LAVA JATO PEDE R$ 3 BI EM AÇÕES CONTRA MDB, PSB E 5 POLÍTICOS

Rio de Janeiro - Sede da Petrobras (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Força-tarefa ajuizou ação com a Petrobras; Eduardo Campos e Sérgio Guerra acusados

A força-tarefa da Lava Jato e a Petrobras entraram nesta 3ª feira (18.dez.2018) com uma ação civil pública (íntegra), em conjunto, contra o MDB, o PSB e 5 políticos com pedido de responsabilização por atos de improbidade administrativa.

Entre os acusados está o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB-PE), morto em 2014 em 1 acidente de avião, em meio à campanha presidencial na qual foi candidato. A ação visa o espólio do pernambucano.

Os senadores Valdir Raupp (MDB-RO) e Fernando Bezerra (MDB-PE), o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) e o espólio do ex-senador Sérgio Guerra (PSDB-PE) –morto em 2014– também são alvos.

Mais 10 pessoas são acusadas, entre elas empreiteiros e agentes ligados aos políticos, e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. A ação também inclui as empreiteiras Queiroz Galvão e Vital Engenharia.

Segundo o Ministério Público, “ações de improbidade administrativa são demandas que objetivam responsabilizar agentes públicos por desvios de conduta definidos em lei, assim como particulares que concorrem para o ato”.

A Lei nº 8.429/92 determina 3 tipos de atos de improbidade:

– os que levam ao enriquecimento ilícito;

– os que causam dano à União;

– os que atentam contra princípios da administração pública.

Além dos R$ 3 bi, o MPF pediu também suspensão de direitos políticos por 10 anos, a proibição de contrato com o poder público e o recebimento de benefícios ou incentivos fiscais ou de crédito.

Na ação, o MP descreve 2 supostos esquemas de desvios de verbas da Petrobras. O 1º envolve contratos vinculados à diretoria de Abastecimento firmados com a Queiroz Galvão e o 2º refere-se a pagamento de propina no âmbito da CPI da Petrobras em 2009.

Quais as condenações que o MP pede

No processo, a Lava-Jato e a Petrobras pedem valores específicos para cada acusado.

Eis as condenações solicitadas na ação:

MDB, Valdir Raupp, Queiroz Galvão, Vital Engenharia Ambiental, André Gustavo de Farias Ferreira, Augusto Amorim Costa, Othon Zanoide de Moraes Filho, Ildefonso Colares Filho e Petrônio Braz Junior:

– Indenização ao Estado de R$ 595.320.614,50, equivalente à propina paga e às irregularidades presentes nos contratos da estatal com a Queiroz Galvão;

– Pagamento de multa (exceto aos mortos) de 3 vezes o valor da propina e duas vezes o valor das irregularidades contratuais;

– Pagamento de danos morais coletivos e individuais em montante de no mínimo R$ 595.320.614,50 –cada acusado.

PSB, Eduardo Campos e Fernando Bezerra:

– Ressarcimento ao Estado de R$ 258.707.112,76, equivalente à propina paga e às irregularidades presentes em contratos referentes à Refinaria do Nordeste ou Refinaria Abreu e Lima;

– Pagamento de multa civil (apenas Bezerra) de 3 vezes o valor da propina e 2 vezes o valor das irregularidades contratuais;

– Pagamento de danos morais coletivos e individuais em montante de no mínimo R$ 258.707.112,76.

Sérgio Guerra e Eduardo da Fonte:

– Indenização de R$ 107.781.450,00, equivalente à propina paga e às irregularidades presentes em contratos referentes ao Comperj (Complexo

– Petroquímico do Rio de Janeiro);

– Pagamento de multa (apenas Fonte) de 3 vezes o valor da propina e 2 vezes o valor das irregularidades contratuais;

– Pagamento de danos morais coletivos e individuais em montante de no mínimo R$ 107.781.450,00.

(Com Poder360)

Seja o Primeiro a comentar on "LAVA JATO PEDE R$ 3 BI EM AÇÕES CONTRA MDB, PSB E 5 POLÍTICOS"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*