Justiça transforma em réus 34 acusados na Hammer-On

A Justiça Federal aceitou nesta quinta-feira (21) quatro denúncias oferecidas pelo Ministério Público Federal (MPF) contra 34 pessoas acusadas de integrar cinco núcleos criminosos voltados à lavagem de dinheiro investigados pela Operação Hammer-On.

Segundo o MPF, os agora réus teriam se associado para disponibilizar contas e empresas de fachada em Curitiba e Foz do Iguaçu para ocultar e enviar ao exterior dinheiro fruto de crimes – incluindo descaminho, contrabando e tráfico de drogas. Cerca de R$ 2,5 bilhões teriam sido movimentados por esses grupos desde 2008.

Os cinco núcleos da suposta organização criminosa identificada pelo MPF atuariam em conjunto, disponibilizando as contas bancárias de suas empresas de fachada para a captação, intermediação e aplicação de recursos financeiros de terceiros.

Eles também teriam usado a conta de empresas existentes, incluindo postos de gasolina e churrascarias de Curitiba e Foz, de propriedade de parentes e amigos dos réus, para esse tipo de operação. A finalidade do serviço era ocultar a origem ilegal desse dinheiro – algo similar à investigação que deu origem à Operação Lava Jato.

Os recursos manejados teriam sido transferidos entre as centenas de contas bancárias de maneira a despistar as transações e, ao mesmo tempo, concentrar o montante em um banco, dependendo da facilidade encontrada em cada agência bancária para posterior disponibilização dos valores.

De acordo com o MPF, a primeira fase da Operação Hammer-On foca apenas nos líderes de quatro dos cinco núcleos do suposto grupo criminoso. As denúncias foram oferecidas na última segunda-feira (18).
Com Portal da Cidade

Seja o Primeiro a comentar on "Justiça transforma em réus 34 acusados na Hammer-On"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*