Política: 2018 JÁ COMEÇOU PARA O FUTURO DE FOZ – Entrevista com o vereador Dr Brito

Entrevista com o médico e vereador Dr Brito, pré-candidato a deputado federal pelo Patriota 

Por João Bachega G. Recke

Foto: Divulgação

Autor de projetos de leis que proíbem “partidarização escolar” e o ensino de “Ideologia de Gênero” para crianças nas escolas municipais, o vereador Luiz José de Brito, o Dr Brito, como é mais conhecido, também quer restituir a “Hora Cívica” nas escolas do município e extinguir parte das mais de 4.500 leis municipais existentes. Confira a entrevista que fizemos com o vereador que vem se destacando na fiscalização dos gastos da gestão pública municipal. 

– Como o sr. definiria seu trabalho como legislador, vereador?

Dr Brito: Creio que nosso trabalho, no que tange a legislar, pode ser considerado como sendo voltado a defender os valores da família; no fomento à nossa economia, por meio de incentivo fiscais as empresas e ao turismo; no resgate dos valores cívicos nas escolas municipais e na valorização profissional e devido reconhecimento a dedicação dos nossos professores; no combate ao aumento de impostos e taxas ao contribuinte municipal e também na desburocratização da legislação local, a qual possui mais de 4.500 leis, muitas delas as quais trabalhamos para extinguir e/ou adaptar, por sequer estarem regulamentadas e totalmente descontextualizadas com nossa realidade.

– E como fiscalizador dos atos do Poder Executivo, o que pode nos resumir de seu trabalho?

Dr Brito: Temos forte atuação na discussão, proposição e comando de várias CPI’s importantes (como as do Lixo, Sanepar, Transporte Coletivo e etc.), as quais estão no foco da corrupção política que assolou e envergonhou nossa cidade, em especial até 2016. Cobramos a eficiência e a eficácia na prefeitura municipal, pois quando esses requisitos na gestão não existem, a corrupção encontra “campo fértil” e a conta acaba sendo paga pelo contribuinte, que arca com esse ônus, por meio do aumento de impostos e taxas de serviços públicos, serviços esses que acabam sendo prestados ao cidadão, com qualidade ruim, quando não, de forma péssima. Chega da ineficiência e ineficácia do Poder Público ser bancada com o “sangue” do contribuinte. Dinheiro do contribuinte não é para financiar corrupção.

– Por que a Sr. aceitou a indicação de seu nome como pré-candidato a Deputado Federal?

Dr Brito: Falar de eleições agora, pode parecer precipitado, mas não podemos nos abster de responder ao questionamento. Aceitei a indicação, primeiramente porque Foz precisa de um deputado realmente de Foz do Iguaçu, o que não tem há mais de três décadas. Sinto-me preparado e com o conhecimento necessário para desempenhar um bom papel no Congresso Nacional, defendendo os interesses da população do nosso Paraná, em especial dos cidadãos de Foz do Iguaçu e da Região Oeste. Mas, destaco, não diminuirei o intenso ritmo de minhas atividades e responsabilidades de vereador por conta do projeto eleitoral de 2018.

– Mas por que, entrar numa disputa para Deputado Federal, antes de uma disputa para Deputado Estadual?

Dr Brito: As grandes demandas de infraestrutura em nossa cidade, duplicações da BR 277 e da Rodovia das Cataratas; Perimetral Leste; “Segunda Ponte” com o Paraguai; ampliação e uma nova pista do nosso aeroporto; uma “ Costaneira” na Av. Beira Rio e etc., além da cota de 500 dólares para compras em nossos países vizinhos, são ações que dependem essencialmente do governo Federal e não do governo do Estado e não temos nenhum representante no Congresso Nacional, cuja prioridade para ele, seja nosso município e a Tríplice Fronteira. Por isso, aceitamos a indicação do nosso partido e esperamos que nossa candidatura seja homologada em convenção.

– Qual sua principal “bandeira”, digamos própria, para o município, caso seja eleito Deputado Federal?

Dr Brito: Não posso definir como bandeiras essencialmente minhas, mas, além do que já citei como sendo as principais prioridades de infraestrutura que Foz necessita, localmente posso agregar que precisamos sinergizar, desde já, nossas forças políticas e lideranças, no sentido de brigarmos para que nossa cidade receba uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE). As ZPE’s são distritos industriais onde empresas, nelas localizadas, operam com suspensão de impostos, liberdade cambial (não são obrigadas a converter em reais as divisas obtidas nas exportações) e gozam de procedimentos administrativos simplificados. As ZPE’s, são parte importante do vertiginoso crescimento econômico da China. Preciso registrar que pensar em Zona Franca em Foz, é, considero, utopia, haja vista que temos contra nós os interesses dos “cartéis políticos e econômicos” das Indústrias de São Paulo e da Zona Franca e Manaus. Temos 24 ZPEs no país, nenhuma no Paraná. Uma ZPE para Foz é viável e já temos iniciativa nesse sentido, para iniciar a tramitar na Câmara Municipal em fevereiro próximo. Tem mais. Precisamos de uma repactuação no cálculo dos Royalties que recebemos de Itaipu, que não são compatíveis com o que nosso município perdeu. Basicamente levaram em conta apenas questões territoriais para dimensionar o que recebemos ao longo dos anos, mas esqueceram do impacto social negativo que tivemos da explosão demográfica (não sustentável) em Foz do Iguaçu e as graves consequências sociais estão aí.

