FOZVOX – Foz do Iguaçu e, os Tri-butos

EXPLORANDO A MANCHETE

Decreto nº 25.641, de 13 de junho de 2017, foi divulgado no Diário Oficial com data de 19 de junho, onde conta entre os objetivos a identificação dos créditos já existentes para fim de redução da Judicialização de conflitos e controvérsias por meio de transação judicial e extrajudicial. Fazer uso de uma resolução de uma nova política de prevenção de solução pacífica de controvérsia, vinculada ao programa de gestão diferenciada das execuções fiscais do Conselho Nacional de Justiça.

COMISSÃO DE ESTUDOS – grupo de funcionários públicos. Tecnocratas da Advocacia Geral, da Secretaria da Fazenda, do Foztrans e, da Secretaria de Administração e Gestão de Pessoas.

AVALIAR OS CRÉDITOS – “avaliação dos créditos tributários e não tributários”. O ‘não tributário é isento de tributo. Não tributário, por falta de subsídio legal? e que amparo legal garante que o dinheiro irá para os cofres públicos? De outra forma, posso entender que queira se avaliar o próprio conceito de ‘crédito e, se é tributável e em que circunstâncias e para qual conjuntura econômica, política etc. Quando por exemplo, o município passa por grave crise moral, econômica e política. Na frase: “avaliação dos créditos não tributáveis”, diz sobre avaliação dos créditos … ora, se são não tributáveis, como considera-los crédito? Talvez, considerando uma cobrança DIFERENCIADA. Os créditos – a entradas que são tributadas, o são pela legislação específica do código do direito tributário. Quanto a estas não há dúvidas. Exceto se elas próprias são descumpridas ou mal interpretadas na lei; ou cuja lei, carece de esclarecimentos; como é o caso do locatário pagar o IPTU do locador, ou da ‘circulação de mercadoria em fio de eletricidade! ou ainda, da isenção de pagamento de imposto mensal sobre aluguel abaixo de R$1900, que são a maioria; e quanto aos outros alugueis acima de R$1900, quem paga o imposto mensal? o locatário ou o proprietário? De qualquer forma, é um assunto de Congresso Nacional, mas, deve começar no município. Se há competência para isso.

COBRANÇA DIFERENCIADA – O que será a cobrança diferenciada? Porque se dariam a este trabalho? O que seria uma cobrança diferenciada, para o autor do projeto? Creio que a única resposta possível seja a justificativa da existência do ‘NÃO TRIBUTO!O que equivale a ‘um acerto, fora da legislação vigente, que não comporta este tipo de ‘negociação e que, no entanto, tem o respaldo da Secretaria da Fazenda e Procuradoria Geral (ambos os órgãos, vinculados ao município, à Câmara Municipal, ao Executivo Municipal), e dependentes da ação judicial, caso seja requerida explicação. O que não é caso, já que se considera que isso seja uma forma amigável de cobrança, no entanto, não posso crer que exista o menor indício de amizade quando se trata de política e impostos.

EXPLORANDO O ARTIGO

Comissão técnica. Uma comissão de tecnocratas e burocratas. Setor administrativo e de gestão de pessoas. Se realmente, a gestão de pessoas quer dizer cidadãos, que por exemplo, alugaram uma casa e não tem dinheiro para pagar IPTU, isso não deveria ser uma questão de GESTÃO. Mas uma questão de definição no código tributário de determinantes, facilmente localizáveis no município, que levaram ‘o cidadão, a este estado terminal de escusa no pagamento do imposto de outro. E que obriga, o sujeito que aluga uma casa: o que significa uma prestação mensal – sem retorno algum. Que o obriga pagar ao proprietário, o que é justo, mas também, pagar uma taxa à imobiliária ou escritório administrativo, que gerencia o imóvel, coisa que cabe, ao proprietário. É um erro evidente, assumir um imposto territorial urbano, quando não se é proprietário de nada!

Identificado este crédito, temos um problema: quem vai pagar o IPTU? Um é pobre demais, o outro tem muitas propriedades e não quer assumir a responsabilidade sobre todas elas. Por isto, aluga? E se, o morador não tem como pagar …, o que fazer? Se devolver a casa ao proprietário, ele estará obrigado a pagar o IPTU? De outra forma, o morador será processado por descompromisso, com o contrato? Certamente não, talvez não haja legislação para isso. E se não há legislação para cobrar do locatário o IPTU que  não pagou e entregou a casa, então, não há obrigatoriedade de o locatário pagar o IPTU.

O decreto 25641 13 de junho de 2017 – Diz sobre a identificação dos créditos.     Bem, digamos assim: ‘que crédito é este? Ah! é um crédito que a prefeitura tem referente a IPTU, de 25 imóveis do conjunto Lagoa Dourada. E que, os moradores não têm condições de pagar. E não pagaram. De outra forma, identificar crédito (**), quer dizer dar identidade ao crédito. O crédito é devido, o valor e correto e já é registrado. Ou seja, dar identidade também significa que o crédito pode não ter ‘identidade, não ser legal. Bem, identificamos os devedores e o crédito. No entanto, o sr. João inquilino, pode estar isento de pagar o IPTU, pela idade, o proprietário da casa assume o IPTU?  Se o sr. João não pagar o IPTU, ele terá que sair da casa. Porque proprietário não quer pagar. Do ponto de vista do proprietário que tem 20 casas, ele acha ultrajante ter que pagar o IPTU das 20 casas. Afinal, ele aluga para não ter que pagar nada, mas receber! Ainda mais agora, quando os alugueis de casas estão em baixa, devidos os ‘ladrões, sem casa, ou que moram nas favelas, durante o dia. Da mesma forma, o proprietário, para os alugueis, abaixo de R$1.900 reais, está isento de recolher imposto mensal. Por isso, o grande interesse nas casas de aluguel abaixo de R$1.900. E de preferência aquelas em que o inquilino não declara imposto de renda devido o teto salarial estar abaixo do estabelecido. Creio que tudo isso seja uma identificação de crédito.

(**) O decreto nº 25.641, de 13 de junho de 2017, foi divulgado no Diário Oficial com data de 19 de junho, onde conta entre os objetivos a identificação dos créditos já existentes …

Isso tudo que foi dito e o que não foi dito pretende-se que seja acordado de forma PACÍFICA (como diz a matéria). E está no programa de GESTÃO (***), gestão, não de funcionários; no sentido de harmonizar o trabalho, criar boas condições de trabalho. Gestão equilibrada, justa, moderna. O que poderia se pensar que fosse na origem do termo. Não! A GESTÃO é um programa e chama-se “Gestão diferenciada das Execuções Fiscais”. No popular: setor de cobrança! É esta, a gestão, a que se referem. Mas curiosamente, gestão, das economias dos cidadãos, de todos: devedores ativos e, passivos, na sua relação de dívidas com o município e, evidentemente, o seu patrimônio. Todos que têm patrimônio, em algum momento, têm ‘dividas com o município, a cada ano. Seria mais ou menos como a relação de um gerente de banco com as empresas, a que dá empréstimo! O gerente fica sabendo tudo o que acontece na empresa.

Quando não pagou o que deveria ter pago e, porque não pagou? e deixou ir para a justiça, contando com a criação de um precedente? que é precisamente, tratado como Gestão Diferenciada? O que não deixa de ser algo estranho. Porque estes são diferenciados? e não, todos! Talvez o diferenciado seja o caminho do que é mais correto em termos imposição de impostos em situação de crise absoluta? Certamente, boa parte dos casos, de cobrança de tributos, a explicação é simples, a pessoa está falida, ponto! Em outros casos, porém, a pessoa tem muitos imóveis e não pagou, precisamente, por conta de uma possível e inevitável ‘brecha, ao outro, falido. Desta forma, se iguala humildemente, àquele que consideramos ‘falido, sem ter que mostrar o atestado de pobreza, que seja, pela falência. E tem os mesmos benefícios do outro. O que nos leva a crer, que o benefício não é ao outro falido, no limite extremo, onde não há Gestão, onde nada há pacífico, mas, aos grandes proprietários!

(***) Programa de gestão diferenciada das execuções fiscais do Conselho Nacional de Justiça.

COMENTÁRIO

Não sou especialista de nada, não sou funcionário público, não sou ligado a grupos de espécie alguma e levantei muitas questões, que não são, sequer, pensadas. Sobre o  artigo em si, é um sinal para alguma classe. Fico a pensar se, as informações, que querem passar ao público, se elas são ao público? e se este público é um público – não público –  interessado no assunto: como seriam os proprietários de imóveis (IPTU), os empresários (ISSQN) etc. Ou, se todo este trabalho de explicação técnica, no jornal, é uma espécie de ‘autenticação,  mesmo porque, a matéria, para profissionais do setor de tributos diversos, ela diz  pouco. Seria mais um código: está resolvido! Diz apenas que vai cobrar de forma pacífica os ativos e passivos, ela só ‘se engasga, naquilo que ela considera NÃO TRIBUTO. O sinal, foi passado e talvez, só, euzinho, nesta cidade de mil pessoas falantes, tenha atentado ao caso e não o fiz, por motivos mesquinhos …, mas, para alertar o fato de que uma cidade, digo, seus governantes, a mídia, órgãos públicos, câmara, executivo, etc., devem ser respeitosos às pessoas. E considera-las como se fossem especialistas em tributos, mesmo que isso não seja verdadeiro. Caso em que, se elas se sentirem enganadas, elas não precisam ser respeitosas com os governantes. E JÁ MOSTRARAM ISSO. O que quer dizer que já se sentiram enganadas. Pois que, não há AUTORIDADE POR COMPETÊNCIA. Ainda mais quando o governo foi eleito com – uma média de 1/3, dos votos. Em uma eleição, fruto de uma intervenção e de um candidato inelegível, que foi prefeito, que tem uma empreiteira, que tem casas de aluguel e terrenos. E que isso, este contexto, já significa um desgoverno. Não é preciso procurar muito! Um desgoverno, não deste governo, que foi vice do outro e foi deputado, mas do governo da cidade nas últimas décadas.

Uma AUTORIDADE, POR COMPETÊNCIA, não se sujeitaria, por exemplo, a artifícios, como estes de: DIFERENCIAÇÃO – NÃO TRIBUTO – GESTÃO DIFERENCIADA – termos confusos e difíceis de serem explicados. Sem não responder à altura da indisposição a que foi colocada (a autoridade), por condições de má administração, ou gestão anterior. Ainda mais quando se trata de tirar dinheiro da carteira das pessoas. Depois o objeto, a que tratam estes termos, são as pessoas, é uma espécie de julgamento de bons e maus pagadores de impostos e que a lei, afeta a todos: os bons e os maus pagadores e cujo beneficiado final é uma classe oportunista de mal pagador. E este, é um caso excepcional de cobrança de atrasados, é um fato consumado. Existem duas condições básicas: os que não pagaram por falência e inadimplência e, os que não pagaram por ‘oportunismo! Então, este último caso, se utiliza do primeiro para justificar seu não pagamento, considerando a exceção. Desta maneira, a forma de o governo ter autoridade moral e, apesar da exceção, é explorar publicamente estes casos de oportunismo: cada um destes casos, ou em bloco, identificando publicamente os devedores por oportunismo, enquanto se abre um real precedente ao devedor por falência. Assim não ficarão dúvidas. Os que se aproveitam, devem ser identificados publicamente, para que, este tipo de gente, que se aproveita, supondo que se aproveite de situações oportunas, não se candidate a nada, sem ter a certeza de que não será eleito. Mas quando a ‘publicidade, não acontece, e a publicidade é algo consagrado no direito, tudo fica ‘guardado em silêncio e o oportunismo prolifera como grama selvagem. E a cidade corre o risco deste tipo de gente (esperta), não só se eleger ou indicar pessoas a funções públicas, como ser eleito prefeito, chegando ao extremo da presidência de uma república, como foi o caso de uma ex-terrorista, assaltante, sequestradora, assumir a cadeira máxima no país. De outra forma, se o imposto é injusto, e por isto se sentem à vontade, para cometer atos oportunistas, isso também deve ser posto às claras e pelo mesmo objetivo principal de governabilidade.

Caso a AUTORIDADE seja vulgar, a relação do povo com o governo será vulgar e para resolver isso, do ponto de vista do governo, só a força. Não obstante, se o Estado também atua de forma irregular e desrespeita o povo, como por exemplo, na <<apuração secreta>> de 2014, com Toffoli e mais 23 petistas, e ainda no plebiscito das armas, onde o povo é a favor do armamento é o Estado se calou. Então entramos em outro patamar de governo. Onde é cabível o termo acordo PACÍFICO, como aviso do contrário. E mesmo isso, não quer dizer que haverá justiça, pois que a cobrança do IPTU é uma excrescência, o pagamento do IPTU pelo inquilino é uma excrescência. A aquisição de várias unidades populares, em várias unidades de habitação, por grandes proprietários é uma excrescência. A lei que isenta de pagamento mensal de impostos pelo proprietário, alugueis abaixo de R$1.900 é igualmente uma excrescência. Terrenos que valiam R$6 mil reais e hoje, ‘valem R$100 mil reais, é uma excrescência. Com isso, quero dizer, que esta medida do Executivo, é uma medida de governo provisório. Uma medida de emergência, provisoriedade. Não de governo efetivo. Desta forma, o que esperar dos deputados em 2018?

“Tire as Crianças da Sala, ficou alguém? ”

Escrito por Luiz C.S. Lucasy – FozVox

1 – O truque, de símbolos, marcas, títulos está mais no rótulo do que nas pessoas que o usam. Usar classificações sociais, organizacionais, universitárias, coletivas, no Brasil, é mesmo que ‘xerocar um livro escrito em sânscrito e depois adorar, a encadernação sem não conseguir traduzir uma palavra! E este é o efeito real dos títulos neste Brasil dos últimos 50 anos. Lembro quando me colocaram para ser ‘capitão de um time de futebol, porque, por acidente, fôra ‘artilheiro de um jogo e tinha me saído bem. Mas, foi só um jogo! Para mim aquela ‘promoção era engraçada. Não tinha noção do que era aquilo: capitão de time! Depois vim a saber que o ‘capitão de time de várzea, de moleques de escola, é o cara que eles vão ‘puxar o saco, quando o time vence, e xingar a mãe, quando o time perde! Isso acontece na vida adulta: dia destes, em um ‘daqueles ambientes de aposentados, a que dão nomes ‘estrambólicos, como: boca maldita, boca do inferno, língua da sogra etc., ouvi uma fala em voz alta, de um sujeito – na rua mais movimentada da cidade, em um sábado, que se dizia ‘deputado de uma loja! Imaginei que fosse loja maçônica, ou casas Bahia, mas nas casas Bahia não tem a menor possibilidade de ter um ‘deputado. Notei que a pessoa quis chamar a atenção. Realmente ele acreditava ser um capitão de time! Bem, em tudo o que segue, sobre organizações políticas, e tudo aquilo que qualifica o homem, para uso da qualificação, ‘no burro, no sentido umbandista – como um demônio que precisa de um corpo para se manifestar …, e quem se manifesta é ‘o título, que supõem-se, represente um coletivo de pessoas iguais. Portanto, quando digo PC, MERCOSUL, GLOBALISMO, Maçonaria, governos etc., veja pessoas, cada qual com seu corpo e cada qual com sua imaginação própria; livre ou, em função daquilo que representa. Vários ‘eus, em uma só pessoa! Espécie de teatro de enredo, nem sempre honrado e humano. Mutável, instável e inconstante, para a pessoa e não, a princípio, para organização que representa e nisso incide a má representação e, desconhecimento do que representa. Raramente se verá documentos escritos por estas pessoas, públicas. Dito isto, posso continuar.

2 – No Brasil e certamente em América Latina, a Maçonaria usa e, é usada. Na maçonaria há pessoas sérias. No congresso nacional há poucas pessoas sérias. Na maçonaria há pessoas oportunistas e ouso dizer, mercenários da fortuna. O fato é que a maçonaria, no Brasil, facilita a estes mercenários, relações com o ‘governo. Especificamente, governos autoritários. A mesma verdade vale para a maçonaria e, o Partido Comunista. Não se enganem essa coisa de‘proletariado é conversa de militância ociosa, ou de liderança comunista mais “perdida que cego em tiroteio”. Os comunistas mudaram a estratégia, agora, segundo eles e, da boca para fora, “não existe mais o comunismo, só a ‘nova ordem! ”. Que eles fingem não saber o que seja, pelos compromissos que assumem. Já que o ‘comunismo acabou, porque não extinguem os PC’s, as Centrais Sindicais, os Sindicatos, o MST etc.? Talvez sejam mais conservadores do que pensam! Porque continua o Foro de s. Paulo, que reúne 140 organizações comunistas de América Latina e ampliaram isso para o CELAC de Cuba? Outra estratégia dos comunistas é o ‘troca troca’ de partidos, para dissimular ‘o partido! (2.1) A maçonaria assim como o Partido Comunista (que engloba todos os outros – por exemplo, Foro de s. Paulo que engloba e, é englobado) se usam mutuamente. Assim como o MERCOSUL se define como união política de América latina, a GLOBALIZAÇÃO, para as organizações – transcendentes às pessoas (exército, igreja, maçonaria e PC)– une maçonaria (s) e PC (s). O que existe de comum entre ambos é militância e, o coletivo; onde uns se imbecilizam, como coletivos, com teorias políticas e outros, com teorias iniciáticas.

2.1 – Vários partidos foram criados para ‘camuflar, as siglas comunistas que os criaram direta ou indiretamente. Por exemplo, o PSDB tem na direção FHC, um declarado comunista internacional. O partido de Ratinho é um partido que se define, no meio político profissional, como ‘ponte, ou seja, os políticos (geralmente do estado), o usam para se eleger e logo partem para outros partidos, (de esquerda) para fortalece-los. E o partido de Ratinho é protegido para este fim. Há uma grande negociata, entre as esquerdas, nisto tudo. Era preciso – as organizações comunistas – precisavam atrair os cristãos. Evidente que este trabalho tem início com a teologia da libertação para os católicos e, da prosperidade para os evangélicos.No entanto, haviam conflitos de identidade: o comunista, pelos fundamentos do partido, é materialista, entende as religiões como entende os sindicatos e ignoram completamente o que seja a fé. Para transpor este obstáculo, foi preciso primeiro, contar com a ingenuidade política dos cristãos, por outro lado, usando sua vocação cristã; segundo, cooptar ‘os líderes das religiões e convencê-los ‘da causa, humanitária e menos, ou quase nada, de suas reais pretensões do comunismo internacional. O mesmo que mata cristãos em China e Oriente Médio. Digamos que os comunistas, com os maçons (os que não são cristãos, os que são simpáticos à inteligência católica, os que aderiram aos evangélicos, com o mesmo propósito dos comunistas), deram aos cristãos a oportunidade, de eles provarem ao mundo de que as ações divinas, em que acreditam, podem moralizar a política. E os cristãos, para mais ou para menos, tomaram isso como um dever da fé. Os comunistas e os maçons, fizeram o cristão cumprir, o que diz a Bíblia sobre o respeito aos superiores. Isso, de forma alguma impede as ações políticas do comunismo, não mais do que a ideologia de gênero. Que foi impedida pela comunidade muçulmana (no caso da cidade de Foz do Iguaçu). E isso, o fato de impedir agora e liberar depois, ou não liberar; depende exclusivamente da conjuntura que se apresenta e que é dirigida, na atualidade, pelas organizações comunistas.

3 – As lideranças maiores, destas organizações, são omnipresentes. Não só não aparecem por segurança, como devem ter vergonha das coisas que mandam fazer. Na maçonaria se dividem em lojas. No Partido Comunista se dividem nos vários PCs. Em síntese: brigam de dia e se amam de noite. Tanto os líderes maçons, quanto os líderes do PCs, frequentam os mesmos locais, as mesmas festas, os mesmos palácios, e casas noturnas. Trocam informações de negócios, licitações e estratégias de dominação e, ocupação nas cidades. E você pobre criatura, só influi através do voto de dois em dois anos? E votos que avalizam eles mesmos!

4 – Um ótimo exemplo do ‘seu voto, foi dado em 2014, com a eleição fraudulenta de Dilma, contada em ‘verso e prosa’, no 5° Congresso do PT em Salvador – Bahia. Onde ‘a grande organização nacional das esquerdas, àquela a qual lula se refere, em 2006, creio, quando diz: “estou feliz porque todos os partidos são de esquerda” …, se obrigou a uma <<apuração secreta>>. Até hoje, as pessoas normais, que perceberam isso, não sabem dizer se a ‘apuração secreta, foi um golpe, mas que, por ter a conivência de todos, não foi golpe. Não sabem dizer se a <<apuração secreta>> foi um golpe ‘de todos os partidos e organizações, contra o imprevisto, logo, contra o povo. Mas o povo não deveria ser a razão direta da eleição? E não é que o povo percebeu e reagiu em 2015! Também não sabem dizer se a <<apuração secreta>>, foi um teste, daqueles próprios da ‘ciência do comportamento, para ver até onde o povo pode ser, digamos, conscientizado! de quem manda no país!

5 – Porque não deixaram o Aécio ganhar? A vez …, ainda era do bloco do PT? Em circunstância normal, de uma política de ‘cartas marcada’, não! a vez era do outro, não do PT. No entanto, a prioridade foi:  o PLANO, o PACTO, a PRÁXIS MARXISTA. E, o empresariado e, em especial, as empresas criadas pelas organizações comunistas, com JBS, FRIBOI, empresas de Eike Batista, ODE/BRECHT (Versos e canções de Brecht à América Latina), ganharam muito dinheiro com sua associação à política comunista. Considere que boa parte do empresariado é maçom! assim como boa parte do judiciário. E por isso, queriam Lula, PT, para pagarem (…), um compromisso, um pacto, como disse, o comandante Daniel (codinome cubano de Zé Dirceu). De outra forma, porque não? uma reprise!

6 – FHC e a Fabian Society pareciam conservadores, na atual conjuntura? (de 2014), aos olhos, dos ‘donos do processo eleitoral, ‘dos donos do poder, como bem demonstrou Raymundo Faoro em seu livro. Pareceu isso, mas não era isso. O que parece é o que a política no Brasil, se transformou em algo pegajoso e desacreditado e poucos fazem questão de assumir altos postos, exceto as organizações em suas representações, o que é o caso de Lula, Ciro, Marina etc. O TSE, por exemplo, não tem sentido como tribunal, no caso ‘do dinheiro de campanha, isso cabe à receita federal; no caso de fraude e crime eleitoral, cabe à polícia, no caso de contagem dos votos cabe à representação de cada partido! O TSE é um organismo <<inventado>> e, para quê? Para se auto afirmar, um processo eleitoral que se permitiu <<apuração secreta>>? em propagandas pagas com dinheiro tirado ao bolso das pessoas ….

7 – …. e, o TSE se ofereceu a elogiar a máquina eletrônica de contagem de votos, quando o problema foi o ato da <<apuração secreta>>, não a máquina. E isso é grave. O STE cometeu um duplo erro: a apuração secreta mesma e, a defesa das máquinas, como forma de descaracterização, da apuração secreta!  O silêncio em torno do assunto, do meio político, das universidades públicas e privadas e na mídia, foi total. Isso é igualmente grava. O maior golpe da história eleitoral nas democracias ocidentais, a <<apuração secreta>>, havia sido consumada no Brasil. E porquê? Um capricho de quem despreza o povo? Ou simplesmente, ao menos parte dos meios de comunicação, um simples oportunismo barato? Um pacto, talvez?

8 – É mais ou menos como, considerar que ‘a máquina tira empregos, e que, os empregos são ruins. Certo e errado no primeiro caso e aniquilador no segundo. Um nonsense. De outra forma, imagine a produção de ‘papel higiênico, sem máquinas!

9 – …. Se a ‘organização Aécio tivesse ganho a eleição em 2014, (a Fabian Society), ela não se prestaria a fazer um papel de tolo, para todo o mundo! Mas não se incomodou de fazer o papel de pateta! Quando parabeniza Dilma pela vitória. O papel de maluca, coube a Dilma, este papel, fazia parte de um plano maior, de sensibilização às massas, tratando-as por igual, o que não deixava de ser uma ironia, que visava o retorno efusivo de ‘Lula, mas não deu certo. As manifestações de rua, verde/amarela do povo brasileiro, deu cheque mate em suas esperanças, modificando-as bastante. Cujo final nas proximidades de junho de 2018, só pode ser a perda de direitos políticos de Lula e seus aliados próximos. Isso é bom senso. Sua vã tentativa de forçar ‘sua presença presidencial, com a greve nacional da CUT, foi um fracasso e todo o resto que tentou, foi também um fiasco. A esquerda não quer mais o Lula, ela está por conta própria. A princípio se fala em criar um ‘partido de direta’ e colocar a condição de ‘direita, de fato não existe partido de direita, mas se existir, será taxado de ultra, extrema direita, para diferenciar da direita criado pelos comunistas.

10 – Não é preciso dizer dos pronunciamentos irônicos e desprezíveis de Dilma; do desgaste moral dos Senadores do PT e do PCdoB, que se prestaram ao papel de cínicos, na defesa de Dilma contra um impeachment, que mais pareceu um favor (…), da mesma forma, como Aécio sentiu, que ‘foi um favor’, a vitória de Dilma. De fato, o maior alcoviteiro disto tudo, quem realmente tinha a perder com aquilo tudo, era ‘a corrente de Lula dentro do PT, a CUT, MST e o Foro de s. Paulo.

11 – A suposta ‘normalização, que poderia acontecer com o PSDB, caso Aécio fosse eleito, aconteceu com o PMDB, por força das circunstâncias. Mas poderia ter acontecido com o PSDB e a influência da Fabian Society. Mas não aconteceu naquele momento de 2014. A Fabian Society de FHC e Hillary, não quis fazer papel de tolo, ao mundo. Poderiam desmoralizar o Brasil, mas não a Fabian Society. Considerou-se a instabilidade política e econômica, criada por Lula, no seu primeiro mandato (de fato, compra de empresários, parlamentares, criação de empresas factoides, jogo de licitações, distribuição de dinheiro às prefeituras para efeito de eleição – o Chicão). Depois, toda a manifestação política nacional que parou o país. E quem devia responder por isso era a presidência eleita pelo PT. Depois, uma aparente normalização, acaba acontecendo com Temer do PMDB, ao menos até 2018. E mesmo esta ‘normalização, como resultado de um impeachment é contestada, o que prova que não há interesse realmente em normalizar coisa alguma. Apenas induzir, aos municípios uma aparência de normalização. O que diz apenas, que o jogo, não está necessariamente nas mãos do bloco de Lula, do Foro de s. Paulo. E nada mais. A normalização, não é do interesse de ninguém como era, uma impossibilidade prática: não existia (…), ou não existe Brasil político representativo, a partir do momento em que o povo aos milhões, grita nas ruas: Fora políticos, Fora partidos! Doravante o que passa a existir é a própria imposição ‘de normalização, a qualquer custo, para recuperar algum crédito político. Mas como? com um congresso vil? De fato, o ambiente de anormalidade fôra criado por interesse dos grandes blocos que pretendem impor à força a “Nova Ordem Mundial”. Ora, todas as organizações políticas de evidência estão ligadas ao internacionalismo e o internacionalismo é a ação viva destes‘blocos, por exemplo, na ONU, no ‘Meio Ambiente, na Imigração, na Invasão Cultura, no ataque frontal ou de transformação da Igreja. O jornalista Olavo de Carvalho, que criou o termo “metacapitalista” e, identificou claramente e documentalmente, os três grandes blocos, onde nada escapa a isso: Islam, metacapitalistas e Russo/Chino, foi perseguido, ameaçado, isolado, assim como Graça Wagner, que denunciou no congresso – o Foro de S. Paulo. Evidentemente isso foi a décadas atrás e se mantém anormal até hoje. Para recuperar a normalidade é necessário a verdade, mas como isso é possível, se o fundamento do comunismo e as inserções do grandes blocos, são essencialmente falsas e criminosas?

12 – Se a ‘normalização não era do agrado dos três blocos, também não era dos empresários associados ao governo e o governo, indiretamente associado a governos narcotraficantes,como é o caso de Cuba há muitas décadas, pelo viés da máfia russa para Europa e EUA (vide livro Red Cocaine). E esta situação caótica do governo brasileiro, com o mensalão, o petrolão, atingiu o alvo, que era o ‘congresso nacional, que foi comprado …, comprado como se dá uma comissão de uma venda qualquer, neste caso, o produto vendido que gerou comissão, eram os impostos tirados à carteira das pessoas, além do salário que ganham, dos privilégios todos, agora, o mensalão! Isso é criminoso! E pior que isso, que tipo de gente, faria isso com plena consciência? Como disse décadas atrás o deputado comunista Roberto Freire, hoje no PPS: “que tinha todo o direito de receber aquele dinheiro, fruto de seu trabalho”. Todo país ouviu aquela declaração. Roberto Freire teve que viver um tempo ‘escondido ao público. Na verdade, havia criado uma ‘hora extra’ no congresso, a título de comissão especial e por menos de uma semana de trabalho, iria receber a bolada, na época e hoje de R$200 mil reais, por aquelas ‘horas extras’. Quer dizer, era Natal. …. Geralmente, na vida parlamentar, se dá presentes, melhores, para quem se quer impressionar, oportunamente.

13 – Para os metacapitalistas, que atuam (sustentam economicamente) na área cultural: mídia, fundações culturais, revistas de associações e sindicatos, ONGs e, através das ONGs, Navios de Empresas Privadas, com os IMIGRANTES, o que interessa é o ambiente de crime contra a nação; na política, na economia, na cultura, nas drogas, nos assassinatos, ou seja, mais uma invasão, que uma normalização!

14 – Evidente que não lhes interessa nem a normalização e nem reformas! No entanto, o motivo para a trama da <<apuração secreta>>, não se justifica, nem se Aécio ganhasse, nem Dilma ganhando (como ganhou) e nem estando o Temer no poder. Em que Aécio faria diferente de Dilma, ou de Temer? Quando as instituições públicas estão tomadas por comunistas? Nos EUA, a Fabian Society, com Hillary e seu eterno bem querer, Bill e o partido da Kun Ku Clã, os DEMOCRATAS, fizeram um bom trabalho para ‘a causa que favorecia mais, aos metacapitalistas e ao Islam.

15 – Certamente Dilma e todo o movimento de esquerda, pretendiam (quando Dilma no poder) e, pretendem os agentes do ‘movimento, favorecer mais Rússia e China em primeiro, depois Islame por acidente e “colaboração espontânea, sem o que a economia se dissolve”, os metacapitalistas. Para o Brasil e América Latina é isso o que parece mais conveniente. No entanto, a influência das dinastias ligadas à ONU é muito forte no país. Dominam os meios de comunicação, televisões e as ONGs. Rússia e China estão representados pelo Foro de s. Paulo e o Islam, no Brasil, ainda não tem número suficiente de ação.

16 – Estas organizações políticas que atuam no Brasil encontram terreno fértil, pois que, trabalhavam com pessoas de baixo conhecimento, atuam ao nível das classes falantes e do ‘mundo acadêmico – verdadeiramente, pessoas com mentalidade de criança, e não sou eu quem diz isso, mas pessoas com grande conhecimento. Pelos fundamentos torpes que acreditam defender, quando representam e o representam de tal forma, que não mais se identificam a si mesmas, e isso, desnuda uma trama de fundamento, maior que eles, que os abarca e os mimetiza em ilusões variadas. Por exemplo, o fundamento de uma sociedade mais (quantidade), justa é falso por princípio; quando se acredita nisso, se cria leis, para tornar a sociedade mais justa, no entanto, a cada lei criada, mais (quantidade) se restringe a liberdade; então ‘desviam o curso da injustiça na sociedade, às minorias que inventam, para delas fazerem uso. Isso é apenas, um exemplo. Muitos estudiosos entendem isso como fingimento e, o é, externamente, mas internamente é a ação demoníaca (revolucionária). Este é o melhor adjetivo, pelo inferno produzido em suas vidas, com relação a elas mesmas. Ou seja, estão quase que impedidas de confissões, sem não abandonarem seus vícios morais, entre eles o fingimento, vícios, que crescem igual a ervas daninhas em terreno abandonado.

17 – Elas não conseguem fazer e não querem fazer a distinção entre um diploma que secciona o que é conhecimento; do que seria como, confundir a história da filosofia com o filósofo; não fazem distinção, do fato de comprarem um carro, em função de um ‘cargo, ou de um negócio sujo, com o fato de venderem-se, como se venderam ‘os congressistas. E se arrogam, o que não podem ser. E isso é deletério. A identificação da luta contra o contágio, da invasão cultural gramscista: “do quanto pior, melhor”, apareceu em um momento de lucidez, quando as massas saíram às ruas gritando: Fora políticos, Fora partidos! Houve uma união nacional naquele momento. Existe algo mais forte do que isto? Existia lideranças que representassem isso? Não!

2ª. PARTE

18 – O informativo “247”   –   o símbolo 2, significa o que colabora; o 4, o que realiza, o 7, o que pensa, são símbolos da numerologia, que tem o triângulo como representação   = 13 (comunidade com os homens) = elemento místico = PT = Foro de s. Paulo …,

…. divulga, em momento oportuno, quando isso vem sendo discutido em alguns órgãos de informação nos EUA – suspeita-se e talvez a própria suspeita seja falsa – …, com a digital de Moscou, o que pode ser uma estratégia de contra-informação e, desinformação, cujo título é “Maçonaria à cubana: foice e martelo de um lado, régua e compasso do outro”. Vejamos – uma possibilidade – do porque deste inusitado artigo, no parágrafo 19.

Segundo o informativo (247):

“Fato incontestável, e que talvez tenha a ver com essa tolerância (sangue puro da maçonaria ou, do comunismo – grifo meu), é que a própria independência de Cuba foi alcançada em boa parte graças à ação de maçons franceses e cubanos. A maçonaria surgiu em Cuba em 1763, a partir de lojas militares inglesas e irlandesas. Quando os ingleses partiram, chegaram os franceses, aos milhares, fugidos da revolução no Haiti em 1791. A primeira loja realmente cubana foi o Templo das Virtudes Teológicas, fundada em Havana em 1804 pela Grande Loja da Luisiana”.

“A Grande Loja de Cuba, conhecida popularmente como o Edifício Maçônico, foi construída por volta de 1955 para as funções de Templo e sede central das entidades maçônicas de Cuba e chegou a albergar a Universidade Maçônica. Trata-se de um edifício imponente, incluído entre as obras arquitetônicas mais significativas da cidade de Havana. Encontra-se na atual Avenida Salvador Allende, no centro da capital cubana. Sem esquecer que o chileno Salvador Allende, amigo e aliado dos irmãos Castro, era maçom convicto”

Mas já em 1859 Cuba se orgulhava de possuir uma loja autônoma, a mesma que opera até hoje. Ela escapou inclusive à homologação cultural pós revolução que aconteceu em 1959, embora alguns “irmãos” tivessem proposto a sua dissolução, sob a alegação de que “no novo contexto político certos ideais não tinham mais razão de existir”.

O Grão-Mestre daquela época fugiu para a Flórida com todo o seu estado-maior, e a partir de Miami passou a lançar anátemas sobre seus confrades que permaneceram na ilha, desencorajando-os de eleger um novo chefe.  Flechas que caíram ao mar: hoje, na ilha, existem 318 lojas frequentadas por mais de trinta mil afiliados. O número tem aumentado ultimamente: “Depois da queda do Muro de Berlim” contou um ex grão-mestre ao New York Times “muitos jovens vieram a nós em busca de respostas que o Estado não tem condições de dar. Eles nos identificam como exemplo social: não discutimos política nem religião”.

19 –  De qualquer forma, este tipo de informação, como que ‘caída do céu’, onde não se sabe se é boa ou má, notícia. Se isso tomar vulto, alia o que está aliado: a maçonaria e o PC. “Chove no molhado”. Mas o faz de forma folclórica e desvirtua a real situação. Posso dizer, que a maçonaria está sendo usada pela própria maçonaria e os PCs pelos próprios PCs, para ocultar aquilo que Olavo de Carvalho, fala com muita propriedade, sobre o Esoterismo. O avanço do Islam no mundo da religião ocidental. E o que isso significa? De imediato, significa que, tem muito a menos a ver com Cuba e a Maçonaria, do que, com o Islam. O Islam, desde a muitas décadas atrás se reivindica a ‘figura de proa deste esoterismo macabro, cujo ‘cartão de visitas, são cabeças degoladas; invasões a países sob pressuposto falso, nas circunstâncias em que isso ocorre; estupros de mulheres ocidentais, terrorismo e, matança de cristãos com a colaboração de comunistas da china!

20 – Macabro e demoníaco, não em si mesmo, pois que têm homens de inteligência, mas também, de gênios maus, cujo objetivo final (nesta fase de luta) é destruir, ou comandar o cristianismo; quando o cristianismo, ora é dominado por dentro, ora duvida de seu potencial, roubado a estes últimos, que o usam, ao potencial cristão, contra eles mesmos: os cristãos …, se não para exterminá-los; segundo o raciocínio e uma prática nos países comunistas e islâmicos, para controlá-los segundo Schuon e seu mestre e as Taricas muçulmanas. Vide a inauguração do túnel de São Gottardo e participação ‘efusiva de Merkel e outros presidentes. E entenda, de uma vez por todas, que isso, é conspiração!

Na matéria anterior falava sobre o Consórcio Sorriso, onde o senhor Alamini cobrava ao município a bagatela de quarenta milhões de reais.Enquanto me referia à instituição privada, o Consórcio Sorriso, as coisas eram mais fáceis, mas quando se diz o nome de uma pessoa é preciso o máximo de respeito, pelo que ela representa frente ao eterno.

O senhor Alamini e seus sócios são homens que investiram o seu dinheiro e, geram empregos a outras pessoas tão importantes quanto eles. Isso por si, é meritório. Tive uma empresa e gerei quatro empregos e durou 6 anos, isso para mim, neste país, me pareceu raro.

Como? Alamini e seus sócios e por extensão, todas as empresas do ramo puderam existir, na forma de empresários, com os governos que tem o Brasil? Ao menos desde a primeira eleição indireta. (1). As empresas, são pessoas, pessoas iguais aos políticos, funcionários públicos, iguais aos empresários, os maçons, os monges e trabalhadores. No ‘lado escuro, podem ser iguais a narcotraficantes, assassinos, psicopatas, satanistas. A linha é tênue para todos. E só por isto, existem as leis. Mas se as leis são deturpadas, vence o lado escuro!

