendedores, dilação de prazos de financiamentos das prefeituras e de impostos para empresas, e contingenciamento de recursos do orçamento. Leia a matéria completa.

(Com AEN)

Seja o Primeiro a comentar on "Turismo: CAMPANHA REFORÇA A TURISTAS QUE NÃO CANCELEM VIAGENS AO PARANÁ"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*