“Temos 24 ZPEs no país, nenhuma no Paraná. Uma ZPE para Foz é viável”, defende o Dr Brito

– E pela Região Oeste, na sua opinião, o que precisa ser feito?

Dr Brito: No extremo da Região Oeste onde estamos, fomos isolados da Região Sudoeste, em razão do fechamento da “Estrada do Colono”. Não podemos confundir “Sustentabilidade Ambiental” com “ativismo ambiental”. Defendo uma Rodovia Ecologicamente Sustentável no trajeto da “Estrada do Colono”, que possibilite nossa reintegração econômica e social com a Região Sudoeste. Também precisamos que um braço da “Ferrovia Ferroeste” seja estendido até Foz do Iguaçu.

– Em relação ao aborto, seu posicionamento é favorável ou contrário?

Dr Brito: Sou médico por profissão e o sou para defender a vida e também por ser eu, cristão, meu posicionamento é totalmente contrário ao aborto. Sou defensor do direito à vida. Entretanto, vivemos num regime democrático de direito e o Estado, defendo, tem que ser laico. Assim, apesar de jamais votar ou apoiar qualquer medida em favor do aborto, sempre respeitarei o “livre arbítrio” da maioria da sociedade, até porque o “livre arbítrio” é prerrogativa humana, conforme previsto na bíblia cristã. A decisão da maioria que citei, o é em relação a maioria da população e não a maioria de políticos no Congresso. Defendo que as temáticas, de aspectos extremamente complexos, como esse assunto, sejam sempre colocadas para a decisão da população, o que poderia ser aferido, sugiro, por meio de plebiscito, no qual, desde já declaro, meu voto será contrário ao aborto.

– O Sr. é favorável ao uso da maconha?

Dr Brito: Sou contra o consumo de maconha, mas sou favorável a utilização dessa substância para fins, comprovadamente, medicinais. Esta questão, na minha opinião, não pode ser tratada de forma meramente superficial. Junto com o debate sobre maconha, temos que considerar as possíveis consequências maléficas do consumo do álcool e do cigarro. Não podemos ser hipócritas. Bebidas alcoólicas, causam muito mais casos de acidentes e mortes no trânsito e de violência doméstica e divórcio, por exemplo e, no entanto, a propaganda de bebidas alcoólicas é livre e, pior, vinculada em qualquer horário e correlacionada a pessoas que deveriam ser exemplo para nossos filhos e a sociedade em geral, como atletas e artistas de TV. E quem não faz ideia do rombo causado nos recursos Públicos da saúde em razão do tratamento de doenças, como o câncer, causados pelo cigarro?

– Qual seu posicionamento em relação ao casamento homossexual?

Dr Brito: Sou cristão, reitero. Creio que deva haver o direito para os homossexuais poderem ter união civil. Defendo o ‘livre arbítrio’ deles. Mas deixo claro que não existe ‘casamento’ cristão de homossexuais. Não existe esse tipo de ‘casamento’ no que Jesus Cristo nos deixou na bíblia cristã.

– O Sr. é contra ou a favor da diminuição da maioridade penal?

Dr Brito: A partir do momento que tenhamos uma adequação de nossas estruturas judiciária e penitenciária e só depois disso, sou a favor da redução da maioridade penal para 16 anos, em casos dos crimes considerados hediondos. Não podemos colocar jovens dessa idade no mesmo ambiente onde se encontrem adultos criminosos e em sistemas prisionais que não oferecem condições dignas para a ressocialização deles. No Brasil, não temos estruturas capazes de serem eficientes e eficazes para atender memores de 18 anos que cometem crimes. Na verdade, não temos nem estrutura adequada para atender, com um mínimo de dignidade aceitável, os adultos criminosos. E, em alguns casos hediondos, pena perpétua sim e com trabalho forçado, pena de morte, não!

– Vereador, quais suas considerações finais?

Dr Brito: Agradeço a oportunidade que me é concedida. Espero haver transmitido aos leitores um pouco sobre o que pretendo realizar, caso minha pré-candidatura seja confirmada e eu venha a ser eleito Deputado Federal. Espero ser merecedor da confiança e os eventuais votos dos eleitores a quem pretendo representar com dignidade no Congresso Nacional, parlamento aquele, onde também serei um defensor incansável dos ‘valores da família’, valores estes que nos últimos anos estão sendo alvo de constantes tentativas de desconstrução, o que é parte da estratégia do “marxismo cultural” que repudiamos.

 

 

 

2 Comentários em "Política: 2018 JÁ COMEÇOU PARA O FUTURO DE FOZ – Entrevista com o vereador Dr Brito"

  1. Identidade de genero ja é implantado em paises capitalistas de primeiro mundo como Alemanha, Suecia e Franca, entao porque se diz um projeto Comunista?

  2. A maioria dos paises de primeiro mundo é liberado o aborto, inclusive os EUA que existem muitos conservadores. Pesquisem o mapa do aborto e veja que a maioria dos paise em desenvolvimento(terceiro mundo) sao contra o aborto e os desenvolvidos(primeiro mundo) sao a favor. Seria coincidencia?

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*