1 – A primeira eleição, ela se pretendia direta, os candidatos eram Andreazza (da Arena) e, Tancredo. Maluf ganhou de Mário Andreazza dentro do partido. Isso fez com que a Arena se dividisse. E ACM homem forte da Arena formou a Frente Liberal. E entregaram o governo a Tancredo, com a concordância de Ulisses. Tancredo morre, Sarney ocupa o espaço vago, a eleição foi indireta. Aquela, das “diretas já”, e as grandes manifestações de rua! De lá para cá todos os governos (presidentes) foram processados pela justiça e a eleição direta, tornou-se uma espécie de golpe ‘da esquerda. Em 2006, Lula se dizia feliz porque “todos os partidos eram de esquerda”. Um golpe caro ao país. Quantas promessas, churrascadas, caminhões de areia, dentaduras, ônibus fretados, sacolinhas com camisetas para corredores, notas de 50, etc. não foram dados aos futuros eleitores? Isso é eleição direta?

Como Alamini e seus sócios puderam resistir a um governo centralizador? Centralizador ao ponto de criar uma situação tal, que impossibilite, qualquer modo de “reclamação”; os governos fornecem coisas ruins às pessoas e elas não têm a quem reclamar. Nunca se encontra uma pessoa, na província, capaz de resolver problemas. Resolver problemas e não, explica-los! Estes dirigentes de estatais e empresas mistas são quase invisíveis, onipresentes. Ninguém sabe quem são eles. (2) O Estado cria defesas ao Estado, cada vez mais intransponíveis. E quanto mais forte o Estado, mas miserável é a sociedade em torno.

2 – As pessoas passam por uma série de estágios se quiserem reclamar de algo. Primeiro, o caminho dos telefones, que normalmente desestimulam a pessoas; segundo o caminho da internet; terceiro, um nível mais difícil, pois que é necessário a locomoção de uma cidade para outra, para falar com os burocratas, que encaminham um processo. Onde provavelmente a pessoa terá um resultado desestimulante. E isso acontece em todas as tarifas: água, luz, telefonia, gás (preço autoritário); tarifas vindas da federação, do estado, no IPTU, IPVA etc. É dispensável dizer desta problemática nas questões de administração de empresas e nas questões de encargos trabalhistas! E nisso incide a pergunta do parágrafo, como puderam resistir a este tipo de governo? E a resposta mais óbvia é: não podem!

Como uma empresa privada que atende aos serviços de prioridade (que o estado considera sua propriedade ‘natural), como: transporte de massas, saúde, energia, escola, pode resistir sem não se aliar ao Estado? (Princípios do fascismo, no comunismo).

E porque fariam isso, se não, por pressão econômica?

Um parêntese – A TERÇA PARTE.

Um prédio com 6 funcionários (sendo 4, 24 h. sem folga, exceto a compensada), cada um ganhando uma média – total com extras e benefícios – R$1850, dá uma folha de pagamento de R$11.100 + RS990 de INSS = R$12.090 a 13 meses (13º) = R$ 167.700. Este valor anual dividido por 48 moradores, dá por mês R$293,85, por dia – R$10. (Uma diarista cobra R$100, por dia. Uma consulta médica custa R$400. Um assessor político ganha em média R$233 por dia). O condomínio é de R$900 reais. R$900 x 48 moradores = R$43.200 a 12 meses = R$518.400. R$518.400 – 167.700 = R$350.700. O gás está embutido no preço. O resto é manutenção e reformas e escritórios de administração e, TRIBUTOS. A despesa com M. de Obra é de 1/3 do valor arrecadado pelo condomínio.  Seria necessário um cálculo preciso para se saber se os TRIBUTOS, representam um 2º terço dos R$518 mil reais/ano, ou mais. Fecha parêntese.

Os sindicatos (e, são mais de 16 mil, no país), fazem crer ao público, que os responsáveis pelas más condições de trabalho são a iniciativa privada e sua peculiar avareza. De fato, “sua avareza é controlada pela concorrência e oferta de trabalho”. Já, no Estado, não há controle algum, efetivo, como seria a concorrência para o setor privado; o próprio ‘controle do estado é controlado pelo Estado, ou seja, o controle que se propõe é o controle social e quando este controle é sabotado, por exemplo, por uma <<apuração secreta>>, todo processo eleitoral, doravante, será comprometido e com ele toda possibilidade de controle!

Veja, o cálculo matemático sobre o edifício é apenas uma demonstração, onde fica fácil ver os desacertos. E as falhas, não são matemáticas, mas uma forma malandra de aplicação da matemática,que independem do administrador e dependem das leis criadas nas câmaras, assembleias e congresso. E quando isto acontece e acontece, sempre, as mais valorizadas são as ações na linha econômica, dos agentes do Estado e políticos – os TECNOCRATAS E BUROCRATAS.

Eles têm como auxiliares, os sindicatos. Aliam os sindicatos aos trabalhadores e outra linha sindical, aos empresários. Aliam aos partidos, tanto os trabalhadores quanto os empresários. E é esta confusão de interesses que consideram POLÍTICA. A confusão é criada para que não se perceba de onde vem amordida do leão. Então, criaram a figura do leão ao símbolo da receita federal.

Agora retornamos ao Alamini e seus sócios. Quando Alamini cobra 40 milhões ao município em nome do consórcio. Ele deixa transparecer um certo inconformismo, o que me leva a crer que ele e o consórcio sorriso, pensassem que estivessem ajudando a cidade e foram traídos. Bem, foram traídos! (4). Mas não, pelo povo da cidade, mas pelos interesses em conflito e a própria ambição de controle dos transportes na cidade (5), sem contar os diversos motivos individuais de cada empresário.

4 – Em 2010, no período da formação do consórcio, pessoas reclamaram da qualidade do transporte. O prefeito P.M.D. disse: “hoje, a maioria das pessoas já possuem veículo próprio”. O que P.M.D. quis dizer com isso? Que ele e o PT haviam melhorado tanto a qualidade de vida das pessoas, que os ônibus eram dispensáveis? Doravante as pessoas assumiriam as despesas do transporte por conta própria? Na verdade, no segundo mandato de Paulo, a cidade passava por uma crise de desemprego e induziram os jovens, usando do artifício das ações de passes de ônibus, jovens que iriam entrar no mercado de trabalho a arriscarem o ‘negócio próprio.

5 – Só há um controle específico e claro, o controle do dinheiro! Um cálculo aproximado – ao ano – para 145 mil veículos em F. do Iguaçu mostra que a cidade gasta uma média de 2 bilhões de reais em combustível! Quando o orçamento municipal é de 800 milhões! Há algo fora de controle!

Ainda sobre a matemática. A lei do quinto de Portugal, referia-se ao OURO. Hoje é a lei do TERÇO. De três parte de qualquer coisa, de todas as coisas, 1/3 é do Estado. À Indústria de produção, que trabalha com matérias primas, isso parece correto. Entretanto é injusto (no sentido de desproporcional) com relação, por exemplo, à área de serviços, onde a matéria prima é o homem e, a mulher.

O problema do transporte que os sócios do consórcio reclamavam não era a passagem gratuita, isso era um princípio de conversa. Afinal, quem paga por isso, na prática é o usuário – ônibus lotado. Que a viagem fique mais cara pelo peso é verdade, mas neste nível de cálculo, pelo volume de impostos que se paga no combustível, nos veículos individuais (que supera em muito o orçamento do município) o valor referente ao ‘peso é insignificante como seria insignificante a despesa com o uso do ar condicionado nos meses de verão.

Quanto aos REPASSES de preços, que não foram feitos, isso não se justifica. Considerando que o salário dos motoristas e cobradores de Foz é o maior do Paraná.

O problema do transporte na área de serviços está além do controle matemático, administrativo, ele se localiza em um abismo entre a empresa privada e sua relação com o Estado e os interesses de ambos em concorrência. Assim como concorrem a CLT e o sistema de Legislação do trabalho no Estado.

A PONTE

Para as empresas MISTAS, como bancos, hospitais, poderiam existir só o sindicato da parte privada e acorporação da parte do ESTADO. A disputa seria evidente.  O sindicato teria a função original de ser aponte entre as empresas privadas e, o Estado (deputados, senadores etc.). A corporação a mesma coisa. Uma ponte que servisse de passagem para os dois lados. Da forma que é, apenas um tem acesso a ambos os lados: O ESTADO.

Do ponto e vista do sindicalismo, ele faz essa ponte. Mas isso é uma impossibilidade, considerando que ele é um braço do Estado. O fluxo não existe, o intermédio disto seria a mídia (no sentido de meio). Mas isso é outra impossibilidade considerando que a mídia é patrocinada por empresas estatais. Quando deveria ser patrocinada pelas entidades privadas e nunca, pelo Estado. Aqui, se vê o abismo.

Este abismo que existe entre empresários, Estado e funcionários é a ilusão criada por ideologias de libertação alimentadas no sindicalismo e nas câmaras regionais por organizações comunistas, que rezam pela cartilha do ‘quanto pior melhor’. Quanto pior melhor, porque nivelam a sociedade ao seu nível de quem nunca fez nada de concreto em termos de desenvolvimento econômico e, humano. Basta ler o livro: O Livro Negro do Comunismo. (6)

6 – O Livro Negro do Comunismo – crimes, terror e repressão. Stéphane Courtois, Nicolas Werth, Jean-Louis Panné, Andrezej Paczkowski, Karel Bartosek, Jean-Louis Margolin, pág. 3/381 Editoração: Art Line 1999: “Como um ideal de emancipação e de fraternidade universal pode ter-se transformado, na manhã seguinte ao outubro de 1917, numa doutrina de onipotência do Estado, praticando a disseminação sistemática de grupos inteiros, sociais ou nacionais, recorrendo às deportações em massa e, com demasiada frequência aos massacres, gigantescos? O véu da denegação pode enfim ser completamente destruído. A rejeição do comunismo pela maioria dos povos em questão, a abertura de inúmeros arquivos que ainda ontem eram secretos, a multiplicação de testemunhos e contatos trazem o foco para o que amanhã será uma evidência: os países comunistas tiveram maior êxito no cultivo de arquipélagos de campos de concentração do que, nos, do trigo; eles produziram mais cadáveres do que bens de consumo.

Por isso …, senhor Alamini e sócios do Consórcio …, por isso, cresceu o número de pessoas que não usam mais o transporte e, ao invés de circularem o dinheiro no município, usando ônibus, o mandam para a Petrobras para sustentar um Estado cada vez mais exigente. E hoje nós sabemos, que é a Petrobras, segue o mesmo curso da empresa de petróleo da Venezuela.

Quando Alamini diz que a cidade lhe deve, isso cria um abismo entre o que ele afirma é a realidade miserável da cidade. Uma realidade de ‘usurpação da economia local. Outro exemplo disso, aconteceu entre o município e o Hospital Costa Cavalcante e associados (empresa mista). Belo dia., o município devia 32 milhões. mais 12 milhões?! A culpa, mais uma vez era do povo!

Isso é uma daquelas situações onde age o onipresente burocrata. Dele só ouvimos reverberações de seus ultimatos. E porque é assim? Ora, como explicar ao povo, porque, exames do SUS, pagos ao longo de uma vida (de cada trabalhador) – tanto que construíram os hospitais com este dinheiro – deve ser cobrado à cidade? Isto só se explicaria com a falência do SUS! E o mal-uso do dinheiro tirado à carteira das pessoas.

O Costa Cavalcanti (nome de um militar) foi construído com dinheiro público. Se o Costa passou ao setor privado, ninguém sabe, ninguém viu e muito menos se viu o dinheiro ou ações desta transação e pouco se conhece sobre o contrato e quem o fez. Logo, é como cobrar o SUS, ao SUS. Ou coisa pior, uma espécie de licitaçãoforçada de uma empresa privada dentro do SUS e parida no SUS.

Para resolver isso foi necessária a intervenção do Governo do Estado. (Beto Richa). Lembrando que em 2006 Foz foi vítima de outra intervenção. Desta feita na Santa Casa de Misericórdia. O governo era Requião. Requião não só não resolveu o problema como aprofundou a crise e a trouxe até os dias de hoje. E até hoje o máximo que o dinheiro de indenização dos ex-funcionários, chegou perto deles, foi do sindicato da saúde – o guardião do dinheiro alheio – que está aguardando, ‘ordens do tribunal de Porto Alegre! E o dinheiro, declarado pela justiça, dos ex-funcionários, se consumindo ano após ano, com alugueis de arquivos e coisas velhas e, despesas advocatícias!

Outro exemplo de abismo, entre a realidade que vive a maioria do povo e a realidade da ilusãotecnocrata amalgamada (mercúrio e enxofre) ao comunismo. Não digo comunismo oportunista, porque isso é uma característica própria de uma oportunidade criada, que pode ser ao tecnocrata, ao empresário, e não digo oportunismo comunista, porque ele criou a oportunidade.

É um grau acima de ser oportunista, seria como preparar ‘armadilhas!
E porque o governo intercedeu na atual situação da saúde, pós Requião? Porque não havia como solucionar o problema, sem dinheiro. E eles sabem exatamente o dinheiro que circula em seus SÍTIOS (no sentido, de lugar que um objeto ocupa). Talvez este seja o real inconformismo dos sócios do consórcio, representados por Alamini. A redução das verbas no setor de transportes de massas.

Talvez Consórcio tenha se considerado “um amigo” do Estado. O Estado não tem amigos, tem contribuintes, na melhor das hipóteses.

Talvez as empresas devessem se unir aos seus funcionários para cobrar aos sindicatos, aos políticos e mídia, maior clareza e, publicidade, das relações dos governos do Estado com o município, das relações da iniciativa privada com o governo. Por exemplo, explicando o quanto arrecadam “nas Cataratas” e o quanto disso sai do município e, porquê? E, o que eles fazem com este dinheiro? E assim todo o resto.

Se o empresariado quisesse, ele poderia tomar o poder aos políticos e não fazem isso porque não se acreditam políticos, isso é um bom-senso, o primeiro passo para a política. Isso seria muito mais simples do que eles pensam. Se não pensassem que sua relação atual, com os políticos e os sindicatos é de acordo com seus interesses. Que, no entanto, ao meu ver, vêm se mostrando decadente! O pontoculminante desta decadência, é visível na Odebrecht!

Sobre o abismo creio que deveria dar mais um exemplo. Quando mudei de S. Paulo para Foz comprei uma casa no conjunto Libra.  Era contrato de gaveta. O banco considera, que muitas destas casas são entregues aos amigos do poder, para depois revender. Estão certos e por isso odeiam o ‘contrato de gaveta. Quando terminou as prestações. Me veio uma carta, do banco Itaú, que havia adquirido os‘restos do Banestado. Na carta dizia que devia ‘outra casa. Evidente que era um golpe! Só possível em um ambiente de obscuridade jurídica e política. O Banestado (no estado do Paraná) havia prometidouma “carteira de habitação”, polpuda ao Itaú e o Itaú queria receber. Após dois anos de luta, muitos de nós conseguimos finalmente quitar a casa com um mínimo de dinheiro. Mas não nos deram a quitação.

Para terminar, hoje, ao sair de casa notei as matas que estão crescendo na esquina da Osvaldo Goch com a república da Argentina, onde era o Maxxi do Walmart (depósito de atacado). Não confunda com Maxx mercados. No ponto de ônibus, uma cobertura de ferro enferrujado, próximo, tinha um pequeno monte de terra de uma pequena reforma recém terminada e  no cume do pequeno monte de terra, fezes de um cão de rua. Do lado das fezes, um papel do tipo guardanapo grande, como se o cachorro dissesse, como se pudesse, se limpar! Este foi o sinal. Entre a ação cuidadosa do cachorro, o abandono do Maxxi, o ponto de ônibus em frangalhos, o abismo criado entre o homem e o homem, senti que a humanidade está abaixo de cachorro!

De 1918 a 1991, o Pravda (em russo, “verdade”) foi o principal jornal da União Soviética e órgão oficial do Comitê Central do PCUS, Partido Comunista da URSS.
Talvez o paradoxo mais famoso descoberto pelos filósofos gregos seja o do “mentiroso”. Um cretense diz que todos os cretenses são mentirosos: se o que ele diz é verdadeiro, então é falso. Simplificando, considere: “Esta frase é falsa.” Se for verdadeira é falsa, se falsa, verdadeira. Os antigos levavam a sério esse paradoxo, pois se o conceito de verdade é intrinsecamente contraditório, como o paradoxo implica, então todo o discurso, todo o argumento, toda a tomada de decisão racional ocorre em um vazio. Um filósofo antigo, Filitas de Cos, em seu desespero na busca de uma solução, cometeu suicídio. Mais recentemente, o grande lógico Alfred Tarski usou o paradoxo para argumentar que a verdade pode ser definida em uma linguagem somente através de uma “meta-linguagem” com um ponto de vista externo. Na visão de Tarski “Esta frase é falsa” não é uma frase possível. Mas eu acabei de escrevê-la!
Um filósofo sobressai-se como um traidor da tradição, Nietzsche, com a famosa declaração que não há verdades, apenas interpretações. A declaração de Nietzsche, se verdadeira, é falsa. Nietzsche, que era mais poeta do que filósofo, não era dissuadido por contradições: era mais importante em sua visão destruir o discurso ordinário do que resgatá-lo. Em seu rastro vieram as tropas de desconstrucionistas, pós-modernistas e relativistas, todos encantados com a idéia de que não há verdade. Que o que eu penso é tão bom quanto o que você pensa – de fato melhor, porque sou “eu” pensando. Se você me oferecer um cargo de professor apesar do fato de que minhas publicações não conterem nada que você reconheceria como verdadeiro ou significativo, então isso mostra que você é tão descolado quanto eu.
Não devemos nos surpreender assim se os nossos departamentos de humanas são agora preenchidos por “professores de pós-verdade”, que devem seu status intelectual às suas provas de que não há status intelectual a ser alcançado.
Tudo isso vem à mente ao refletir sobre o papel da verdade na diplomacia russa. A ideologia comunista descartou a idéia de verdade como se fosse uma construção burguesa. O que importava era poder — e você batizou como verdade aquelas doutrinas que o fornecem. Essa maneira invencível de marginalizar a realidade foi exposta para todos por Orwell, Koestler, Solzhenitsyn e, mais recentemente, Havel. Somente a educação em uma universidade moderna, com doses repetidas de Foucault, Deleuze e Vattimo, pode cegar para os perigos de uma filosofia que vê o poder como o verdadeiro objetivo do discurso. Infelizmente, essa educação existe, e temos que viver com o resultado disso.
Todos os que encontraram a máquina comunista estavam familiarizados com a abolição da distinção entre verdade e poder, incluindo companheiros de viagem como Eric Hobsbawm e Ralph Miliband, que aprovaram isso. O que importava ao Partido Comunista era a meta: a instalação do controle comunista sobre o máximo possível do mundo civilizado. O mito do “cerco capitalista” — a descrição da expansão militar soviética como uma “ofensiva de paz”, as invasões da Hungria, da Tchecoslováquia e do Afeganistão como “assistência fraterna”: tudo parte da diplomacia da pós-verdade. A falsificação do discurso político estendia-se às minúcias. Os judeus eram perseguidos não como judeus, mas como parte da conspiração burguesa-sionista-capitalista. Os católicos foram presos por “subversão da república em colaboração com uma potência estrangeira”. As tentativas da OTAN de instalar defesas antimísseis tornaram-se “atos de agressão que desestabilizavam a Europa”. E assim por diante. O resultado era uma espécie de discurso paranóico que não podia ser respondido com argumento racional, já que cada argumento era mais uma prova de que todos os que denunciavam as mentiras também as diziam. A máquina de propaganda soviética enfrentava todos os fatos gritando a plenos pulmões “mentiras!”, como um lógico louco que grita “essa frase é falsa!”
A paranóia institucionalizada não desapareceu com o colapso do comunismo. Poderá ser superada, mas apenas por uma imprensa livre, instituições livres e universidades que protegem a liberdade de expressão: coisas que estão sob ameaça em todo o mundo pós-verdade e que não existem na Rússia há cem anos. Quando foi mostrado que os mísseis russos derrubaram um avião civil malaio sobre a Ucrânia a resposta era outra vez “mentiras!” As acusações de doping de atletas russos, invasão de contas de e-mails dos EUA, mobilização de tropas na fronteira com a Polônia, movimentos de armamento para o enclave de Kaliningrado, constante violação do espaço aéreo da Suécia — todos encontraram a mesma resposta. A premissa da diplomacia russa é: “Não há verdade e portanto tudo o que você diz é uma mentira.” O que, se verdadeiro, é falso. Como foi demonstrado.

ÚNICO – Esta matéria e outra anterior e outra que ainda virá e que já está escrita à caneta tinteiro, aconteceu após a conclamação de um empresário à cidade, cobrando da cidade a bagatela de 40 milhões de reais. Isso era a segunda vez que acontecia, a primeira cobrança de aproximadamente 45 milhões, havia sido feita, do que era uma instituição do Estado Federal, ao Estado municipal. Que usando os recursos de lei, criadas pelo petismo, da empresa mista e ainda, do caráter binacional de Itaipu, criou formas de subsumir o caráter público da instituição, subsumindo os recursos tirados à carteira das pessoas, transformando-a, a instituição pública, em uma espécie de agiotagem dos planos de saúde em um misto de ‘pronto socorro do SUS, para casos especiais. E que, neste caso, desta primeira dívida de 45 milhões, teve como resultado a falência absoluta do governo, colocado por Paulo Mac Donald e que no futuro, por motivos estranhos, além da malevolência e do uso indevido do poder, natural nestes ambientes perversos, levaria à prisão 12 vereadores e um prefeito e a imposição de um outro tão igual.

01 – …. Este tipo de gente que investe o próprio dinheiro, influencia a política, o judiciário e, é influenciado ‘por eles (…). Um caçador sabe, que pode virar caça! Um ‘marfim, um chifre de rinoceronte é lucrativo logo, é arriscado. Ao contrário nada é arriscado para aquele que não investe nada, e encontra formas de intervir na economia, para se sentir o próprio ‘economista que dita as regras, ou pensa ditar as regras da economia. Especialmente quando usando do dinheiro de impostos, tirado à carteira das pessoas sob pressupostos ‘capengas …, cria empresas, às quais dá nomes sofisticados e tentam na medida do possível separá-las do mercado econômico de ações (bolsa de valores) e quando fazem isso, incentivam o outro lado, à formação de monopólios (consórcios, cartéis, trustes).

02 – Em existindo os monopólios, existe algo além, que controlam os monopólios: os metacapitalistas (termo de Olavo de Carvalho) e eles se aliam e são aliados ao mundo político (como a Odebrecht se aliou ao Foro de s. Paulo) e dão origem a um modelo fascista de economia capitalista. Curiosamente estes mesmos que acusam (militantes, ativistas, marqueteiros, agentes comunistas), pessoas de serem fascistas …, a maioria deles, nem sequer sabem, o que é o fascismo, eles próprios, o são (além de comunistas) ou, defendem isso, sem o saber.

03 – A política, o judiciário, são representados por pessoas em uma escala regional, estadual, nacional e internacional (ONU, 4ª internacional comunista, o Concílio do Vaticano II, OEA, Mercosul, Congressos internacionais de ciência e maçonaria). Mas é aí, nesta impressão de quem controla quem, ou pensa controlar organizações, e as organizações pensam controlar os negócios (capitalismo) é que, “a porca torce o rabo”, e se mistura, economia real a política abstrata. E o povo … nada!

04 – Mormente, uma política é abstrata, até a formulação de uma lei que passa a regrar a vida das pessoas. Quando a lei se torna bastante concreta é justamente quando ela sai das mãos do legislativo e passa ao judiciário. Uma lei, por exemplo, de contenção e controle à economia real, dirigindo-a a determinadas classes sociais, onde se misturam políticos e empresários, como por exemplo, a lei que regula o direito de poder ter um taxi, um ônibus, uma moto (ou uma frota) para transporte de pessoas. Poder usar ou não um rio, um lago, terras municipais ou terras para plantio e outros. (04.1).

04.1 – Considerando o tudo que foi feito com as terras no Brasil, após a tormenta Lula, até a entrega de 30% do território nacional ao MST e aos Índios, a consideração fascista, levando em conta um território menor, ela era mais razoável: “Di fronte al problema agrário, la posizione del fascismo tendenzialmente è questa: la terra a chi la lavora e la fa fruttare. Niente <<socializzazione dela terra>>, frase priva di senso e niente – soprattutto – Stado agricoltore. Il problema agrário è diverso da regione a regione ed è di uma complessità grandiosa. Guardarsi da certe frasi fatte! Il fascismo nom solo nom deve contrastare, ma aiutare le masse agricole a togliersi la secolare e sacra fame dela terra”. Liv. Renzo De Felice, ‘Mussolini il fascista’ La conquista del potere 1921-1925 – Ed. Einaldui Tascabili, pág.55.

05 – Para manterem o equilíbrio destes poderes e criarem outros poderes piores, usam ‘o povo’ ora, como escudo, ora como setas tortuosas …, como se usam os peões no jogo de xadrez. Qualquer lei que seja criada em um ambiente já deformado – instável (05.1), ela só pode ter o caráter repressivo. Por isso a sociedade implora que não se criem mais leis! Mas revisem as criadas nos momentos de invasão cultural, estranhas ao país. Porque exemplo, qual terá sido a intenção de um vereador de uma câmara municipal, câmara no sentido de “foco das organizações políticas internas e externas ao país”, em criar um projeto de “reserva de mesas para deficientes? ”, senão para, quando necessário, impor restrições, que somadas às outras tantas, criam a própria absurdidade?  E porque criar a absurdidade? E este é o caráter das leis do Brasil, pós vitória do esquerdismo. A partir das eleições DIRETAS (e, a constituição CIDADÃ), um produto de outra anormalidade: as INDENIZAÇÕES injustas dadas a malfeitores, que queriam transformar o país em uma República Comunista. Certamente as indenizações deviam ser revistas, elas somam mais de 60 mil pessoas, isso é um nonsense!

05.1 – O povo aclamava “Diretas Já”! Nos palanques, os políticos não falavam outra coisa. Os Candidatos originais seriam Ulisses, Tancredo e Mário Andreazza. O golpe contra as “Diretas já”, acontecem com ‘a vitória de Maluf nas eleições primárias do PDS, contra Andreazza. Maluf teve apoio de Golbery (o mesmo que apoiaria Lula depois, junto com Villares e FHC, grifo meu). Neste momento, da vitória de Maluf contra Andreazza, ACM se retira do partido e forma a Frente Liberal. Ulisses se une a Tancredo e Tancredo é indicado presidente por via INDIRETA. Tancredo morre, entra Sarney. Depois deste evento, foram eleitos de forma DIRETA 6 presidentes: Collor, Itamar (falecido), FHC, Lula, Dilma e Temer. Contando com Sarney, são 7 presidentes com processos. Ou seja, o povo votou 100% errado! Observação feita por Heitor de Paola em seu programa de Rádio. Heitor é psiquiatra, escritor, palestrante, jornalista e tem um programa de rádio, na “radiovox.org”.  

06 – Os empresários das cidades (há diferenças entre cidades e formação cultural), de maneira geral, eles acreditam que controlam o judiciário e, os políticos, locais. Especialmente quando formam seus filhos para estes fins. Mas este controle é uma impossibilidade, considerando as ingerências externas ao município e, ao país. Ingerências, tanto empresarial, quanto política. Por exemplo, a CUT, as Centrais Sindicais, controlam os sindicatos através de congressos. Lembremos também, que em 1980 foi ‘determinado (…), pelos metacapitalistas, que o Brasil seria um país ‘eminentemente agrícola.Eminente é o sinal de irreversão! O que veio concomitantemente foi o mercado Chinês do Paraguai. Para desestruturar o  principal parque industrial da América Latina. Por exemplo, é quase proibitivo, tanto para um quanto para outro, se pensar em outra forma de transporte entre cidades, que não seja o transporte rodoviário (sujeito à assaltos, preços abusivos, controle de mercadorias e, acidentes, pelas condições de trabalho precárias).

07 – Quase sempre, este pseudo controle, o que quer dizer ‘dinheiro, investimento, licitação, contratos, acordos, combina com os interesses das organizações políticas, através de uma comissão, chamada de ‘propina. As organizações políticas também acreditam que controlem os empresários, os ‘escritórios de contabilidade, os advogados, os agentes das receitas estadual e federal e, osmonopólios. Os monopólios estão além dos empresários regionais e abaixo dos metacapitalistas …,que tratam dos monopólios, como se estivessem em uma feira de negócios internacionais, como por exemplo, a relação de Soros com as ‘feiras de informática, que ele incentiva. Algumas delas aconteceram em Foz do Iguaçu. Nestas feiras, os representantes das organizações dos metacapitalistas selecionam o que lhe interessa, a própria ‘feira é um incentivo e uma intromissão nos meios de comunicação – no mundo!

08 – Quando se criam monopólios que são uma espécie de legos (jogo de peças de plástico ou madeira), eles são criados e controlados por metacapitalistas (Olavo de Carvalho percebeu isso, e os qualificou desta forma, para que fossem notados de forma diferente, dos outros: monopólios, empresas, cartéis, trustes, consórcios). Os metacapitalistas estão em uma escala acima, do ESTADO e do MERCADO. Seu poder é avassalador. (08.1). Controlam a essência do poder: armas nucleares, controle armamentista, alimento mundial, remédios, vacinas, máquinas de precisão, usinas de energia, química, ‘indústrias de ciências etc. Apesar de ‘acima economicamente, combinam com os ESTADOS (nacionais), na junção do poderio econômico; o dinheiro nas mãos do povo reduziu-se substancialmente, transferindo-se, para o setor político e estatal, através das tarifas e impostos crescentes. Lembremos que, o dinheiro dos Estados, são tirados, incessantemente, à carteira das pessoas, pelo viés das imposições (impostos). O dinheiro das dinásticas saem do remédio, da Coca-Cola, do celular, das indústrias de energia, dos transportes, do combustível, dos transportes de massas, do lixo, das matérias primas etc.

08.1 – Estimou-se a fortuna da dinástica de Rockfeller em: três trilhões e meio de dólares. Evidente que, de um dia para o outro, isso pode aumentar em bilhões de dólares. E isso pode comprar países. A dinastia Rockfeller e mais cento e tantas dinásticas podem comprar o mundo, entretanto, sua riqueza foi possível neste mundo, que ora, pretendem impor a sua ordem! Por exemplo, destruí-lo é uma idiotice, mas reduzir a população mundial é um objetivo. (No Brasil, em parte por obra do narcotráfico, uma facção considerada pelas organizações políticas do Foro de s. Paulo, são assassinados 70 mil brasileiros ao ano) A questão é saber quais nações, ou ‘estados nacionais, como pretendem, estão ‘na sua linha de tiro. E quantas outras tendências, ou blocos de poder (Metacapitalistas, bloco Russo/Chino e Islam), combinam com isso e até aonde se pretende chegar: um mundo literalmente comandado por facções políticas, empresariais, criminosas e, religiosas, no sentido de impor um código civil às massas. Deus passa ao largo deste método infernal. Os cristãos reagiram a isso, e o cristianismo foi dividido. A igreja católica é enfática ao dizer que, qualquer padre que colaborar – com o comunismo – está excomungado. Mas, e com relação aos metacapitalistas e, o Islam? Na época em que se afirmou contra o comunismo, nada se sabia sobre os outros dois blocos, o que não quer dizer que já não estavam atuantes desde o início do século XX.

09 – Vendo assim, como foi dito até agora, qual seria a atuação dos políticos e dos empresários provincianos? Se deixar levar pelas ordens vindas do exterior? Creio que a primeira providência é se ligar com alguém com poder no congresso, no senado. Um monopólio conhecido como rede Pitágoras, foi convidado a abrir escola em uma cidade onde haviam criado uma empresa de prospecção de petróleo, em Recife. A Cia. de Desenvolvimento de Foz (CODEFOZ), toda ela é a feição da ONU: ‘meio ambiente, sustentabilidade etc. Quem inseriu estas idéias ali, no CODEFOZ o fizeram pelo viés de Itaipu, que era um braço da ONU e do PT, entendido como organismo do Foro de s. Paulo. De fato, estas pessoas na posição de empresário, político, sindicalista, no âmbito provinciano, eles têm um papel menor de atuação, comercial, econômica, política, midiática. Eles próprios, uma ‘peça de legos. De um jogo, que não se joga nas províncias, mas em fóruns e, bancos internacionais. E precisamente, um jogo de um caráter, de oposição permanente! O que paralisa as ações econômicas nas províncias. Na atual eleição de prefeito na cidade de Foz do Iguaçu, nenhum deles ousou apresentar uma perspectiva de projeto que alavancasse o emprego e, o desenvolvimento. As províncias são paralisadas em sentido de declive, em parte, devido o estado de oposição permanente, em parte pelo ódio comunista às reformas. Um exemplo de oposição, está na base trabalhista, a oposição mais evidente é a legislação trabalhista da Iniciativa Privada e a Legislação trabalhista do Estado.

10 – Daí, desta oposição premeditada, planejada, seguem vícios (privilégios – agora) que são bons ao Estado e ruins à iniciativa privada, e isso se reflete nos impostos e, nas restrições ao trabalho, pelo viés dos monopólios ‘supostamente amigos, do ESTADO. E, no comando político regional, essencialmente feito por ‘funcionários públicos, que legislam, em causa própria e, do partido. (10.1)(O IPTU é um marco provinciano deste avanço). No momento atual do Brasil, o governo Lulista gastou o que não podia e isso afetou o dinheiro dos aposentados e pensionistas. Quando os pensionistas foram receber seu dinheiro receberam a triste notícia de que o pagamento seria adiado. Até o governo Dilma, mandar a Caixa Econômica pagar a qualquer custo, usando outro dinheiro, dos ‘impostos vivos, que eram colocados a cada dia. Isso era visto pelo ‘impostômetro! A isso se chamou de pedaladas fiscais.Um total descontrole das contas do governo, vindos desde Lula e suas aventuras com a Odebrecht.

10.1 – Coube ao governo de Paulo Mac Donald, colocado pelo governo petista, com recursos do PT, implantar um novo modelo de funcionalismo público municipal: o estagiário. Apesar de o estagiário ser algo antigo, era próprio da engenharia e medicina, onde ganhavam salário digno. O estagiário inventado pelo PT era fundado em um terceiro modelo de legislação trabalhista: um contrato anual. Que não foi aceito no Estado, por ameaça aos concursados e o provisório tornar-se permanente. Já na iniciativa privada, dos amigos do Estado, eles foram usados e abusados, em funções inapropriadas, com horários abusivos e salários reduzidos. O tiro havia saído pela culatra. Mas neste momento petista que o Estado começa a sofrer a invasão da militância. Não para melhorar nada, mas apenas para tomar o lugar. Ao povo, mais uma vez … nada!   

11 – Ao empresariado comum, não tomado pela força sindical, política, ou seja, pelo ESTADO. E tomado, através de recursos legais, diga-se de um suspeito legalismo (pelo nível absurdo de corrupção), como empresas mistas, empresas escolhidas para licitação, empresas feitas, como monopólios,legislações de trabalho flexíveis, etc. Para este empresariado também, não tomado, pela própria impotência, frente à ação de ‘concorrentes aparentemente privilegiados. Para ele, que o negócio, geralmente, vai de mal a pior, cabe a ele, reclamar até à exaustão, até fechar sua empresa e mudar de cidade, para começar de novo. E de novo perceber a mesma insensibilidade governamental. Uma insensibilidade que é a própria ação de grupos de privilégios versus o mercado da província. (11.1)

11.1 – Com o programa minha casa minha vida do governo petista, houve uma alteração substancial no conceito de compra, venda e troca de terrenos, entre os terrenos do município e os terrenos privados no município. Terrenos, antes, rejeitados, encharcados, eram cobertos com uma camada de terra no verão e vendidos ao governo a preços absurdos, o que super-valorizava outros terrenos tão comuns, mas bem localizados. O programa tinha este intuito mesmo. Ninguém enganou ninguém, o resultado disto viria mais tarde. A idéia era repassar dinheiro aos políticos, ao setor imobiliário, aos proprietários regionais, e às lojas de materiais de construções e adotar um sem teto entre outros compradores avulsos de várias casas, para revende-la depois. E agradando-os com o dinheiro dos impostos, garantiam sua ‘lembrança política.Qualquer pessoa que se encontre nas ruas, diz sobre a valorização de suas casas. Parece uma febre. As pobres criaturas olham do ponto de vista do proprietário de grandes negócios, mal sabem se conseguiram pagar o IPTU, tão logo, regulamentado. Com esta visão, de interesse do mercado imobiliário, criou-se uma ‘bolha imobiliária’, que tirou do mercado, milhares de pessoas que precisavam de um terreno e hoje se encontram na fila do programa ‘minha casa minha vida’. O setor imobiliário sobrevive de alugueis aos alunos das faculdades do Paraguai, da UNILA e dos professores vindos de outros estados e, países.

12 – Um eterno recomeço até perceber tardiamente que deveria ter uma regra, uma conduta da sua relação enquanto empresário digno, com o Estado, de relação com os sindicatos, que são um dos tentáculos do Estado. E, de relação com outros iguais e seus colaboradores. Que fosse pelo expediente de um jornal, uma rádio, sem a interferência dos agentes sindicais ou políticos. Mas isso lhes parece uma impossibilidade considerando seu – medo – frente aos órgãos de fiscalização. Talvez regulamentem a obrigatoriedade de reserva de mesas … você entende agora?

13 – O Estado e, no Estado, os políticos se utilizam dos sindicatos para o ‘aliciamento popular. Usam de uma ferramenta criada por eles mesmos, para induzir ao aliciamento do que seriam, falando como falam os socialistas, ‘as bases do patrão – e, os patrões organizados e, traze-las, as bases para o seu lado. Ou seja, primeiro a oposição às duas legislações. Depois, a oposição dos funcionários aos empresários, por conta da má legislação trabalhista! Isso é um absurdo!

14 – O objetivo de ambos, segundo e seguindo os seus próprios interesses é controlarem a cidade. Uma cidade com mais habitantes do que é possível controlar, com estas organizações e empresários, submissos a uma ficção ideológica em duas versões antagônicas. Uma, a versão própria do poder, onde selecionam os melhores monopólios e os melhores “cargos” da cidade para si, outra, que pela própria concorrência interna no poder, fazem das pessoas, nos bairros, “joguetes desta luta de poder”, quando é útil a “superpopulação” por metro quadrado. E opõem uma, a outra.

