RETA FINAL DA CAMPANHA MOBILIZA PARTIDOS E MOVIMENTOS NO PARANÁ

Paraná terá diversos atos pró e contra Bolsonaro e Haddad nos próximos dias

O fim de semana que antecede a votação do segundo turno da eleição presidencial terá diversas manifestações no Paraná em apoio aos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). No sábado, apoiadores de Haddad promovem atos em pelo menos nove cidades do Estado. Com a chamada “Todos e Todas pelo Brasil, é o povo contra Bolsonaro”, os atos de sábado estão confirmados em Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel, Ponta Grossa, Guarapuava, Foz do Iguaçu, Toledo e Santo Antonio da Platina. O movimento é nacional e deve promover manifestações por diversas cidades do País.

Em Curitiba, serão duas manifestações no calendário do mesmo movimento. Às 10 horas, os manifestantes contrários a Bolsonaro realizam a “Marcha do Livro”, com concentração no Calçadão da Rua XV de Novembro, esquina com a Rua Monsenhor Celso. Uma passeata deve seguir até a Praça Santos Andrade, no centro. Às 15 horas, deve ocorrer o ato “Mulheres unidas com Haddad”, com concentração na Santos Andrade.

Os atos são organizados em eventos no Facebook e correntes de whatsapp, e não há uma organização claramente definida, apesar de integrantes do PT e outros partidos divulgarem os atos.

No último dia 29, o movimento contrário a Bolsonaro promoveu manifestação do “#elenão” em Curitiba. Segundo os organizadores do evento, 50 mil pessoas participaram do ato. Já a Polícia Militar estimou em apenas dois mil o número de participantes. No dia seguinte, partidários de Bolsonaro promoveram uma carreata pelas ruas da Capital paranaense em apoio ao candidato.

Já no domingo, o movimento “Vem Pra Rua”, de apoiadores de Bolsonaro, realiza o ato “#PTNÃO, para o Brasil não virar uma Venezuela”. No Paraná, de acordo com os organizadores, as manifestações devem ocorrer em 16 cidades.

Estão confirmados atos em Bandeirantes, Campo Mourão, Cascavel, Cornélio Procópio, Curitiba, Guarapuava, Londrina, Matinhos, Maringá, Nova Aurora, Palotina, Planalto, Ponta Grossa, São João do Ivaí, Toledo e Umuarama. Em Curitiba, o ato está marcado para às 15 horas, na Boca Maldita, no centro.

A organização do evento ainda não definiu se haverá passeata. Apesar de divulgado por integrantes do PSL, a manifestação, segundo o Movimento Vem Pra Rua, é suprapartidário. Segundo site oficial, a estrutura do movimento é mantida com doações de simpatizantes.

Oficialmente, embora haja apoio e divulgação oficial das manifestações, os partidos realizam atos paralelos. Ontem à noite, representantes de sete partidos políticos, além do PT, realizariam um encontro da chamada “Frente Suprapartidária pela Democracia”, em apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT) à presidência da República.

Os grupos fizeram uma Plenária na sede do MDB Paraná, no Bairro Batel, em Curitiba. A frente é liderada pelo senador Roberto Requião (MDB), junto com ex-deputado Angelo Vanhoni (PT) e com a senadora Gleisi Hoffmann (PT), eleita deputada federal. Também compõe a frente integrantes do PDT, PSB, PCdoB, PSOL, PCB, PCO e PROS, junto com as centrais sindicais CUT, CTB, Força Sindical, Conlutas, e movimentos das Mulheres, LGBTI, Negros e Negras, Juventudes, MST e MTST. Oficialmente, a coligação da chapa de Haddad é formada por PT, PCdoB e PROS. No segundo turno, o partido conta com apoio de integrantes de partidos declarados neutros, como PDT, MDB e outros.

PSL reúne eleitos e aliados na terça-feira

O PSL de Jair Bolsonaro, vai realizar na próxima terça-feira em Curitiba, um encontro suprapartidário com prefeitos, deputados estaduais e federais eleitos, e demais lideranças políticas do Paraná, em apoio ao candidato da sigla à presidência da República. Um dos convidados é o governador eleito, Ratinho Júnior (PSD) que recebeu o apoio de Bolsonaro no 1º turno da eleição para o governo do Estado. Integrantes de diversos partidos, não relacionados, devem participar.

“A intenção com o evento é aumentar ainda mais a votação do Bolsonaro no Paraná e mostrar para ele o grande apoio de políticos de diversos partidos que juntos vão ajudar a colocar o país nos trilhos”, disse o deputado federal e deputado estadual eleito Fernando Francischini (PSL), um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro no Estado. Francischini foi o mais votado para a Assembleia Legislativa nas eleições deste ano, com 427.627 votos. O partido também elegeu a maior bancada da Casa, conquistando oito cadeiras no total. A legenda também elegeu o deputado federal mais votado, o sargento aposentado da Polícia Miliar (PM) Gilson Cardoso Fahur, o Sargento Fahur (PSD), 314,9 mil votos.

Depois de visitar Bolsonaro em sua residência no Rio de Janeiro na última quarta-feira, o governador eleito disse que vai mobilizar aliados para participar do ato. “Me coloquei à disposição, inclusive, para a gente fazer um grande encontro com os prefeitos do Paraná”, disse. O PSD de Ratinho não faz parte da coligação de Bolsonaro, que conta apenas com PSL e PRTB, mas a sigla liberou integrantes para apoiar qualquer um dos dois candidatos na disputa presidencial.

No primeiro turno, Bolsonaro teve 3.496.448 votos no Estado, ou 56,89% do total, contra 1.210.974 votos, ou 19,70% de Fernando Haddad.

(Com Bem Paraná)

Seja o Primeiro a comentar on "RETA FINAL DA CAMPANHA MOBILIZA PARTIDOS E MOVIMENTOS NO PARANÁ"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*