PLENÁRIO DO SENADO APROVA VOTO ABERTO POR 50 VOTOS A 2

Medida prejudica Renan Calheiros (MDB-AL); Davi Alcolumbre (DEM-AP) preside sessão

O plenário do Senado decidiu na tarde desta 6ª feira (1º.fev.2019) que a eleição para presidente da Casa será realizada por voto aberto. As escolhas foram feitas a partir de questão de ordem (íntegra) protocolada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

A sessão é presidida por Davi Alcolumbre (DEM-AP), 1 dos concorrentes à vaga de presidente da Casa. Alcolumbre colocou a medida em votação pelo plenário, onde foi aprovada por 50 votos a 2

As novas condições para a votação fazem parte de uma ofensiva dos senadores que se opõem à eleição do senador Renan Calheiros (MDB-AL). A ideia é que o voto aberto constranja parte do eleitorado de Renan a assumir seu voto publicamente.

O cabo de guerra pela presidência da sessão

A aprovação do voto aberto para o Senado é mais 1 capítulo na disputa entre os grupos a favor e contra a eleição de Renan.

Pela manhã, o Senado divulgou o rito a ser seguido nas eleições para a presidência da Casa. Segundo o documento, a sessão deveria ser presidida pelo senador mais idoso– no caso, José Maranhão (MDB-PB), de 85 anos, aliado de Renan Calheiros (MDB-AL). A decisão foi protocolada pelo secretário-geral da Mesa Diretora do Senado, Luiz Fernando Bandeira de Mello.

Como presidente da sessão de votações, Maranhão poderia rejeitar propostas pelo voto aberto.

O rito foi revogado pouco depois por Davi Alcolumbre, que baixou 1 ato administrativo (aqui e aqui) no final da manhã revogando a regra anterior e demitindo Luiz Fernando Bandeira da função. Com isso, Alcolumbre determinou que a sessão seria presidida por ele próprio.

(Com Poder360)

Seja o Primeiro a comentar on "PLENÁRIO DO SENADO APROVA VOTO ABERTO POR 50 VOTOS A 2"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*