15 – É como um plantador de soja, que para cuidar de grandes imensidões de terras, se usa de grandes máquinas e nivela a terra deixando-a preparada para o plantio e posterior colheita. E isso é o que fazem com os bairros, mas gente, não é soja! Não é possível nivela-los e tratá-los como gado ou soja! Eles reagem e se batem e se matam, e isso, criado pelo egoísmo, “da economia e política alcunhada, ora de socialismo, ora de comunismo, quero dizer, o resultado disso deste ataque ao povo, e, o consequente resultado de miséria é usado como ferramenta política, onde eles controlam. Se não puderam fazer o certo, por simples ambição e ignorância, se utilizam do produto – a massa controlada -, daquilo não fizeram e cujo resultado foi o aumento da miséria.

16 – …. E continuam controlando. Ninguém pediu que eles controlassem nada. Lhes foi dado o direito de fazerem o melhor possível na política, não de intervirem com “suas idéias próprias e outras, vindas de fora do país”. Aliás, se ficasse claro à sociedade e a mídia não fossem eles próprios um avesso, se ficasse claro, que eles são comunistas e como comunistas não têm planos e agem de acordo com os ventos – a que chamam de PRAXIS -, que significa adaptar-se ao meio para dominar permanentemente,a sociedade os rejeitaria na essência, afinal já foram EXTINTOS e depois anistiados! por pena! e ignorância! E voltaram com mais força e apoio internacional. E daí para diante se aliaram a tudo o que fosse conveniente. Segundo as indicações de um de seus agentes: Gramsci. E tudo o que é conveniente ao poder é conveniente ao controle da riqueza, seja ela do ESTADO, seja ela da INICIATIVA PRIVADA. E os empresários são uns ilustres ignorantes da política e ao invés de procurarem aprender algo, chafurdam na lama, daquilo que consideram política, a política feita pelos seus inimigos naturais; o COMUNISMO. Não raro insinuam seus herdeiros a idiotice (ou maldade) mesma, a que estão envoltos.

17 – Desde que, eles estejam bem sustentados nos poderes locais, quando pensam controlar, os políticos em vários níveis, decidem que toda sociedade ativa economicamente deve ter veículo próprioe que esta sociedade ativa, vá responder aos seus parentes próximos, que não dirigem ou não têm veículo e, acreditam que com isso se livrem da obrigação constitucional de transporte público, de massas. Afinal, nenhum destes senhores usam este serviço. De outra forma, podia se pensar que estivessem compartilhando tais privilégios. Mas esta não é a realidade.  Se, se observar a Europa, a preferência é dada às cidades e às pessoas, nunca a veículos privados. Nos EUA, pelos enormes espaços, o que combina com o Brasil, há a preferência de carros privados. Entretanto a economia americana, pode se dar a este luxo. Já o Brasil, o veículo tem dupla utilidade, a que lhe é própria de passeio e, a de trabalho, o que nem sempre se equaliza: quando o carro é novo se ganha dinheiro, mas quando o carro – pelo excesso de uso – se desgasta então, se percebe a desvantagem. Além do mais, um transporte eficiente diminui o tráfego e aumenta o número de pedestres e comércio se favorece disto. O que é um benefício à cidade.

18 – Enquanto as empresas de transporte montavam o seu monopólio, aumentavam o número de motos na contramão dos táxis e ônibus. A esperança destes últimos é que os moto-táxis se desgastem e não consigam comprar novas motos e acabe isso de uma vez por todas. Considerando que empregos normais, na iniciativa privada estão em queda, isso parece uma impossibilidade. O ‘mototaxista’ é o último recurso de um trabalho, ainda, com alguma dignidade. Mesmo que tenha pouco ganho, ainda tem a dignidade de não ser empregado da iniciativa privada, tão debilitada e quase imoral, tudo, para não incorrer no risco de ameaçar os empregos especiais do Estado.

Comunismo e Fascismo, negócios no Brasil em crise.

Sobre este tema que segue, a mídia local já desviou ‘o rumo da prosa’. O tema foi provocado por uma CPI na câmara municipal. O fato é que deu a oportunidade do Consórcio Sorriso, cobrar ao município, 40 milhões de reais. No entanto, a alegação do consórcio é insustentável, por si. O que nos remete a outro estágio, aquele, do sigilo absoluto. Então entram em cena ‘os vereadores humilhados de 2016 e Reni Pereira!

O senhor Alimini é um dos proprietários de uma das empresas de transporte, do Consórcio Sorriso, a Balan. Além dele existem outros proprietários de outras empresas como a Viação Itaipu e outras. Quem responde publicamente pelo Consórcio é o senhor Alamini e, os representantes. Os outros sócios do consórcio se reúnem para deliberações ao presidente. Todos têm consciência de tudo o que acontece. É uma sociedade democrática com uma hierarquia nivelada.

O assunto é sobre o que o senhor Alimini disse nesta segunda semana de maio sobre “o município de Foz do Iguaçu dever 40 milhões de reais ao consórcio”. Se sim, ou não, o que vai definir isso são os acordos feitos no passado (com Paulo M. Donald, Lula e Dilma). O que me levou a escrever isso, foi a forma de, como isso, foi apresentado à cidade. E que esta forma apresentada pelo senhor Alimini e seus advogados, na primeira audiência e na segunda audiência, pelo próprio senhor Alamini é uma estratégia de proteção à outra parte. (A versão, do setor de transportes e seus representantes, na política municipal e na mídia).

A “outra parte” é aquela que fez o acordo em 2010 e que redundou na atual cobrança ao município, sete anos depois. Jamais o Consórcio Sorriso se atreveria a esta cobrança se não estivesse coberto com documentos e o assentimento do legislativo, do judiciário e, do executivo, que por sua vez,cumpriam as determinações do sonho petista de governar. Às custas do dinheiro alheio: “o socialismo existe enquanto o dinheiro não acaba”.

Vou dar um exemplo, com relação a este desvio de assunto do tema principal, exemplo que não é meu exemplo, mas, do escritor Olavo de Carvalho, sobre Obama:

“Em vias da primeira eleição de Obama, os americanos tiveram a informação de que o Obama não só, não era natural dos EUA, pois que não tinha certidão de nascimento no país, como não se sabia, onde ele havia nascido. Obviamente estava ilegal para concorrer à presidência do país mais importante, se não do mundo, do Ocidente. Vendo isso, logo, o Partido Democrata que o havia indicado, a mídia simpática, atualmente chamada de “Fake News”, começaram a divulgar o seguinte “slogan”: <<estamos em pelo processo eleitoral>>. A partir deste momento como bem diz Olavo, todo o eleitorado <<voltou>> seus pensamentos, ou seu imaginário <<para as eleições>> e não se falou mais, sobre a ‘ilegalidade de Obama”. Do resto, todos já sabem!

Agora retorno à Alamini o presidente do consórcio Sorriso, da cidade de Foz do Iguaçu. Quando Alamini “solta esta bomba” de US$12.400 mil dólares, ou R$40 milhões, logo trata de dar um destino (desvia do tema principal) a isto evocando:

1) a desatualização das tarifas e

2) A passagem gratuita (Idosos).

Quando desloca a discussão para estes dois pontos. A sua chamada é à opinião pública, dizendo que “o governo e, a sociedade não lhe permitiu o repasse de preços e ainda lhe obrigou a transportar pessoas de graça”. Ao senso popular, a situação aparece de forma diferente: “uma empresa não pode suportar os preços dos produtos, os impostos, os encargos trabalhistas, se não tiver seus preços atualizados. Da mesma forma, como pode transportar pessoas de graça?se é disso que ganham dinheiro? Claro, onde come 1, comem 2, entretanto, se antes os ônibus transportavam 2 ou 3 idosos por dia, em cada ônibus, hoje transportam muito mais que isso.

A gratuidade é a proposta de um governo populista na integralidade e falsário em partes: falsário à empresa privada e ao povo usuário. Populista porque a gratuidade não passa de uma propaganda política à custa do empresariado que teve o privilégio de um monopólio e outros, assim pensa o populista (comunista) com vocação fascista. E falsário, também do ponto de vista de governo (nacional), porque o transporte gratuito é para compensar o valor irrisório pago pela aposentadoria. No setor privado, não estatal. E a necessidade que o idoso tem de ir ao médico, quase semanalmente, na contrapartida de ausência de ambulâncias em número suficiente.

Jamais um capitalista do transporte, iria propor esta absurdidade, transporte de graça! Ao menos não desta forma, sem nenhuma retribuição, segundo outra absurdidade, da cobrança de 40 milhões! Os 40 milhões, é também, a afirmação de que não houve nenhuma retribuição. Naturalmente retribuição por parte do governo petista e o acordo de então. Talvez não tenham considerado que se houve algum perdão de dívida, ao menos para uma das empresas, o perdão fosse relativo (em pleno relativismo) e cobrado através da passagem gratuita aos idosos, ao inaugurado consórcio. Isso, eles precisam dizer, que acordo foi este. E se este acordo foi esclarecido e público, eles têm o direito de cobrarem.

As empresas de transporte, já haviam reduzido os bancos dos ônibus para transportarem mais pessoas. Depois, com a passagem gratuita, foram obrigados a colar cartazes e pintar bancos indicando a preferência, do banco para aquelas pessoas indicadas nos cartazes. Onde os usuários normais, estavam obrigados a cederem estes poucos lugares. Lugares agendados nos cartazes, segundo uma indicação política. Note que, segundo o bom-senso, quem precisa sentar, senta!

E segundo a orientação do politicamente correto, a figura política do idoso,tinha o direito garantido por lei federal, adaptada à lei municipal. As câmaras dos municípios foram iludidas pelo populismo e criaram diversos projetos absurdos, como por exemplo, reserva de mesas em restaurantes para deficientes. Nunca houve problema com relação a isto. Diria que este populismo (sinônimo de comunismo) não queria resolver nada, queria, antesatritar situações, aumentar o nível de tensões, com bem diz Mário F. dos Santos, sobre o tema ‘tensão. Criaram um arcabouço de leis que, quando lhes interessasse, ou seja, no momento político oportuno teriam como pressionar os empresários.

Digo, tinha o direito garantido por lei, porque depois da cobrança de Alamini ao Município, e a saída do governo mais populista que jamais o país teve, isso deve mudar. Ou retornar com mais intensidade, o que nos equipararia à Venezuela. Esta tentativa de retorno (do bolivarianismo) existe precisamente agora! Com o show midiático de Joesley e Wesley, Batista, não de Eike, mas da geração política dos Batistas! Isso lembra Cuba! Estes ‘batistas, estão iguais àqueles moleques maldosos que tiram fotos com metralhadoras, enquanto a sociedade é desarmada’.

…. Quando Alamini desloca a discussão para estes dois pontos, o Consórcio, oculta as perguntas objetivas. Por um lado, quem autorizou a passagem gratuita? por outro, se não houve “repasses” no momento oportuno, o que lhe foi prometido em troca? ou isso, era autoritário? Porque continuaram trabalhando? Porque teriam feito um acordo tão impróprio ao Consórcio se não houvessem vantagens? ou pior, promessas!

Artista de teatro Mambembe tenta modificar o papel de seu personagem, onde deveria apenas parecer estúpido, como o anterior, e contraria isso, e é advertido pelo diretor. Não satisfeito com isso, resolve abandonar a peça prematuramente. Não queria fazer o papel de idiota e nem ‘de comprado, como se compra jogadores, de futebol, artistas, sindicalistas e, políticos. Novamente é advertido a não abandonar a função e aguardar o momento oportuno, quando seu personagem deve abandonar o palco. E o intima a cumprir seu contrato de trabalho até o fim. O artista se irrita, mas é obrigado a continuar e aguardar o desfecho combinado pelos autores. Pois que, eles próprios, os autores, não conhecem o final da peça. Apenas pressupõe um final que lhes interessa sobremaneira. Mas precisam estar em sintonia fina com o público. Um público não exigente pelo conhecimento, mas exigente pela angústia e sofrimento de uma peça interminável.

Temer havia dito que iria renunciar. Sarney o intimou a não o fazer. Mas não para defender o cargo de Temer, ou do PMDB, mas que não era o momento oportuno, devia criar uma certa resistência para valorizar a Presidência, caso em que se poderia pensar (o povo poderia pensar – como se já não pensasse) que isso “virou a casa da sogra”. Casa da sogra onde qualquer idiota, mete a colher, na torta!

Ato contínuo um notório comunista antes conhecido como Roberto Freire,(procurador aposentado do INCRA – Pernambucano, ligado Gregório Bezerra, quando se filia ao PCB) que agora, gosta de ser chamado, apenas de Freire, entra em cena para aparecer e criar os seus minutos de fama (eleições de 2018). O fato de ser do PCB não o impedia de estar no MDB e depois PMDB (partido de massas como o PSDB e PT) e agora PPS (partido trânsfuga de partidos deformados: PMDB, PSDB, PDT, PTB, PT etc.). Seu atrito com Jandira do PCdoB, quando esta lhe enfia o braço pela cara e ele o afasta com igual brutalidade, foi o sinal, no plenário do congresso e à mídia, de que não era mais simpático aos PC’s, pois haviam saído de moda! A moda atual era estar ligado ao Foro de São Paulo e o PPS cumpriu esta função, de liga-lo ao Foro de s. Paulo. De fato, pessoalmente nunca foi aceito pelas organizações comunistas. Mas o PPS sim. Freire renuncia ao Ministério da ‘Cultura. O PPSocupava duas cadeiras na Esplanada dos Ministérios. Com o pedido de demissão de Freire, a sigla permanece no comando do Ministério da Defesacom Raul Jungmann. Raul, coincidências com Raul de Cuba, à parte, afirma que permanecerá no exercício (e, no exército) de suas funções, afinal é exército e não, cultura!

O protagonista do que se acredita seja o último ato da peça “Temer o Golpista”, são os senhores Joesley e Wesley (Batista), não é dupla de música sertaneja! Eles são donos da JBS, empresa ligadíssima a Lula. Quase uma cria, de Lula, que fez isso enquanto era presidente do país e podia abusar e se lambuzar com empréstimos do BNDS. BNDS é aquele que fez um merchandising acenando notas de 100 reais. O que quer dizer que os funcionários têm dinheiro. O que não quer dizer que o BNDS tenha. E Lula não se fez de rogado e criou o monopólio da carne através da afamada FRIBOI, a quem nomeou o filho, para tirar leite das vacas. E que usou e pagou muito dinheiro à Roberto Carlos e Tony Ramos, para lançarem o produto. Tony Ramos, um artista sensível, ficou tão traumatizado, que resolveu assumir de vez seu lado obscuro. O lado escuro da força. E assumiu o papel de Diabo em uma novela da televisão. Saiu da frigideira, que seria sua relação com o obscurantismo do Foro de s. Paulo e caiu no tacho de água quente com rede globo e o seu globalismo à moda Soros e FHC.

Há muitos outros aspectos nesta história, mas o tempo (meu) é imperativo. Por exemplo, a relação disto com o fracasso da Greve Geral da CUT, ou vice-versa. A farsa midiática e até judicial, pelo próprio processo, onde se julga a posse ou não de uma casa! Processo de posse ou não de uma casa, de um homem (a mando de) que representa todo o desmanche das instituições brasileiras: senador da república assiste a queima da bandeira nacional e de pois canta! Quando se lhe ameaçam de prisão, não com a mesma facilidadecom que ameaçam, por exemplo, Aécio, que ajudou o Foro de s. Paulo em 2014, ocultando a <<apuração secreta>>, repetindo o que Serra havia feito em 2006, quando tinha em mãos os documentos do Foro de São Paulo e podia vencer a eleição. O fazem, sabendo que a prisão é uma opção de merchandising político. Ou seja, é uma boa opção que vem sendo descartada e testada, como por exemplo, se testou a Greve Geral, que não houve. Se ele tivesse acontecido como aconteceu as manifestações de 2015, certamente Lula seria preso no dia seguinte para ressurgir em seguida como mandatáriodo país. O que pretendem fazer, com eleições agora, ou parlamentarismo depois. Então, pode não ser o momento oportuno, para a prisão midiática. De fato, se houvesse qualquer intenção real de punição a única punição possível para este símbolo dos comunistas seria sua perda de direitos políticos.(Também, o estranho fenômeno do surgimento das empresas ‘das siglas, que vieram para ameaçar as instituições, em cada cidade). De onde elas surgiram. Acaso tinham informações privilegiadas, para estarem no lugar certo, na hora certa. Foram indicadas por sindicatos, por partidos? Ou simplesmente é a história de um empresário bem-sucedido?

É certo que estas questões – acima –  não deveriam ser tratadas desta forma, apenas, que esta é a forma real que se nos apresentam. Ela toda parece um teatro de horrores. E não temos a quem falar, que não esteja, de uma forma ou de outra envolvido nesta trama. Especialmente os partidários próximos ou afastados; os professores de universidade, todos os sindicalistas, todos os partidos, toda mídia. Portanto, falar a eles é ‘chover no molhado, quando não os irritar! E para quê? Se me vem à alma esta situação, se isso se mostra a mim e entra dentro de mim. Devo tirar isso de mim para não interiorizar isso. De outra forma ao exteriorizar esta e outras coisas, apelo mais ao subjetivo que ao objetivo, para tentar neste caso, dar ‘um tom teatral, de algo que se assiste, mas que está envolvido; todos nós estamos envolvidos, pois que, para isso, tudo é feito. Mas não é este o ‘meu curso, como disse interiorizei algo desagradável, que não gostaria de ter interiorizado. Mas ao exteriorizar incorro gravemente no risco de o fazer nos termos em que eles próprios tem o domínio. E isso é trágico. Assim, escrevo este último parágrafo (espero que seja o último), para deixar claro que do meu ponto de vista, como trabalhador da iniciativa privada e com 62 anos de idade, que não enxergo horizonte algum. Exceto pelo estudo. O mesmo estudo que está sendo vilipendiado, quando a escolha do que estudar recai sobre figuras inocentes, o que demonstra a tentativa de perpetuidade do erro, para fins nada saudáveis em futuro próximo. E está escalada insana parece não ter fim. E só mentes sadias poderiam cumprir esta tarefa digna de um Rei Arthur.

A Cobra se Comendo pelo Rabo

Vou escrever alternando entre realidade e, a alteração da própria realidade, alteração esta, que se aproxima da ficção. Não é minha vontade, mas é forma possível de expor o modelo de sociedade política que vivemos. Por exemplo, o presidente da república federativa do Brasil, o senhor Michel Temer apareceu ao lado do senhor Carlos Massa (Ratinho), da Rede Massa de Televisão, falando sobre um projeto que está sendo aprovado no Congresso e que faz umadoação de R$5 mil reais a título de “fundo perdido”, para quem provar que ganha no máximo 2800 (o teto era 1800, mas o congresso alterou para 2.800) reais e tem uma propriedade, o pretexto do dinheiro é a reforma da propriedade, o título do projeto: Cartão Reforma.  (O Programa Cartão Reforma, que foi criado por meio da Medida Provisória 751/2016 e aprovada no Congresso Nacional, segue agora para sanção do presidente Michel Temer).

A ficção nisso aparece por exemplo no termo “fundo perdido”. Outra, no próprio encontro entre Temer e Ratinho, quando Temer não aparece como presidente, mas Ratinho sim e, não. Sim, no sentido de poder que acumula e não, no sentido do que representa, como lobista – profissional – do grupo SS. E o sentido maior da ficção é o próprio projeto, cujo objetivo é, e não é, a preocupação com (a injeção no) mercado, mas muito mais para criar uma ‘loteria da vida’ em oposição às já existentes: como a distribuição de dinheiro entre os membros do bolsa família, índios, MST, sindicatos (CUT), Partidos, Ong’s, Institutos, partidos políticos, e outros fundos perdidos, à disposição de quem saiba procurá-los.

Mas verdadeira ficção generalizada tanto entre as massas que recebem os benefícios, quanto às outras que assistem passivamente e, espantadas; quantona definição de um novo modelo de poder, ou de representantes deste poder que subsomem os próprios títulos, ou desonram, os cargos que lhes foram dados; cargos de representação de uma Nação. Como é, ou era entendido nos EUA pelo respeito à bandeira, ao Hino, ao cargo de Presidente! Isso tudo é desonrado quando apelam a formas de controle social em ritmo decompetição de poder.

Fernando Henrique foi longe demais com a criação do bolsa família; as ONGs, que não são governamentais mas entendem muito de fundo perdido, O MST, também da geração FHC é uma ONG; os Institutos todos são ONGs, e todos vivem de fundos perdidos. Os sindicatos são uma autarquia que vive de impostos tirados à carteira das pessoas. Ora, o fundo perdido é uma conta,um caixa dois! Depois com Lula – o suposto concorrente – (quando de fato, não são concorrentes, eles têm acordos políticos de dominação, desde 1993) alguns programas são ampliados, outros mantidos e outros criados, como por exemplo: o bolsa educação que agiliza rapidamente os diplomas, especialmente à militância e depois emprego de professor universitário na única coisa que conhecem: marxismo! Ainda ampliou muito o bolsa empreiteiras, o bolsa mídia etc.

Agora, Temer, acusado de golpista pelo PT, mas que, como presidente manteve todos os “prêmios”, criados pelos governos anteriores resolve criar a sua própria “loteria da vida”. Evidentemente que há uma guerra no Brasil, uma guerra silenciosa e criminosa, são assassinados 70 mil brasileiro ao ano. E não poderia deixar de ter uma guerra política no âmbito do Estado: entre o que resta de Estado e os aventureiros da nova ordem. No Brasil morrem mais pessoas assassinadas do que nas guerras do Oriente Médio e ninguém percebe isso, porque a mídia não fala sobre isso. Mas fala sobre as guerras do Oriente Médio para proteger um outro sistema de “prêmios”, que é a imigração. E isso ficou claro quando se criou a “pensão”, para os imigrantes, ao mesmo tempo em que, criavam entraves à aposentadoria. Ou seja, um outro estágio de luta: a aposentadoria do Estado e a aposentadoria da iniciativa privada. Se não se fizer a diferença entre uma e outra, nada se poderá entender sobreaposentadoria e trabalhismo e terceirização. Estado e iniciativa privadasão antagônicos; o que é bom para um é ruim para o outro, o que é bom para o outro e ruim para o um.

Os elementos da ficção, ao modelo RoboCop no filme o Policial do Futuro, já estão dados. Por exemplo, o MST será sempre um MST, assim como quilombola será sempre um quilombola? ou se transformaram exércitos, ao modelo das FARC? Ou também, ao modelo dos generais romanos, quando nos últimos dias de império? O bolsa família será uma modalidade de “gueto latino” para se empurrar a vida? ou existe alguma perspectiva longínqua de trabalho? e por quanto tempo ainda servirão àqueles que os pagam? Bem, nesta situação os índios, ao menos aqueles que não foram feitos de congressistas, continuarão fazendo o que sempre fizeram, ao menos a estes a terra faz sentido, enquanto não houver projetos, como o “Belo Monte”! O movimento gay e todos os homossexuais são outro modelo de gueto fadado ao desastre, na mesma proporção da queda do cristianismo, infiltrado de escroques e comunistas afetados. E isso pode até parecer “teoria conspiração”, seria muito bom que fosse apenas, uma teoria da conspiração!

Em tudo isto, não se trata do que pode ser bom, ou é necessário, ‘no momento, mas do que estão fazendo com as pessoas, com grupos de pessoas. E que isso parece ser permanente! São planos de vida que o governo, nas suas diversas nuances, desde o município, ao governo controlado pela ONU, estãocristalizando no país sob o seu total controle! Os governos, estes da nova ordem mundial, agem como se eles tivessem o mandato do controle do mundo, (meio ambiente, sustentabilidade, o que pode, o que não pode; o desarmamento das pessoas), o controle do destino das massas, algo que foi tentado por Estaline, Lênin, Trótski, Mao Tsé-Tung, Hitler e não deu certo! emilhões de pessoas foram assassinadas. Isso meus amigos é vida de gado! E o que existe de aparência eleitoral é a disputa entre estes blocos de poder, que já estão além na realidade e vivem em um ritmo alucinante de “nova ordem”.

“Quando tomava um café solúvel, da Nescafé, às 5 h, em um vasilhame da Coca-Cola; café feito no final da noite do dia anterior, notei que ao fechar a tampa, a tampa tinha uma trava, que mostrava, quando ela estava fechada e era segura contra vazamento e resistente, à tombo, da mesa diminuta do computador que uso, então me veio à mente, o PARQUE INDUSTRIAL BRASILEIRO. O maior parque industrial da América Latina, diziam. O que construiu as máquinas de Itaipu e a barragem! (Ainda com aspecto seguro! mas, por quanto tempo?). É sobre isso que escrevo”.

(Leia primeiro os parágrafos cheios)

Todo o país e cada país – a totalidade de um povo – corre um grave risco (1), quando endeusa um símbolo no poder, e troca ‘a racionalidade pelo símbolo; como foi endeusar um “Boi de Ouro”, conforme nos relata o Velho Testamento. É o caso do Brasil com Lula; de Cuba, primeiro com Fidel, agora com Raul; de Venezuela, com Hugo Chaves hoje, Maduro. Nomes que representam poderes nem sempre, conhecidos! Note-se que, quando este tipo de coisa acontece – do endeusamento – somem, aqueles e aquelas instituições que realmente poderiam fazer a diferença: o que seria, os cuidados de um hospital (de uma escola) pela Igreja Católica e, os hospitais cuidados, ou descuidados, pela iniciativa privada, Estado e um misto dos dois.

As instituições que poderiam ajudar e não são as instituições Lula, FHC e Perseu Abramo, elas sofrem do mal da honestidade, para este país político,e elas pela honestidade, não se confundem aos guetos políticos do, pós globalismo, como uma estratégia de um Governo Mundial pelo viés da ONU.

Os grupos políticos que atuam no Brasil eles representam – sabendo ou não – um ‘movimento, o movimento comunista internacional. E pior ainda, <<quando o burro>>, no sentido, que é dado na Umbanda, de quem serve ao Exu, ou à Pomba Gira, ele próprio, é mal-intencionado: é sexista, mesquinho, arrogante, às vezes drogado, alcoólatra, satanista, multiculturalista, democrata de apuração secreta, dono de sindicato, vendido, ator de teatro da própria ignorância, fingido etc., <<acredita>>, então, que realmente é o personagem que interpreta! como é o atual presidente de França, que não disse, e agora, vai dizer, que é pró-islâmico.

1 – Os riscos vão desde um entendimento errado sobre, por exemplo, o papel da técnica produtiva em determinados estágios de desenvolvimento e aumento populacional, ou redução populacional (Europa) …, ao receio de se tomar uma vacina, por simples desconfiança do governo, aliado, ao que isso cria no ambiente do funcionalismo público e junto à suspeitos fornecedores …, ao rompimento de barragens como foi o caso dorompimento da barragem de Fundão, localizada no subdistrito de Bento Rodrigues, a 35 km do centro do município brasileiro de Mariana, Minas Gerais …. e mais, outras 600 barragens, em estado de semi-abandono pela própria circunstância de governo de TRANSFORMAÇÃO!

Na cidade de Foz do Iguaçu, por interesse político, ‘endeusaram e endeusou-se, a Itaipu. (2) Usina hidroelétrica de Itaipu. Deveriam fazer menção ecomemoração às pessoas que tiveram a ideia de construir algo tão poderoso e assim mesmo, cometeram erros estratégicos, com Argentina; com o uso indevido da instituição com poder econômico (e, político); com a divisão meio que, condicional com o Paraguai, o que prorroga uma situação que nunca se define; se a empresa é privada, se é nacional, bi-nacional, se é uma ‘bororosca, uma xivustreca, como dizia um professor comunista no cursinho da politécnica de São Paulo. E desta forma, indefinida, pode ser usada politicamente como pressão de ambos os lados e à sociedade dos royalties (municípios lindeiros) (3). Quando na verdade, a empresa toda, é apenas uma transformadora de energia!

2 – Digo que, pessoas são endeusadas. Não que, a princípio, queiram ser endeusadas. Elas não querem isso, porém este é o seu papel e recusa-lo pode lhe trazer constrangimentos que prefere, ou escolhe, não ter. São endeusadas por motivos políticos, para serem referência ao próprio cargo, ou a alguém. Este endeusamento, é como uma pessoa que todo o mundo assiste, saindo de um ônibus espacial Challenger. Mesmo que esta pessoa nunca tenha ‘dançado ou cantado, sua voz e seus gestos, tornam-se sublimes referências! E exemplos a serem seguidos. Assim começa o fenômeno do fingimento. E quando adaptado a países muito pobres, pode criar monstros como Ide Amim Dada! Um ‘general que copiava medalhas dos Russos e Americanos das revistas militares e, comia fígado dos ministros que supostamente o traiam.

3 – Uma empresa, privada ou não, pode ser usada politicamente, como foi, no caso da China, das empresas que foram para a China! Um uso, pela transferência de mercado produtivo, que prejudicou o Brasil. Acabou como o maior Parque Industrial da América Latina. E o contrabando foi consentido pelo governo brasileiro e paraguaio e com a encenação em parte (algo previsto e ensaiado) e, em parte, arrecadação de impostos da Receita Federal, onde salvam ‘seus gordos salários. Outro exemplo, foi o caso da Petrobras em Bolívia, que foi ‘encampada pelo governo boliviano. Com o aceite do governo brasileiro, porque politicamente era conveniente inaugurar, um princípio de internacionalismo comunista: dando e recebendo …. Até o momento, só o Brasil deu! Deu o que não era seu: o dinheiro de impostos tirados à carteira das pessoas, aliás tiraram a carteira também.  

Falo sobre riscos e enganos e também falo sobre uma interpretaçãodanificada da realidade. Uma realidade que foi decepada, truncada em sua coluna estrutural, por ausência de grandes mentes (logo, grandes almas) que se perderam, foram bruscamente interrompidas, envelheceram, desapareceram, outras se corromperam (quando não eram tão grandes e, sim, falsas), e foram substituídas por pessoas em grupos organizados: onde pessoas de um mesmo meio em sentido diverso, se reúnem para compartilhar o que não podem saber entre si, o que as imbecilizam de forma coletiva e cujo objetivo mais que óbvio é a mera tomada de poder: tomar e destruir,para reconstruir com o mesmo espírito com que atacaram. Afinal, o ‘ataque,nunca termina.

Entre o que era e, o que é; para preencher o vácuo do que se tinha e, do que se tem, usaram do artifício das aparências. Pois perderam o sentido da vida mesma e a trocaram pelo materialismo das coisas. As aparências, são como olhar a fachada de uma escola e ver a suntuosidade. Até o momento da matrícula. Quando se entra dentro da escola e percebe a rotina. Nota, que tudo é feito em função de um título. Um título que até agora, lhe garante um futuro. Que na maioria dos casos começa em concurso do estado! como forma a fugir do gueto de miséria, a própria contradição deste novo sistema. Não é possível a todos!

O castelo de ilusões criados sobre esta realidade, realidade deformada pela destruição da outra realidade: destruída através do marxismo cultural, se transforma, em cada pessoa, em uma insistente arrogância de umconhecimento (de 4 ou 5 anos de escolas de trabalho) que não é o próprio conhecimento, mas um paralelo de conhecimento adaptado: uma estrada de asfalto, iluminada e outra, de chão batido no escuro. Adaptam o precário conhecimento, como se adapta a praxis marxista ao meio político. Mais uma vez, se substitui o conhecimento por uma técnica de aparência em duas formas básicas: celular, computador e, um bom emprego de idéias! Por quanto tempo? Pois que as idéias se esgotam em si mesmas.

Para responder ao desmanche do Parque Industrial Brasileiro, entre outras coisas. Os ideólogos do marxismo cultural, incentivaram, ajudaram a criar o Instituto Tecnológico. (4) A ideia do Instituto tecnológico vinha ‘agregado à “Terceira Revolução Industrial”. Uma aparência, um nome pomposo. Em Curitiba arriscaram o termo ‘parque industrial, mas não funcionou. Desta forma manteve-se o ‘parque tecnológico. O parque tecnológico tem um problema de fundamento: o que as pessoas pensam que sabem e, o que sabem! E se defendem, uma fingindo à outra e a outra fingindo a uma, sobre o que sabem e quando juntam tanta sabedoria e aventais brancos, um óculo de grife, uma barba rala, o resultado, é um glorioso ‘PUM!

          4 – Aloísio Mercadante (filho de um comandante do exército), petista, marxista e   Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil.

Parágrafo único – Pois se queriam “desenvolvimento, modernismo, chegaram a isto. Agora, querem retroceder, simplesmente anulando, o conhecimento iluminista, que deve ser colocado no seu devido lugar …, como anulando, o conhecimento anterior ao iluminismo! O conhecimento anterior ao iluminismo, nunca foi superado! Nunca existiucompetência moral para isto. No iluminismo, existiram pensamentos que hoje, se mostram errados; não é preciso descobri-los, como foram previstos na época anterior. Hoje, eles se mostram! Porém, a sociedade foi construída em cima destes pensamentos e sobreviveu, no que era de prático, mas faliu no que era de espiritual. O poder do sobrenatural, nunca fora negado, antes do iluminismo. E todo o problema atual é espiritual <<nunca se falou tanto em ódio, como se fala agora>>. Nunca as religiões foram tão adulteradas como agora! E são muitos ódios! Incluindo ódios religiosos. Mas, só hoje se sabe disto! Mas estes resultados desastrosos (do iluminismo que não existia, na época das catedrais era também, a condição mesma, da destruição obviamente temporária, daquilo que não aceitavam, que não compreendiam, pela pressa de conquistas com a invenção dos diplomas e dos cargos, naquele tempo) eram previstosnas teses monásticas e nas catedrais! A escolas monásticas não podiam prever anegação do sobrenatural, mas podiam prever a interseção demoníaca, o que dá na mesma. Platão em: A República de Platão pressentia a necessidade de algo além, sem o que nenhuma lógica, faria o sentido próprio dos limites da lógica. Aristóteles, Sócrates, antes do cristianismo, igualmente previam o sobrenatural, como forma única de compreensão do máximo possível, para se aproximar o máximo possível da sabedoria construtora do Universo. Não do todo, simplesmente porque Sócrates e Aristóteles compreendiam estar dentro do todo. O conhecimento anterior ao iluminismo, foi pessimamente compreendido. O renascimento era uma impossibilidade apressada em uma existência que lutava por compreender-se, tal o volume de conhecimento! e não a ausência deste. O renascimento era a negação e não a procura de solução, que já estava dada e fôra desprezada. O surgimento do iluminismo foi baseado em erros de princípio. Erros como o ‘poder pretensioso da revolução industrial, que trouxe benefícios do ponto de vista das máquinas auxiliando o homem. Mas auxiliando o homem, não, tomando o seu lugar! E isso, esta conclusão, extra-natural, da invenção da máquina, para substituir o homem e dominar a produção, era clara na filosofia anterior ao iluminismo. Isso aparecia nas formas de guerras, domínios, a queda do império Romano, a constante invasão oriental no ocidente. Segundo eles, os orientais do médio oriente, para punir os infiéis! A ânsia descontrolada de poder é o caráter meramente humano, a que se refere Nietzsche, que procurou Deus – no mercado de víveres – e não encontrou porque não queriaencontrar, por vida e pela cultura europeia já contaminada. A revolução de Martinho Lutero, contra a igreja enfraquecida, também contribuiu para a criação do iluminismo, a partir daí o caminho estava aberto a Voltaire, Descartes, Kant etc.Agora querem criar outro conhecimento sob a égide do terror, da engenharia comportamental, do marxismo, da vida de massas? Para privilegiar, monarquias mundistas? Como as que vemos na ONU? A única resistência possível a esta situação é a Igreja Católica voltar a ensinar!

—————————–

Certo dia, na melhor das intenções, resolveram fazer um carrinho elétrico para catadores de lixo. Nunca se havia feito isso, no mundo!  Um carrinho movido à bateria que tinha o preço de um carro velho, bom. Que um catador de lixo, não conseguiria pagar, de outra forma se conseguisse, não conseguiria manter. Se conseguisse, não seria prático. (5).

5 – Todo mundo sabe, no mundo se sabe, que a questão do lixo é uma troca de trabalho. A pessoa em casa deve ser organizada o suficiente para separar o lixo, para tanto é preciso cultura, um Estado sadio e perspectiva de vida. Os meios de comunicação, são os meios. Os coletores de lixo, nos EUA, por exemplo, usam caminhões especializados em coletar lixo e as pessoas são devidamente uniformizadas, com luvas por uma semana, óculos de proteção etc. E tudo isso, ainda está sujeito às estações do ano. Está sujeito às imprevisibilidades de cada dia, o que requer atitudes das pessoas: preparadas ou não. E então, contam, com o que tem disponível em técnica. Para tanto e muito mais, a prioridade é que a sociedade seja uma sociedade que busque a cultura, o conhecimento para que ele possa trabalhar de forma, a mais justa possível, a mais limpa possível, a mais organizada possível sempre considerando as imprevisões naturais e não naturais, mas que seguem a mesma Lei! Se isso não é feito, trabalha-se em um eterno contra-turno. O que faz do trabalho algo estúpido e invenções mais estúpidas ainda. O que nivela o catador de lixo, ao ‘cientista com complexo de Einstein, como físico, quando pretendia ser um bom violinista.

Claro que o “carrinho à bateria” não funcionou. Claro que também havia boa intenção, em alguns casos sincera. Mas não é este o caso, da ilusão, malsucedida, de atender a uma demanda, antes política, do que de utilidade. Uma demanda criada pelo próprio desarranjo político, econômico, do próprio modelo de governo que destrói e substitui de forma provisória a que chamo decontra-turno, que pode ser considerado como ‘tampa buraco, neste caso.

