RISCO DE CONTRAIR ZIKA NA RIO 2016 É BAIXO, AFIRMA OMS

O risco de infecção pelo vírus zika durante os Jogos Olímpicos do Rio é baixo e controlável, afirmou nesta sexta-feira (29/07) a diretora-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Margaret Chan.

Quase meio milhão de pessoas são esperadas no Rio de Janeiro durante os Jogos. As preocupações com a segurança, a crise econômica e o surto do vírus zika assustam muitos turistas, com um terço dos ingressos ainda não vendidos.

O Brasil é o país mais afetado pelo surto, razão pela qual muitos médicos, atletas e potenciais visitantes expressaram temores de que os Jogos Olímpicos possam resultar numa disseminação global do vírus.

Percebemos que o risco de infecções do vírus zika num indivíduo é baixo e controlável, contanto que as pessoas tomem as medidas individuais de proteção adequadas, incluindo o uso de repelentes de insetos e ao vestir roupas que impeçam as picadas“, afirmou Chan. A diretora-geral explicou que essa avaliação tem como base medidas recentes tomadas pelo Brasil para combater o vírus.

Chan ainda recomendou aos visitantes que tomem medidas adicionais de proteção, considerando que o vírus se espalha primeiramente através da picada de insetos contaminados, mas também pode ser transmitido sexualmente. “Quando forem ao Brasil, pratiquem o sexo seguro, por favor, usem preservativos“, disse a diretora-geral.

Sabemos através das evidências mais recentes que não apenas os homens infectados podem transmitir a doença a seus parceiros. Já houve um caso de uma mulher que transmitiu a um homem, o que significa que [a transmissão] pode acontecer nas duas direções”, disse Chan, que irá Rio de Janeiro durante os Jogos.

A OMS afirma que há grande consenso científico de que o zika esteja associado ao surto de microcefalia em bebês, além da síndrome de Guillain-Barré, um distúrbio neurológico.

Com DW

Seja o Primeiro a comentar on "RISCO DE CONTRAIR ZIKA NA RIO 2016 É BAIXO, AFIRMA OMS"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*