Infraestrutura: EM PARCERIA COM O ESTADO, ITAIPU INJETA QUASE R$ 1 BILHÃO EM FOZ DO IGUAÇU E REGIÃO

O pacote bilionário de obras foi viabilizado graças a boa relação institucional entre a Itaipu e o Estado do Paraná, com apoio do governo federal. É o maior pacote de investimento integrado da história paranaense.

A duplicação da Rodovia das Cataratas (BR-469), a ampliação da pista de pouso e decolagem do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, a segunda ponte entre Brasil e Paraguai e a nova perimetral com acesso na BR-277 são as obras mais visíveis de um pacote de investimentos de cerca de R$ 1 bilhão programado pela Itaipu Binacional para os próximos anos na região Oeste do Paraná.

Esses compromissos vultosos foram assumidos pela usina em parceria com o Governo do Estado e atendem um dos principais objetivos da usina, que é o desenvolvimento econômico dos municípios que integram sua área de atuação.

A parceria com a Itaipu Binacional nesses quatro grandes projetos e em áreas estratégias como saúde, educação e segurança pública será fundamental para marcar um novo ciclo de desenvolvimento do Paraná, inclusive com possibilidade de acelerar a retomada econômica depois da pandemia.

As intervenções colocam a termo gargalos históricos da região, como a pista curta do aeroporto para voos internacionais, a concentração de caminhões na Ponte Internacional da Amizade e uma BR-469 com estrutura primária para conectar o mundo às Cataratas do Iguaçu, uma das maiores belezas naturais da Terra.

“Eram demandas represadas há mais de 20 anos e que conquistamos com muito diálogo. Essa parceria do Governo do Estado e do governo federal é fundamental para a estratégia de tornar o Paraná um hub logístico da América do Sul. Vamos ampliar o intercâmbio, o comércio e o turismo com o mundo com esses investimentos em modais integrados”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

A boa relação institucional entre a Itaipu e o Estado do Paraná segue uma diretriz do governo federal. “A Itaipu Binacional está transformando cada megawatt-hora produzido em legado para a população paranaense. Estamos construindo uma Foz do Iguaçu da qual possamos cada vez nos orgulhar mais, preparando novos receptivos turísticos para valorizar a nossa vocação e criando infraestrutura para ajudar o Estado no seu planejamento logístico”, destaca o diretor-geral brasileiro de Itaipu Binacional, Joaquim Silva e Luna.

“O Ministério de Infraestrutura e Itaipu Binacional ‘integram’ a Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística. Quando se trabalha em conjunto a satisfação é redobrada e os ganhos são enormes para a população do Paraná”, ressalta o presidente Jair Bolsonaro.

A programação de aportes financeiros da usina inclui, ainda, o novo Mercado Municipal de Foz (R$ 9,3 milhões), modernização do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (R$ 64,7 milhões), ciclovias (R$ 17,3 milhões), fingers do Aeroporto de Cascavel (R$ 3,9 milhões), parque linear em Cascavel (R$ 11 milhões), projetos de apoio para a Secretaria de Segurança Pública (R$ 27,4 milhões), proteção de bacias hídricas (R$ 25 milhões) e casas populares na Região Oeste (21,5 milhões), entre outros.

ARTICULAÇÃO  O primeiro ano de gestão de Ratinho Junior e Joaquim Silva e Luna foi fundamental para colocar em andamento esses objetivos. A nova diretoria de Itaipu Binacional promoveu repaginação administrativa, corte de convênios e patrocínios, redução de despesas gerais e a inclusão de investimentos em obras de infraestrutura entre as prioridades. O Governo do Estado entrou na parceria como articulador, promotor da ideia de integração regional e financiador da contrapartida de parte dos contratos.

No ano passado foram realizadas diversas reuniões em Curitiba, Foz do Iguaçu e Brasília (DF) entre o governador e representantes da União e da Itaipu. A ampliação da pista do aeroporto no pacote de investimentos da Itaipu, por exemplo, é resultado de uma reivindicação feita na Secretaria de Aviação Civil (SAC). A opção foi pela concretização da obra antes da concessão para a iniciativa privada para ganhar tempo para incentivar o potencial turístico da região.

A ponte e a perimetral são frutos de uma articulação da Secretaria de Infraestrutura e Logística com o Ministério de Infraestrutura. O projeto original foi concebido por uma comissão mista entre os dois países em 1992, mas foi deixado de lado com o decorrer dos anos por falta de dinheiro ou interesse diplomático. Também houve problemas ambientais no início da execução, em 2014, e a obra foi paralisada. Quando houve avanços nas questões legais não havia recursos e a entrada da Itaipu Binacional nessa estratégia foi fundamental para resolver todas as pendências.