Se tudo tem um fundamento suspeito; a partir da transformação de um sistema de governo para outro (ainda não concretizado, mas efetivado), o próprio conceito de tecno[logia] é errado. (6). Por princípio o “estudo”, da técnica ele se desenvolveu ao longo de “séculos”, dentro de um sistema próprio de interesses privados e concorrência como mediador da qualidade einventividade. Por isso temos o que temos em termos de técnica. Mas técnica de quê, propriamente? Existe uma graduação de utilidade da técnica. Uma graduação que vai da técnica inútil, porém divertida, como produzir ‘bolhas de sabão, à técnica de produzir energia elétrica pela pressão da água ao girar turbinas. ‘E, a técnica de produzir cada uma destas peças, desde o simples parafuso, ao parafuso muito maior, para dizer nada. E cada peça com sua técnica, comprovada e testada ao longo dos séculos. E é este segredo que querem tomar por decreto? tomar por falsa associação? Os metacapitalistas, termo criado pelo filósofo Olavo, eles, só se associam entre si, aos outros, eles usam. Por exemplo, tirando uma forma real: o Parque Industrial, pela forma improvisada de Institutos de tecnologia de Mercadante!

6 – A tecnologia de improviso no Brasil, sem objetivo determinado, tem surtido mais efeito político do que técnico. Ela é feita por jovens que nunca trabalharam em uma grande ou média indústria, onde nasce os processos de aprimoramento das ferramentas de produção, essencialmente, o berço da técnica, prática. Aquela técnica a que, por exemplo, na China e na arte de fazer espadas se dá o nome de Jian, à melhor espada, que a difere de outras espadas e outras técnicas; como a matéria prima a ser aplicada. Também hoje, confere à Mannesmann Alemã, o melhor aço do mundo.  

Primeiro, são infinitas técnicas; segundo, porque quem criou a tecnologia foram pessoas em séculos e milênios de produção. O inventor da lâmpada foi Tomas Edson. Não foi um coletivo! Terceiro, porque a tecno[logia] lhes passou “debaixo do nariz”, debaixo do nariz do coletivo e deixaram perder, por desinteresse e arrogância. Quando permitiram, aceitaram, consentiram que adjetivassem o Brasil de “Celeiro do Mundo”! “O Brasil é um país eminentemente agrícola! ”. Falso como nota de três dólares. (Queriam transformar o Brasil no que é Venezuela hoje, já em 80?). Agora mesmo, EUA vende sua carne bovina para o mercado Chinês, o mercado chinês vende seu frango, para os EUA. O Brasil vai sofrer com isso! E quarto, esta perda, aindanão calculada como devia, é uma prova, da maior de todas as burrices, inadaptações, ignorância funcional (O.C.), na área que lhes é própria, ou quefingem ser: a área da ciência política.

Ao menos disto, alguns políticos, jornalistas, escritores, sociólogos, sérios,deveriam entender, das perdas que sofreu o Brasil, nos governos de esquerda, pós regime militar, isso, se já não estivessem suficientemente enganados com relação à própria ciência política, pois que, foram danificados desde há muitas décadas pelo marxismo cultural. Seria como falar na linguagem do comunismo! E isso é a primeira constatação, pois que, se isso não for constatado por obrigação da função política e da verdade, se continua no erro indefinidamente e certamente o próximo passo, é aderir ao Guguinismo e sonhar com um futuro hipotético, enquanto o islamismo, o ensina a limpar a bunda! É preciso tirar do dicionário brasileiro conceitos absurdos, como aigualdade entre as pessoas, no sentido de que todas devam ter os mesmos direitos, de serem vassalas de um comando político. O multiculturalismoonde a pessoa se obriga a “engolir a seco”, outra cultura, bastante óbvia, com a qual o governo tendencioso, pretende soldar, a cultura nacional, de cada país ocidental.

Foi justamente aí, com a destruição do parque industrial, por motivos diversos, mas avisados, que somados à burrice da política nacional (burrice funcional, para aquilo que se pretende: pois se pretende político, mas são marxistas, pensam como comunistas) que, inventaram os Parques Tecnológicos (Agro-indústria), para tentar tampar este vácuo na produção e, ao mesmo tempo centralizar produção, que pensam ter tomado posse! Quando tomaram posse de uma aparência de produção cristalizada e decadente.

E o fizeram por exemplo, nos remédios, entretanto, o fizeram de forma negativa, pois que as matérias primas são um dos segredos da produção. Sãovários tipos de matérias primas e várias, as formas de produzi-la. As matérias primas passam por um processo de escolha e produção altamente técnica (a carne de Cabral R$1.500 reais o quilo), de centenas de anos e isso, meus amigos, este processo todo, do princípio ao fim – do PRODUTO, é repleto desegredos (sob o domínio humano e, do sobrenatural) e só quem tem o domínio sobre isso, são aqueles que trabalham nisso há muitos anos e não raro nas mesmas empresas. E possuem domínio sobre seu setor, não necessariamente do conjunto. E jamais podem ser substituídos, sem perda de qualidade, por outro de fora do ramo!

Este poder, invisível, não está sequer, nas mãos da “diretoria das empresas”, mas de quem trabalha com isso e conhece, mais que qualquer um, o material com o qual trabalha todos os dias. Coisa que um diretor de empresa, não conhece pelos sentidos, ao menos por todos os sentidos, incluindo o resultado. Por exemplo, um empresário do ramo de bolsas femininas (quando as bolsas femininas traziam um espaço reservado a armas), não usaria uma bolsa; os empresários de empresas de transporte de massas, não andam de ônibus, nem de metrô. Seu conhecimento é teórico, por exemplo, na metalurgia, não necessariamente se dão conta das diferenças em termos de usinagem, se o ferro ‘tem bolhas de ar’; a dureza do ferro; o endurecimento do ferro, quando serve de passagem de alumínio líquido (injetoras); o que é o mais perfeito para determinado fim; a mistura em uma bucha à seco e a pressão disto, que funde o Grafite ao Bronze etc. Isso é técnica que se aprende após haver feito milhões de buchas!

Os adeptos do marxismo, da praxis marxista, acreditam mesmo que, quem tem o domínio da técnica, lhes passará isso por decreto? Ou lhes passarão apenas uma aparência? que se dilui com o passar dos anos? Como Maduro em Venezuela, que pretende aprovar a PAZ, por decreto! Evidente que não. Quando muito, lhes passam ‘o chip, mas não a forma de compreende-lo! Não se dão conta de forma alguma de que, a inveja e o fingimento, graças àpraxis marxista, tornou-se uma arte nacional.

O Marxismo Cultural tem como objetivo criar a condição mental através da mudança de atitude de um povo, para tomada de poder mediante uma praxismutante, segundo o cenário. E consideram isso o mais inteligente: adaptar-se e continuar no comando; fingir que aceita enquanto luta, para modificar. E que estas pessoas só entendem disso: destruir, anular, uma cultura, invadindo-a desde dentro e incentivando outra cultura. Por exemplo, uma cultura que na verdade é uma cultura de invasão a que dão o nome demulticulturalismo, o que nos passa a impressão de diversidade de culturas, e coisas boas em cada uma delas, quando de fato traiçoeiramente, passamapenas uma cultura, a PIOR DELAS, mas que traz no cerne, o ANTICRISTIANISMO, então fica revelado, seu caráter comunizante, seu caráter de massificação, de idiotismo das massas, para interesses externos ao país, e, em cada país, que já não identificam mais como país, mas sim como um sonho, como é o sonho do ESTADO MUNDIAL, a que os mais ingênuos, apelidam de PÁTRIA BOLIVARIANA! Para os ‘estados latinos.

Foz do Iguaçu espera aprovação da câmara para inaugurar novo gabinete: o de Articulação Política, dirigido pelo Vice-Prefeito.

…. O PROJETO DE LEI Nº 23/2017 – Autoriza a Chefe do Poder Executivo Municipal a proceder à abertura de um Crédito Adicional Especial, no valor de R$ 3.469.819,20 (três milhões, quatrocentos e sessenta e nove mil, oitocentos e dezenove reais e vinte centavos), ao Orçamento Geral do Município.

Autor: Prefeita Municipal Interina / Mensagem nº 015/2017.

…. Considerando a vigência da Lei no 4.497, de 24  de  fevereiro  de  2017, publicada  no  Diário  Oficial  do Município  no 3.013,  de  3  de  março  de 2017,  que  alterou  a  Estrutura  Organizacional  básica  do  Poder Executivo   do   Município   de   Foz   do   Iguaçu,   extinguindo   a  Assessoria   Especial   de  Governo   e, concomitantemente,    instituindo    a   Secretaria    Municipal    de    Tecnologia    da    Informação etc. Isso, custou a bagatela de 3.500 mil reais!

____________________

A cidade de Foz parece haver premiado três figuras do legislativo. Pois que, os senhores Bobato, Vitorassi e Gessani, todos vereadores na gestão passada, foram os únicos que não foram denunciados. Mesmo o senhor Beni Rodrigues, parece ter sido remediado, pois que foi acusado e diferentemente dos outros 12 acusados e destes, 5 reeleitos, com Beni 6, o senhor Beni foi o único, que se abancou na cadeira do legislativo. Talvez o senhor Beni tenha sido acusado por engano o que faz mais merecedor de prêmios e indenização. Então assumiu a cadeira. Acreditamos que o prêmio de Gessani e Vitorassi, seja sua candidatura a deputado na próxima eleição. Mas quem realmente foi contemplado, foi o senhor Bobato. Que além de ser vice-prefeito, está em vias de aprovar na Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, um Gabinete Especial,onde pretende, legalmente, usar a máquina do Estado para Articular a política municipal à estadual, nacional etc. A grande coincidência e não coincidência foi a criação deste Gabinete por Francisco Brasileiro, a não coincidência foi a aprovação de um projeto de alteração da Estrutura Organizacional do Poder Executivo, também recomendo pelo entãocandidato, Francisco.

Considerando que a totalidade da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, seja co-partidária de Francisco e Bobato, para que precisamente serviria este ‘Gabinete especial? Quando o gabinete bem maior é a própria câmara? Isso quem deve dizer é a Câmara Municipal, já que é partícipe do governo e como tal tem interesses imediatos na eleição de candidatos a deputado estadual, federal, Governo do Estado, Senadores e Presidência da República (2018). Considerando também que o CODEFOZ é um organismo ligado à Câmara e ao Executivo e cujo objetivo é o Desenvolvimento Sustentável, igualmente respaldado pela ACIFI, pela Itaipu, OAB e o Turismo, com Piolla. Desta forma no que tange ao “desenvolvimento econômico da cidade”, parece estar tudo em ordem! O Deputado Hussein Bakri (PSD), já está empenhado na construção da 2ª. trincheira, ou viaduto. Isso se aprovado, deve consumir até o final de 2018 …, ou aprovação, ou execução. O Senhor Bakri é o indicado a deputado, do Prefeito Francisco para 2018.  Então, ao Gabinete de Articulação política resta a ação política, pura e simples, em ambiente tão cordial. Uma articulação comandada por Bobato e seus secretários, certamente enviado pelos vereadores. Pois que Gabinete sem secretários é igual a Banca de Jornais, sem jornais.

O Outdoor malicioso

Este artigo é em solidariedade às almas, danificadas pela retórica política, que acham, por ignorância, cinismo, ou burrice, que o Foro de s. Paulo é apenas uma simples organização política, aberta ao público … quando é aberta sim! ao PCC, que recentemente atacou e assaltou o Paraguai. E a “advogada” do PCC, morria de rir!

Um outdoor em uma avenida, próximo ao um ponto de ônibus, próximo a um condomínio, de pessoas comuns, dizia: Segurança total para o seu condomínio. Sistema completamente eletrônico. Ou seja, tire o funcionário de sua portaria e troque por um botão eletrônico (1). Mais ou menos como, ônibus dirigido por satélite! Com catraca eletrônica. Também como os caixas eletrônicos de bancos, que aterrorizam os comerciantes, os mercados. A questão é, se estas inovações tecnológicas vão gerar empregos, na mesma medida que os tira. Se não, é desinteressante à sociedade: menos dinheiro circulando e mais dinheiro concentrado – NA MATRIZ. É uma situação muito mesquinha. Essa situação lembra os monopólios. O monopólio vem crescendo assustadoramente, desde o evento de um governo que pretende controlar tudo. A cada dia saem leis de cada câmara municipal, de cada assembleia legislativa e cada lei destas cria novas leis e restrições.  Dizem que é por culpa da ‘quantidade de pessoas que habitam o planeta!

1 – Dizia ainda: Acabe com os problemas trabalhistas: os processos trabalhistas, os termos de ajuste de conduta da Justiça do trabalho a pedido dos sindicatos; os encargos trabalhistas, os atestados médicos, a lista pode ser longa. Tudo isso é verdade. Uma sociedade que propõe este tipo de solução tecnológica é uma sociedade tecnológica. Esta sociedade aparentemente dada à tecnologia …, pela tecnologia que usam, de vigilância das pessoas de dentro e, de fora, subtrai, ou oculta a finalidade real da tecnologia. Talvez por incapacidade, talvez pelo volume de dinheiro possível, talvez, porque o objetivo – dos grandes poderes -, seja precisamente <<vigiar as pessoas>>, para não dar a elas o que a tecnologia poderia lhes dar, como por exemplo, maravilhosas estações de trem, grandes portos livres e fábricas de locomotivas, vagões e barcos. Bem, isso geraria empregos de qualidade. Então desviam a “tecnologia” à fins particulares de objetivos políticos de controle social. Evidente que por traz disto tem as mãos da ONU!

Estas agressões ao emprego alheio não são culpa de ninguém. Não é possível achar uma pessoa para culpar, exceto se procurando os vários projetos que sequencialmente foram aprovando estes e outros absurdos e então “torcer o pescoço dos deputados”, que aprovaram isso, sem saber do “conjunto da obra”. E é precisamente isso, que vão alegar: “não sabíamos que era para tirar emprego dos trabalhadores! ”. Pobre alma burra? Evidente que não, a cada aprovação destas tem muita comissão e, mensal! E este “modus operandi”, se repete com faróis, parquímetros, alimentos, remédios, asfalto, lixo, transporte (2) Estas e outras agressões, são variações de um mesmo processo defeituoso da arte de Maquiavel.

2 – Em s. Paulo, por ônibus em circulação se paga por dia R$ 500, reais. O controle disso, ultrapassa o sentido da cobrança de impostos, ou da possível legitimidade da cobrança de impostos, vai muito além. Pois que o volume de dinheiro arrecadado, apenas uma pequena parte dele, pode até cumprir as funções de recuperação e manutenção, o resto – a maior parte – tem destino incerto e não sabido. E isso faz criar uma casta de ladrões compulsivos. Como são os cleptomaníacos, que não resistem à qualquer objeto que esteja ‘dando sopa’.  Parece inevitável, que o setor de segurança pública e privado, não tenham também uma grande participação neste modo de governo, onde o crime está para as empresas de segurança, assim como a vulgar corrupção está para a política, a partir dos municípios.

Como diz Leandro Espiritual, na rede Band de televisão: “é preciso ter esperança e nunca parar de ter esperança”, pois eu digo a ele: é preciso que os senhores que estão na mídia, além do Estadão, que divulgou a lista dos envolvidos no Lava Jato, e se sentiu muito importante por isso. E, não deixa de ser um sopro de liberdade! Mas não comentou sobre o Foro de s. Pauloquando era necessário! é preciso que os senhores comecem a falar como homens, se é que me entende, por exemplo, é muito mais saudável à Naçãoter o prazer de respeitar um presidente do que o tratar, pelo que ele é, e faz. Ou seja, em um país com um Congresso comprado (Mensalão), o presidente é a representação deste congresso, então como trata-lo com respeito? ou será possível um tratamento ao cargo e outro, à pessoa? Então é preciso decidir, fica o cargo e sai a pessoa, ou fica a pessoa e sai o cargo, bem, isso seria ditadura.

Disse ditadura. Ditadura como ‘modus operandi’ de um governo, como foi no Nazismo, no Comunismo, é em Cuba, Venezuela, Coreia do Norte. Onde um Birô político comanda com mão deformada, tudo o que se faz no país. A suposta, como dizem no Laja Jato, ‘a suposta ditadura brasileira, em parte, ela foi forjada pelo esquerdismo contra os militares no poder; quando os acusavam daquilo que eles (a esquerda) faziam (sequestro, assassinatos, roubos, guerrilha etc.). O que os forçava, aos militares, por falta de gente capaz de dar uma resposta à altura, ao povo, a um enrijecimento contra o crime, insistentemente praticado pela esquerda. Hoje, no Brasil, basta abrir a janela na madrugada para ver isso.

Quando disse sobre ditadura no parágrafo anterior me referi a uma ditadura bem específica da esquerda, como aquela de Requião e Gleisi que quer aprovar uma lei de <<abuso de autoridade>> pela própria autoridade (!) e que vai atingir ‘de cheio’ a Internet. Ou aquela outra que promove uma <<apuração secreta>> (em 2014), ou ainda quando – na televisão brasileira, paga pelo governo – se faz uma contra-campanha a candidatos de outros países OCIDENTAIS, quando sofrem invasão islâmica, como foi o caso de Trump nos EUA e, é o caso de Le Pen em França. Isso também se inclui no rol das ditaduras, a informação tendenciosa e acrescente-se mentirosa, inventiva, como o caso atual, quando a esquerda, <<no Brasil>>, quer TOMAR POSSE da sigla da DIREITA e enfiar na direita, quase inexistente, o prefixo ULTRA.

Bem, isso explica o atrevimento do Outdoor, do “Ônibus eletrônico”, e do volume de inaptos e ineptos <<gestores sociais>>, no popular: políticos. ///A evidência da inépcia e inaptidão se revela na “espiral do silêncio”, sobre fatos contundentes, como por exemplo, disfarçar a real necessidade de uma malha ferroviária no Estado, por ‘trincheiras e pinguelas! em cidades com população irrisória e decrescente. (250 mil almas).

Primeira parte: Introdução há alguns aspectos da realidade, não consideradas nas províncias distantes, dos centros decisórios.

Segunda parte: a Fraude arquitetada pelo centro de poder com vistas a criar fatos políticos, que levem à possibilidade de eventos militares e radicais.

A história do momento Lula, vou centrar neste nome …, que representa e lhes foi vassalo; o petismo, o comunismo tupiniquim, o comunismo de américa latina, o comunismo internacional, todos concentrados e organizados em parte no Foro de s. Paulo e Celac de Cuba, em parte em organismos internacionais como a ONU, as internacionais comunistas, os partidos comunistas de Rússia, América Latina, Europa, EUA, Índia, Suécia, Canadá, China etc. As organizações metacapitalistas (nome dado pelo filosofo Olavo de Carvalho, aos capitalistas que estão além do capital, da concorrência – empresas mistas,no Brasil) do Ocidente, as escolas de Frankfurt, de psicologia e a ciênciacomportamental, as seitas religiosas e organizações exotéricas como, por exemplo, as várias faces da maçonaria, e sua ação no exército, no judiciário, na política, no mundo empresarial. Nome de Lula, que representa, os liberais,‘do estatismo, os empresários da construção do Itaquerão e de obras emvários países com financiamento do BNDS; todo o empresariado ligado alicitações, os sindicatos ligados a empresas que são dadas à licitação nos municípios etc. Evidentemente as corporações das assembleias legislativas que possuem o ‘know how’ (saber como) cartorário, judiciário, educacional, medicina e, dos tribunais. Extensivo às câmaras municipais, enfim.

Evidente que existem mais divisões de poder, e contaminadas pelo mesmo vírus, por exemplo, os “reitores” de faculdades do Estado, federais; as ‘cadeiras de ciências, os monopólios de educação, da mídia controlada por famílias dinastas, de alcance internacional; a ousadia de padres e pastores visceralmente doentes pela descrença no sobrenatural e uma cenografiareligiosa, onde advogam de forma nesciente o anticristaníssimo com a regulamentação de uma nova religião próforma, adaptada à vontade da pessoa, para satisfazer não à pessoa, o que é uma impossibilidade, mas satisfazer, a estes todos poderes, citados nestas linhas.

Traduzindo isso. Você está na sua casa. É um sujeito de família notável. Ou é ligado à alguma organização etc. Surge um sujeito em sua casa, igualmente importante e diz a você: – tenho um projeto sobre “estojo de pronto socorro”. É infalível e preciso que você – organize a produção disto em tempo recorde, para não dar brecha à concorrência. Estou aguardando este estoque, paraaprovar o projeto, portanto negocie com as empresas que podem fazer isso e no momento que aprovar, já estão vendidos – ao estado – 10 milhões de unidades. O dinheiro entra em seguida.

Outro caso, o jornal de uma cidade, faz campanha para um candidato a prefeito e não esconde o nome do apoio, o que é louvável. Afinal o candidato tem que saber quem fez e elementos de prova. A ‘campanha se resume em julgar outros candidatos, segundo o ditado: “diga-me com quem tu andas”, entretanto, são políticos muito iguais, e não observa o seu próprio candidato (com vários processos). Obviamente, há um interesse e o pressuposto público de propaganda é falso. Isso se repete o tempo todo. E não alcança uma questão processual e isso é outro indicador de um tipo de ‘fofoca! E isso, na mídia de uma cidade! O que seria facilmente combatido com a própria mídia, se todas, não tivessem no mesmo ritmo de baixa cultura. Ou, telhado de vidro!

A licitação é tudo isso! e mais um pouco! Agora, imagine a rede por trás disso, uma rede que não aparece. Está protegida e precisamente isso, forma ocaráter misterioso por exemplo, do ministério de indústria, comércio e energia. Os 7 anões do orçamento e a loteria, Giacobo e a loteria. Lula e as empreiteiras. Transportes de massas, (muito importante) coleta de lixo; Cabral, e a compra e venda de jóias da H. Stern.  E disto que se trata o tempo todo, em todo o país.

A política suja é o resultado da incompreensão destes fenômenos, que só são fenômenos, pela ocultação ao público e, fuga visceral da concorrência, o que leva à concentração de poder. O único recurso de controle seria a imprensa! Mas ela também foi corrompida de várias formas, inclusive pela lei.(Requião e Gleisi no Senado, estão aprovando uma lei Sueca …, fazendo referência às revistinhas suecas de sexo …, a lei de abuso de autoridade, que faz o Ai5, parecer uma revistinha da Mônica).

Uso da engenharia comportamental, no armamento e no tabaco (alimento etc.), com efeito profilático, para o mundo alienado das massas (que pretendem), visando seus interesses de poder e precisam contar com o apoio‘popular. Imagine as armas. Você acha que a campanha de desarmamentonão iria “irritar”, os fabricantes de armas? Evidente que sim. E você acha que eles não teriam poder ao nível internacional para agir a seu favor? Teriam. E porque não o fizeram? Porque lhes foram oferecidos outros negócios mais lucrativos: por exemplo, desenvolvimento de armas de guerra! E isso não atrapalhou o armamento da escória, quando de todos, ela, não deveria estar armada, por simples insanidade.

Aqui, neste pequeno exemplo, é quando acontece a “mudança de patamar da produção em grande escala e com a participação ‘do governo”. Não sei dizer se o que foi oferecido às gigantescas empresas de cigarros, mas não foi algo menor que o próprio cigarro. Algo maior que o cigarro, neste ramo, são drogas químicas! Aí a concorrência é com a farmacologia e o narcotráfico,entretanto se, os dois primeiros são aliados, não há resistência (metacapitalistas). E nisso tudo tem a interveniência política, que faz uma‘licitação suja, parecer, compra de selos no correio. Ao menos no correio de 70.

E como, por Deus, se pode classificar uma simplória câmara de vereadores, aquela “dos amigos”, “da família”, do “agora será diferente” ou, como disse uma vereadora, falando a linguagem chula aos ‘seus pares, que se engalfinhavam: – “vocês acham, que as pessoas, não tem inveja de nossa função? elas estão loucas para ocuparem o nosso lugar! ”. Isso, os fez acalmar. Como quando se joga ração em meio a animais famintos. Claro, ela própria, o espírito da câmara, se classifica, abaixo do simplório, para tal função.

Em um ambiente destes, é auto-declarado, a vacância do tino de poder, ao menos, para entender o poder do mal, que de certa forma, muitos são cumplices. Veja o caso da compra dos deputados no mensalão. E esta ausência, de compreensão da realidade, é substituída pelo personalismo que será devidamente usado. É como engordar porco! Onde uma câmara é uma espécie de probatório da miséria cultural populista e falante por desespero da própria ignorância. E o que é dito aqui e, o que eles vão entender lá (neste ambiente mental) é precisamente, daquele ponto de vista. E ficarão ofendidinhos! E a tese será, obviamente, confirmada. Confirmada a diferençade noção da realidade dos fenômenos descontrolados e pretensamente sob o controle dos governos, que nada mais são que objetos do conjunto destes fenômenos de negociatas de poder.

Neste curso, que tomou o país, as contra-indicações, desta fórmula deconcentração de poder (tentativa de controle de tudo) e ocultação da realidade, ou simplesmente ignorância da realidade são: o narcotráfico, os crimes, os assassinatos, a depressão, mosquitos assassinos e as revoluções negociadas, e neste sentido o comunismo se mantém organizado, mais do que jamais, esteve.

Você ter ouvido dizer que o comunismo não existe mais. Pode ser que não exista nas bases populares na sua forma de rótulo e propaganda. E talvez este,‘não existir’, seja apenas uma aparência despojada de algo tão grave – que seria o partido único, a total concentração de poder, o militarismo vermelho, a guarda nacional etc. Se existisse nesta forma, neste momento em que o Brasil acredita haver democracia, haveria rejeição pública. Por isso, neste momento, ‘não existe’! Mas quem disse que precisa existir na forma midiática? Existiu na forma midiática às vezes positiva, às vezes negativa econquistou o poder. Tendo o poder nas mãos, o comunismo se centra nos seusrepresentantes, que não devem ser rotulados de comunistas, a maior parte, outra parte deve ser rotulada, para manter a marca, pelo tanto que prezam e falam de sua fundação e de seu tempo de existência e do seu internacionalismo.

Um exemplo de resultado real deste baixo nível de cultura, é que na última eleição, nenhum prefeito, nenhuma organização política, tinha um planopara a cidade. Existem coisas jocosas como: ‘cidade auto-sustentável, bio-sustentável, planos sem consequência e descaradamente direcionados e, a partir de 2040! Em parte, isto é ironia fina, de organizações ligadas à ONU.Como é a Itaipu. Não obstante, não terem um plano imediato, realizável e de alcance das pessoas, tem o controle da cidade! Quando substituem o ‘o plano, pelo ‘controle, é porque sabem que o único plano possível e, históricoé não ter o controle e nem ter planos, contando com o alheio e pior, contando com o controle do alheio e a enorme gama de imprevistos, dos mais variados, o que é a própria estrutura da natureza! Todo plano, controle, vindo de forças organizadas, só objetivam cercear qualquer iniciativa. Desta forma, eles criam a iniciativa e pagam com o dinheiro tirado à carteira das pessoas, como bem disse a primeira Ministra da Inglaterra, Margaret.

Por exemplo, um chaveiro de Foz (família conhecida), prestou serviços à câmara. Entretanto, algo houve, alguma interferência houve, para que não o pagassem e demorassem meses para fazê-lo. O resultado é que ele não mais prestou serviços à prefeitura. Mas alguém prestou! Quer dizer, um plano que deu certo para um e não deu certo para outro. Este tipo de manipulação demoníaca, desestimula. E isso é o plano!

Considerando que qualquer um tenha poder, “mesmo que seja o poder de ter uma enfermeira em um hospital” (O. Carvalho) e, sem entrar no mérito, ou no volume, ou na quantidade possível de ação de cada uma destas pessoas, que concentram estes poderes, pessoas que foram filhos, que são pais, que comem, evacuam, escovam os dentes, moram em algum lugar etc. Cujos poderes e o poder pessoal, estão ligados aos de outras pessoas tão poderosas quanto e que concentram poderes e também gostam de pescar, de ir a boates à noite, se embebedam e falam bobagens etc. …. A lei, mínima e não o contrário, o excesso de leis, que é o próprio efeito colateral do poder, seria a única forma de regulamentar no contexto do cristianismo, algo impossível de ser regulamentado de outra forma, exceto pelo extermínio.

Agora, você vai acreditar que Lula (os comunistas) pregue o extermínio? É verdade que ele convocou os exércitos do MST! E Estedile (Estaline), aceitou! Mas estava despreparado. Não obstante, é óbvio que a lei foi corrompidapelos próprios poderes em luta. Não raro se vê chacotas da gloriosa Dama! A isso tudo chamo de Lulismo, petismo, pois que, este foi o momento onde se acelerou tal processo, e que se descontrolou, para não poder ser controlado jamais. Este é o desafio. Entretanto, os que fizeram isso, e não são poucos, querem a mudança do sistema político e a criação de um poder absoluto nototalitarismo. Para eles, segundo o pensamento deles, não há opção!

Artigos: Lula Vermelha

Deputados, sabem tudo de legislação trabalhista! Só que, nunca usaram a CLT e nunca foram usados por ela. Sua legislação ‘trabalhista é especial[mente] ardilosa e maquiavélica.

A Fraude

(Dizem os deputados, no Câmara Federal) – Somos contra “o negociado prevalecer sobre o legislado”.

  • Negociado significa, os trabalhadores organizados em comissões, elegem um representante que negociará com o representante do empresário, ou o próprio.
  • Legislado, os trabalhadores são representados pelo sindicato da categoria (16 mil sindicatos no Brasil). O sindicato negocia com a representação dos empresários (sindicato dos empresários) e cobram por isso: o imposto sindical obrigatório e, a contribuição assistencial (não obrigatória).

No entanto …

Quem é contra o negociado na câmara federal não está de forma alguma, nem agora, nem depois, de aprovado ou não, sujeito a isso. Pois que não trabalham na iniciativa privada. Quando muito são empresários, por delegação. Segundo fato, as pessoas que estão sendo convocadas, intimadas, a participarem de um movimento nacional contra a questão trabalhista quesó afeta, para o bem ou ruim, a iniciativa privada, são pessoas do serviço público, são funcionários públicos, onde não existe esta condição, que é própria da iniciativa privada.

O setor público tem os sindicatos. Entretanto, sua ação é corporativa. Suanegociação é do governo com o governo, portanto: negociado!  E porque não querem o mesmo para a iniciativa privada e as pessoas que lá trabalham? Porque querem continuar intervindo?

Na questão do negociado, que são contra …

Quem negocia atualmente com a iniciativa privada, dentro dos parâmetros do que foi legislado (pelo próprio governo e centrais sindicais) são os sindicatos, pagos com o imposto sindical obrigatório, o que dá uma bagatela de alguns bilhões por ano, e que o governo impõe. Portanto …

O 1º negociado (coisa negociada) acontece por parte do governo que enseja sua ação que é permanente, desde a importação da CLT (da Itália) e a imposição do sindicalismo de governo. Onde o sindicato faz as vezes do governo, para arrancar tributos, em nome das pessoas que trabalham na iniciativa privada. E manter eternamente, o padrão ‘salarial.

Mas em circunstância alguma, desvelam sua hipocrisia, pois que em hipótese alguma, questionam a legislação trabalhista do Estado. Não obstante, usamda legislação trabalhista da CLT, para aprovarem na iniciativa privada os projetos que lhes interessam no Estado, devidamente AMPLIADOS, por exemplo, basta comparar o 13º na iniciativa privada e no estado. Na iniciativa privada se trabalha 11 meses (1 de férias). No Estado se trabalho 9 meses (3 meses de férias remuneradas) e ainda se recebe 14º e em alguns casos 15º salário. No caso político, se aposentam a partir do 2° mandato, vide câmaras municipais de MG. (precedentes). Na iniciativa privada se recebe vale transporte; no estado auxílio gasolina para cada turno (no caso dos professores).

Ou seja, o Estado recebe (arranca) a cesta de Natal dos Cabrais (o governador preso), e distribui à iniciativa privada, a Cesta Básica de derivados de soja e frango com hormônio!

O último artigo que escrevi: GGB Greve e Golpe no Brasil, o escrevi em quatro partes, ele é fruto do meu próprio enraizamento (afetado) ‘no movimento (1),no passado (1979). Note que uso o termo: ‘movimento. Quem é, ou foi do‘movimento, sabe o significado disso. O ‘movimento, tem vários patamares, sugere uma pluralidade, mas é um só. O ‘movimento parte de líderesdesconhecidos do próprio ‘movimento, para líderes da mídia (municipal,nacional) e destes para os líderes dos movimentos: feminismo, racismo, deficientes físicos, idosos, artistas, homossexuais, comandos diversos, na área do crime organizado, partidos, sindicatos etc.  Por exemplo, ‘o movimento,criou a CONCLAT (Congresso das Classes Trabalhadoras, daí as Centrais Sindicais). Depois criou o PT. Depois o Foro de s. Paulo.

O PT e aliados no mesmo nível, estão no patamar das organizações populares. Com populares quero dizer aberto ao público. Como nas universidades quando‘ensina, na mídia, quando informa ao público, nos sindicatos quando atua junto aos trabalhadores etc. O Foro de s. Paulo é outro patamar onde só se reúnem organizações comunistas para atuarem na América Latina, através de organizações criadas para este fim, como a CELAC cubana, o Mercosul, UNILA etc. O Foro de s. Paulo já elegeu diversos presidentes de América Latina. Quando digo PCs, quero dizer PCdoB e PCB, que são populares nos municípios: um atua na vida parlamentar e assuntos internacionais (imigração), outro na mídia, universidades e imigração.

O livro de Carlos I. S. Azambuja, “A Hidra Vermelha”, nas páginas 45/46traduzindo os estatutos da 4ª. internacional comunista, conclui que os grupos trotskistas (que estão no PT, nos sindicatos, na mídia etc.), existentes no Brasil “são, na realidade, seções de centros internacionais, e não grupos trotskistas nacionais, com muitos imaginam”. Isso faz Lula e Dilma, parecerem garotos de recados, destas organizações.

Agora, se Lula & Cia, são uma espécie de representação de coisas tão organizadas, e nunca se referem a elas (assim como não se referem ao Foro de s. Paulo), e foram elas, estas organizações trotskistas quem fundaram o PT e também comandam no Foro de s. Paulo, que Lula e Fidel fundaram, há de se convir que Lula e Dilma sabem muito mais, do que falam.

Isto ficou claro com o “deboche” que Dilma fez, das classes falantes, nos últimos meses de mandato. Ela sabia que ia sair. Sua ação desaforada lhe rendeu vários apelidos impróprios como: ‘mulher sapo, a rainha da mandioca, a estocadora de ventos etc. Impróprias, porque ela, uma ex-terrorista, organizada na Democracia Socialista, o tempo todo, quando falava, estava se comunicando ao povo, na linguagem das mímicas, como fazem os animais e não no contexto de um determinado assunto, pois que não havia assunto algum, do interesse dela. E isto acontecia enquanto eram acertados, inclusive pelo ‘seu partido, seus últimos dias de governo. Onde se discutira o que era de interesse ‘do movimento! E como toda a Nação pode ver o interesse do ‘movimento era criar um fato, como foi o termo GOLPISTA! Logo, saiam da defensiva para a ofensiva.

Então, chegamos, ou retornamos na matéria GGB. Evidente que teria muito mais para dizer sobre fatos, detalhes novos e, os que estão registrados em diversos artigos do blog, não obstante, neste momento quero registrar outro fato: a amplitude que este tema pode ter e, sob vários aspectos. Ao contrário de Dilma e sua argumentação demente, de desrespeito às pessoas, supondoendeusar outras, que usa para ‘fins do movimento, eu não tenho este dilema. Sou ‘apenas um cidadão latino americano, sem conta no banco. No entanto, o artigo GGB, tem um enfoque ‘panfletário. E por que isso? Como bem disse o filósofo Olavo de Carvalho, a comunicação do meio político nas últimas décadas, é uma comunicação de formação da militância, não foi feita através de livros, mesmo que fosse os livros de esquerda …, não! ela foi feita, através de PANFLETOS! e reuniões onde se escreviam os panfletos.

Voltando, logo, a forma de comunicação no artigo GGB, também tem o aspecto panfletário. Diria que o artigo GGB é tudo aquilo que eles discutiram, antes de fazer o panfleto, mas com sinais trocados. Isso empobrece o artigo. É como se estivesse dando respostas. Mas não é assim. Mesmo porque não tenho o que responder a este ambiente mundano de interesses mesquinhos. Mas tentar uma forma de comunicação. O famoso “grito no escuro”. Mas principalmente registrar o momento. O momento em que se distribui um panfleto – nacional – de paralização do país, por um motivo falso! Cujo propósito não é o motivo em si: trabalhismo, previdência e terceirização, mas criar um fato que leve ao impeachment do presidente (do Brasil, não importando a pessoa).

Ao conversar por telefone com um sindicalista (68) conhecido, nestes dias, sobre o movimento de parada do Brasil ele disse, – que era preciso ‘parar o Brasil’ porque queriam (…) tirar os direitos da classe trabalhadora. Quem? Perguntei. Ele disse – os patrões, o imperialismo! Logo, lembrei de Hugo Chaves, Maduro, e lógico, o defunto Fidel.

Isso foi feito assim, porque o possível público leitor (no Brasil e A. Latina e a parte Fabiana dos EUA) é o mesmo público de esquerda, e eles, não entendem qualquer outra linguagem: é oito, ou oitenta. Não entendem, por ódio (à burguesia), não entendem por causa do desconstrucionismo, por causa analfabetismo funcional (área de ciências políticas) e, a própria ação política, de cinismo permanente! (Afinal é uma guerra civil como disse FHC). Os panos quentes, que acontecem pela mídia de tempos em tempos, desta vez, não surtirão os efeitos desejados, eles apenas vão acelerar este processo de dominação do comunismo.

…. Os militantes e simpatizantes, podem não ter compreendido (as intenções ‘ocultas, de ódio, as mensagens subliminares – ou, o porquê de Dilma agir assim), mas entenderam perfeitamente a mensagem de Dilma! e quando alguém lhes pergunta algo, eles saem com aquele sorrisinho idiota! o‘sorrisinho clichê, o que seria a própria resposta de Dilma! O que foi a resposta de Dilma ao Brasil e ao mundo, algo que parece dizer tudo e não diz porra nenhuma!

Não há outra forma de comunicação – neste momento, para estas cidades contaminadas PELO DICIONÁRIO esquerdista – que não seja esta foram. Onde você se obriga a ficar lembrando os fatos. Para fundamentar um argumento e mostrar o quanto, o fundamento deles está corroído, franjado! Por exemplo, já se esqueceu por completo, mesmo porque não foi divulgado, a <<apuração secreta>>. Já se esqueceu que <<o Brasil, foi o único país do mundo, que acreditou no internacionalismo>>, e gastou o que tinha e o que não tinha! Se esqueceu, por exemplo, <<que a mídia não tem memória>>. Que Lula – nada menos que o presidente do Brasil, com alto índice de aprovação – deu um tombo econômico no Brasil, na cara daqueles a quem diz defender. E os defende pagando para que votem nele, e ninguém vê isso? O próprio LAVA JATO, de certa forma, é uma instituição reguladora e disciplinadora de criminosos, que há anos deveriam estar sem direitos políticos! Desde a privataria e o mensalão. Agora, se lembram da mentira que inventaram sobre a suposta e inexistente intervenção americana em 64, do embaixador Gordon! Se lembram de estorinhas da guerrilha!

