Em 2019, as forças de segurança estaduais retiraram de circulação 143,6 toneladas de entorpecentes. Na comparação com o ano anterior houve acréscimo na quantidade apreendida de todas as drogas divulgadas em relatório estatístico: maconha (+36%), cocaína (+212%), crack (+38,4%), ecstasy (+76,7%) e LSD (+147,2%).

As forças de segurança estaduais apreenderam 143,6 toneladas de drogas de janeiro a dezembro de 2019 no Paraná, um aumento de 38,8% em relação ao ano anterior. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (15) em relatório do Centro de Análise, Planejamento e Estatística da Secretaria da Segurança Pública.

Houve acréscimo na quantidade apreendida de todas as drogas divulgadas no relatório estatístico: maconha (+36%), cocaína (+212%), crack (+38,4%), ecstasy (+76,7%) e LSD (+147,2%).

O aumento nas apreensões de drogas é decorrente das diversas operações que as polícias Militar e Civil desenvolveram. Com mais polícia nas ruas, maior fiscalização e, principalmente, maior investigação por parte dos setores de inteligência correspondentes, conseguimos aumentar esse dado ano a ano””, salientou o secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares.

Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Péricles de Matos, o maior número de apreensões de entorpecentes colabora para a redução das outras estatísticas criminais, como de furto, roubo e homicídio. “Nós colocamos como prioridade o combate ao narcotráfico, em parceria com outros órgãos municipais, estaduais e federais. Quando atacamos a espinha dorsal que é o narcotráfico, todos os crimes satélites, aqueles que sustentam o narcotráfico, reduzem naturalmente””, disse.

O delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, atribui o aumento à minuciosa investigação e à integração das forças policiais. “A Polícia Civil tem grande experiência na investigação de organizações criminosas que atuam no tráfico de drogas. Todo esse trabalho é realizado por todas as nossas unidades especializadas ou de área. Outro ponto chave é a integração e a troca de informações com outras forças de segurança federais, estaduais e municipais. Muitas das grandes apreensões são resultado do trabalho conjunto entre as polícias””, explicou.

EM NÚMEROS – A cocaína foi a droga que teve maior aumento no volume apreendido no ano passado. De janeiro a dezembro de 2018 foi interceptada 1,6 tonelada, contra 5 toneladas durante 2019, um acréscimo de 212%. ““Tivemos uma grande apreensão de cocaína no Litoral do Estado, em julho de 2019, quando foram interceptadas quase 3 toneladas em uma única operação””, ressaltou o secretário Marinho.

O comandante-geral da Polícia Militar destaca que as ações no Estado colaboram também para a queda do tráfico de drogas internacional. ““As grandes apreensões de cocaína do ano passado foram no Litoral. O trabalho de inteligência conjunta entre forças está impedindo o embarque da cocaína que é produzida na Colômbia, entra no território do Paraguai e, depois, passa pelo nosso território em direção ao Porto de Paranaguá e aos mercados europeu e americano. Nós estamos cortando essa logística””, completou.

Além disso, o volume de crack apreendido cresceu 38,4% – 420 quilos a mais. Em 2019 foi apreendida 1,5 tonelada da droga. Somente em Maringá foram 325 quilos e em Curitiba 230 quilos.

DROGAS SINTÉTICAS – A quantidade de LSD apreendida também teve crescimento expressivo. Durante todo o ano de 2018 foram interceptados 14.539 pontos da droga, volume que subiu para 35.948 pontos em 2019 – são 21.409 pontos a mais, um aumento de 147%. Curitiba apreendeu 52% de todo o LSD retirado de circulação no Estado (18.844 pontos).

Em relação às apreensões de ecstasy, foram 40.408 comprimidos a mais em 2019, um aumento de 76,7%. No ano passado a polícia tirou de circulação 93.061 comprimidos. Os municípios que registraram maior volume apreendido foram São José dos Pinhais, com 43.231 comprimidos, e Curitiba com 32.853.

““Fazemos diversas operações para apreender cada vez mais entorpecentes no Paraná. As apreensões tem aumentado ano a ano porque o trabalho das unidades que compõem a secretaria também tem sido mais eficaz anualmente””, completou o secretário.

MACONHA – No caso da maconha, foram apreendidas 137 toneladas em 2019, 36% a mais que as 100 toneladas em 2018. Quase 375 quilos da droga foram interceptados por dia em todo o Estado. Os municípios com maior volume apreendido foram Foz do Iguaçu (21,4 tonelada), Cascavel (11,4 tonelada), Santa Terezinha de Itaipu (7,2 tonelada), Alto Paraíso (5,3 tonelada), Guaíra (4,9 tonelada) e Curitiba (4,7 tonelada).

(Com AEN)

Seja o Primeiro a comentar on ""

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*