Hot Topics

Pandemia: RETORNO PRESENCIAL DAS AULAS SÓ APÓS REDUÇÃO EFETIVA DA COVID-19

Informe da Secretaria da Saúde do Paraná relata mais 41 óbitos em decorrência da doença. Acumulado do estado é agora de 125.601 casos e 3.155 mortos.

Mesmo com um indicativo da estabilização do número de casos e óbitos, a Secretaria de Estado da Saúde não validou o retorno das aulas presencias no Paraná. A medida também está amparada no decreto número 4.230/2020, assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior em março e que prevê a suspensão das aulas na rede pública e privada.

“Ainda não podemos voltar às aulas. Tenho percebido pelo estado alguns movimentos de instituições querendo este retorno presencialmente. Voltamos a defender que não há possibilidade. Os números ainda são altos”, afirmou o secretário Beto Preto.

O Governo do estado formalizou um comitê com a presença de diversas secretarias e está analisando a metodologia quando o retorno for possível, desde que com segurança para alunos, professores e funcionários.

“Não temos como falar em data. O Governo tem discutido métodos para quando houver a possibilidade de retomada. Enquanto as curvas de casos novos e óbitos não estiverem em queda sustentada, não há previsão”, frisou o secretário.

NÚMEROS DA PANDEMIA – No Paraná, a Secretaria da Saúde, em informe divulgado nesta sexta-feira (28), confirma 2.866 novos diagnósticos e 41 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma agora 125.601 casos e 3.155 mortos em decorrência da doença. Há ajustes nos casos confirmados detalhados ao final do texto.

Conforme o boletim, nesta sexta-feira há 1.180 pacientes com diagnóstico confirmado internados. São 924 pacientes em leitos SUS (424 em UTI e 500 em leitos clínicos/enfermaria) e 256 na rede particular (89 em UTI e 167 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 1.035 pacientes internados, 456 em leitos UTI e 579 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

Os pacientes que faleceram residiam em Curitiba (13), Londrina (5), Apucarana (2), Guaratuba (2) e um caso em cada um dos municípios de Astorga, Campo Mourão, Castro, Foz do Iguaçu, Guaraniaçu, Irati, Itaperuçu, Jacarezinho, Nova Esperança, Paranaguá, Pinhais, Pitanga, Ponta Grossa, Pontal do Paraná, Prado Ferreira, Ribeirão do Pinhal, Telêmaco Borba, Tijucas do Sul e Toledo.

AVALIAÇÃO – O decreto estadual suspendeu as aulas nas escolas estaduais públicas e privadas, nas universidades e entidades conveniadas desde o dia 20 de março. A medida também auxiliou em boa parte nos índices de isolamento domiciliar e distanciamento social.

“Temos avaliado diariamente o cenário. E podemos dizer, com muita segurança, que ainda não temos possibilidade de colocarmos os alunos em sala, os professores e equipes das escolas nesta convivência pessoal, porque precisamos de uma queda efetiva da curva”, ressaltou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria da Saúde, Maria Goretti David Lopes.

(Da Redação com AEN)

Seja o Primeiro a comentar on "Pandemia: RETORNO PRESENCIAL DAS AULAS SÓ APÓS REDUÇÃO EFETIVA DA COVID-19"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*