E, é precisamente este conflito: daquilo que querem esquecer, não querem saber, não querem perceber e, daquilo que querem inventar (para ‘o movimento), que reside a realidade política nacional. O LAVA JATO é isso! Os cursos universitários são isso. A mídia toda ela, é isso. É este conflito permanente: de ocultar a realidade e mostrar ‘o ponto de vista do movimento, não da realidade, mas do movimento, de ascensão ao poder.

Agem como o carroceiro faz com cavalo e o fazem de forma consciente e se permitem, ou não, a ouvir coisas diferentes. Ao cavalo de carroça são colocadas viseiras, para não olhar para os lados. Eles estão agindo assim. Não que sejam assim. Nas horas que lhes interessam, eles sabem como afrouxar os estribos! e ignorar as viseiras. Eu os ouvi por alguns anos e até torci, para que estivessem certos e tudo fosse como eles diziam, mas era tudo falso. Eram mentiras fundamentadas em sonhos pueris, de acordo com o “ouvido” e, a idade, do cliente. O destino me obrigou a mudar de Estado, de outra forma, não tinha importância nenhuma e nem estavam convencidos de que lhes serviria, e isso, a mudança, foi o início do acordar de tamanho torpor mental. Realmente o que acredito, existe e está longe daquilo que eles insinuam ser a liberdade espiritual, ao contrário, não só não é liberdade, com pode ser um aprisionamento demoníaco, quando aliado à morte de milhões de pessoas.

Este conflito permanente é o próprio processo revolucionário, um conflito em função da deformação na cultura (Ocidental). Deformação por imposição de um conjunto de idéias que farão as pessoas mudarem a sua conduta. E isso meus amigos é o objeto principal da revolução: uma revolução na cabeça das pessoas, cujos resultados colaterais (permanentes às almas), são aqueles vistos hoje em Venezuela, em Cuba com presos políticos e os seus 100 mil assassinatos; vistos antes na Ucrânia com 6 milhões de mortos por fome. Aqueles vistos na China com 78 milhões de pessoas assassinadas. No Brasil com 70 mil assassinatos ao ano etc.

Quando chegamos aqui neste último parágrafo entramos em outro aspecto, saímos do aspecto panfletário, noticioso, de comunicação e entramos no aspecto religioso, psicológico, sociológico (engenharia comportamental) que atua no mesmo mundo e que não pode ser percebido nem pela militância, nos seus aspectos mais sutis de controle, caso em que as fariam raciocinar com uma clareza, que desnudaria suas ações e certamente não gostariam do que veriam, sobre si mesmos. Afinal quem gostaria de se saber manipulado? E pior que isso, manipulado de tal forma e de forma tal, que a própria pessoa se sinta um manipulador! Quanto quer convencer o povo de sua miséria e que ele é o portador de boas novas, que traz benefícios ao povo pelo viés da revolução! E os símbolos: povo e revolução, não são questionados, são aceitos desta forma, da forma como se apresentam. E criam um abismo, entre os símbolos – agora, ação revolucionária – e a realidade. Abismo este, que passa a ser um novo símbolo, de impossibilidade de retorno! O destino final! O socialismo!

Em certa dose, até as empresas privadas, anseiam o socialismo! O metacapitalismo, com certeza! Porquê? Pelo controle absoluto, ausência de concorrência e Estado forte que lhe garante o monopólio. Observe os monopólios em sua cidade. O comunismo abarca o Estado, ao contrário do fascismo, que foi abarcado pelo Estado. Hoje, no Brasil o Estado abarca o socialismo, mas o socialismo quer virar a mesa e tomar o Estado e finalmente se transformar em Nazi/Comunismo!  

O ‘Bolsa Família é um macro exemplo disso: da super-manipulação (sistema de manipulação que requer páginas de explicação). Tirando fora a questão danecessidade real, de parcelas destas pessoas. Sem se colocar a questão …, se eles, um dia, antes do bolsa família, tiveram a oportunidade que tiveram osucranianos (antes de serem assassinados pela URSS) de terem suas terras e serem agricultores. Ou, de onde, ‘eles do Bolsa Família, apareceram? ao menos uma grande parte deles! É sabido e noticiado também o foi, quefuncionários públicos recebiam o bolsa família, assim como o recebiam,amigos do poder! O bolsa família é uma ação política do ‘movimento,transvestida de ação social, em parte verdadeira, em parte falsa. Isso, se releva, ao militante de esquerda? Uma formação alarmante? Cujo resultado é ‘tomar o poder? Nestas condições imoralidade?

Mas já temos a sequela disso. O resultado do que acontece quando se faz isso! Quando se coloca no poder pessoas que aceitam o embuste como normalidade. Pessoas sem ofício definido, que renunciam o trabalho assalariado! por princípio óbvio de submissão nas condições que elas próprias impõem quando se fixam no poder, ao longo de décadas. Ora, o que não é o sindicato, se não a forma de dizer ao mundo que o trabalho na iniciativa privada (leia capitalismo), o é, pelas condições mais desgraçadas ao povo? E tanto foi dito que se confirmou o veredito! Pois são estas pessoas que, como se dizia antigamente, já querem entrar na empresa como chefe. Logo, sua empresa é o Estado.

A funcionária pública e deputada M. do Ossuário é uma destas pessoas que nunca suportou o trabalho. E o seu trabalho, é precisamente aquele trabalho que o sindicato presta ao trabalhador …  ela, o faz ao Bolsa Família. Isso, ficou claro nas eleições de 2014. Ela mantinha um escritório, para ‘ligar, para cada um destes dependentes do seu Estado, para intimidá-los a ‘votar certo. É com este tipo de gente que se quer construir uma Nação? Uma gente ‘golpista por natureza da má política internacional? Quando digo, essa gente, não quero me fazer de mais perfeito que eles, e nem pior! Apenas, tive a agradável oportunidade de alcançar a boa literatura quando jovem e outra grata oportunidade, de conhecer pessoas, com grande ciência e por consequência, respeito à pessoa, que consideram a Imagem e Semelhança de Deus e merecem o respeito. Até que elas próprias se desrespeitem. Por sua própria conta. Como eu próprio vinha fazendo quando mais jovem.

É evidente que, o que eles querem não é Nação! O que eles querem é precisamente o que eles fazem agora! Eles não enxergam coisa alguma. Para eles não há o que vislumbrar. Eles são tarefeiros. Fazem o trabalho, para o qual receberam a ordem; assim como Lula recebeu a ‘indicação de abrir o Foro de s. Paulo, antes de 1990, data da inauguração.  Assim como esta manifestação onde pretendem parar o Brasil. E este é o seu limite. Obedecer sem questionar. Obedecer não por convicção política, seja ela qual for; do socialismo que seja, que segundo Lula, ainda não está claro …, mas pelo emprego, pelo status político. E quando, estão bem colocados, como Lula, Dilma, Samek, Gleisi, Paulo Bernardo, Palloci, o que eles querem e precisam para manter o padrão, é mais riqueza! Até para “distribuir”, aos súditos. Eles lutam, antes, pela riqueza pessoal e, não necessariamente coincidente aos seus interesses no ‘movimento.

Aqui se define um tipo de gente, que é a própria característica da política que se pratica no Brasil desde o princípio do Estatismo, com Getúlio e a CLT. Getúlio e a Petrobras e CSN. Getúlio e o Partido Comunista! Uma relação de idas e vindas.

Desde a “lei de Gerson”. Deste “o concurseiro”. Isto é o Brasil. Este é o comunismo tupiniquim que recebe ordens da ONU. Recebe ordens da internacional comunista. Dos metacapitalistas e suas ONGS. Aceita a invasão do mercado Chinês. Descobre o imperialismo onde ele próprio, não mais se identifica nacionalmente, após o grande movimento do mercado para China. Admite a possibilidade de o Brasil ser invadido por Cuba, Venezuela, Bolívia, FARC, CVV etc. Essa gente, simpática a Maquiavel, de trair os aliados e da arte chinesa de se acompadrar ao inimigo, eles vivem em um mundo artificial, um mundo de tramas, criadas por eles mesmos, em cada local, onde atuam. De certa forma, sua vida, de todos, é uma ‘corda bamba! E este é o sentido que dão à política. Um sentido final, de eterno desacordo. O termo chave para isso é: NÃO A QUALQUER TIPO DE REFORMA. Eles são a representação viva, do que pretendem para o futuro, e o que pretendem para o futuro é exatamente o que fazem agora! Não há futuro!

Não há futuro, pois que o presente está em estado de transformação cultural. Isso do ponto de vista do que eles criaram! E o que eles criaram é falso. E quem são eles no Brasil? Alguns milhares de militantes tarefeiros na mídia, na TV, nas escolas, nas câmaras municipais, nos Sindicatos?

Outros tantos, nas indústrias eletrônicas, químicas etc. A mente brasileira virou uma espécie de ‘mente técnica, por isso, a ênfase na ‘tecnologia, nos parques tecnológicos. Como se quisessem e querem, substituir o padrão moral cristão – algo invisível -, mas de efeitos saudáveis à sociedade, por algo visível (uma completa impossibilidade), do efeito, da decorrência do que a técnica pode oferecer.

É como dar um celular a uma pessoa, que tem vergonha de se comunicar em público, pela escassez de palavras, de termos, e que, lá no fundo, teme que lhe façam perguntas – o que não é normal nestes dias – mas pode acontecer. Então, a pessoa não teria nada a responder, que não fosse o famoso: hã-hãn! Ou, estarei verificando.

A tecnologia lhe oferece a chance de comunicação por frases curtas e malsãs, deformadas por códigos, só decifráveis entre o meio, mais ou menos e mais para menos, que a língua tribal. E isso define um tipo de grupo. Um grupo particular e facilmente manobrável, por ações políticas ou de engenharia comportamental, que atua nestes meios por palavras gatilho.

O ato, de ocultação da cultura ocidental é um efeito. As expressões curtas trazem um significado de código emocional. Temas invariavelmente bi-polares, como seria um tratamento de choque. Ou um sistema de prêmio e castigo, que se usa para animal. Isto passa a ser o parâmetro, de compreensão deste pretenso futuro! Que absolutamente, segundo o modelo de comportamento, não deve ser compreendido. Neste sentido, em se tratando de futuro da existência da pessoa, enquanto imagem e semelhança de Deus, ele não vai existir.  

É nesta ilusão que embarcamos? Sim, porque toda a Nação embarcou nisso! Foram longos anos de formação. Setores, da igreja, na maçonaria, nos exércitos e a integralidade dos partidos comunistas! Trabalharam para isto. Se não, HAVERIA O CONTRADITÓRIO.  A condição de eles existirem é na contramão da existência da ARISTOCRACIA. Grosso modo. Ora, todo o povo aprendeu (pelo viés do ataque à cultura Ocidental e o ataque ao capitalismo) a odiar a ARISTOCRACIA (2), sem se perguntar o que isso significa. E se não foi por causa destes ataques que a Aristocracia foi subjugada. E o que veio no lugar é algo pior como uma PATOCRACIA (3). De outra forma, aqueles seres humanos que estavam encaixados neste contexto, da Aristocracia, ao menos aqueles por mérito real, simplesmente deixaram de existir, muitos saíram do país. O desemprego no país chega a dezenas de milhões, em se considerando o bolsa família e o emprego informal. Que os sindicatos, tanto odeiam! Mas é o que existe. E só odeiam porque não recebem sua parte, no imposto sindical obrigatório.

Poderia ficar nisso mais tempo. Mas a idéia agora; idéia acentuada por desobediência às ‘regras gramaticais, pois não às reconheço. A idéia é apenas mostrar, como este assunto pode ser ampliado. Mesmo que este assunto seja tratado em um manicômio a céu aberto. Afinal um pais com as características de Venezuela, e subserviente a Moscou pelo viés de Cuba, não pode ser um país normal. Mesmo assim, este assunto, sendo negado, vilipendiado quando público, mesmo assim, ele tem que existir, pois que, tudo o que vêem fazendo (desde 64) em termos de comunicação, literatura – novelas, ensino, tem a marca do ódio, da revolução, da cisão, do crime e isso só pode resultar em mais absurdos, por mais disfarçados que eles sejam, como quando, entra em ação a engenharia comportamental e anuncia uma tragédia e uma corrida de bicicleta! Isso é um tipo de dissociação mental. Há um propósito nisso. Tudo para não entrar no mérito das questões mais candentes. E dissimula-las de todas as formas possíveis. Se v. não entende isso, como alta-traição à existência humana …, eu entendo o contrário. Por isso insisto nestes escritos, apenas como registro, e a esperança que em um futuro, no tempo e no espaço, a sociedade, ou o mundo recobre a sanidade perdida. Porque ela existiu! E é a única condição de boa existência, para depois.

(1) – Movimento do Comunismo Internacional.

(2) (Dicionário Mário F. do Santos, págs. 139,140) ARISTOCRACIA – (do gr. aristos, melhor, e kratos, o poder). a) Etimologicamente é o governo exercido por uma classe social considerada a melhor (aristos), e a ela cabe a direção e as normas que devem predominar na sociedade. b) Confunde-se geralmente com a nobreza e fundamenta-se na hereditariedade dos caracteres superiores. c) Emprega-se também para referir-se ao grupo social ou classe que exerce o poder, a qual passa metaforicamente a ser considerada a aristocracia. O verdadeiro ideal aristocrático consiste em dar o papel de dirigente aos mais aptos e mais competentes. Na vida humana todos procedem obedientes, conscientemente ou não, princípio aristocrático, pois procura-se o julgado mais apto para assumir a função diretiva. O tema da aristocracia, ante as deficiências reveladas pela democracia, passa a ter nova atualidade e merece uma maior atenção. Vide Cráticas (Fases Cráticas da História).  

(3) Patocracia (do grego πάθος, paixão, excesso, catástrofe, passagem, passividade, sofrimento, assujeitamento), é um termo cunhado pelo psiquiatra polonês Andrzej Łobaczewski, que estudou como os psicopatas influenciam no avanço da injustiça social e sobre como abrem caminho para o poder.  

Perspectiva nacional

A Meritocracia banalizada! Moral infame! A Religião Caricaturada!

Quer dizer …, desestabilizaram as instituições, elegeram pessoas incapazes e muitas das vezes com problemas seríssimos de discernimento; criaram uma anarquia moral; misturaram óleo e água e para mantê-los com aparência indiscernível é necessário uma insistente agitação; denegriram as religiões, colocando-as na vala comum das feitiçarias demoníacas ou, culturais, à moda gramscista…, para no fim, nivelar a todos como imbecis e eleger um imbecil maior! Por exemplo, pelo expediente de 2014: <<a apuração secreta>>. A que vão chamar de Presidente, do quê? Do Brasil? depois, que queimaram a bandeira nacional? Quando descobriram que o hino nacional, só fala de ufanismos da terra? E nada, de unidade nacional? a que aconteceu, com a Guerra do Paraguai, com os pracinhas da Segunda Grande Guerra, com a ida do Brasil em Itália. É preciso saber de que país eles falam! E se falam de país! Seja como for, seu município, o meu município, parece inexistente, neste mundo!

Escrito por Luiz C.S. Lucasy – FozVox

O que aconteceu com os vereadores em Foz do Iguaçu – com os 15 vereadores – e, o Prefeito. Sendo que três vereadores foram salvos do ridículo, porque não aceitaram o que os outros aceitaram e que, no entanto, deviam ter denunciado, para estarem limpos, no momento oportuno, enquanto ocorria o fato, podendo até, salvar do ridículo, de ver seus ‘pares (no início de mandato: a Câmara está unida, somos uma família …), carecas, de uniforme de presidiário, humilhados pela própria ignorância e, a desmoralização da instituição a que todos juraram proteger. Vendo desta forma, do ponto de vista da instituição parlamentar, todos são culpados, exceto no caso de ingenuidade idiota, (o que evidentemente não parece ser o caso, da ingenuidade, mas não deixa de ser idiota), o que também depõe contra a função para a qual se habilitou sem ter capacidade, o que não deixa de ser um engano, uma falsidade destrutiva do próprio sistema parlamentar.

Os três vereadores excluídos, do rol dos acusados, o foram, assim como o vereador Beni, que foi acusado e, estava entre os 12, mas assumiu a sua cadeira na câmara, sob protestos de jornalistas e assessores de vereadores e algumas associações, formadas e constituídas pelos próprios partidos políticos e funcionários públicos. Porque a exceção dada a Beni Rodrigues, não sei! Talvez tenha ocorrido com Beni o que ocorreu com a multa de cem mil reais dada aos vereadores e um advogado de um dos vereadores, conseguiu anular isso, logo serviu aos outros que recorreram. Então, porque os vereadores reeleitos não usaram a mesma estratégia de Beni? A não ser que Beni fosse um pobre inocente e tivessem piedade dele …, neste caso, seria melhor arrumar-lhe um emprego mais apropriado à autocomiseração e nunca uma câmara de vereadores, exceto se querem arruinar o conceito de mérito. Mas é precisamente isso, o que fazem! Veremos mais à frente.

Todo o processo de prisão, nada mais foi do que um show midiático, não havia argumentação de moralidade frente a mais importante instituição do município, tanto quanto o judiciário, exceto denúncias que partiam de dentro do próprio poder, ou de aliados do poder, que nunca mais, até agora, se falou a respeito. Faltou ‘os cheques assinados, as notas promissórias criptografadas; a lista de nomes exóticos, como: ‘cochudo, nervosinho, bunitinho, manso, tarado etc., como foi a lista da Odebrecht, faltaram também as gravações telefônicas de agradecimento, de novos acordos; faltou os convites das festas de casamento, os presentes de natal, de aniversário: casas terrenos, cargos; faltou a lista dos presentes dos filhos, dos sobrinhos, dos amigos etc., isso tudo são auto-evidentes, mas carecem de provas, mas, precisamente isso, a ausência de provas, por ausência de iniciativa de investigação séria, no sentido de poder de honra, na salvaguarda das instituições que defendem o povo, afeta a moral da instituição e abala de forma terminal a meritocracia.

De fato, o que aconteceu com os vereadores e prefeito de Foz, nada mais foi do que o nivelamento ao ‘modo Lula.

‘Lula, lulismo ou petismo; comunismo tupiniquim, aquele que criou o PT, aquele que vivia dentro do PMDB (os PCs.), depois dividiu-se com o PSDB; aquele do PDT, do PV, da Rede, do PSOL, do PSTU, do Foro de São Paulo, da Fabian Society; de Jorge Soros, da Revista Veja, de Reinaldo Azevedo; do Vem pra’rua; dos Black Bloch, da CUT, do MST, dos Sindicatos, da Mídia etc.

Sobre o nivelamento, o novelista Kurt Vonnegut, Jr, creio que em 1973, havia escrito um romance em que as pessoas eram niveladas – com um peso abaixo da cintura – para que todos sofressem os mesmos efeitos gravitacionais. Este – peso – só poderia ser tirado do corpo, quando fosse dormir. O peso variava com de acordo com o tipo da pessoa. Se a pessoa fosse bonita, seu peso era maior; se a pessoa fosse feia, seu peso era menor e assim por diante. Com os sacos elas eram iguais. Seria mais ou menos a tese de Rousseau, com minhas palavras, a tese do homem grande e, o pequeno, duas possibilidades de serem iguais: corta-se a perna do homem grande ou, se faz uma perna de pau, para o homem pequeno.

Saindo da novela, saindo da previsão acertada do ficcionista; basta camuflar o nivelamento e, substituir por igualdade. Saindo da ficção para a realidade, agora, do que acontece no Brasil. O que acontece quase semanalmente com várias denúncias, que vão desde o município à federação. Com relação à desmoralização e desmanche da meritocracia, quando substituída pela <<anarquia moral>>. Criada e nunca vista, ao longo de décadas! E pela quase totalidade do envolvimento dos três poderes. Isso é o próprio nivelamento, por baixo. (Analfabetismo funcional).

É uma espécie de justiça injusta com as instituições. Justiça, segundo a visão revolucionária, pelo volume, precisamente, de analfabetos funcionais que ocupam cargos de importância nacional, e isso não deveria acontecer em bases suspeitas, de desejos momentâneos; sexuais, drogas, enriquecimento etc. Ou como é o caso, pela própria idade da rebeldia quase hormonal, e pela flagrante inexperiência …, com dez minutos de fala, isso fica visível …. Há pessoas excepcionais, mas são raras e mesmo elas têm que falar pelo partido, não importa o quanto sejam excepcionais, têm que falar a voz da maioria, do partido, do grupo, logo nivela-se, também. Portanto, uma estranha justiça, segundo uma vontade de pequenos grupos, que se somam e se aliam e criam ‘trovões e raios e não levam em conta, a vida real de 200 milhões de almas. Assim, o que parece justiça a eles é a própria injustiça. E injustiça, ao meu ver, uma injustiça dupla, ou injustiça de resultado de outra injustiça, é a forma de ocupação das instituições criada, pelos próprios imorais, quando se arvoram de revoltosos sem causa, como por exemplo, de ocuparem cargos, porquê, “defendem a luta contra o racismo” ou, é “a favor de cotas raciais” ou, por “defende a mulher tão perseguida” ou, criticar a meritocracia e usa-la de acordo com a conveniência ou tudo junto …, isso é irresponsabilidade de um lado, de outro, crime contra a pessoa em sua própria ignorância! A sociedade é responsável? Ou, eles são os responsáveis? Ou são loucos?

Um golpe, que levará o sujeito a ocupar um cargo e nunca mais sair! Essa foi realmente a sua luta: o cargo. Cargo criado em função de algo estatisticamente falso. Como por exemplo, o direito a reserva de mesa em restaurante para deficiente. Isso é um absurdo. Nunca ninguém reclamou sobre isso! Mas alguém comanda e tem cargo, para este novo direito, tão logo, seja exigido! E tudo isso é um absurdo, pois que nada, neste país, superam os 70 mil assassinatos ao ano, e este é o fato; outro fato gravíssimo, é a situação de emprego na iniciativa privada em plena decadência moral e de emprego propriamente (ingerência do Estado). O resto, são consequências isoladas e não a prioridade do povo. Desta forma, agindo desta forma, com justiça “mais para eles, quando se dão bem em função da dor alheia”, segundo a visão deles, o que fazem de verdade, é uma anarquia social, neste ‘meio de jogo’, tomam às instituições de forma golpista e metódica, pelo método maquiavélico: ‘aos amigos políticos e empresários’ e, pelo método de Gramsci, pela mudança de atitude da sociedade: por exemplo, nivelar por baixo (analfabetismo funcional) e o baixo, passa a ser, o certo. Isso já fôra afirmado por David Émile Durkheim.

A isto tudo, a esta legião de – permanente – metamorfose política de acordo com as circunstâncias, é que chamo de comunismo tupiniquim. Pois bem, é impossível nivela-los, ao comunismo tupiniquim, à precisão de uma moral cristã, logo, para eles, do ponto de vista deles, na prática deles, é preciso criar uma ‘moral infame e evidentemente como ‘suporte cristão à ‘moral infame uma caricatura de religião, como disse de forma sucinta o professor Olavo de Carvalho. E eu, estou usando isso, no sentido de mostrar que a real intenção de todo este show promovido em Foz do Iguaçu, usando a figura dos vereadores, todos, para o bem ou para o mal, teve como único objetivo desmoralizar as instituições, todas elas. Nivelando seus atores ao teatro mambembe, ou aos funqueiros, ou Rede Globo, se preferir. Quem quis fazer isso? Não é quem, mas o quê? Evidentemente o ‘movimento comunista internacional, pelo viés da ONU e se você ainda duvida disso, lembre-se que o poder em Foz do Iguaçu, está nas mãos do comunismo e você, que tem algum poder a mais que os outros, aclamou isso! Você é cúmplice! Não vale dizer que não sabia de nada! Estamos fartos de ouvir estas explicações malsãs.

O judiciário foi usado no show, e só por isso, deveriam rolar cabeças, no bom sentido é claro. No ocidente, ainda, considerando o nivelamento, ainda, não se reproduz os métodos além do inferno; os métodos infernais já estão aqui, mas o além, está no Oriente, métodos como do Estado Islâmico, ISIS, da Síria com gases tóxicos, escudos humanos, (eunucos – escravos ocidentais que foram para o oriente – 700 anos); russo de Estaline, quando mata o povo ucraniano de fome, chinês de Mao, que assassina milhões de pessoas que não concordam com o comunismo e o evidente psicopata, que se pretende cômico, e tem o apoio de Hollywood, ou Fabian Society, da Coreia do Norte.

Voltando à justiça. Sempre achei que a única punição possível para políticos – colocados pelo povo – seria um julgamento justo, no que se refere às questões práticas e danos materiais causados à cidade, ao país; para que a pessoa tivesse a oportunidade de se provar inocente e vítima de uma possível trama em que foi envolvido sem o seu consentimento. Neste caso deveria ser indenizado pelo Estado. Provado isso, se teria um outro, duplamente culpado: pela corrupção propriamente e por tentativa de compra de funcionário público. Então, a justiça seria feita. Agora, no caso do vereador que não pode se defender porquê de alguma forma, se beneficiou da propina, então é uma pessoa fraca e não apta à política, logo sua pena, no caso de vereadores e, que envolve no máximo, creio, cem a cento e cinquenta mil reais, a pena é a multa e a perda de direitos políticos por quantos anos, isso fica a critério do peso da culpa. Mas a perda de direitos é uma obrigação da justiça! Se for uma primeira vez. Quatro anos de suspensão dos direitos políticos e multas são o suficiente. Não há pena maior do que obrigar pela necessidade, uma pessoa, deste gênero – FUNCTIO ÕNIS (exerce uma função, tem um cargo) – a trabalhar como empregado em uma loja, ou hotel etc. Eu chamaria isso de sadismo judicial do Ocidente! Veja o ex-agente cubano (não sei se é possível ser ex, neste caso), José Dirceu, ele dispensou um emprego de subgerente de hotel com salário de 20 mil reais, para continuar na cadeia? Ora, a algo muito estranho nisso!

Em síntese, o nivelamento, ainda em andamento, pretende mostrar que ‘ninguém dos três poderes’, salvo raras exceções, portanto invisíveis, valem nada. Não tem mérito algum. São de uma moralidade infame. Portanto o ‘vale nada’ passa a ser o padrão, um direito! Em sendo este, o padrão, porque não, o Lula para presidente ditador, do país?

Política e Sindicato

(Foz do Iguaçu – PR) “Dos 118 mil votantes para 162 mil …, os trabalhadores que votaram em funcionários públicos (os candidatos), estão enganados com relação aos interesses de um e de outro, pois que, são antagônicos! ”.

Nas eleições para prefeito em 2 de abril, Foz confirma a vitória de um candidato simpático ao petismo, com 37% dos votos. A rejeição à esquerda declarada, chega a 63%; em 2014 com Dilma nesta representação, era 60%, até 2018 deve aumentar mais 3%.

“Sindicatos não escondem mais, sua opção estatizante, o que vai de encontro aos trabalhadores da Iniciativa Privada. Imposto Sindical é a prova da autoridade do estado sobre o sindicato e, o trabalho alheio! ”.

Área de serviços ‘o consomê’ da vida, das pessoas!

Em um destes programas de televisão que falam sobre comida, cozinheiros e chefes, um deles dizia que: – trabalhava o tempo todo e dormia nos fundos do restaurante para ficar à disposição. Um profissional da cozinha, que encontra sua significação maior na vida, no trabalho incessante. Talvez por isso, sejam tensos onde sua tensão significa sua dedicação patológica pelo receio do emprego desqualificado.

O modelo econômico conhecido como “Área de Serviços”, ela depende de turistas. Os turistas em sua maioria, são do próprio país e a frequência de visitas varia com as férias, que se seguem pelas estações do ano. Também com congressos de arrecadação de dinheiro e ou estratégia política. Assim com nascem as igrejas de garagem, nascem os congressos ‘internacionais!

A maioria dos turistas em condições não excepcionais, são funcionários públicos aposentados. A tendência ao acúmulo de dinheiro em investimentos é uma tendência crescente de quem ganha bons salários, o que é próprio do funcionalismo e ‘plano de carreira e promoções. É um dinheiro morto! ao menos, quando não é gasto em turismo, quando retorna aos bancos.

As promoções eram objetos das empresas privadas (montadoras de automóveis entre outras), enquanto qualificavam os funcionários, entretanto, com o aumento excessivo de impostos, curiosamente, isso, passou a ser um privilégio, do complexo estatal, de aproximadamente 16 milhões de funcionários em todo o país.

A “Área de serviços não produz bens. Produz ilusões baratas, para aquele que se hospeda, ou faz compras e se considera especial porque está pagando. E só nesta medida vale algo do ponto de vista do turismo de negócios, jogatinas e de congressos. Se o dinheiro acaba, acaba o sonho! Como disse o filósofo, “o poder de ação na sociedade, convence o sujeito a bater em si mesmo”. E ele se bate!

Funcionários Públicos

São 8% da população os funcionários públicos, 16 milhões divididos em 5.700 municípios e algumas cidades com maior concentração deles, como: o Distrito Federal (falido) e, RS (falido). Não é nenhum absurdo, a quantidade! Se fizessem só o trabalho de casa! No entanto ….  Em cada município eles controlam o judiciário, o legislativo e, o executivo no primeiro patamar, onde estão as estatais, o exército; depois vem a linha sindical e as associações, escolas de funcionários, hospitais, escoltas, PM, GM, empresas privadas e ONGs (não governamentais e recebem verbas do governo). Têm muito poder! Portanto, se multiplicam como se multiplicam imagens em espelhos, no fantástico show da vida …, de quem faz parecer fantástico fezes de morcego, ou feijoada, em pílula de astronauta, e controlam tudo e parecem legiões …

Agora! é a vez da Câmara Municipal.

Escrito por Luiz C.S. Lucasy – FozVox

Em 2014 o PT, Lula, o Foro de S. Paulo perderam a eleição em Foz do Iguaçu. Dilma levou da cidade apenas 40% dos votos. Os outros 60% ficaram com Aécio Neves do PSDB. Creio que os dirigentes da cidade, aqueles a favor do ‘grande plano de construir uma segunda ponte, beira foz, o mercado municipal, a cidade universitária, o PTI, ainda os acordos entre iniciativa privada e o estado, os acordos com velhas e novas entidades da cidade; os negócios do lixo, do transporte, as associações, os sindicatos, especialmente, os do Estado …, realmente não esperavam que Dilma perdesse na cidade. Isso causou uma grande comoção nestes meios, pois que, veio à cidade, ele, aquele que ninguém ousa dizer o nome, e veio furioso, entrou como que, chutando as portas da Usina e se perguntando e perguntando a quem cruzasse o seu caminho, como havia acontecido aquilo! Sua indicada perder em Foz? É certo que havia ganho em apenas uma cidade no Estado de São Paulo! Todos tremeram, a mídia timidamente, escreveu duas linhas em seu jornal, após ter sido advertida de que – ele – não estava ali para isso. (Falar com a mídia da cidade). Havia gasto muito dinheiro para o pífio resultado de 2014. Assim como veio partiu e deixou a pobre província em total desordem emocional. Não poderiam perder mais nada! E tudo começaria pela câmara e terminaria, o primeiro capítulo, na Câmara, com prisões e mais prisões. Temporárias, provisórias …

Após isso, ainda tiveram que suportar o povo nas ruas. Mas, sem direção! (Logo, lhes achariam uma direção ao preço de um impeachment). Uma coisa espontânea demais, mais que o inesperado do que era o esperado do próprio ditador do novo mundo. Estas manifestações populares ocuparam o Brasil, afundaram panelas de tanto baterem no seu fundo à cada pronunciamento de qualquer um destes vitoriosos em 2014. Afinal, a vitória era suspeita, havia ocorrido uma <<apuração secreta>>, Toffoli mais 23 petistas, haviam se trancado em uma sala com as máquinas e o resultado da eleição sairia dali! Nunca tinha havido uma apuração secreta nas democracias ocidentais, esta era a primeira. Curiosamente preferiram nunca mais lembrar disto! E o candidato vitorioso em Foz – Aécio -, entre o início da apuração, onde saia na frente e, o resultado final, Aécio teve um tempo de reflexão, talvez nunca ninguém saiba o que aconteceu naquela uma hora. Após isso, Aécio voltou ligeiramente embriagado e manso, parabenizando a vitória da presidente do Brasil.

Desde 2005 – com a Frentona, o PDT, o PT e PCdoB se revezam na Prefeitura de Foz do Iguaçu. E com eles, todas as suas ‘indicações e secretariados. Na atual eleição deste dia 02/04, ganha o candidato do PSD, que era do PCdoB. Não sei se é possível deixar de ser. Afinal, Zé Dirceu continua agente cubano! que preferiu a cadeia a ser gerente do hotel. Seu vice, do vitorioso do PSD é do PCdoB.  O oponente principal era do Partido da Rede de Marina da Silva do Diálogo Interamericano de FHC. O candidato derrotado deve sair da Rede e cair no bico, digo, no PSDB do ‘trio ternura: Aécio, Beto e ACM Neto. Somando os votos <<e não votos>>, eles superam os votos candidato vencedor que deve governar – no sentido de salvar o caos da saúde, para 1/3 da população, no período que vai até a fatídica eleição de 2018. Como vice-prefeito, no passado recente, acompanhou de perto o princípio do caos na saúde com o fechamento da Santa Casa de Misericórdia, promovido pelo programa mais médicos do PT e, a dificuldade do então, prefeito, em reorganizar a saúde da cidade. Coisa que conseguiu por um curto período, o suficiente para endividar seu sucessor e indicado, Reni Pereira do PSB. Salvo a Rede e o PSD, todos os outros partidos são filiados ao Foro de s. Paulo de Lula e Fidel Castro, falecido, e substituído por Raul, seu irmão e sócio nas cento e sessenta empresas fora de Cuba. Portanto, o Foro continua governando Foz do Iguaçu, desde 2005! A mídia local, a câmara municipal, os funcionários públicos, e alguns empresários, ligados ao Estado de forma íntima nas relações ‘diplomáticas do mundo dos negócios, não esconderam seu apoio ao candidato vencedor. O Jornal Primeira colou cartazes nos pontos de ônibus, onde aparecia a foto de Mansur com Beto Richa e, as más palavras completavam o cenário cáustico. Os sindicatos atuaram junto as categorias. Por vários anos e todos os anos o sindicato da APP promoveu greves e manifestações contra o Governo Beto Richa, seu alvo prioritário no Paraná. O sindicato dos jornalistas se ocupavam em funções menos agressivas, mas tão ou quão corrosivas ao governo do PSDB, a que chamam de tucanos e neo-liberais. Uma linguagem da década de 80, que ainda sobrevive na mídia e na câmara de Foz do Iguaçu. Em nenhum momento, digo que Beto Richa é razoável, digo que Beto Richa, para o Paraná e menos mal que as pretensões de poder do Foro de s. Paulo, pelo viés da ONU e Celac de Cuba.

______________________

Quanto à atuação da prefeita, não interina, quando prefeita … e, o dinheiro da carteira do cidadão …, como diria Margaret Thatcher …

…. O PROJETO DE LEI Nº 23/2017 – Autoriza a Chefe do Poder Executivo Municipal a proceder à abertura de um Crédito Adicional Especial, no valor de R$ 3.469.819,20 (três milhões, quatrocentos e sessenta e nove mil, oitocentos e dezenove reais e vinte centavos), ao Orçamento Geral do Município.

Autor: Prefeita Municipal Interina / Mensagem nº 015/2017.

…. Considerando a vigência  da  Lei  no 4.497,  de  24  de  fevereiro  de  2017, publicada  no  Diário  Oficial  do Município  no 3.013,  de  3  de  março  de  2017,  que  alterou  a  Estrutura  Organizacional  básica  do  Poder Executivo   do   Município   de  Foz   do   Iguaçu,   extinguindo   a   Assessoria   Especial   de  Governo   e, concomitantemente,    instituindo    a    Secretaria    Municipal    de    Tecnologia    da    Informação etc. Isso, custou a bagatela de 3.500 mil reais!

Com a vitória de seu candidato, a prefeita não poupou esforços para subir em um precário caminhão na pista da terceira via da JK, e dizer o quão feliz estava com a vitória de seu candidato. Agora, é só pensar na presidência da Câmara Municipal que apesar de haver apoiado o candidato vitorioso, pode não ser exatamente, útil para 2018! Mas isso, é outra história!

Subtítulo – Cai a Máscara do perverso Socialismo!

Cai a máscara da esquerda (socialista, comunista), a máscara da ocultação da realidade; dos atritos inúteis de inflamação social (contra o próprio governo do estado, esquerdista, no caso do PR e Foz); atritos provocados pelo sindicalismo e políticos de organizações comunistas. Do uso do povo, quando fala e enrica em seu nome; do anseio infundado de transformações sem fim e sem objetivo, que não tenha a morte como solução final. Conforme visto em China e URSS. No Brasil são assassinadas mais de 70 mil pessoas ao ano. Outras notícias, ainda em confirmação, apontam para o “sumiço de quase 200 mil pessoas ao ano”! O Brasil também é um ‘poderoso, consumidor de drogas! De FHC a Temer, passando pelos piores momentos: ameaças de guerra com Venezuela, guerra civil, greves políticas, sabotagens econômicas, monopólios estatais e privados, falência da Petrobras, Mensalão etc. …, somente agora, a Nação parece querer acordar? precisamente, 20 meses antes do que pode ser o resumo da desgraça brasileira, a tomada da presidência da República por Agentes do Foro de s. Paulo (de Lula e Fidel)? Ou a própria Fabian Society! de FHC.

Recado à Casa de Leis, de todas as cidades:

“É mais importante e menos vergonhoso, a discussão sobre o Transporte de Massas e sua importância para a economia municipal, do que processar …, inquiri-los, por licitação feita, na ‘casa das leis! ”.

 Governo estranho ao Brasil

Subtítulo: Governo Popular!