A Rodovia das Cataratas, que teve a pedra fundamental lançada na semana passada, foi o quarto passo concretizado desse planejamento integrado em infraestrutura. A maior parte dos recursos é da Itaipu Binacional, com contrapartida do Governo do Estado. As quatro obras devem ficar prontas nos próximos três anos.

“Estamos investindo um pouco mais de R$ 1 bilhão. Alguns já estão conveniados e temos mais anúncios a fazer. É o maior pacote de investimento integrado da história, junto com Governo do Estado e o governo federal. Eles são frutos da mudança administrativa e dessa parceria muito forte entre o Paraná e a União”, afirma Luiz Felipe Carbonell, diretor de Coordenação da Itaipu Binacional.

Carbonell cita como exemplo de parceria, além da infraestrutura, o convênio com a Sanepar para saneamento básico e proteção das bacias hídricas.

Esse pacote de R$ 1 bilhão também atende pleitos da sociedade civil de Foz do Iguaçu. O programa Acelera Foz, desenhado neste ano como parte do plano de retomada econômica da cidade, ajudará a integrar a comunidade e o setor empresarial a essas obras. Os eixos de promoção e desenvolvimento do município são infraestrutura, divulgação, retomada do turismo, empreendedorismo, inovação e atração de investimentos, apoio à produção e comercialização, e fomento de novas políticas públicas.

RODOVIA – A duplicação da Rodovia das Cataratas será financiada quase integralmente pela Itaipu Binacional (R$ 136,3 milhões dos R$ 139,4 milhões necessários). O restante será bancado pelo Governo do Estado. A delegação de gestão da obra foi repassada do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR).

A BR-469 é a única via de acesso às Cataratas do Iguaçu e ao aeroporto e o mais importante corredor turístico da cidade. O projeto executivo foi financiado pelo Fundo Iguaçu, gestão integrada das taxas espontâneas de visitação dos turistas que passeiam na Itaipu Binacional, Parque Nacional do Iguaçu e Marcos das Três Fronteiras. Ele está sendo revisado por uma empresa contratada por Itaipu. Esse trabalho será encerrado em outubro. O Dnit também fará uma nova revisão no projeto antes de liberar o certame.

A expectativa é que a licitação seja feita ainda em 2020 e que as obras iniciem no primeiro semestre de 2021. O contrato deve incluir vias marginais, ciclovia, um viaduto, duas passarelas para pedestres, cinco retornos, uma ponte elevada e uma rotatória da entrada do Parque Nacional do Iguaçu.

AEROPORTO – As obras da nova pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu já alcançaram 40%. A estrutura proporcionará mais voos para o município, ampliando a concorrência com destinos do mundo inteiro, e é parte do projeto de transformar o Paraná no hub de distribuição da América do Sul. As obras foram iniciadas em fevereiro desse ano e a expectativa é de conclusão no primeiro semestre de 2021.

A pista do Aeroporto Internacional Cataratas tem 2.195 metros de comprimento por 45 metros de largura e é considerada curta para decolagem de voos de longa distância. Hoje não é possível decolar com o tanque cheio, o que impossibilita voos diretos para os Estados Unidos e a Europa. A nova pista terá 2,8 mil metros, 605 metros a mais que a atual.

A primeira parte será concluída já em setembro. Esta etapa inclui a ampliação do pátio de manobras de aeronaves, a duplicação da via de acesso ao aeroporto (ligação entre o terminal e a BR-469) e a implantação de uma nova pista para taxiamento. O projeto está sendo financiado em parceria pela Itaipu Binacional e Infraero. A contrapartida da Itaipu nessa parte do projeto foi de R$ 15,5 milhões, equivalente a 76,87% do valor total do contrato.

A segunda parte do projeto, que inclui a ampliação da pista de pouso e decolagem, segue de acordo com o cronograma e já está com 40% das obras prontas. A entrega deve acontecer em abril de 2021. O investimento da Itaipu nesta etapa é de R$ 55,5 milhões, referentes a 80% do valor do contrato.

Será aplicada na pista, ainda, uma camada de revestimento de Stone Matrix Asphalt (SMA), que dá ganho de performance de 20% às aeronaves, o que permite autonomia de voos para locais como Miami, Nova York, Lisboa e Madri. A intervenção ainda prevê alças de retornos e acostamentos. Haverá, ainda, uma ciclovia, passarelas de pedestres e abrigos de ônibus.

