PARANÁ VAI APLICAR PROVA PRÓPRIA PARA AVALIAR OS ALUNOS A CADA DOIS MESES

Prova Paraná terá primeira aplicação nesta quarta (13). Ideia é dar subsídios para que o professor possa acompanhar a evolução e os problemas dos estudantes

A partir deste ano, alunos da rede pública do Paraná passarão por uma nova avaliação para medir o grau de aprendizado adquirido nas séries dos ensinos Fundamental e Médio. O teste, chamado Prova Paraná, terá a primeira edição aplicada nesta quarta-feira (13), com horários variados em cada escola. Depois, a avaliação deve ser feita com frequência bimestral.

Nesta primeira edição, cada escola poderá definir o horário para a aplicação do teste. A única exigência da Secretaria de Educação do Paraná (Seed) é de que o período de realização da prova, com total de duas horas, não seja interrompido com intervalos, por exemplo. Alunos com deficiência poderão ter uma hora a mais para fazer a prova, de acordo com a necessidade.

Os diretores também puderam escolher quem seriam os aplicadores em cada uma das escolas. Antes e depois do teste, as aulas continuam normalmente.

Objetivo da avaliação

De acordo com o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, a prova tem uma função distinta da desempenhada pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), vinculado ao Ministério da Educação. “A nossa avaliação é diagnóstica, com o objetivo de ajudar o professor a acompanhar o aprendizado dos alunos individualmente”, explica.

Os primeiros testes, com 20 questões objetivas para cada disciplina, são destinados a avaliar apenas os conhecimentos de Língua Portuguesa e Matemática. Até o final do ano, segundo o secretário, serão incluídas provas a respeito de Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Quem vai ser avaliado?

Nessa primeira edição, 600 mil alunos atendidos pela rede pública serão submetidos à prova. São estudantes do quinto ano do Ensino Fundamental, de mais de 390 municípios que aderiram ao projeto; do sexto e do nono anos da rede estadual; e do primeiro e do terceiro anos do Ensino Médio. Por enquanto, estudantes do sétimo e oitavo anos do Ensino Fundamental, e do segundo ano do Médio, não realizam as provas.

“Na próxima aplicação, em junho, devem ser incluídos todos os alunos. Como é a primeira edição, podemos enfrentar alguns problemas, mas estamos trabalhando para eliminar qualquer possibilidade de falha”, diz o secretário.

Após a aplicação da prova, equipes nas escolas terão de baixar um aplicativo fornecido pela Seed. Com a ferramenta, os funcionários deverão fotografar o cartão-resposta preenchido por cada um dos estudantes, enviando os resultados à própria secretaria. A previsão é de que, até o final deste mês de março, os resultados sejam divulgados para os professores, pedagogos e diretores das escolas.

A Seed ainda avalia se o desempenho geral, sem a identificação dos alunos, será disponibilizado à sociedade.

“Com os dados, o professor pode avaliar o que a turma dele menos aprendeu e corrigir essa defasagem ao longo do ano. É possível também ver o resultado aluno a aluno, questão por questão, dando um tratamento mais individualizado à avaliação”, defende o secretário.

Como foi feita a prova?

Para viabilizar a realização do novo teste, de acordo com o secretário Feder, o governo do Paraná contou com a parceria de entidades de outros estados. A prova foi formulada pela equipe da própria secretaria e do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd), vinculado à Universidade Federal de Juiz de Fora (MG). Já o aplicativo foi desenvolvido pela Mira Educação, empresa voltada a tecnologias educacionais para escolas públicas.

Segundo Feder, o único custo do estado foi com parte da impressão das provas. Outra parcela foi bancada pela própria Mira.

(Com Gazeta do Povo)

Seja o Primeiro a comentar on "PARANÁ VAI APLICAR PROVA PRÓPRIA PARA AVALIAR OS ALUNOS A CADA DOIS MESES"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*