Brasil o país do absurdo – Pagamos 6 vezes mais caro a gasolina que enviamos para a Bolívia. O dinheiro tirado da carteira de cada pessoa ajuda a subsidiar a gasolina e o gás que vai para Bolívia. A Bolívia é uma produtora de cocaína. O Brasil é um grande consumidor de drogas. Pode-se deduzir que o subsídio dado à gasolina é compensado pelo subsídio dado à cocaína, para viciar o povo brasileiro?

Governo Federal, ou espantalho da ONU?

Dinheiro retirado a cada cidadão!

Porque os burocratas e tecnocratas (funcionários permanentes) estão escondidos? pois tudo <<do que se trata>> em uma eleição, é da aplicação racional, amorosa e limpa do <<dinheiro retirado a cada cidadão>>, até mesmo pelo viés da poupança, quando recebe juros baixos e quando pede empréstimo paga juros altos. Segundo o lema: “proteger a carteira do cidadão é proteger os serviços públicos”, frase de Margaret Thatcher no parlamento britânico – era primeira ministra, conhecida como “mão de ferro” e acrescento, “olhar de rainha”.

Economia Política, assunto Velado!

Subtítulo: Sobre o Patrimônio Municipal

A visão taciturna e metaforicamente desconstrucionista dos burocratas, a partir do regime militar – para salvar a economia: “do couro se tira a correia”, criaram uma perspectiva decadente no trato daquilo que retiram da carteira do cidadão. A cada ano, aumentam tostões nos impostos e são 40 impostos! em cascata!  O orçamento anual da cidade de Foz do Iguaçu é de 800 milhões, para uma população de 265 mil habitantes. Não se trata de valor, mas da aplicação deste valor e da perspectiva de vida da pessoa: onde não se sabe, segundo esta perspectiva permanente dos burocratas, se o dinheiro vai para o próprio Estado em três versões (municipal, estadual e federal, agora, mundial também – vide Lula e BNDS), ou para a sociedade em forma de infraestrutura atraente a investimentos e transporte limpo, leve e barato.

Dados: (O Brasil tem 45 milhões de veículos e 19 milhões de motos 2014 – G1). No ranking das maiores frotas, Cascavel registrou 186.205 veículos no último mês. Seguida por Ponta Grossa (165.758), São José dos Pinhais (160.110) e Foz do Iguaçu (142.994).

Foz tem143 mil veículos com uma despesa média de 20 reais por dia – por carro = R$2.860 mil reais ao dia, igual a R$1.029.600 mil, ao ano! Duzentos milhões à mais que o orçamento do município! De gasolina, para a Petrobras! de FHC, Lula, Estamento Burocrático e Cia. Coisa (desperdício de dinheiro) que boas empresas de transporte de massas, da cidade, resolveriam (em partes) e economizaria para a cidade.

Somados 800 milhões – orçamento anual de Foz –  mais R$ 1.029 transferido à Petrobras dos partidos políticos e burocratas = R$ 1.829.600 mil (Um bilhão e oitocentos e trinta milhões), ao ano.

Deixo para o leitor o cálculo os 1.700.000 turistas nas Cataratas a uma média de R$200 cada (por baixo). Deixo ao seu critério de julgamento, o valor dosRoyalties e claro, os Impostos, Multas e ainda o dinheiro que eventualmente algum deputado traz para a cidade (…). E dizem que o orçamento é de apenas 800 milhões? e os políticos municipais não perguntam nada? a mídia, por sua vez, ainda não entendeu o que acontece no seu meio? Negam o jornalismo! e o que colocam no lugar de jornalistas? não jornalistas? mas militantes de organizações e agora, universidades?

O quê, impede discussões sérias?

Democracia Ocidental, de esquerda?

Então, quando dizem que o orçamento é de 800 milhões é apenas figuração! As outras entradas não são calculadas; por exemplo taxas de luz e água que omunicípio paga, não há retorno algum? Isso é ilegal, cada conta (de luz, água, esgoto, telefone, são ações). Afinal o imposto de “circulação de mercadorias”, não cobrado no fio? E outras entradas, algumas humanas, que não aparecem e existem, como: o volume de dinheiro sujo do narcotráfico, armas, contrabando e, imigrantes ilegais, as apreensões, como isso se transforma em patrimônio e para quem exatamente? Cadê a contabilidade pública disso?

Repetindo. Quanto a empresa de fornecimento de água e tratamento de esgoto <leva da cidade>? Segundo o código tributário não há retorno? Quanto a empresa de energia elétrica de S. Paulo <leva da cidade>, segundo o código tributário, não há retorno? Sequer conseguem organizar a coleta de lixo? E se pretendem prefeitura, governo? E agora, quantos milhões de reais – da coleta de lixo – vão para outro Estado?

Os políticos e burocratas da cidade tem alguma posição favorável sobre isso? favorável à quem? Ou são ilustres ignorantes (no sentido do que devia saber) da questão do dinheiro que deveria ficar na cidade e é retirado quase que, à força! Enquanto nada se sabe, a câmara municipal continua a aprovar ‘moções de apoio e repúdio”, para mostrar serviço? Como faz o Senado esquerdista com as “audiências públicas”? para autopropaganda! E o patrimônio municipal, a partir dos terrenos e edifícios e máquinas, são usados, de forma econômica de grupos, pelo governo local, os empresários, do governo federal? vez ou, outra? Como foi a Santa Casa e o projeto minha casa minha vida, que criou uma “bolha imobiliária”? Fugir do assunto e dizer que isso é coisa de “deputado”, é o mesmo que “ver assassinatos e assaltos todos os dias e estar angustiado em fazer uma tatuagem no traseiro”!

A cidade não merece, arrecadadores: municipal, estadual e federal. Nenhuma cidade resiste! é melhor gerar empregos locais e acabar com a muamba da China, se este é o motivo de ‘tanto governo’, quando o dinheiro do brasileiro vai para China! E nunca mais volta! e acabar com a má influência federal, no caráter da cobrança de impostos, como se fôssemos devedores escravos e então, nos enfim goela abaixo seus dois subprodutos superfaturados e decadentes: educação e saúde!

As 72 etnias que estão em Foz, o que elas fazem, do que elas vivem? Porque fazem tanto alarde disso, quando se vê apenas quatro etnias? sendo duas, coirmãs do Brasil. Geram empregos? tomam empregos? Põem dinheiro na cidade, tiram dinheiro da cidade? para onde? São perguntas imperativas para a política municipal.

Bem, o povo de Foz do Iguaçu, que possui veículos, ignora suas próprias ações contra a cidade, pois que envia todo ano, mais de um bilhão de reais, de sua carteira, para a Petrobras. E ou para o instituto Chico Mendes e MST! no caso das ‘Cataratas. E ainda ousa acreditar que ama a cidade? quando dissimula tais assuntos? Bem que, não se canta o hino da cidade em lugar algum e tão pouco se vê bandeiras da cidade. Como amam a cidade se tiram seus mínimos recursos? que a fariam enriquecer? Quando apoia junto com os políticos, francamente bisonhos ou oportunistas (de carreira), monopólios do transporte, educação, nas estatais e seus clãs? Que também tiram dinheiro da cidade? <<enquanto monopólios>>.

Esta situação insólita, de medo, de desconhecimento, de evasão de recursos (municipais – regionais), me parece mais política, em danos na economia, que a própria política em seus vícios herdados da influência comunista! Inclusive vernácula comunista. Quando por exemplo, desviam o foco das questões sérias de patrimônio e desenvolvimento para tolices esquerdistas, como ambientalismo e sustentabilidade, tendo por base um futuro hipotético, como é bem visto no documento do CODEFOZ. O que está escrito ali, sobre meio ambiente etc. é uma síntese dos grupelhos que se reúnem na ONU e que são representados em Foz do Iguaçu pela Usina Hidrelétrica com o aval do Governo Federal! aquele, que muda de fantasia a cada carnaval, e o bloco é o mesmo, desde FHC e Lula com reminiscências do estatismo de Getúlio, Brizola etc. Pois que pretendem um governo mundial!

O canto da Sereia, com vistas ao poder global. Quando isso, este pensamento megalomaníaco, dirigido por três grandes blocos conflitantes: (China/Rússia, Metacapitalistas e Islam), começa a cair em Europa e EUA! Porque persistem no atraso? quando as tragédias se acumulam no país, são mais de 13 milhões de desempregados, sem perspectivas! Não se compra mais ‘lotes no país, se espera do governo a eterna e instável prestação da ‘casa própria! Retardamento que atinge a todos os municípios; disciplinando seus militantes …, (prefeitos, vereadores, judiciário, sindicatos, estatais, mídia, associações, se lembre que são todos de esquerda! Lula afirmou isso!). E isso tudo, não é a influência maléfica do chamado Governo Federal? Mais propriamente, dois blocos comunistas?

Mesquinhez Nacional misturada ao comunismo!

Disse isso para tentar encaixar nisso, a chicungunha (de Venezuela), a Dengue e a Zica (da Dilma) e o laboratório francês que fornece as vacinas e a soja na cerveja e ainda, a carne da Friboi. Isso tudo tem um nome: Revolução (brasileira): segundo Olavo de Carvalho: começar do zero! Segundo eles, destruição! pura e simples, destruição! “Se não for comigo, não será com ninguém”. É a história da terceirização e das universidades ‘marxistas!
O Foro de s. Paulo deve sofrer uma derrota na atual eleição para prefeito em Foz. Perde para o Diálogo interamericano; ontem na TV denunciaram o candidato do Foro, como “corrupto”, propineiro. (Denúncia de outros carnavais). O processo está no Ministério da Justiça. Isso significa que sua ascensão, do Foro de s. Paulo ao governo do Estado do Paraná é prejudicada. Seus oponentes, Beto Richa, Ratinho (pai e filho – rede Massa), Silvio Santos, Doria, estão ativos.

Manipulando os Sinais de uma Identidade Vencedora …

Com 61 anos, fiz coisas boas realmente e, perdi …, fiz coisas ruins, mas nem tanto …, não mais do que o normal em uma época normal, para o Brasil. Ao meu ver cometi o erro de me envolver em política em um tempo inóspito (atualíssimo) de domínio esquerdista, no pior sentido, e me safei; primeiro, a mente, depois o corpo e isso graças, às leituras de juventude e bons mestres: A República de Platão, Homero, Shakespeare, a Divina Comédia, Dostoiévski etc. Depois, “a Primavera de Praga”, comunistíssimo! Também li o Capital de Marx e hoje, compreendo o que Jânio Quadros havia dito, coisa que não entendia bem …, vindo de um literato, e ele disse em rede nacional de televisão; que havia lido Marx e não havia entendido o que dizia o livro. Lembro da cena, não lembro exatamente as palavras, mas lembro que o ‘tom emocional das palavras, era contra o marxismo! Como diz Olavo de Carvalho, o Capital, e os seus tantos volumes, é uma ‘cópia dissimulada de Honoré de Balzac (A Comédia Humana). Honoré, Jânio entenderia, sem dúvida! Este erro de haver participado de política…, também percebo, que serviu de aprendizado, um aprendizado que não escolhi, não programei, simplesmente estava lá e, é o ‘sumo disto, desta história insignificante para vós e significante para mim, que procuro compartilhar com pessoas, além de continuar estudando …, pessoas que, agora mesmo, em sua juventude, passam por aquilo que passei e, continuo passando, mas de outras formas com outras ajudas, mais sutis.

Convidado a participar de um grupo de “watts up”, agradeço o convite e a lembrança. Participei uns dois meses e me retirei. Não houve nenhum motivo especial por haver me retirado, apenas, não tenho candidato. E o debate interno ao grupo era de partidários de candidatos.  Disse o que era possível ser dito, com liberdade e, segundo minha disposição espiritual no momento em que dizia e, disposição de percepção dos dias e, das notícias. Às vezes agradava a um grupo, às vezes desagradava a outro e vice-versa. Nada de mais, isso acontecia o tempo todo entre todos, e quando começava a ficar desagradável, as discussões do grupo, sempre tinha um moderador.

A maioria dos participantes do grupo eram pessoas conhecidas entre si, pouquíssimos (um ou dois) eram meus conhecidos …, boa parte delas, funcionários públicos municipais e ligados a algum candidato, basicamente dois candidatos principais. O que vem depois, se pode imaginar, um conflito de interesses – pela aprovação do seu candidato – é quase natural. Digo, quase, porque não é natural que pessoas defendam pessoas contra outro grupo de pessoas que defendam pessoas, então, as coisas se equilibram e se limitammutuamente contra ou a favor de outras pessoas. Se equilibram, se estabilizam em um tipo de oscilação às vezes boa, às vezes ruim, mediante, o que se mostra sobre um ou outro candidato. O prazo de vencimento, deste “Watts up”, me parece que é no dia 2 de abril, quando as urnas decidem quem comandará o município.

A visão política que os grupos procuram passar (…), às pessoas mesmas do grupo; a favor e contra, contra e, a favor, é a visão provinciana da política; por um lado, restrita, por outro, constantemente referem-se ao governo do Estado e ao governo Federal, no sentido de conseguir verbas para a província. Desta forma, competem entre si os candidatos – para mostrar quem tem mais afinidade com o governo estadual e federal considerando que, fora o que é do município – parte dos impostos e multas …, consigam outras vantagens. Este parece ser o mérito dos deputados, que já estão ativos para 2018. Não obstante, quando competem pela preferência do governo Federal, optam por algo além da província e os compromete na eleição de 2018. O que nega, a intervenção de forças estranhas à província.

O que fiz – já que não tinha candidato algum – foi sugerir temas de discussão, que eventualmente eram compartilhados, mas não expandidos. Ao contrário quando o tema não era do agrado de um ou outro grupo, postavam outras coisas como futebol, estórias diversas, corridas de carro etc. Quando aconteceu a questão da carne da Friboi se preocuparam mais em adjetivar a carne: carne podre, carne com papelão etc., do que associar o monopólio dos frigoríficos à intervenção do Governo Federal. Porque um dos candidatos defendia o governo federal do tempo da Friboi! A história da JBS (Friboi) foi bem demarcada pela presença de garotos propagandas da rede globo e do show business, aliás não sei que – dinheiro – os pagou! Além de que a JBS (Friboi) repassou 361 milhões nas eleições de 2014 para 162 deputados. O teatro da carne, creio que teve um fim com a entrada do deputado e pecuarista Maggi, desmoralizando a PF, alijando a questão do PT e os monopólios.

A assunto Friboi foi o ápice da oscilação. Oscilação como ondas de osciloscópio! E quando termina o caso ‘escabroso, o assunto reinicia nas mesmas bases em que foi iniciado; um comentário aqui, outro ali, rebatendo etc. Um jogo de ping-pong. Os assuntos candentes são omitidos. Procuram se manter na linha mestra e permitem oscilações na linha daquilo que possa ser útil e o desvinculam completamente das ligações nacionais (e, internacionais, no caso da A.L.) do candidato e disputam conhecimento, uma espécie de concorrência entre os grupos. Para se manter na linha; o debate entre os grupos, é representado por quem escreve melhor, ou tem mais vídeos para postar, há um mediador (mais de um na verdade), que controla a pressão das discussões.

Questões sobre quais grupos – ao nível Nacional e, de América Latina – que estariam interessados, nesta ou naquela vitória não se comenta! É assunto proibido; a “Vaca Sagrada”. Mas esta proibição, este assunto velado, também é resultado da pratica da discussão política, provinciana e controlada. À propósito! Assim como funciona qualquer câmara municipal marginada por estatutos e regulamentos.

Divulguei alguns artigos sobre os efeitos da eleição de 2014 que foramreveladoras ao Sul e Sudeste e, Norte e Nordeste. E sobre os Estados que estão sofrendo as consequências desta – guerra cultural e política, no sentido de tomada de poder -, e ninguém (na cidade) mencionou o caso! Há outra guerra mais visivel como a morte por assassinato de 70 mil brasileiros ao ano e as pessoas insistem em não acreditar! Logo, como dizia o americano: “isso nunca vai acontecer aqui”, eles os brasileiros, dizem o mesmo: isso nunca vai acontecer aqui! Isso o que? A invasão comunista! Assim, o que dizia passava como uma “teoria da conspiração”, quando quem faz a conspiração propriamente são os organismos da ONU! Conspiração ou EXAGERO –  o novo termo do dicionário comunista, para deslocar assuntos contundentes que não lhes interessa – aos dois grupos políticos: de Lula e FHC. Uma prática psicológica onde não se omite o fato, que é de conhecimento público, mas o faz parecer insignificante como tudo o mais.

O que disse sobre a eleição de 2014, não foi em absoluto, ‘tirado de minha cabeça, não! Foi algo amplamente divulgado na internet e também com direito a foto no jornal institucional e de boa circulação no Brasil, para o Brasil. Apenas não querem lembrar! Quando agem assim, tudo me parece premeditado!

Foz do Iguaçu e o Renascimento7

Artigo sobre a atual eleição em Foz do Iguaçu. Comentários e ambientes interessantes criados por agentes afim de encobrir, anuviar a realidade latente da invasão comunista (globalista, nova ordem) no país. A desfaçatez atinge níveis de mobilização jamais imaginados por marqueteiros militantes; que tentam – à nu -, expor suas políticas insanas, como por exemplo: a ideologia de gênero, o aborto etc. Elas próprias com a intenção de mudar a atitude das pessoas, reduzindo seu senso moral, no sentido de hábitos úteis a si e, aos outros.

Recebi um e-mail que dizia: Será Silvio Santos o tipo de empreendedor que precisamos? digo que SS é um grande empreendedor e vive de alimentar sonhos, ele trabalha com sonhos é uma espécie de mago da ilusão. É um outro tipo de Lula, com a diferença de que este alimenta o emocional doloroso, entre regiões, no Brasil. Considerando que o Brasil bate recorde em ansiedade e <<depressão>>.  O Ratinho é simpático ao sistema do grupo SS, assim com alguns grupos, de TVs, espalhados, em todos os municípios…, assim como, outro grupo de TV mais dissimulado, com relação ao seu trabalho <<cultural>>, que apoia a facção mais temível da esquerda na América Latina, aquela, ligada ao Foro de s. Paulo.

Em Foz do Iguaçu isso é perfeitamente visível; o grupo de esquerda mais ligado à Fabian Society (Diálogo Interamericano – com Marina), este grupo prorrogou a eleição para prefeito (a primeira campanha). A prorrogação funcionou como um ‘divisor de águas entre os dois blocos, não se sabia, até então, se o candidato, a prefeito, apoiava Lula ou o que, ele apoiava para presidente do país. Nenhum candidato quer demonstrar isso, com receio do eleitorado, mas suas ações falam por si (1). A <<prorrogação>> já era uma demonstração franca de desespero por entregar o Estado nas mãos do Foro de s. Paulo. Ou seja, com a vitória do Foro de s. Paulo em Foz, uma cidade modelo da esquerda, aumenta muito as chances de vitória no Estado do Paraná. Ainda mais com o senhor Samek <<desempregado>>, milionário, mas sem ocupação política, igual a Dilma! e provavelmente candidato ao governo do Estado pelos grupos de apoio de Lula. E consequentemente no país!

Grosso modo, Sul e o Sudeste se mostraram francamente contra o Foro de s. Paulo. Segundo o Foro de s. Paulo, era preciso acabar com isso! Inclusive com o próprio Foro de s. Paulo que gradualmente vem sendo substituído pela CELAC (de Cuba), sem prejuízo algum para a facção. Já fez seu trabalho por longas e tristes décadas para a América Latina e foi bem-sucedido!  Em São Paulo, apenas em uma cidade, Dilma obteve vitória! E o recomeço, do <<avanço>>, no Sul e Sudeste, tinha e tem que ser pelo PR.

Se não podiam combater a evidência das urnas, no Sul e Sudeste, mesmo inflado de correligionários, através de <<auxílios e bolsas>>, poderiam atacar por um lado e usar, por outro, as pessoas nestes estados. Um exército de desocupados custeados pelo poder. Com Dilma (de Lula) e, depois de Dilma, e isso se confirma, ”day by day’, no governo Temer, ex-vice de Dilma. Afinal Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul são estados falidos e corruptos no pior sentido: político e criminoso. São Paulo (com e, antes de Haddad) vem sendo sistematicamente atacado; não exatamente, mas também na economia.

A destruição de São Paulo se deu na <<mudança de atitude>> das pessoas, que foram induzidas ao erro, por exemplo as pichações. As pichações deram a vitória a Dória! Que a rede globo sempre apoiou, as pichações. E os consideram <<artistas>>, para encobrir seu ato político dos pichadores, em emporcalhar a cidade e transforma-la em uma espécie “banheiro público” de cidade abandonada! Com as pichações as <<marcas>> da agressão! Ou seja, uma mudança de <<atitudes>>, acompanhada da mudança mental (…). Uma pessoa que tem uma atitude ruim, seja <<pichar>>, <<assaltar>>, <<prostituir-se>>, <<se drogar>> etc., tem a sua forma de agir alterada. As forças que as induziram, às massas de desordeiros, tiram proveito disso, com o objetivo de desmoralizar uma cidade, por exemplo. O Brasil é um país depressivo! No Brasil são assassinadas mais de 70 mil pessoas ao ano! Mais do que a guerra do Iraque!

Em Foz do Iguaçu, algumas forças se deram conta disso, desta luta para tomada do Estado (do PR), mas isso aconteceu de forma subliminar, nunca houve discussão franca sobre este tema – a verdadeira Vaca Sagrada -, mesmo entre estas pessoas da esquerda. Houve conversas noturnas, entretanto, o que um sabia, o outro também, e o pressuposto da discussão, igualmente era a tomada de poder, portanto, forças que se equilibram moralmente. Por isso, tudo ficou “por conta do Abreu”.  Quando se deram conta disso, desta situação de tomada de poder (do outro lado, que não o seu), ao nível do subconsciente, apelaram (alguns grupos organizados da cidade) ao melhor candidato (para a cidade) e que, a cidade poderia oferecer (aos eleitores) em termos de respeitabilidade, <<idade>>, patrimônio, passado e, socialista do PDT.

O PDT, assim como o PSB, desde antes de Eduardo Campos, faz <<o papel>> (no teatro político) da oposição dentro do Foro de s. Paulo. A oposição é a Fabian Society. É a teoria da tesoura e você, “o papel machê”, que será cortado, em um ou, outro carnaval e, ao mesmo tempo, pelos dois lados. Ou seja, vote em quem votar estará votando “na tesoura”. Diria que: o que está acontecendo hoje em Foz do Iguaçu é a “eleição das navalhas”, mas assim mesmo, ainda há uma opção <<menos pior>>. Enfim, escolheram, ou se deu a escolha, o que havia de melhor, entretanto o candidato já havia sido <<queimado>>, pelo processo inarredável das licitações; uma ferramenta, do Estado, pós FHC, para causar danos, quando necessário, pois que seu uso é imprescindível. (2) Algo parecido acontece ao empresariado pela afamada “meia nota”, o que o deixa sempre em estado de pânico!

Esta é uma pequena parte da história. A outra parte se refere à Câmara Municipal de Foz do Iguaçu. Uma câmara até agora, sem prefeito eleito! Precisava fazer uma averiguação dedutiva; para ver, o que realmente compôs esta <<nova câmara>>, ou seja, o espírito impregnado “do novo”. É importante não esquecer que esta nova câmara, literalmente, <<renasce das cinzas>>. Isso é constrangedor! Como se pode “renascer da lama sem trazer manchas de barro”? E este era enfoque pela segunda vez. Desta forma, fiz um comentário de cinco páginas com parágrafos definidos – com nomes em cada parágrafo – para cada um dos temas mais em evidência na política nacional e, centrado na questão da comissão de inquérito que a câmara está promovendo dias antes da eleição, e o entreguei em mãos, ao vereador quepreside a comissão. Sabendo que em breve falaria na rádio local. Aguardei até o dia, antes de publicar qualquer coisa, para evitar algum tipo de intervenção pública em função do que havia escrito.

No dia do programa da rádio pude constatar que haviam lido o artigo. Mas não aceitavam os argumentos e, eram vários. A primeira dedução que tive após isso, a entrevista, na verdade eram duas: uma, que apesar da “aparência midiática” do personagem, da pessoa, uma aparência de autoridade e consciente de seus atos, podia mui simplesmente, ignorar a ciência política. Insistiu várias vezes no termo: neoliberal e ocultou o termo: comunista! Então usou o termo liberal para ocultar o termo comunista; à propósito ou, por saber pouco sobre as forças políticas que interagem na cidade? no estado, no país e no mundo?

De outra forma, se utilizaram de dois termos – de suscitação, que havia escolhido – e o usaram de forma contrária: os dois termos eram: a)espetaculoso (referindo-me à campanha de inquérito – só, um, inquérito (nada de mais), como disse o vereador, até, para a defesa de quem queria se explicar! –, e que foi prontamente alardeada na cidade). b) Quando disse sobre o “termo popular: tudo vai terminar em pizza”. Disse isso, no contexto de que, sempre, é o Estado quem cria o inquérito “em defesa dos interesses do povo”. E isso, sempre, encarece ou piora a situação. É a tese dodireito: para cada direito, vários deveres. A vítima: o empresário e políticos que com ele negociaram em nome do povo e, do Estado. E porque não o empresário, em nome do povo, não processar os políticos e, o Estado? que seja, por uso inapropriado e tendencioso do poder?

Como disse, foram 5 páginas. Estes dois itens acima representam cinco palavras de 3504 palavras! E só estas cinco palavras lhes serviram? assim mesmo, com sinal contrário? Bem, isso, é espetaculoso! Ou meu texto, para eles, é a verdadeira Pizza! Então chegamos à segunda dedução. A de que estes senhores, que assumiram a nova câmara, tem um propósito claro demoralização (não só eles); seja na aparência, na postura, na impostação da voz, nos trajes discretos e escuros, nos signos de lapela, na ausência de sorrisos marotos etc. Tudo isso compõe um cenário, o que não quer dizer, não está explícito, o “conhecimento de ciência política”. E isso foi dito na primeira dedução!

Agora, na segunda dedução, é que talvez, tenham um pacto político, não público; de moralização e este pacto foi feito com um dos candidatos. Ora, se é para melhorar, por que não? Mas aí, entra a questão da “política”. Bem, negar-se a ver isso, a ciência política, é ignorância! Com a qual se reage com grosserias e alteração da voz. Ignorância tem o sentido daquilo que a pessoa deveria saber e não sabe! E se transtorna por isso, quando se lhe cobram coisas. O texto cobrava coisas.

Digo, um candidato, porque na câmara é evidente que um candidato, não tem apoio algum! Estive lá e procurei e não achei! O que indica um acordo. Não vou me prolongar nesta análise. Fica por conta do leitor. É preciso mais tempo para confirmar o que parece ser visível agora, e isso, só após a eleição do prefeito e as configurações das candidaturas a deputado em 2018. Então será possível confirmar o que no momento, não parece, tão óbvio!

…. Mas, quando disse sobre moralização e que não eram só eles que estavam interessados nisso, entra outra figura e outro tema que se explica aqui. Isto aconteceu com o pronunciamento do Presidente da Câmara e referia-se à OAB, a ACIFI e um órgão de controle social. E prontamente um vereador saiu em defesa das entidades, contra o vereador! Isso causou confusão, mas este era o propósito, ao mesmo tempo que poderia conquistar alguns votos na dúvida, votos para o seu candidato a prefeito. Onde o presidente da câmara fazia a seguinte pergunta às três entidades: Porque não viram isso antes? Já que elas acompanharam, vários governos? Parece curioso, porque se a câmara quer a moralização, se as três entidades querem a moralização porque não se juntam? Bem, a resposta veio na “ferinha de domingo no mês de março” na JK! As três entidades apoiavam, ou eram apoiadas por outro candidato, diferente do candidato preferencial da câmara! Simples assim! De minha parte concluo que esta câmara, a política municipal, não nasceu de novo, apenas maquiou-se, de novo!

(1) No jornal a Gazeta de Foz, o senhor Mansur enfrenta o primeiro grande desafio de campanha, posar na foto, ao lado de sua candidata a presidência da república e o senhor Chico posará do lado do seu candidato?

(2) Caso Padre Roque. No governo Requião, o Padre foi secretário de Obras. Uma empresa, vinda do Ceará – certamente indicada por Ciro Gomes – veio ao Paraná, fez a obra, recebeu, dormiu e não amanheceu. Culparam o Padre Roque pelo negócio mal feito que deixou uma dívida trabalhista ao Estado de aproximadamente 900 mil reais. O Padre despareceu do cenário político. Tal a sua vergonha nesta trama de canalhas.

As Origens do Wahhabismo

Ricardo Gustavo Garcia de Mello

O Wahhabismo ou o Islam sunita salafista é a principal doutrina de diversos movimentos e organizações islâmicas: a Fraternidade Islâmica, Al-Qaeda, o Hamas, o Talibã, as “primaveras árabes” e o Estado Islâmico (EI), mas muitos esquecem de citar o berço do Wahhabismo, a Arábia Saudita.

A Arábia Saudita é geográfica e espiritualmente o centro do Islam, foi lá onde o profeta e fundador do Islam, Muhammad (570-632 d.C.), nasceu e morreu e é também na Arábia Saudita que se encontra as cidades sagradas do Islam: Makkah (Meca) e Madinah (Medina). Meca (Makkah) além de ser a cidade onde nasceu o profeta Muhammad, 570 d.C., é o local onde Muhammad recebeu a revelação de Allah (Deus) através do anjo Gabriel. É também o local mais sagrado do mundo para o muçulmano porque é lá onde está a Kaaba, a casa do primigênio, ou seja, o berço e a morada do primeiro ser humano na face da terra, Adão. Por isto que um dos deveres dos muçulmanos é realizar orações diárias voltadas à Meca, o local da Kaaba, e se o muçulmano tiver condições deve realizar a Hajj (peregrinação) para Meca e assim poder ver a Kaaba. Medina (Madinah) foi a cidade que o profeta Muhammad e seus seguidores encontraram abrigo durante a Hégira (622 d.C), período de fuga de Muhammad e os seus seguidores que se julgavam ameaçados de morte por pregarem o Islam. E além disto Medina é o local da morte do profeta Muhammad, 632 d.C., e do seu túmulo. Outros aspectos históricos fundamentais da Arábia Saudita têm suas raízes no Wahhabismo.

A história da Arábia Saudita e do Wahabbismo começa muitos antes do reconhecimento da Arábia Saudita como Estado oficial em 1932. A gene da Arábia Saudita e do Islam sunita salafista ou Wahhabismo inicia-se na aliança firmada entre os dois Muhammads. Muhammad Ibn Abd al-Wahhab (1703-1792) que era um importante pregador (Dai) na Península Árabe que alertava sobre o distanciamento dos muçulmanos da mensagem original do Islam, devido a introdução da inovação (bid’ah) na religião e na sociedade, levando a cometerem o crime de idolatria e politeísmo (Chirk). O termo Chirk na tradução literal do árabe significa atribuir parceiros a Allah, para o Islam atribuir parceiros é um crime de politeísmo e idolatria, Allah é o único Deus verdadeiro Ele não possui parceiros. Sendo por isto necessário purificar o Islam através do retorno aos princípios dos sagrados ancestrais (Salaf). Salaf em árabe significa: sagrados ancestrais, termo também utilizado como expressão honorífica para as três primeiras gerações de muçulmanos que estavam do lado do profeta Muhammad e beberam o Islam na fonte, sendo os legítimos sucessores dos seus ensinamentos e verdadeiros continuadores da obra do profeta, Khalifa, e por isto que os salafistas necessitam instaurar o verdadeiro Califado, ou seja, o legítimo Estado Islâmico. Para os seguidores dos ensinamentos do sunismo Salafista denominá-los de Wahabbistas é um Chirk, crime imperdoável de idolatria, eles se denominam de Salafistas, ou seja, seguidores dos sagrados ancestrais. Devido aos seus ensinamentos foi expulso do vilarejo onde morava até encontrar o abrigo político e militar no príncipe Muhammad Ibn Saud. Muhammad Bin Saud (1726-1756) era o emir (chefe) da cidade al-Diriyah e um dos líderes militares mais habilidosos e ambiciosos do deserto que encontrou nas ideias de Wahhab as bases teológicas para legitimar o seu clã como a Casa Real islâmica: Al Saud. Em 1744 Abd al-Wahhab e Bin Saud firmaram uma aliança de sangue, o casamento da filha de Wahhab, Fatma bint Muhammad ibn Abd al-Wahhab, com o filho e sucessor de Ibn Saud, Abdul al-Aziz. Tal aliança de 1744 marca a origem da Arábia Saudita e do Wahhabismo.

Até hoje a aliança entre a família real Saudita: Al Saud, a autoridade política e militar, e a família Al-Sheikh de Wahhab, a autoridade religiosa e cultural, constitui o poder da Arábia Saudita e do Wahhabismo. As famílias Al Saud e Al-Sheikh são as famílias mais poderosas do Oriente Médio e ainda hoje mantém fortes laços de sangue.

As revoltas no mundo islâmico, as chamadas “primaveras árabes” que são na verdade primaveras islâmicas Salafistas têm por objetivo reforçar o Islam e não lutar por um Estado democrático, laico e republicano. A meta da primavera islâmica é retornar ao princípio da autoridade Islâmica contra as deturpações e inovações.  Para o Sunita Salafista ou Wahhabista a origem do mal está na inovação (Bid’ah), seja ela teológica ou civil, por isto que todos os homens devem imitar o Fundador, Muhammad, o último e definitivo profeta. A revolta contra a submissão à autoridade estabelecida nos países muçulmanos ou em processo de islamização não significa uma crítica ao Islam, mas um retorno ao princípio da autoridade islâmica. O princípio da autoridade é o que legitima determinado grupo ou personalidade a comandar e dirigir os demais, no caso do Islam é o princípio que qualifica um grupo ou personalidade como Khalifa, ou seja, continuador/sucessor do profeta Muhammad e faz do seu comando/governo, um Califado, que tem por missão conservar e expandir o Islam pelo mundo. As autoridades ou os governos para os muçulmanos são apenas personagens que devem copiar o modelo, profeta Muhammad. A concepção do princípio da autoridade islâmica repousa na equivalência exclusiva do bom e do bem com os sagrados ancestrais, os Salafs, tal equivalência implica conceber os primórdios como a Idade de Ouro, onde reside tudo aquilo que é superior, sendo o progresso uma reação à modernidade, o mal, e uma restauração dos primórdios, o bem.

De acordo com a introdução da obra The Life & the Aqeedah of Muhammad Bin Abdul-Wahhab (2000) feita pelo Ministro da religião Islâmica da Arábia Saudita, Saleh bin Abdul-Aziz Al-Ash-Sheikh, que é membro da família Ash-Sheikh da linhagem de Abdul-Wahhab, o fundador do Wahhabismo. Resume algumas noções gerais do que é o Islam Salafista.

“Islam, of course. is based on fundamentals. In this sense. every true Muslim is fundamentalist, because he upholds the fundamentals of Islam! In fact, every Muslim must be a fundamentalist in order to be among those who will enjoy the mercy of Allah on the Day of Resurrection.” [MURAD, 2000, p.V]

[O Islam, é claro. Baseia-se em fundamentos. Neste sentido. Todo verdadeiro muçulmano é fundamentalista, porque ele sustenta os fundamentos do Islam! De fato, todo muçulmano deve ser um fundamentalista para estar entre aqueles que apreciarão a misericórdia de Deus no Dia da Ressurreição.] [TRADUÇÃO]

“Shaikh Muhammad bin Abdul-Wahhab was one of the most prominent scholars, supporting the Sunnah and opposing bidah. He was an exegete, an authority in the science of Qur‘an and Hadith (Prophetic traditions) a grammarian, a jurisprudential fundamentalist and an rhetorician.” [MURAD, 2000, p.15]

[O Sheikh Muhammad bin Abdul-Wahhab foi um dos estudiosos mais proeminentes, apoiou a Sunnah em oposição à inovação na religião (bid’ah). Ele era um exegeta, uma autoridade na ciência do Corão e Hadith (tradições proféticas) um gramático, um fundamentalista na jurisprudência e um retórico.] [TRADUÇÃO]

“Imam Muhammad bin Abdul-Wahhab did not work his way in by the sword. Rather. he dispatched his messengers and letters to rulers and scholars, informing them that he was not bringing a new religion, nor promoting bidah (religious innovation). He was a Muslim who adhered to the Book of Allah and the Sunnah of His Messenger, may Allah exalt his mention.preaching Islam as was taught to the Pious Predecessors of the Muslim Ummah, (the first three generations of Muslims). The Imam fought only to defend the dawah, and Allah. the Almighty, gave him victory over his enemies.” [MURAD, 2000, p.19]

[O Imam Muhammad bin Abdul-Wahhab não trabalhou seu caminho pela espada, em disso ele despachou seus mensageiros e cartas aos governantes e eruditos, informando-os de que não estava trazendo uma nova religião, nem promovendo a bid’ah (inovação religiosa). Ele era um muçulmano que aderiu ao Livro de Deus e à Sunnah de Seu Mensageiro, que Deus exalte sua menção. Pregação do Islã como foi ensinado aos Predecessores da Omma Muçulmana (as três primeiras gerações de muçulmanos). O Imam lutou apenas para defender a divulgação pacífica do Islam (dawah), e Allah. O Todo-Poderoso, deu-lhe a vitória sobre seus inimigos.] [TRADUÇÃO]

‘Muhammad bin Abdul-Wahhab cautioned the Muslims that their lagging behind, and degradation were only the results of neglecting the teachings of Islam, He further emphasized that progress could be achieved only by adhering to true Islam.” [MURAD, 2000, p.19]

[Muhammad bin Abdul-Wahhab advertiu os muçulmanos que os seus atrasos e a sua degradação são resultado da negligencia dos ensinamentos Islâmicos. Ele enfatizou ainda que o progresso só poderia ser alcançado aderindo ao verdadeiro Islam.] [TRADUÇÃO]”

“Indeed, Islam was introduced to uncivilized people who became civilized with it, and were poor and became rich. Muslims had strayed away the real Islam and Allah guided them. They were fragmented and Allah unified them, and were ignorant and Allah made them knowledgeable. They were staggering in the darkness of myths, superstitions and polytheistic rituals. They were handtarfed by these practices and exploited by Sufi leaders.” [MURAD, 2000, p.19]

[De fato, o Islam foi introduzido a pessoas incivilizadas que se tornaram civilizadas com ele, e eram pobres e se tornaram ricas. Os muçulmanos haviam se afastado do verdadeiro Islam e Allah os guiou. Eles estavam fragmentados e Deus os unificou, e foram ignorantes e Deus os fez conhecedores. Eles estavam cambaleando na escuridão dos mitos, superstições e rituais politeístas. Eles foram manipulados por essas práticas e explorados pelos líderes Sufis.] [TRADUÇÃO]

“Muhammad bin Abdul-Wahhab did not bring a new religion, as cited earlier, nor did he introduce new rites that are different those in the Qur‘an and the Sunnah.” [MURAD, 2000, p.32.

