BOLSONARO CONSEGUE REDUZIR Nº DE MINISTÉRIOS, MAS MORO PERDE COAF

Texto segue para análise do Senado; MP precisa ser aprovada até 3 de junho

A Câmara aprovou nesta 4ª feira (22.mai.2019) a medida provisória da reforma ministerial do governo Jair Bolsonaro e manteve a atual estrutura com 22 Ministérios. Mas o governo foi derrotado e não conseguiu manter o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) no Ministério da Justiça, com Sergio Moro. O órgão passará para o Ministério da Economia.

A votação do texto base aconteceu de maneira simbólica, ou seja, sem o registro dos votos dos deputados. A votação mais importante da noite foi a que o Coaf para a Economia: o Planalto perdeu por 228 a 210. A mudança foi feita com o aval do Centrão na comissão especial que analisou a MP.

A votação não foi concluída nesta noite por conta de 1 discurso duro do líder do DEM, Elmar Nascimento (BA), criticando o governo por conta da votação das atribuições dos auditores fiscais. A Câmara continuará votando emendas ao texto nesta 5ª (23.mai).

A matéria ainda precisa ser analisada pelo Senado e aprovada até o dia 3 de junho, quando perde validade.

A votação foi possível porque o Centrão cedeu e concordou em dar prioridade para a MP. Mas o grupo esperava impor duras derrotas ao governo para mostrar que é o protagonista das decisões mais importantes para o país, como na aprovação da reforma tributária na CCJ nesta 4ª.

Mas a derrota do governo foi mais tímida do que a planejada pelo grupo. A oposição também não conseguiu apoio dos partidos do Centrão, grupo não alinhado nem ao governo nem aos opositores, e não teve sucesso ao tentar recriar Ministérios da Cultura e do Trabalho.

Confira abaixo como os partidos votaram em relação à retirada do Coaf do Ministério da Justiça – o voto “sim” representa os deputados favoráveis ao Coaf no Ministério da Justiça e os “não” os que queriam a ida para a Economia:

Como cada partido votou sobre o Coaf

Sim = manter com Moro

Não = tirar de Moro

Partido

Bancada

Voto Sim

% Voto Sim na Bancada

Voto Não

% Voto Não na Bancada

% Ausentes + Abstenções

PT

55

1

1,8%

53

96,4%

1,8%

PSL

54

53

98,1%

0

0,0%

1,9%

PP

39

4

10,3%

27

69,2%

20,5%

PL

38

7

18,4%

19

50,0%

31,6%

PSD

36

30

83,3%

1

2,8%

13,9%

MDB

34

8

23,5%

18

52,9%

23,5%

PSB

32

17

53,1%

13

40,6%

6,3%

PRB

31

8

25,8%

19

61,3%

12,9%

PSDB

30

21

70,0%

5

16,7%

13,3%

PDT

28

8

28,6%

19

67,9%

3,6%

DEM

27

9

33,3%

11

40,7%

25,9%*

SD

14

2

14,3%

11

78,6%

7,1%

Podemos

11

9

81,8%

0

0,0%

18,2%

PTB

11

4

36,4%

4

36,4%

27,3%

Pros

10

5

50,0%

1

10,0%

40,0%

Psol

10

0

0,0%

6

60,0%

40,0%

Cidadania

8

5

62,5%

0

0,0%

37,5%

Novo

8

8

100,0%

0

0,0%

0,0%

PC do B

8

0

0,0%

8

100,0%

0,0%

PSC

8

1

12,5%

4

50,0%

37,5%

Avante

7

1

14,3%

5

71,4%

14,3%

Patriota

4

3

75,0%

1

25,0%

0,0%

PV

4

3

75,0%

0

0,0%

25,0%

PMN

2

2

100,0%

0

0,0%

0,0%

PHS

1

1

100,0%

0

0,0%

0,0%

PRP

1

0

0,0%

1

100,0%

0,0%

Rede

1

0

0,0%

1

100,0%

0,0%

sem partido

1

0

0,0%

1

100,0%

0,0%

Total

513

210

40,9%

228

44,4%

14,6%

*O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), estava presente, mas não participa da votação conforme previsto no regimento interno da Casa.

Fonte: Poder360

É “parte do debate democrático”, diz Moro

Após a decisão de retirar o Coaf do Ministério da Justiça, o titular da pasta, Sergio Moro, disse que lamenta o ocorrido, mas que “faz parte do debate democrático”. “Agradeço aos 210 deputados que apoiaram o MJSP e o plano de fortalecimento do Coaf”, afirmou.

Deputados ficam obcecados por selfies

Durante a votação sobre o destino Coaf, vários congressistas aproveitaram para fazer transmissões ao vivo de seus discursos criticando a possibilidade de retirada do órgão do controle de Sergio Moro.

O deputado Filipe Barros (PSL-PR), por exemplo, chegou a subir para falar na tribuna filmando o próprio discurso. Estava acompanhado de diversos colegas que faziam o mesmo e não tiraram o olho.

(Com Poder360)

Seja o Primeiro a comentar on "BOLSONARO CONSEGUE REDUZIR Nº DE MINISTÉRIOS, MAS MORO PERDE COAF"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*