O terminal do aeroporto também já ganhou melhorias no saguão e nas áreas de check-in e inspeção. Foram ampliadas as salas de embarque e desembarque, implantados escadas rolantes e também novos elevadores. O pacote de ações contou ainda com a instalação de quatro pontes de embarque (fingers) e de carrosséis de bagagem. Esse pacote de modernização vai aumentar a capacidade do aeroporto de 2,6 milhões para 5 milhões de passageiros ao ano.

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, primeiro com conceito sustentável do País (geração de energia por painéis fotovoltaicos, gestão de resíduos sólidos, captação da água da chuva e eletroposto), será repassado para a iniciativa privada no pacote Sul dos leilões do governo federal, ao lado do Aeroporto Internacional Afonso Pena (São José dos Pinhais), Bacacheri (Curitiba) e do terminal de Londrina. Os aeroportos paranaenses integram o bloco Sul do processo, ao lado dos terminais de Navegantes (SC), Joinville (SC), Pelotas (RS), Uruguaiana (RS) e Bagé (RS).

SEGUNDA PONTE/PERIMETRAL  Outra obra emblemática na cidade é a segunda ponte entre Brasil e Paraguai, também financiada pela Itaipu. São 760 metros de distância entre uma cabeceira e outra, um novo marco arquitetônico e logístico do Paraná. Os trabalhos já ultrapassaram 30%. A segunda ponte internacional sobre o Rio Paraná e a nova perimetral até a BR-277, que acompanha a obra, terão investimentos de R$ 463 milhões.

A nova ponte terá vão-livre de 470 metros, o maior da América Latina. Serão duas pistas simples com 3,6 metros de largura, acostamento de 3 metros e calçada de 1,70 metro nas laterais. A previsão é que a obra seja entregue em 2022. Ela será maior que a Ponte Internacional da Amizade e está localizada cerca de 10 quilômetros abaixo dela, em direção ao Rio Iguaçu.

A perimetral que faz parte do contrato vai permitir que caminhões procedentes da Argentina e do Paraguai acessem diretamente a BR-277 na altura do Posto Paradão, reduzindo o fluxo de veículos pesados na área urbana de Foz do Iguaçu. A ponte também terá acesso facultado a veículos menores e turistas. A perimetral do lado brasileiro está prevista para começar em outubro e inclui toda a estrutura necessária para a aduana na chamada zona primária.

OUTRAS ÁREAS – Os investimentos da Itaipu Binacional preveem um convênio com Guaíra para implementar nova iluminação, asfalto e câmeras de segurança na Ponte Ayrton Senna, que liga o Paraná ao Mato Grosso do Sul. A modernização deve custar R$ 22 milhões, sendo 60% deste valor proveniente da Itaipu. Também está prevista a revitalização da estrada rural entre Santa Helena e Ramilândia, estimada em R$ 17 milhões.

Na área de segurança pública, a Itaipu está bancando a construção da Delegacia da Mulher, do Turista e Instituto de Identificação, em Foz do Iguaçu, além de um programa de reformas em 22 delegacias da região Oeste.

Em educação, a parceria com o governo estadual prevê o apoio à implantação de quatro escolas cívico-militares, em Foz do Iguaçu, Rolândia e Cascavel (duas). A iniciativa é do Ministério da Educação e a operacionalização, da Secretaria da Educação e do Esporte.

Na área de saúde está em andamento o projeto de ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti para melhorar o atendimento ao Sistema Único de Saúde (SUS), a construção do novo Hemonúcleo e a ampliação do Laboratório de Medicina Tropical.

O Governo do Estado e a Sanepar também assinaram com a Itaipu Binacional e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) uma parceria pra ampliar a qualidade ambiental nas bacias da região lindeira e a vida útil do Lago de Itaipu.

O documento estabelece o compartilhamento de dados e tecnologia para segurança de barragens e tratamento de efluentes e esgoto. O protocolo tem como objetivo implementar uma série de ações estratégicas nas Bacias do Paraná III e dos Rios Ivaí, Piquiri e Silva Jardim, e investimentos em saneamento básico para os municípios lindeiros ao lago, especificamente Missal, Ramilândia, Medianeira e Serranópolis do Iguaçu.

(Da Redação com AEN)

Seja o Primeiro a comentar on "Infraestrutura: EM PARCERIA COM O ESTADO, ITAIPU INJETA QUASE R$ 1 BILHÃO EM FOZ DO IGUAÇU E REGIÃO"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*