Muhammad bin Abdul-Wahhab não trouxe uma nova religião, como citado anteriormente, nem introduziu novos ritos que sejam diferentes dos do Corão e da Sunnah. ][TRADUÇÃO.]

“The essence of the dawah of Muhammad bin Abdul—Wahhab, or, ‘Wahhahism,‘ as his enemies call it, is to worship Allah alone. And dedicate all acts of worship to Him alone. [MURAD, 2000, p.33]

[A essência da dawah (proselitismo islâmico) de Muhammad bin Abdul-Wahhab, ou “Wahhabism”, como seus inimigos o chamam, é adorar somente Allah. E dedicar todos os atos de adoração somente a Ele.] [TRADUÇÃO]

O Wahhabismo ou Salafismo sunita é uma das principais correntes da revitalização do Islam presentes na crítica ao Ocidente, nos movimentos nacionalistas, nas organizações terroristas, nas políticas públicas de doutrinação e no combate de ideias, por isto que é suma importância compreender a sua natureza.

Principal referência sobre as origens do Wahhabismo ou Salafismo.

MURAD, Mahamoud bin Ridha The Life & the Aqeedah of Muhammad Bin Abdul-Wahhab, 2º Ed. Revised Edition, Introduction by Sheik Saleh bin Abdul Aziz Al-Ash-Shaikh, 2000.

OBS: Neste livro A Vida e o Credo de Muhammad Bin Abdul-Wahhab (2000) a introdução é feita pelo Ministro da religião Islâmica da Arábia Saudita, Saleh bin Abdul-Aziz Al-Ash-Sheikh. Ele é membro da família Ash-Sheikh da linhagem de Abdul-Wahhab, o fundador do Islam sunita salafista ou Wahhabismo

Outras referências Bibliográficas

EL-HAYEK Samir, Alcorão Sagrado. São Paulo, Ed. Marsam, 1994.

PHILIPS Abu Ameenah Bilal, Os Fundamentos do Tawheed: o monoteísmo puro. Tradução para o português: Leila Ali Tassa e Revisão da Tradução: Samir El Hayek, 2008, Brasil .

PHILIPS Abu Ameenah Bilal, The Fundamentals of Tawheed: Islamic Monotheism,  2ª ed. Riyadh, 2005. Arábia Saudita

STRAUSS Leo, Reflexões sobre Maquiavel, É Realizações, 2015

Juiz condena trabalhador a pagar multa por litigância de má fé à empresa por flagrante alteração dos fatos

Um motorista buscou na Justiça do Trabalho indenização por danos morais alegando que teve sua intimidade e privacidade violadas pela empregadora, uma empresa transportadora.Isso porque a empresa, visando aplicar punições que resultassem em justa causa, teria instalado, de forma camuflada, um aparelho de escuta no caminhão em que trabalhava, sem seu consentimento ou ciência.Ao descobrir e comunicar o fato à empregadora, esta optou por dispensá-lo.Na versão da empresa, a instalação do aparelho de segurança sequer teria sido feita no caminhão em que trabalhava esse motorista, mas somente no caminhão de outro empregado de nome Geraldo.E, ao analisar a prova, o juiz da 1ª Vara do Trabalho de Sete Lagoas, Paulo Eduardo Queiroz Gonçalves, entendeu que a razão estava com a empresa, concluindo que o trabalhador alterou flagrantemente a verdade dos fatos.O magistrado se convenceu de que o equipamento foi descoberto pelo motorista Geraldo, em data próxima à sua saída da empresa (aproximadamente um mês antes), sendo ele o trabalhador envolvido com a escuta.Já o outro trabalhador, em depoimento prestado em outra ação, nada relatou sobre a escuta, e muito menos que o objetivo da empresa ou de seus prepostos era perseguir os empregados.Nesse cenário, o juiz concluiu que toda a situação narrada pelo motorista para justificar seu pedido não tinha a menor aplicação ao seu contrato de trabalho.Diante disso, considerando a flagrante alteração dos fatos pelo motorista, o magistrado o condenou a pagar à empresa multa por litigância de má fé, arbitrada em 10% sobre o valor do pedido (R$30.000,00), conforme artigos 17 e 18 do CPC, aplicáveis subsidiariamente ao Processo do Trabalho.Foi determinado que a multa seja deduzida do valor do crédito do trabalhador reconhecido judicialmente.O empregado não recorreu da decisão.PJe: Processo nº 0002248-90.2012.503.0039.Sentença em: 05/12/2014Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região

Nova regra disciplina rateio de gorjetas entre os empregados

Nova regra disciplina rateio de gorjetas entre os empregadosFoi publicada no Diário Oficial de hoje, 14-3, a Lei 13.419, de 13-3-2017, que altera a CLTConsolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei 5.452/43, para disciplinar o rateio, entre empregados, da cobrança adicional sobre as despesas em bares, restaurantes, hotéis, motéis e estabelecimentos similares.De acordo com as alterações previstas na Lei 13.419/2017, considera-se gorjeta não só a importância espontaneamente dada pelo cliente ao empregado, como também o valor cobrado pela empresa, como serviço ou adicional, a qualquer título, e destinado à distribuição aos empregados.A gorjeta não será receita própria dos empregadores, mas destina-se aos trabalhadores e será distribuída integralmente a eles, segundo critérios de custeio e rateio definidos em convenção ou acordo coletivo de trabalho.As empresas inscritas em regime de tributação diferenciado deverão lançar as gorjetas na respectiva nota de consumo, facultada a retenção de até 20% da arrecadação para custear encargos sociais, devendo o valor remanescente ser vertido integralmente a favor do trabalhador.Já as empresas não inscritas em regimes de tributação diferenciado deverão reter até 33% da arrecadação correspondente e, da mesma forma, repassar o restante para os trabalhadores.As empresas deverão ainda anotar na Carteira de Trabalho e no contracheque dos empregados o salário fixo e o percentual percebido a título de gorjetas.Cessada pela empresa a cobrança da gorjeta, desde que cobrada por mais de 12 meses, essa se incorporará ao salário do empregado, tendo como base a média dos últimos 12 meses, salvo o estabelecido em convenção ou acordo coletivo de trabalho.Para acompanhar e fiscalizar a cobrança e a distribuição da gorjeta, nas empresas com mais de 60 empregados, será constituída comissão de empregados eleitos em assembleia geral convocada para esse fim pelo sindicato laboral. Nas demais empresas, será constituída comissão intersindical para esse fim.Se for comprovado o descumprimento das regras para retenção de valores para encargos sociais e repasse da gorjeta, o empregador pagará ao trabalhador prejudicado, a título de multa, o valor correspondente a 1/30 da média da gorjeta por dia de atraso. A multa será limitada ao piso da categoria, assegurados o contraditório e a ampla defesa.Esse limite do piso da categoria será multiplicado por 3 caso o empregador seja reincidente, assim considerado aquele que, durante o período de 12 meses, descumprir as regras de rateio da gorjeta por mais de 60 dias.

Todos os ‘movimentos das chamadas minorias, inclusive o de ‘direitos humanos eles foram criados por partidos políticos e sindicatos (que se fundem um no outro e outro no um) e ‘os movimentos, eles existem para esconder, ora, esconder da sociedade o que eles fazem de verdade, usando ‘os movimentos, como fachada. É suficiente dizer da ‘ideologia de gênero? da ridícula entrega de 30% do Brasil ao MST e Índios e que não farão absolutamente nada com isso! e que, em certa medida, sem lhes tirar as responsabilidades, estão sendo usados como idiotas úteis! e na verdade já estão isolados da sociedade!

De outra forma, o substantivo masculino, movimento significa algo que não para e é precisamente incitando, as tais minorias, a criar as diferenças (racismo, feminismo, gaysismo, aborto, deficientes etc.), diferenças …, onde elas, já perderam o sentido de existir e se pulverizaram nas classes pobres; seja pela concentração urbana, pelo emprego em condição provisória (mais uma obra do ‘movimento – estão no poder há 3 décadas!), obviamente, o desemprego, os crimes, as drogas, isso já se pulverizou e isso foi feito por seus governos e disso se aproveitam; é sua deixa para entrarem em cena. Pois que criam uma situação de procura do que não existe, nunca vai encontrar e vivem procurando, portanto, em movimento. E enquanto ‘procuram, são sustentados pela máquina estatal!

Eles insistem conforme nos diz os documentos e escritos destes intelectuais da nova ordem mundial, comunistas, nova era etc., que dá ‘mistura de raças dos países pobres, surgirá uma raça superior, aos europeus. Sem comentários. Obviamente eles falam como Hitler, Stálin, Lênin e Mao Zedong e não se dão conta disso, porque não lhes interessa se darem conta disso, caso em que teriam que acabar com as mentiras. Acabar com o comunismo!

Acontece também que quem ‘alimenta estes movimentos de minorias e outros, quer ganhar para fazer isso e se tornar uma espécie de ‘agente do movimento, no sentido de ‘movimento comunista internacional. Neste sentido acabam ou começam a seguir os rumos de Stélide, Lula, Marcos Aurélio Garcia, Rui Falcão, Marina da Silva, FHC e, se reúnem em organizações maiores como o Foro de S. Paulo, Diálogo Interamericano, Celac, Mercosul, América Latina etc. para participarem de Fóruns ‘internacionais, deles!

Neste fevereiro de 17, o senhor Maggi (fazendeiro) em audiência pública fazia menção, como ele disse: ‘esses fóruns, do qual ele participa como um grande produtor e político profissional e ‘garoto propaganda do globalismo.

As ‘minorias, esta luta inglória por princípio, ela camufla intervenções gravíssimas, como as intervenções no que chamam de ‘meio ambiente e sustentabilidade! Intervém ao ponto de cidades inteiras serem convencidas por um ou dois agentes, por conta de contribuições!

Fazem uma campanha publicitária, paga com recursos públicos. Onde afirmam categoricamente que o planeta está aquecendo! E torcem como loucos para filmar coisas a favor, como o degelo nos polos em determinadas épocas do ano …, em outros momentos se vêem presos no gelo! O degelo é uma característica da região ‘dos gelos’, caso em que, do contrário, toda a terra tornar-se ia um enorme bloco de gelo. Afinal pouco acima da crosta terrestre, são centenas de graus abaixo de zero, consequência da escuridão!

E para afirmar isso de forma categórica usam dos ‘Fóruns, criados por eles mesmos e seus ‘cientistas de programa. E lhes dão prêmios, como deram ao presidente Santos, pelo ‘tratado de paz com as FARC, que assassinou centenas de milhares de pessoas. Poderia citar casos, mas a matéria não comportaria.

Reagan quando assumiu a presidência dos EUA reduziu o imposto em 25%, isso fez a economia crescer. Donald Trump ao assumir a presidência também reduziu impostos. Temer ao assumir a presidência do Brasil transferiu alguns milhares de funcionários de um canto para outro. Segundo a lógica, do atual, ‘Nobel, Temer é o ‘feliz ganhador do prêmio. Isso não é uma inversão? Pois é o que fazem de melhor!

Portanto, na verdade, o ‘Nobel, também perdeu o sentido de existir. Eles dos ‘Fóruns (G20, G50, G15, Geppetto, etc.), são mais ou menos como bruxos, onde colocam as mãos as coisas se deterioram. Poderia fazer analogia com Midas, mas isso que acontece, está longe de ser ouro! mais parece gosma negra! se bem notar atrás dos perfumes falsificados com excesso de álcool para embaçar a percepção, há um cheiro de enxofre!

Mas é precisamente na deterioração que apostam! Eles se preocupam com o meio ambiente e sustentabilidade e por conta disso as pessoas vivem nos centros urbanos em grandes favelas humanas. Muita gente acredita que as favelas deixaram de existir, quando de fato, elas cresceram e se tornaram centros urbanos.

Não é preciso dizer que a sustentabilidade é algo bastante particular, não se refere às massas, mas à gradual transformação da economia capitalista em algo, ainda desconhecido para estes mesmos que desejam a ‘transformação! Lá no fundo, um totalitarismo safado e criminoso! As trilhas já estão feitas!

(Os conselhos de desenvolvimento econômico das cidades, as câmaras municipais, os sindicatos, a mídia, são os alvos destes programas de sabotagem à economia, logo sabotam o povo, que precisa do trabalho).

(Famosa frase proferida, na época, pelo Rei Juan Carlos de Espanha, ao presidente bolivariano de Venezuela, Hugo Chaves, falecido, referente o mimimísmo esquerdista).

O Mimimísmo Esquerdista

– Este assunto refere-se a um recente acontecimento, onde a esquerda midiática globalista ‘encheu o peito, para criticar um secretário de Donald Trump, que havia dito a um jornalista para ‘calar a boca. Ainda um reflexo do que o próprio Trump havia feito semanas antes, quando disse a um jornalista que não iria responder a ele, pois que ele, invertia as coisas. Naturalmente este jornalista podia se aproveitar das respostas de Trump dada a outros jornalistas e fazer lá …, suas inversões. Ou mesmo passar sua pergunta para outro jornalista.

No período militar no Brasil, os jornalistas se achavam no direito de ‘inquirir, no sentido de julgado e sentenciado, os homens do alto comando! para tentar desmoraliza-los, na própria pergunta. Obviamente percebiam a má intenção do jornalista e ao invés de reagir com superioridade intelectual, reagiam na própria ‘altura da pergunta (nem todos), para aquele jornalista, no entanto, era jornalista e logo, isso era publicado como ‘agressão à pobre criatura, do jornalista (coitadismo)! Voltando.

Acontece, que o público para quem este jornalismo globalista, de hoje, escreve, está impregnado do ‘politicamente correto, desta forma não consegue mais discernir o certo do errado, por natureza das informações e ações desconexas e invertidas do ‘politicamente correto, logo, Porque No te Callas! – Famosa frase do então, rei Juan Carlos a Hugo Chaves, é usada em momentos muito apropriados, por quem sabe e pode usa-la. Aí, os ‘jornalistas perceberam que estavam transferindo a honra dada a Juan Carlos, pela palavra certa no momento certo, a Trump, e que, o ‘tiro havia saído pela culatra. Portanto, calaram a boca!

Por Luiz C.S. Lucasy – FozVox

O ex-prefeito de Foz do Iguaçu Mac Donald está com uma coluna no Jornal Gazeta e hoje tive a oportunidade de ler uma matéria sobre o dinheiro gasto em assessoria e que alcança a cifra de 39 milhões ao ano (em uma cidade média/pequena). O curioso desta matéria é que além do salário de R$7 mil, existem outros valores chamados de ‘social e, que chegam a R$4 mil. Quer dizer que ganham sete mil, mais quatro mil. Quatro mil, é mil reais a mais, que o custo de um funcionário na iniciativa privada! Evidentemente é uma corporação nacional, dos sindicatos do Estado e os deputados federais, os responsáveis por esta anomalia maquiavélica. E é maquiavélico porque, além da mesquinhez das reivindicações de direitos – frente a situação que vive a maioria –, o que pretendem não é melhorar nada, e ninguém, a corporação incluindo os políticos, pretende é causar mais caos ao país (máfias: do crime e, a política = governo da ONU) e direcionarem toda esta ‘desgraça, toda esta pressão social e, constante, sobre as instituições, que antes, destas pessoas maquiavélicas, marxistas, leninistas, stalinistas, maoístas, estatistas, liberais, criou grandes homens que realmente governavam as instituições, e não tinham como objetivo governar a América Latina e nem o Mundo! Coisas da perestroika e glasnost!

…. Paulo em sua matéria, com outras palavras, mostra, que o sistema público criado com dinheiro de impostos, a fim de dar escola e hospital, públicos, acaba por socorrer-se a si mesmo e o que sobrar, depois de passar pelo aval dos pobres conselhos, cumpre sua função. Este é o princípio do caos pela desmoralização. Desta forma, as pessoas que ganham bem, procuram hospitais e escolas privadas, o que vale dizer que a atividade pública, é um meio para se ganhar dinheiro, não para se prestar serviço com o mesmo rigor que eles gostariam para si e seus parentes. Não serve a eles! Portanto é um golpe corporativo nacional e criminoso, porque todos pagam. E se é corporativo é corporativo contra alguém: o povo! O que nos leva a crer que greves, neste setor que atende ao público, é que uma atividade política para manutenção das corporações e, desmoralização e desestabilização das instituições. Não agem por respeito à instituição, antes, agem a favor da corporação depois, com o que sobrar, a favor, dos hospitais ou escolas. Não têem o sentimento patrimonial, a ambição de ampliação e aprimoramento no atendimento, pela própria emancipação moral e, das condições de trabalho. Uma situação estabilizada em solo infértil e, em franca deterioração e não há gestão que regularize isso, como já foi provado na história da saúde em Foz do Iguaçu. Pois que, não é uma questão de ‘gestão, é uma questão de política. Alguns enfermeiros e médicos compram do seu bolso esparadrapo, gaze etc. Existem pessoas solidárias com as criaturas que lhes pedem socorro, elas entendem algo que está além, daquele evidente sacrifício humano. (Em quase todas as cidades do país).

Veja que, em tudo isto, não se trata de ambições pessoais, dos funcionários, estas, são criadas e usadas contra eles mesmos. Isto também é maquiavélico. Simplesmente deteriorando seu ambiente de trabalho (são muitas maneiras de se fazer isso, nem todas têm como causa, o dinheiro). As manifestações, e intervenções nos locais de trabalho, que eventualmente acontecem, elas são feitas pela ‘diretoria sindical! E simpatizantes militantes de organizações ligadas ao Foro de s. Paulo. As greves do Estado tratam de criar situações insolúveis ao Estado e, de desalento profissional. A vinda de médicos cubanos (reação do governo federal contra os governos e a instituição: Estado) foi o ápice de uma humilhação à medicina nacional; talvez, parte dela precisasse deste ‘choque de realidade. Realidade de si mesmos, do que pensam a respeito de si e, o que são, em um país onde ‘se odeia o conhecimento.

Vou aumentar o tom! Até agora, estamos na mesquinhez …, das ‘reivindicações de direitos, em um país que conta com 13 milhões de desempregados e 60 mil assassinatos ano! Nada falam sobre os sacrifícios impingidos à inciativa privada e às pessoas que lá trabalham, por cada direito que tomam à sociedade! Um peso e duas medidas: uma para o Estado, outra para empresas privadas. Isto também é uma maneira de dizer que não ligam para as consequências de seus atos, cabe à corporação escondê-los. A oposição, privilégios do Estado e dinheiro para manutenção das instituições do povo; parece ser insolúvel e degradante por natureza da formação de algo insustentável moralmente, neste modelo caótico, deste FHC. O que nos leva a dois patamares diferentes: um autoritário e policial (socialismo), outro pelo conhecimento de si e humildade. Coisas diferentes; em um caso, o homem pensa controlar, em outro o homem controla-se a si mesmo, com um ‘Eu substancial, próprio das confissões. (E não cai no engodo das organizações comunistas). Por isso (os líderes), odeiam o cristianismo, que provou, por mil anos, ser possível a segunda opção. Que foi gradualmente destruída pelo ‘uso da inveja. Mas isso é outra história. Este problema, poderia ser equacionado décadas atrás, se houvesse uma imprensa fortalecida e não ideológica. Os homens da imprensa caíram no engodo disciplinar do diploma e do emprego, primeiro, depois no engodo socialista e nunca mais falaram. É a história da centopeia e a coruja: a centopeia dançava maravilhosamente. A coruja com inveja, pergunta a centopeia: “como você faz para combinar a patinha 13 com a patinha 27 e a patinha 2 com a 55 …, a centopeia nunca mais dançou! ”. (Comentário antigo de um jornalista que percebeu tudo isso!).

Se isso afetou tanto a imprensa, imagine, por sua vez, o que a imprensa não afetou o resto da sociedade, basta ligar na rede Globo, que tem 85% de audiência, bandeirantes etc. e você verá. E isso criou um ambiente de decadência onde nem a iniciativa privada, que sempre trouxe ‘as boas novidades de mercado, até a década de 80, murchou! A mídia teve sua participação nessa mudança cultural, ao invés de mostrar coisas boas, escondeu as coisas boas, desestimulou coisas boas e mostrou coisas ruins e o ruim é mais fácil, mais popular, e não se dão conta de que estão sendo colocados em um círculo degradante: igualdade, simplesmente impossível: uma criança não é igual a um adulto! Basta comparar o poder de um e, de outro. Um político que propõe a igualdade, ele próprio é diferente, pelo simples ato de poder propor! E a iniciativa privada caiu em mais este engodo, e não investiu em dizer o que pensa! E não investe, passa o trabalho para ‘os políticos e a mídia que falam a mesma língua!

Em uma cidade, isso de mesquinhez de salário e direitos, se resolveria com o crescimento do mercado local, é preciso investimento no mercado e na pessoa, também não se trata do liberalismo infantil …, do dinheiro que cai do céu do mercado! Mas eles, políticos esquerdistas, Estado, mídia, não querem que cresça a iniciativa privada e, a que existe querem controlar e inicialmente se associar (hotéis, escolas privadas, shoppings, mercados, imprensa etc.). Está claro no programa dos partidos comunistas, o Não a qualquer reforma. Estou mentindo?

Para tanto as faculdades (do trabalho manual: engenharia e medicina) deveriam apresentar (catálogos, filmes do YouTube), aos estudantes e ao público, todas as máquinas e modos de produção (do Brasil e do mundo, afinal não são internacionais? Ou são internacionais, para manejarem um novo mercado extra da ‘indústria do turismo?).

Falava em modo de produção, como por exemplo a ‘surfassagem (que significa fazer lentes – máquinas maravilhosas, pequenas), depois a montagem dos óculos, por exemplo. Quantas destas profissões curiosas existem? Para binóculos, lunetas, circuitos eletrônicos, peças eletrônicas, etc. Pergunte à faculdade! Não é ela, a quem você paga todo mês! Não se trata de trabalho técnico e ou de nível superior! Trata-se de ter a opção, coisa que não temos, na América Latina! Como lapidar pedras preciosas e que máquinas se usam. O que significa ‘os gêneros: macho e fêmea na produção de ferramentas? Será algum tipo de bissexualismo? Claro que não, logo, estamos no caminho inverso da vida, quando damos ouvidos às politiquices inúteis e a cidade afunda! Como se monta uma fábrica de remédios e que máquinas se usam e como elas são feitas, de onde vem a matéria prima? Como montar um laser para operar! Ou câmeras que podem vasculhar o corpo internamente (videolaparoscopia)? Como montar uma usina de reciclagem de lixo? Como montar uma indústria de pescados? Como desenhar uma cabine de ônibus perfeita? Como transformar o motor de Scania em motor de trem! Como montar um alto forno e fazer trilhos! Bem, isso ao meu ver é uma faculdade do trabalho. O resto são escolinhas doutrinais. Agora, a escola que ensina o que pensar para o bem da humanidade; qual rumo tomar que seja bom às pessoas indistintamente, essa escola no Brasil, ela não existe! Um país eminentemente agrícola é um país eminentemente tolo! E isso existe!

Falo sobre produção porque “nasci em uma cidade industrial”. Aos treze anos trabalhava registrado em uma empresa de estanho, que fornecia as montadoras. Simples barras de estanho! Ao longo dos anos, vi como as coisas acontecem, a partir da matéria prima, depois dos produtos rejeitados, que vão para o interior. Eu mesmo tive uma pequena indústria (torno, fresa, compressor, soldas, aparelhos de precisão, jato de areia etc., e fazia usinagem e montagem de peças de bomba d’água que trazia de S. Paulo). E tinha um perito que comprava material para mim em São Paulo. Com ‘perito, quero dizer que examinava e testava algumas peças do lote, se não servissem o lote era trocado e novamente ele fazia o teste. Há a necessidade de uma relação muito honesta! E precisamente é isso o que está em falta no Brasil de hoje, a partir de FHC um comunista, classe média alta, filho de general! Fico atordoado quando vejo líderes políticos, falando sobre ‘parque industrial, área industrial, parque tecnológico, ‘turismo, uma indústria sem chaminés, empreendedores de ‘Souvenirs …, realmente, lhes faltam criatividade a estes adereços publicitários do Estado …, agem como o papagaio, do capitão Gancho!

Evidente que, em Foz do Iguaçu, não temos este mercado, que já teve, por exemplo, no único parque industrial brasileiro. Sequer temos perfumes, apesar das ‘lojas da china, da Moraliza, do Duty, no Paraguai, Argentina …, temos colônias! Então, caro ex-prefeito, o problema não é só do salário dos assessores …, ao menos, não destes assessores. Aliás lembro ao senhor, que seus edifícios, não tem largura de porta suficiente para cadeirantes. Mas dou um desconto, pela época que foram construídos. E continuam inteiros! Mas quando penso e isso, é coisa maligna: pensar com um ou outro lado do celebro, ou os dois juntos …, nos privilégios que: FHC, Dilma, Lula, os generais, os senadores, os deputados federais, os empresários aliados (empreiteiras), Sérgio Cabral e esposa, quase todos os deputados federais que se locupletaram com a privatização, o mensalão, o petrolão etc., tiveram e têm, pelo fato de terem sido os piores presidentes, os piores generais e os piores empresários, os piores políticos, nestas últimas três décadas, para o Brasil e, os melhores para América Latina e África e, a quantidade de dinheiro gasto nesta aventura para ocupar cargos na ONU …, e também, o dinheiro das indenizações, aposentadorias, empregos “até a terceira geração”, de 60 mil ‘revolucionários de bancada! Chego à conclusão que o senhor Paulo atirou na burocracia e acertou no comunismo!

Vereadores eleitos gostariam de quem para prefeito da cidade?

Por Luiz C.S. Lucasy FozVox

O termo “espiral do silêncio”, creio eu, seja próprio das agências de informação, no período da última guerra, onde atuavam espiões devários países e a imprensa, pouco, ou nenhuma informação tinha a respeito das ações das agências de espionagem. Com o “fim” da Guerra (2a.), teve início a “guerra fria”. A “guerra fria”, ‘foi uma ocultação de fatos que afetariam o mundo, quando diziam que havia acabado e nunca acabou.

Neste percurso, com a queda do Muro de Berlim – um termo fantasioso -, para dizer da incapacidade de governo da URSS, com os países que havia anexado após a 2ª. guerra e, os próprios, que ‘pertenciam à república socialista soviética …, – assim, a ‘nova Rússia, toma o governo. O próprio conceito da “espiral do silêncio” torna-se a ‘forma do governo russo; considerando que o governo da Rússia, doravante seria não só a KGB, que já comandava a URSS, mas também a recém-formada Máfia Russa, para negócios estrangeiros, na linha do crime organizado (uma espécie de narcotráfico, assassinatos, mensalão, petrolão, privatização, licitação, lavagem de dinheiro, tudo junto e misturado!). Com influência e agentes comunistas, sobre os chamados ‘países do terceiro mundo – América Latina. Onde o mesmo passa a acontecer nestes países e hoje, se tornou habitual, esconder, sonegar informações, calar com
relação a situações que estão sendo urdidas pelo próprio comunismo.

Por exemplo, na cidade de Foz do Iguaçu ainda não há prefeito. Uma pequena história de reação de um comunista ao comunismo e que não deu certo. Cogitou-se uma nova eleição em abril de 2017, entretanto, todosos candidatos são ligados a futuros candidatos a presidente da república: comunistas, ligados ou do Foro de s. Paulo (FsP), ou do Diálogo Interamericano (DIA). As eleições para presidente ocorrem em 2018.

A “espiral do silêncio”, ocorre na cidade de Foz do Iguaçu. Os vereadores recém-eleitos, temem falar sobre o assunto, com receio de comprometerem o ‘seu futuro, ou ‘apostarem, no candidato a prefeito, errado, segundo a visão do DIA ou FsP. O que o público gostaria é que cada vereador eleito disse qual prefeito ele gostaria que assumisse.Só isso. Mas considerando também, quem este ‘prefeito, da simpatia do vereador, apoia à presidente da república. Afinal, em todo o país, estes 17 meses ou menos, antes de outubro de 2018, evidentemente serão consagrados à eleição de 2018. Onde há muito em jogo, em cada estado, a partir do governo. E acredito que quanto mais se falar a respeito melhor será para o país. Mas os comunistas não pensam assim.

Uma Sociedade quase, Bizarra

Por Luiz C.S. Lucasy – FozVox

INTRODUÇÃO – Dia destes, um ex-vereador de Foz, líder de uma de uma etnia, aproveitando dos 100 dias do governo Beto Richa, que transferiu a sede do governo do Estado para Foz e que, já está acabando; entrou quieto e está saindo em silêncio e não explicou nada, do porquê ter vindo e o único que lhe pediu algo, foi o tal ex-vereador …, – pois bem este ex-vereador pediu ao governo – e não sei se foi aceito e realmente agora não importa, nas atuais circunstâncias – que se criasse um escritório do MERCOSUL em Foz do Iguaçu. Pelo amor de Deus, porque ele não pediu ao governo para abrir um escritório de representação dos perfumes do Oriente? E que desejava abrir uma fábrica de perfumes e afins? Isso seria maravilhoso! Voltando. Bem, de onde ele tirou essa ideia de escritório do Mercosul? Certamente de um propósito da esquerda, a mesma que quer transformar Foz em um centro político de integração e etc. da América Latina. Uma Komintern Latina, uma pátria grande, o 6º Estado do Mundo etc. Isso tudo é muito bizarro, além da realidade, portanto além da imaginação. Observe como pode variar enormemente, o poder de um simples vereador, desde que algo maior, o sustente. Uma das cabeças do Mercosul é Requião, e o que pretende o Mercosul – um mercado comum do Sul. Formalmente parece bom, mas cadê o mercado? Mas quando isso é comandado por políticos tão somente, toma outra forma, a forma de apoio à China e Rússia, contra os EUA, isso é nojento e mais traiçoeiro ainda, porque isso tem o apoio de Hillary, Bill Clinton e Obama com ou sem Bin Laden etc. Agora, o povo de Foz tem noção do que está sendo feito de seu futuro? Ou apenas sente os reflexos do estatismo? Por um lado, uma perspectiva internacional com os países latinos, o que eleva os jovens da cidade – que os velhos deveriam cuidar – a se interessarem por ‘diplomacia, integração latina, meio ambiente, nada substantivo! Esta é a parte boa dos sonhos vendidos nas “faculdades”, por outro, a transformação da cidade em um grande escritório político aos moldes da KGB, para a Rússia. É uma pretensão instável no limite da explosão.

Pois no final acaba sendo isso. O que os levou a pensar que a Rússia e China serão benéficas ao povo brasileiro? Ao povo espanhol que preza a liberdade a seu modo independente? Se os EUA e Europa ao trazerem suas empresas ao Brasil, foram tachados de imperialistas, pelos comunistas, o que pensam – os não comunistas – que farão a Rússia e China, que representam o bloco comunista? Trarão para o Brasil um braço do comunismo e como sabemos, seu modo de produção não é o convencional das indústrias europeias e norte americanas e muito menos respeitam algo diferente do que eles são. De certa forma, farão o ‘racismo, do gaysismo, parecerem festas de aniversário! Leandro Carnal devia pensar nisso!

...

I – Este escrito trata de uma mística do bizarro. De algo que está oculto na alma das pessoas, para as próprias pessoas …, pessoas em questão, de que trata a matéria (políticos esquerdistas e afins). É uma espécie de ‘enganar a si mesmo, por conveniência moral aos olhos dos outros e, aos outros por conveniência da aparência social, que ainda devem fingir e que devem demonstrar na boa aparência e jactante verborreia e nunca, na concretude objetiva dos fatos que executam, entre outros, na ‘calada da noite …, fatos, que são lançados aos poucos ora, na forma de retalhos, ora, na forma de emendas, à desvalida constituição e contra Deus! Isso não é pouco, e seu alcance de maldades é gigantesco, pois que, sem entrar no mérito da questão, para este caso …, que levou ao fechamento dos bancos de Estado primeiro e das Santas Casas depois. Perdemos 30% do país e nem imaginamos para quem! A princípio: índios e o MST. Mas quem acredita nisso? Ora, o Banespa sempre foi tido como um banco sério. As Santas Casas, nestes tempos ‘de crise de assalto ao estado, faziam milagres!

Trocando em miúdos, os políticos esquerdistas de organizações clandestinas (no PMDB, PT – FHC era do PMDB) há anos vêm tomando postos no Estado. Pela prática do sindicalismo e dos partidos, partidos com práticas viciadas e, os monopólios, aceitos pelos dominantes, como perspectivas de grandes negócios, aliados ao Estado, transformaram as pessoas …, independente, se eram ou não organizadas politicamente, em que grau de militância …, em ativos, de um longo processo de caos, desmoralização, desestabilização e crise no Brasil! À parte, este tipo de ação, fez com que o sindicalismo ‘da iniciativa privada, se afastasse do ‘sindicato corporação do Estado, mas continuasse sob ‘seu tacão político, a CUT.

Poderia considerar este ‘ativo como negócios terceiro mundistas: do crime político ao crime organizado. Desta forma, em função deste ‘ataque amigo, há décadas, pela desmoralização, por exemplo, as pessoas ligadas ao Estado, elas sentiram a necessidade de se fortalecerem, através de corporações …, além da política, corporações funcionais: sob um pretexto de salários, para uns e para outros sob o pretexto do florescimento de um Estado nacional, futuro. E jamais olharam o vizinho do lado, os colaboradores da iniciativa privada, que a cada pequena lei aprovada, mais obrigações ‘nas suas costas peladas, agora arcadas.

Porém, quando isto é estendido à sociedade, traz uma aparência de modernismo e tecnologia, criam-se os ‘parques tecnológicos, como se, ‘um cachorro, herdeiro de uma fortuna, a partir de então, tivesse o mesmo respeito de quem lhe deu a fortuna antes de morrer, o que por princípio é um anômalo por passar uma fortuna a um cachorro! ”. A anomalia é tão absurda que passa despercebido à população …, as suas reais intenções de domínio e fortalecimento do Estado, como aparato de poder. É natural que um adulto tenha poder sobre um bebê e o bebê não tenha nenhum poder sobre o adulto. Quem pode matar quem? Para a sociedade a relação seria: o Estado com poder sobre uma sociedade promiscua e passiva, quando não, drogada e desarmada, também. Qualquer vínculo de violência parte do consentimento e apoio do Estado, como é o caso do MST, CUT, black bloch e Foro de S. Paulo, CVV (guerra nos presídios) etc.

II – Esta é a mística: um jogo de engana, engana. Esclarecendo, se o homem é a imagem e semelhança de Deus, isso tudo é demoníaco, é essencialmente materialista um completo non sense! Quando vão olhar as estrelas? Talvez, voltem à razão da curta vida! De fato, a enganação, a falsificação tem início – na fase política não filosófica, nesta fase – com a farsa mundial da ‘luta de classes, dos manuais marxistas, leninistas e se desenvolve no âmbito do Estado (1), dos sindicatos e partidos políticos, de esquerda. Comunistas. O germe …, nas palavras de Olavo …, eu digo, é a ‘luta de classes, para aquela época. Mas ela, a luta de classes, se desenvolve e se transforma de acordo, como quer ser vista. Mais ou menos como um vidraceiro de Chaplin, que manda alguém na frente, quebrando os vidros! É uma criação midiática, de propaganda enganosa. Milhões de panfletos entregues em todas as fábricas para criar um fato, um factoide de uma história irreal, onde ‘eles posam de redentores e salvadores! Este é o fato. E isso, esta alternância, entre o verdadeiro e o falso, ou meio verdadeiro, meio falso; o fingimento e a dupla linguagem, como a serpente; o encontro de si mesmo, com algo que não reconhece mais com sendo ele próprio, acontece na alma de cada indivíduo, envolvidos neste caldeirão do inferno.

E torna-se místico, quando o tempo passado, o tempo que levou para isso acontecer e, se firmar como ‘normal, pelo habitual, ou não perceptível fora do ambiente de estudos de política …, – se desvela e mostra, às largas …, a cruel realidade, daqueles que agem contra o povo, falando em nome dele, do povo, em benefício de si mesmo e se mostra como ‘normal, no âmbito das Instituições e é aceito a nível nacional, e se mostra na figura, no símbolo de uma corporação (2), na verdade, uma sutil psicopatia ao indivíduo, que finge que nada sabe, ou sociopatia à sociedade, que vive suas influências deletérias da moralidade consensual social. E tudo isso acompanhado de uma mística: ora revolucionária, ora, de um novo mundo.

Ao longo das décadas, parte, dos evangélicos, católicos, maçons, umbandistas, gurus, feiticeiros, astrólogos, jornalistas, professores, advogados, médicos, geólogos, aderiram à causa e deram a ela uma feição diferente daquilo que o partido comunista pregava: guerrilha, sabotagem, roubo, sequestro, terrorismo, espionagem etc. Como age as FARC em Colômbia, por exemplo. De fato, o partido comunista, as organizações comunistas, ‘o movimento comunista internacional, a partir da farsa da ‘queda do muro de Berlim e, a Perestroika, acenaram com esta mudança. Uma mudança estratégica, de tomada de poder, simplesmente! Ora, em Colômbia, as FARC foram anistiadas. Evidente que sua organização conseguiu uma vitória. Doravante, vão atuar no parlamento. Serão distintos parlamentares? Obviamente não! Estarão tomando o poder na Bolívia em nome do ‘movimento comunista internacional.

III – Vendo à Câmara Municipal sob outro ângulo …, – os diretórios, o executivo, dos partidos políticos …, são campos de: autônomos e funcionários públicos. Quem trabalha na iniciativa privada, (exceto o próprio empresário), não tem tempo e dinheiro para esse expediente, ao menos da forma, como acontece – para que não participem e sejam ‘massas de manobra. São esses homens nos diretórios: municipal estadual nacional, que indicam, quem serão os candidatos (vereadores, prefeitos etc.). Muito conveniente! Para quem? Também recorre a esse expediente político, os empresários em situação duvidosa, mas que possuem capital e têm medo de perde-lo, desta forma se aliam ao ‘Estado. Para adiar sua perda e concorrer com a militância há algum cargo no Estado socialista.

