Hot Topics

Brasil: VICE-PRESIDENTE DO PSL ACUSA EDUARDO BOLSONARO DE DESVIAR DINHEIRO DE EVENTO EM FOZ DO IGUAÇU

Eduardo Bolsonaro é corrupto”, afirma o vice-presidente nacional do PSL. Ele acusa o filho do presidente da República de comprar apartamento com dinheiro desviado de evento realizado na “Terra das Cataratas”.

O deputado federal pela Paraíba e vice-presidente nacional do PSL, Julian Lemos (foto ao lado), acusou também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) de desvio de recursos do fundo partidário para a compra de um apartamento.

O filho do presidente Jair Bolsonaro, segundo Lemos, teria desviado o valor de R$ 600 Mil para pagar as contas do evento “Cúpula Conservadora das Américas” realizado em Foz do Iguaçu em 2019. Eduardo Bolsonaro era o presidente da legenda pesselista de São Paulo na época.

O evento, promovido pela Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), foi realizado em um hotel de luxo na “Terra das Cataratas”. A CPAC tem origem nos Estados Unidos, e Eduardo Bolsonaro assumiu a tarefa de promovê-la na América Latina. Mesmo não tendo nada a ver com o PSL, o evento da CPAC teve todas as despesas pagas pelo fundo partidário.

O Eduardo é corrupto. Andava de Fiat Uno e agora anda com carro blindado, com motorista. O sonho dele é ser presidente da República”, disparou pelas redes sociais Lemos. “Eu não sou a Joice [Hasselmann] e nem o [Gustavo] Bebianno. Eu falo as coisas porque sei como elas aconteceram. Eu estava lá. Por isso, em setembro eu avisei: não mexam comigo”, acrescentou.

Ainda segundo Julian Lemos, Eduardo, o filho “03” do presidente Bolsonaro, comprou um apartamento, no Rio, usando R$ 216 Mil que recebe como auxílio-moradia mensalmente, para dar de entrada no imóvel, embora tenha apartamento funcional em Brasília, razão pela qual não precisaria receber a ajuda de custo de R$ 4.253 mensais. Ele, Eduardo, também teria utilizado de maneira irregular, segundo o vice-presidente do PSL, outros R$ 30 mil que recebeu como auxílio-mudança do Rio para Brasília logo que assumiu o mandato no início de 2019. Eduardo já tinha apartamento funcional em Brasília e não teria direito a receber a ajuda para mudar-se, afirma Lemos.

De acordo com Julian Lemos, o filho do presidente Bolsonaro, além do desvio de R$ 600 Mil do evento da CPAC em Foz do Iguaçu, teria utilizado indevidamente, no total, outros R$ 246 Mil recebidos irregularmente da Câmara para complementar a compra do imóvel.

Lemos aponta ainda que o parlamentar tentou aproveitar o tempo em que esteve no comando do PSL de São Paulo para promover rachadinhas no com o apoio da advogada Karina Kufa. A manobra, que envolveria contratos que totalizavam R$ 1,5 Milhão, foi barrada por Lemos e pelo presidente nacional Luciano Bivar.

No Twitter, Eduardo Bolsonaro postou sobre as acusações de Julian Lemos divulgadas pela revista IstoÉ nesta sexta-feira (31-07): “TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A ISTOÉ: A revista segue sua sanha de tentar denegrir minha imagem. Nunca vi tanta acusação esdrúxula (algumas que nem eu mesmo sabia). Fazem isso porque vou processá-los e se ganhar não receberei indenização, pois eles já terão falido”, escreveu.

(Com Agências e IstoÉ)

Seja o Primeiro a comentar on "Brasil: VICE-PRESIDENTE DO PSL ACUSA EDUARDO BOLSONARO DE DESVIAR DINHEIRO DE EVENTO EM FOZ DO IGUAÇU"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*