Logicamente, porém não é regra geral, pode existir exceção, mas no geral, todos os vereadores têm um pé no Estado; criando leis para aumentar impostos; leis para criar restrições aos negócios. Evocar a importância do IPTU! Criar leis que obrigam, ao proprietário de um negócio, reserva de mesa em restaurante para o que o ‘politicamente correto (eufemismo de política bizarra da esquerda), chama de: deficientes físicos. Leis absurdas, como a para ‘defender as mulheres, combater o racismo etc. Coisas absurdas e falsas, considerando os problemas realmente sérios como o assassinato anual de 70 mil pessoas no Brasil. É mais seguro viver na Síria (191 mil mortos em 6 anos de guerra), do que no Rio de Janeiro, por exemplo. Estas leis miúdas espalhadas na mídia, nas universidades e câmaras do país, elas estão no círculo das leis das minorias, que por sua vez está no círculo de estratégias de dominação e invasão cultural do comunismo. Ora, quem não vê isso? Quem não vê, agora, em Foz do Iguaçu, que os vereadores eleitos, estão aceitando com naturalidade, a indicação do seu Prefeito, por Brasília? Um estado artificial, por natureza de uma desfaçatez sem par na história do Brasil, falido e sede de tuto o que há de pior na política brasileira?

Se um vereador só existe para aprovar leis do executivo, não deveria se envolver em leis como: ‘ideologia de gênero, que passou pela câmara (e não foi aprovado devido á colônia Árabe em Foz). O que prova que quando lhes interessa, qualquer assunto pode ser discutido. Afinal, a base dos deputados é o município! A questão das leis – ser igual para todos – é falso, veja a lei de trabalho no Estado, ela vive nas costas da CLT e, de toda a população! Como pode ser igual, quando o funcionalismo trabalha de segunda à sexta, tem horário britânico, e os funcionários da iniciativa privada trabalham de segunda a segunda, com direito a um domingo de folga por mês? Se querem mudar a legislação do trabalho têm que começar pelo Estado, nunca pela iniciativa privada! Isso não tem sentido!

Nesta nova gestão de Foz do Iguaçu, a Maçonaria da cidade, resolveu assumir sua parcela de responsabilidade moral, pois sabem o que precisam saber; se usam este poder eu não sei, mas sei que sabem, ou algum deles, sabe! Tentam acertar onde outros maçons iniciáticos erraram, feio; quando não tiveram a capacidade alquímica de aguentar as pressões do Estado socialista sobre as Santas Casas. Na filosofia, na história, se você não responde à altura no momento certo, momento passa, você perde o trem! E nunca saberá o que poderia ter acontecido se tivesse agido da forma correta, ou se não, porque não agiu. O que não é possível é a política da ‘espiral do silêncio que é uma política típica do comunismo. Este é o problema de se colocar pessoas incapazes em postos importantes. A ausência de iniciativa!

A princípio, um político maçom, é bom …, é o melhor que temos, entretanto, considerando a complexidade da atual conjuntura Mundial é difícil imaginar que haja ‘um maçom de alto grau, nesta cidade, que não tenda para o lado do Poder esquerdista de domínio global, consciente ou não – o que é grave vindo da maçonaria: a mesquinhes do conhecimento, em algo tão insalubre e sujo, que é a proposta do globalismo, da Nova Ordem Mundial. Pois que, no Brasil (e, A.L.), o poder é controlado pelo Diálogo Interamericano e o Foro de s. Paulo, ambos comunistas, na linha de frente na América Latina …, atrás a ONU e, o que a constitui, inicialmente com um exército de mais de 290 mil ONGs! O mesmo poder que está e trazendo a miséria ao país, ao nível de uma Venezuela e Cuba. Um país que é a sexta economia do mundo e por isso ainda respira, na UTI.

Apenas relembrando que nestes dois anos, até 2018, dia da eleição para presidente, farão de um tudo, e muito dinheiro será gasto, com propagandas e construções malucas (por exemplo, a não possível transposição do Chicão), o ‘bolsa família, para empresários e funcionários públicos, a bolsa universidade etc., para convencerem o povo de seus bons propósitos. Só que o povo não percebe, que todo este dinheiro gasto para convencer tem prazo de validade e a cobrança será equivalente. Depois da festa de Lula e os cartões de créditos e prestações subsidiadas pelo Estado, hoje, temos 13 milhões de desempregados e, 61% da população endividada! E isso ainda é um capítulo, desta história.

 

(1) – Quando Roma perde o império, perde o Estado, os Generais romanos, os fazendeiros, voltam para as suas fazendas no interior e a fortificam, e isso é a origem do feudalismo. O Estado deveria ser composto por homens de grande capacidade moral e intelectual, pois que ao se transpor a linha divisória do bom senso, na arte de governar, o Estado entra em declínio. Os sinais de declínio acontecem quanto a população, não mais se sente segura na iniciativa privada e a própria iniciativa privada entra em processo de crise terminal: trabalhar para pagar impostos. Sinal evidente que o Estado está em transformação, certamente não para um novo feudalismo. Os sinais da transformação estão presentes na atual sociedade: 70 mil ou mais assassinatos por ano (mais que a guerra da Síria); crise econômica permanente; partidos sem programa e acéfalos; saúde em colapso; pestes, pragas, endemias etc.; educação doutrinária em política; desarmamento do povo; indefinição do homem e, da mulher e drogas.
(2) – (que pode ser política, sindical etc.) A corporações acontecem entre sindicatos e partidos é um vício circulante, correm atrás do próprio rabo. Elas são gestadas dentro do Estado. Por exemplo, o sindicato dos jornalistas é um sindicato que tem ligação com os Estado, pois que seu maior colaborador é o Estado; através de suas estatais e prefeituras. O sindicato é um defensor da corporação. É na corporação da categoria que elaboram novas leis, segundo os interesses da categoria. É curioso quando criam um sistema, dirigem o sistema por décadas e ainda precisam de mais leis para defende-los? Besteira! De fato, é a verdadeira ‘mordaça na imprensa’ a imprensa policial da esquerda; funciona para tirar do mercado ideias discordantes, daquilo que pregam religiosamente. Veja o exemplo clássico, de ataques ao presidente do Estados Unidos, Donald Trump, com apenas 3 dias de governo e que discordou daquilo que a imprensa esquerdista pregava com certo!   

(Parte 1)

Como ser uma boa cidade?

Escrito por Luiz C.S. Lucasy – FozVox

Apresento aos senhores (as) uma série de matérias, cujo tema é: Câmara Municipal. Tendo por base a câmara de Foz do Iguaçu. A qual acompanhei por dois anos seguidos. Enquanto trabalhava à tarde em uma Escola privada. A esperança é que após várias décadas de governança ‘mundial, a partir de FHC, com ‘bolsa família, MST, ONGs; PT, Foro de S. Paulo, Diálogo Interamericano, meio ambiente, revolução cultural etc., a esperança é que as pessoas da cidade de Foz, ou de qualquer cidade se acordem para a cidade (não ouso dizer realidade), onde muitos nasceram e vão morrer, e os descalabros que a política de Mercosul, globalismo, e outros gêneros de horrores da ONU, vem causando ao povo das cidades. Inclusive mudando o rumo da educação para uma educação socializante e desprovida de bom senso, bem como, superficial e instável, ao menos para os interesses de uma cidade próspera.

Acrescento ainda, que se querem civilização cristã, inteligente, que faça jus à imagem e semelhança de Deus, está provado que este não é o caminho (assassinatos, corrupção, narcotráfico, minorias como factóides revolucionários, ódio, inveja, vingança, populismo político, desemprego, empregos sem qualidade de vida, assassinato de reputações), o resultado disto que temos visto até agora é: caos. E certamente anseiam o caos, porque dele virá a vitória do mal (movimento comunista internacional na linha de frente para o 6º Estado da Nova Ordem Mundial: América Latina), pois que, se ele o criou, ao caos, acredita poder descria-lo, só não disse o preço em vidas! Mas temos os exemplos de Mao Tse Tung e Stálin, os assassinos de milhões. Quando você vê, através de uma foto …, uma cidade linda, concentrada, equilibrada, sem motos e veículos barulhentos e perigosos, passando por dentro, você também vê as pessoas atrás das paredes de cada casa, isso causa espanto! Como é possível, uma cidade assim? E também deve causar tristeza, por ver a diferença entre o que você vive e o que existe no mundo ocidental. Ao invés de cidades destruídas por bombas e terrorismo no Oriente, ao invés de cidades destruídas por agentes do mal, no Ocidente, há cidades onde existe vida inteligente mas requer muito das pessoas e não, dos políticos. Eles são adereços de uma cidade organizada e cúmplice. Não do Estado, mas das pessoas. Depende de um ‘contrato social na cidade (como nunca houve): afinal, se não fizermos aqui, faremos aonde? Esperar pelo ‘governo, ainda mais ‘mundial, isso é aclamar o globalismo como solução, não obstante o que tem ocorrido até agora, absolutamente, não convence!

O título “Câmara X”, refere-se ao filme “Arquivo X, onde dois agentes do FBI lidam com o desconhecido e hipotéticas invasões de alienígenas. Evidente que na câmara de Foz do Iguaçu e de todo mundo, com o sinônimo de câmara, ainda não chegamos a tanto. A pobre analogia acontece quando tiro a pessoa da sua própria pessoalidade familiar, religiosa (se tem religião), para outra …, a política, quando a pessoa se torna, uma ‘pessoa política. Isso é possível e danoso. Muito próximo ao que fazem com o cachorro doméstico, mas ao contrário da passividade, a agressividade humana. A pessoa amiga …, – frente ao público, ou em ação política, desaparece para dar lugar à pessoa ‘social, um social inarredavelmente conspirativo. Conspirativo para um, ou outro grupo de pessoas privados, ou social …. O palavreado familiar é transformado em discurso político. As confidências políticas têm várias versões do mesmo objeto: uma para o público, outra para os ‘colegas políticos de bancada, outra para o grupo confidente clandestino e ainda outra, consigo mesmo e os interesses da organização a que pertence! Toda esta fleuma de disfarces, dos mais disparatados (populismo vulgar) aos mais concentrados, no círculo de uma estratégia, geram o próprio ambiente de conspiração. O mundo circunda em seu entorno. As cidades são diminuídas nas palmas de suas mãos: como no filme de Chaplin: o Grande Ditador, quando o personagem de Hitler, alça ao espaço o globo terrestre.

Boa parte destes personagens, são os políticos, os vereadores, os deputados, o prefeito, os juízes, empresários ligados ao Estado, etc. A principal evidência desta ‘conspiração de si, para si e seus pares, são as corporações dos iguais …, – o objeto de ‘assalto social, psicológico, existencial é precisamente àqueles a quem eles induzem ao voto; à subserviência por um emprego subalterno; ao medo da miséria. Individualmente, em uma festa popular, que eles próprios promovem, se mostram inofensivos e colaboradores. Via de regra, uma farsa de aparências, que se estende como ‘praga e alcança todo o país e só podemos percebe-la no tempo. Mais adiante, em outro artigo, faço referência ao que foi a farsa da câmara itinerante em Foz do Iguaçu.

Brasil político, uma história de farsantes. A fundação do PT acontece em 1980, foi preparada em 1979. Quem criou este termo ‘partido dos trabalhadores, foi o ‘movimento do comunismo internacional, creio após a 2ª. GG Mundial. No Brasil, isto aparece através dos sindicalistas e os grupos de organizações clandestinas, comunistas. Um destes sindicalistas é Luiz Inácio, apadrinhado pelo general Golbery e indústrias Villares que lhe possibilitaram um ‘curso de sindicalismo em uma universidade norte americana. O General Golbery pretendia substituir as direções dos sindicatos do ABC que estavam nas mãos do Partido Comunista. Colocando outro comunista, no principal sindicato da região, o sindicato de S. B. do Campo. Luiz Inácio personificava a figura do sindicalista do ‘dedo cortado, ‘a vítima da exploração industrial. De fato, não se sabe como cortou o dedo! Não há documentos, ou nunca foi mostrado. Porém, depois de Obama, duvidar de que mais? Doravante, todos os infantes ‘revolucionários sindicalistas, pensavam em perder um dedo, para salvar uma carreira política no sindicato.

As organizações clandestinas (falamos da fundação do PT) elas tinham dois focos principais de origem (para arregimentar nos bairros e empresas): um, ‘professores da USP; outro, ‘jornais e livrarias comunistas (financiados pela KGB). Estas organizações na sua maioria trotskistas, leninistas e marxistas, se infiltravam nas

indústrias e empresas estatais, para entrarem nos sindicatos e ao lado disso, organizavam a fundação do PT, como um partido de ‘massas. Na época, Stálin (dos partidos comunistas, do PMDB) estava em baixa, de outra forma, não podia aparecer na mídia comunista, para que não perguntassem quem era Stálin de verdade, e acabasse aparecendo seus assassinatos, aos milhões, o que viria a acontecer só em 1990, com a abertura de arquivos, por breve tempo e não divulgado. Os trotskistas, ou os desinformantes, aproveitaram-se da morte de Trotsky, a quem Stálin havia mandado matar e confundiram morte, de um homem; contando histórias fabulosas, simulando tramas, atos heroicos de Trotsky, chamando Stálin de assassino (de Trotsky) e, escondendo a realidade do assassinato de milhões de pessoas. Desde então, o próprio PMDB e suas facções comunistas, entre elas o MR8 de Quércia, entram em recesso de mídia e se escondem no Estado, até o advento de Temer, pelo cargo que ocupa.

Buscado junto aos estudantes e, no meio sindical. Estas pessoas das organizações e sindicatos públicos (bancários, metroviários, ferroviários) …, assumem as direções dos partidos, são funcionários públicos de origem política. Desde a fundação do PT, até hoje Eles ‘lutam contra ‘o regime militar e, o imperialismo ianque! As multinacionais (vários países), trouxeram a industrialização ao país e na contrapartida, queriam um estado reduzido: os bancos e o povo queriam um estado reduzido. O FMI queria um estado reduzido. Pois sabiam que o ‘preço do Estado, poderia inviabilizar o mercado. (O mercado acabou mudando para China). O funcionalismo público no seu geral, sempre ansiou por um Estado forte, como garantia de emprego. O funcionalismo público e órgãos ligados ao Estado, que tinham algum tipo de influência (professores, estudantes de direito e ciências sociais, jornalistas, artistas, sindicalistas, OAB etc.) se juntaram ao comunismo, ou vice-versa, para conquistar espaços políticos no Estado: Direitos. Manter o Estado e os privilégios, só seria possível aprisionando com impostos e leis restritivas, que se confundem a leis restritivas por necessidade legitima, o mercado. (Os pequenos mercados das pequenas e médias cidades, são muito afetados pelos impostos e concorrência das grandes empresas). Enquanto isso acontece, se aumenta o controle político ‘socialista sobre o capitalismo, então, nasceu a China: capitalista, fascista e comunista. E hoje, no Brasil, graças a esta política de concentração do poder, são 13 milhões de desempregados na iniciativa privada. Chamam a isso de crise ‘momentânea, de outra feita ‘marolinha, de fato, se da crise faz alguns setores enriquecerem, com certeza faz o povo perecer. Isso é nonsense!

(Foz do Iguaçu) A Cidade Visível (última parte)

I – Precisaria de uma semana corrida para realizar plenamente este trabalho de análise política, entretanto como isso não é possível, aliás nem sei se devia …, faço o que está à vista. E isso, dá ensejo para que outros remunerados e com tempo integral, desta feita, se aproveitem, no próprio sentido da palavra, e partindo desse caráter nacional, no que tange ao roubo literário, começo falando sobre a forma que os políticos do município fazem, quando querem “isolar alguém”, por exemplo, o senhor Budel. No passado Budel foi isolado da política. Budel conseguiu que dos 90% da arrecadação das Cataratas fossem enviados 80, para a fundação Chico Mendes, ficando 20% no município. Esta ousadia a favor da cidade lhe causou o primeiro isolamento a ele, e ao partido de FHC, o fabiano comunista. Não se iludam.

Aconteceu comigo no Libra 2 (Foz do Iguaçu), na questão da habitação (história de golpe financeiro), quando impedimos (era presidente da comissão de habitação – durou dois anos), que nos fosse cobrado <<mais uma casa>>. Na mesma época no ‘Mega Vila, muitos moradores perderam suas casas, para o ‘esquema premeditado.  Em dois dias seguidos, à meia noite, explodiram duas bombas, de alta potência no quintal de casa. Meus filhos, acordaram assustados pensando que um avião havia caído, já que ali, era rota de aviões. Sempre tive claro, que a procura da verdade é combatida pelos covardes, sem piedade.    

Acontece, porém, que estes exemplos, contra Budel, contra moradores do Libra, do Mega-Vila, estes exemplos isolados e nem sempre percebidos e quando percebidos, esquecidos pela população, acabariam, por construir o futuro moral da cidade. (Mais o contrabando, mais os assassinatos etc.). Serviu de base, serviu de ‘pista de aterrissagem, sem aeroporto, para algo pior, e isso, é o que veremos daqui para diante, porém antes, é preciso alguns dados. E começo com o padre Zimmermann.

O padre Zimmermann, hoje, ‘sumido’, era deputado federal pelo PT. Esquerdista da CNBB. Entretanto, o Pe. Roque ‘deve ter entrado em estado de desânimo, nos primórdios do ‘mensalão. E se afastou do PT. Procurou ocupação junto à Requião, governador do Estado do PR. Pe. Roque Zimmermann não sabia do grau de afinidade entre Requião e Lula. (Mercosul, Foro de s. Paulo etc.). O Padre Roque Zimmermann foi aceito na Secretaria de Estado do Trabalho, no governo de Requião (2011).

O fabuloso nesta história, é a empresa contratada para – literalmente, ‘fazer o serviço. Empresa ORBRAL (empreiteira de mão de obra – Orbral – de Caucaia no Ceará – terra de Ciro Gomes?). A empresa ORBRAL era uma destas empresas de políticos, que têm informações privilegiadas. Como uma empresa de mão de obra do CEARÁ, ficou sabendo que em Curitiba, precisamente no governo de Requião, com um Pe. não mais tão partidário do PT, do mensalão. Mas que ainda era conivente com ‘amizades dentro do partido PT, que lhe indicou a empresa OBRAL.

A empresa ORBRAL, recebeu do Governo, executou alguma obra, “dormiu e não amanheceu”, e deixou uma dívida trabalhista sob a responsabilidade moral do Pe. Zimmermann, de R$ 963.100,66. O trabalho estava feito!

A seguir, inusitadas declarações do afamado André Vargas, que na época disse: “Medidas severas devem ser tomadas para investigar o ex-secretário. Risco de expulsão sempre há, mas não podemos tomar decisões precipitadas. Ele próprio, André Vargas, seria preso, por negociar com Youssef, ou manter relações de lavagem de dinheiro.

A mídia esquerdista, armou-se contra o padre, desta feita, não pedófilo. O alvo, entretanto, era a Igreja.

Palavras finais do Pe. “Não tenho mais relações com o PT e, antes de me terem como concorrente, querem me prejudicar moralmente”. (Assassinato de reputações).

O que acontece nesta história é óbvio o Pe. é aceito por Requião, para ser ‘fritado em seguida, a pedidos de (…). Requião faz o papel de carrasco cortesão …, àquele a quem acabou de ‘cortar a cabeça e se debruça morbidamente sobre o cesto, para se certificar do mal feito. 

O que aconteceu com o padre Zimmermann foi um assassinato de reputação. O termo “assassinato de reputações”, está fartamente documentado no livro de Romeu Tuma filho. É uma prática do PT e, do Foro de s. Paulo (FsP): criam uma situação, como foi a compra de parlamentares, desmoralizam as pessoas e, as instituições. Sem instituições confiáveis e, a pedido do povo, criam ditaduras. Comunismo!

II – Será que as origens dos crimes políticos, na cidade de Foz do Iguaçu, visto no início deste escrito, foram iniciados por poltrões ignorantes? Simplesmente? O caso da habitação por exemplo, do golpe financeiro, aconteceu entre bancos (Banestado, Sul América, Itaú) e governo, e contavam com uma horda de nativos nas cidades, aprendizes de doleiros profissionais. As contas CC5 foram ‘aprovadas sem aprovar, e serviam para lavagem de dinheiro. A questão dos Bancos dos Estados, se tornou incontrolável. Em alguns Estados, mais, em outros, rotineiro e correto.

Coincidentemente tudo isso acontece nos governos de FHC e Lula. Duas coisas aconteceram de interesse do governo: desmoralização dos Bancos do Estado e, transferência do controle dos impostos dos Estados, para a União. Assim como querem acabar com as ‘polícias dos Estados. A palavra-chave para isso é: Operação Concentração: de dinheiro e poder. O trabalho de desmoralização, nos Bancos dos Estados, havia se cumprido. Os Bancos dos Estados existiam para controlar o dinheiro dos impostos do Estado e não os deixar, tão somente nas mãos da União, para não acontecer o que aconteceu; que no governo Lula subsidiou empreiteiras (Camargo Corrêa, Odebrecht e satélites – uma espécie, de fascismo de esquerda), para construções em países de ‘ditadores amigos e muito mais. Dinheiro que o Brasil nunca mais verá. Houve uma queima de reputação das instituições financeiras dos Estados, e pessoas foram usadas, o tempo todo e isso, ‘de baixo das barbas do povo.

Observe-se, que FHC já é do Diálogo Interamericano (DIA) e Lula do Foro de s. Paulo (FsP), em 1993, segundo o Advogado Graça Wagner (falecido) em declaração ao Congresso, mostra o acordo secreto entre as duas entidades comunistas; que está sendo cumprido à risca até os dias de hoje e, aqui, agora, em F. do Iguaçu. Um acordo de tomada de poder através da tomada das instituições, para deforma-las e implantar um novo sistema de governo: o socialismo! (Comunismo). Observe também, no caso do Pe. Roque (do PT) e, no caso de F. do Iguaçu, as empresas são o pivô do descaminho. Empresas que ‘dormem e não amanhecem! Observe também, que boa parte destas pessoas, usadas nos municípios, sem entrar no mérito dos deputados, elas foram avalizadas pelo voto e as pessoas boas tem responsabilidade moral com elas, especialmente, aquelas próximas, como os vereadores, para que não caiam em armadilhas, além de sua compreensão, naquele momento de sua vida e talvez, para sempre. Desta forma, para impedir isso, impedir que o povo acompanhe as ações dos vereadores, pela mídia, de forma clara e sem língua bifurcada, se criou uma câmara de vereadores, no mínimo, estúpida. Uma ‘escolinha de doutrinas políticas. Isso afastou o povo. E se afastou a proteção natural! Se isso não é uma ‘armação pensada, o que é então? A própria imprensa mudou seu itinerário: de investigação de notícias, para ocultação de notícias! Como é possível, se abrirem como ‘asas de borboleta, para alguns casos e se fecharem comocasulo, em outros. 

Por exemplo, recentemente o empresário e engenheiro Paulo Mac Donald (ex-prefeito de 2 mandatos em F. do I.) fez a seguinte declaração: “Eu não estou envolvido com essas coisas …, de licitação (baixarias rotineiras no país; aumentadas a partir de FHC e a privatização …, sem dinheiro para a União) meu caso, é que fiz coisas que tinham que ser feitas”. (Grifo meu: o povo compreendeu e, o elegeu!). Grifo meu: “Mas aqueles que me forçaram a assumir (como Prefeito), as coisas que eles fizeram, e eu, procurei ‘consertar, não querem que me reeleja! ”. Paulo tentou passar uma mensagem subliminar ao povo. No entanto, isso é enigmático. Ele usa a ferramenta de uma comunicação emocional para proteger o comunismo! Traz a ‘marca da esquerda! Paulo deveria ser claro e límpido como a água, se realmente estivesse vocacionado pelo bem e não apenas, tentando enganar-se a si mesmo, novamente. Ou como Lula, se achar, ora, Jesus Cristo, ora, Getúlio, mas nunca um Fidel Castro, um Stálin! O que lhe é mais apropriado como fundador do Foro de s. Paulo!

Evidente que, para estes casos, a melhor saída é a imprensa. A publicidade dos fatos. E cadê o Senhor Paulo falando à imprensa? Cadê a imprensa investigando? Cadê os raros investigadores? 

E isso o que Paulo, diz! Isso já faz anos! E o que a imprensa analisou sobre isso? A imprensa não fala a respeito. Sabe mais o povo que votou, ou não votou em Paulo, que a própria imprensa? Assim como 7 milhões de pessoas em todo o Brasil, já sabiam sobre o FsP e a imprensa não?

Precisou Paulo falar! Se ele está certo ou errado, não sei …, tenho feito análises, e elas (com fatos), falam por si. Não sou defensor de nada, criado pelo homem para controlar o homem. Já me enganei o suficiente, até saber que este ‘controle, este: “fazer para que outros não façam”, leva à morte. O que as análises dizem, em síntese, é isso o que estou lhes dizendo agora! Há uma ocultação (às massas) deliberada e quem oculta é criminoso! O que eu sei, é que Paulo tem muito a dizer! Mas, a imprensa quer ouvir? E porque não quer? Claramente Paulo Mac Donald, ao seu modo, tenta dizer que foi obrigado a fazer coisas (acordos, acertos de negócios, sem licitação) para que o hospital continuasse a atender; para que o transporte continuasse transportando …, para que o setor imobiliário, ao menos, pudesse se arrastar …, e quem realmente interviu nisso e criou esta situação insustentável para Paulo? O governo eleito pelo FsP! Porque Paulo não ‘chuta o balde?

Por isso também, quando vejo esta questão dos vereadores, em Foz, fico com um pé atrás. No início não os culpava pela própria nesciência em ciência política, mas acreditava que devessem abandonar a política para serem ‘frentistas de posto de gasolina. Depois pelas análises, comecei a imaginar que talvez pudessem reagir como Paulo Mac Donald, isso seria útil à cidade. Isso não quer dizer que os estou defendendo ou atacando. Com ‘novos vereadores, (primeiro mandato) a porta está escancarada à sutil Máfia do crime! O efeito Padre Roque. Os velhos vereadores, podem fazer duas coisas: aumentar o poder da contravenção, ou atrapalhar suas ações. Eu apostaria na segunda. Os novos não saberiam fazer isso. Teriam que passar o que os outros passaram. E se os novos tiverem a influência errada, que de tudo faz para desmoralizar as instituições, então, o jogo é o do ‘movimento.

Apenas faço, o que sei fazer: analiso possibilidades e uma delas me diz que, isso que acontece em Foz, independente da pouca malícia e idolatria política (aos velhacos) destes vereadores envolvidos em coisas baixas, como imagina Paulo …, é uma ‘queima de reputação e uma armação política visando as eleições de 2018. Com isso a análise coincidirá mais à frente: O fato, em Foz, foi criado para desmoralizar a opinião de 60% da população que não votou em Dilma e que parte desta população, está relacionada aos 12 vereadores ‘presos; presos como se prende ‘escrevente de cartório, que vai em audiência bêbado. Anice e Duso saíram do PT.

Estas coisas não saem do ‘meu pensamento, elas acontecem …, coisas como, quando, Samek indica para Secretário da Saúde, sem ônus, um funcionário da Itaipu. Bem, já havia indicado o senhor Piola, no turismo, na Codefoz etc. E agora, Piola é candidato a prefeito. Mansur é candidato a prefeito. Uma combinação explosiva … Lula, Marina e Ciro nas ‘rebarbas, todos do norte e nordeste! Que vocação mais ‘surreal, para quem é do sul e sudeste?  Exceto, se tudo é feito pelo ‘movimento comunista internacional! Esta é a própria configuração ‘presidencial de 2018! Quer dizer: escolha quem quiser, desde que seja Maria! Fizeram isso em Foz e vão fazer no Brasil! Se isso não é golpe, o que é golpe? O Vice de Dilma, assumir a presidência para limpar a área, como nos filmes de espionagem, da KGB? Enquanto isso, Dilma está livre para fazer campanha para 2018? Com todos os privilégios e mais o apoio do FsP?

No caminho sinuoso da ‘prisão temporária dos vereadores de Foz do Iguaçu, outros dados, ainda são muito necessários. Então vamos até 2014 um momento fatídico ao país; um pouco antes e, um pouco depois. O propósito escrito, não é polemizar, apenas constar dados:

1) – Início da apuração da eleição de 2014 na televisão Aécio aparece na frente. Mais três apurações Aécio continua na frente.

2) – Interrupção da apuração por quase uma hora.

3) – Reinício da apuração? Não! Fim da apuração. Dilma vence. Aécio em seguida, parabeniza Dilma e, se sente aliviado.

4) – Os apuradores em sala fechada são: Toffoli (compadre de Lula) e mais 23 petistas.

5) – Conclusão: a primeira <<Apuração Secreta>> das democracias ocidentais.

6) – Partidos, sindicatos, associações comerciais industriais, mídia, se calam.

7) – No Estado de São Paulo, apenas uma cidade do estado, Dilma obtém vitória.

8) – Em Foz do Iguaçu Dilma perde, por 60 para Aécio e 40% para Dilma.

9) – No Brasil acontece manifestações de 7 milhões de pessoas. Manifestações contra os políticos, contra partidos, contra o PT, fora Dilma e, contra o foro de São Paulo.

10) – O congresso se vê obrigado a afastar Dilma e colocar no seu lugar o vice. O PT continua no poder. Simulam um troca-troca de funcionários.

11) – Após a derrota de Dilma em Foz do Iguaçu (apesar da vitória forçada), Lula vem a Itaipu. Ignora a cidade. Samek é ameaçado de perder o ‘emprego. Jaques Wagner substitui Mercadante no conselho, e se corre o risco de mudança de diretoria etc. 

12) Depois de Lula vir a Itaipu é a vez dos ‘ministros de Lula virem à Itaipu: Jaques Wagner, Mercadante e, Dom Odilo Scherer da CNBB (e outros). Também ignoram a cidade.

Conclusão desta ‘lista de horrores: 1°) Todos os candidatos de Foz a prefeito, são candidaturas esquerdistas e apoiam: Lula, Marina e Ciro. 2º) Castigo. Desmoralizar o povo de Foz que votou contra Dilma, desmoralizando o seu legislativo. 3º) Formar uma frente municipal e regional, esquerdista, para a vitória de um candidato comunista em 2018.

III – Começam os preparos para as eleições de 2016. A Vingança, é um prato que se come frio.

A Itaipu pelo viés da ONU inicia uma série de atividades junto aos municípios dependentes dos Royalties. As atividades são voltadas para o ‘meio ambiente e sustentabilidade. (ONU).

Vamos para 2016 quando acontece a eleição em Foz do Iguaçu. O primeiríssimo fato notório, é que todos os partidos que lançam Prefeito, todos são de esquerda: populistas, socialistas, liberais estatistas e comunistas, a economia tende ao fascismo, pelos monopólios agregados. Porém, neste meio, e por acidente de percurso da história de Foz, havia uma bola branca na sinuca em que cidade fora medida. A bola branca, para 2016 era Paulo MacDonald.

Parece enigmático. Mas não é. Acontece que ‘uma força mais opressivaa partir de 2014 começou a atuar em Foz do Iguaçu. Não bastasse a espiral do silêncio, dos sindicatos, partidos, mídias, associações, maçonaria (como uma entidade de conhecimento político internacional) etc., com relação aos pontos principais elencados acima, começa uma ação de controle político policial, onde fica claro o desprezo ao executivo, judiciário e legislativo. Afinal, que função ocupa Lula e FHC? Nenhuma! Porque falam da prisão de Lula, quando sabem que não conseguem prendê-lo? O porquê de Lula, seus ministros e um bispo não dizerem que viriam a Foz do Iguaçu? Mas à Itaipu! Casa do poder do Estado Federal? Os vereadores, em Foz, chamam, a este momento político de justicialismo: o legislativo entregue à justiça, ou seja, um poder entregue a outro. A ação acontece, colocando-os uns contra os outros, e o povo contra o Estado municipal. A gravidade é máxima.

Se aqueles grupos acima, tivessem reagido de forma honesta a história da cidade em 2016, poderia ser outra. Entretanto eles próprios pelo silêncio, constituíram esta força obscura. Como hoje, constituem a força de ataque ao que foi feito dos vereadores. Não há como negar isso. E o resultado esperado é exatamente este, que vive a cidade: com toda sorte de azares, principiando na educação e saúde. O que não quer dizer que ‘a cidade, enquanto organismo vivo, não possa pensar por conta própria e não cair no jogo dos inimigos.

O que acontece, antes de qualquer coisa é um assassinato de reputações em bloco e salvando alguns, como que redimidos da mão invisível do FsP. Lembre-se do padre e a empresa falsa. Fico a imaginar o um sujeito conhecido é claro, chegando no gabinete de Alice e lhe oferecendo, digamos 30 mil reais para campanha política. Qual não será a surpresa de Alice me pergunto. E gostaria de perguntar a ela: “você sabia que o dinheiro que recebeu era dinheiro dado por facilitações de negócios? ”. E se ela disser que não sabia, acreditaria nela. Pois que este valor não justifica o seu comprometimento, considerando o cargo que ocupa e que lhe rende muito mais. Depois, ela gastou muito com advogado e, se o que ela ganhou de forma ilícita é mais do que, o valor pago ao advogado, então Budel errou, não é mensalinho, é mensalão. Aí a situação muda, de forma substancial. Já é um dinheiro de ‘lavagem de Youssef o doleiro, amigo de André Vargas. Mas até onde se pode ver, nenhum vereador destes tem conta, por exemplo, em Portugal, onde Dilma foi ‘surpreendida, alcoolizada, para disfarçar o motivo real de sua ida à Portugal, como ‘presidenta.

Paulo MacDonald, no seu primeiro mandato, foi feito de ‘boneco de marionetes. Começou seu governo, sendo governado pelas ações e ‘dinheiro do Governo Federal (dinheiro de impostos). Paulo a partir disso entrou no ‘jogo midiático da espiral do silencio. Por vergonha? Não conseguiu mais falar à cidade com a verdade. Falar tudo o que estava preso em sua garganta desde o primeiro dia de seu governo. Por isso, Paulo Mac Donald candidatou-se para mostrar com ações, aquilo que não conseguiu mostrar com argumentos. Tão pouco conseguiu reagir aos impropérios do livro Frentona, Atos e Atas, dos senhores Aiex e Marcelino. Não havia ânimo para isso. Aí começava o isolamento de Paulo.

Devido a isso, a ‘espiral do silencio, ninguém quer ouvir o que os vereadores têm a dizer de verdade e talvez nem eles queiram falar e talvez não saibam falar, em uma linguagem apropriada, que não aquela da câmara. Talvez não tenham elementos verbais para explicar sua conduta, onde pensavam certo e, era errado. Onde acreditaram ‘no grupo, no time de futebol e se viram traídos pelo time etc. Pois que, afinal, o que aparece é que eles são ou partido, o sindicato, quando estas entidades, que deveriam reagir, calaram, então perceberam que caíram no conto do vigário, da CNBB e, estão com vergonha de admitir isso. Isso se torna um ‘tabu! E preciso transpô-lo e, só há uma forma: a sinceridade!

Não tenho pretensão alguma, inclusive a pretensão de achar que possa dizer tudo, nas análises, especialmente, quando este é apenas o aspecto municipal. Não chego na Assembleia Legislativa, não chego no Congresso Nacional, no Senado de Gleisi. E muito menos no ‘Mercosul de Requião, da ONU! Por exemplo, por que Anice e Duso saíram do PT? Porque Anice presidiu o PT, por tão touco tempo? E quem a tirou da presidência. Porque, Dilto, Gessani e Bobato estão alheios à queima de reputação? Se o processo foi generalizado, a todo legislativo? Porque o CEAEC lançou Mansur que arrasta Marina à presidência do país e não apoiou a diretoria e conselho de Itaipu, que apoiam lula? (À força?). Quando foi Samek quem lançou Ubaldo, hoje, falecido. Porque Piola impõe, como condição de se candidatar, o apoio de Paulo, Chico e a vice prefeitura com Mansur e, logo depois, se candidata de qualquer forma? Samek indica seu funcionário para atuar na saúde, sem ônus para a Prefeitura. Quanta bondade! De um presidente de uma estatal estratégica, perigosamente antiga, e com dimensões gigantescas: entre barragem e volume de água, artificiais. O governo do Estado transfere a sede do Governo para Foz, por 100 dias, pelo pressuposto da saúde? E, o ataque ao legislativo? Todas estas questões, elas se juntam e se respondem, no entanto, é preciso interromper. Como disse o filósofo Olavo de Carvalho, hoje, no Brasil, “se define um leão pela capacidade de comer todos os outros leões”. E isso é o fim de uma sociedade.

Para estes vereadores envolvidos e reeleitos, o melhor a fazer é se afastarem da política, exceto se querem reagir, como pretendeu Paulo. Disse pretendeu, porque Paulo não terá mais chances e não adianta substitutos para estes casos. Resta ao Paulo, contar a verdadeira história e já terá ajudado a cidade, muito mais do que se fosse prefeito! Quando se reúnem ‘entidades, ora ativas na espiral do silêncio, ora ativas em destruir reputações …, algo indica que há um direcionamento. Para criar um ‘cisma, que justamente, ataca a instituição legislativa, geralmente com promessas ‘de um legislativo melhor. Ao menos até 2018!

‘Eles, não param nunca!

Interlúdio de análise

A terceira parte, explica esta parte de agora, com detalhes importantes, para o conjunto da análise. Absolutamente não tenho nenhuma esperança em “Câmara de Vereadores”, ou em nenhum político esquerdista, mas não sei porque, não sei com certeza …, estou vendo esta situação como uma espécie de ‘golpe. Uma situação que foi ‘criada para ter este efeito à revelia dos vereadores em questão …, como uma ‘grande armação, feita para ferir de morte o LEGISLATIVO. Ainda mais quando as coisas começam a ‘dar tão certinho, dá para desconfiar. Alguns vereadores, incidentalmente previram isso! A partir da prisão do que eles chamam de Chefe do Crime: Reni Pereira. Que Reni se pronuncie! Ora, Paulo Mac Donald já arranhou alguma coisa, mas é muito pouco…

Escrito por Luiz C.S. Lucasy – fozvox

I – A última matéria “A cidade visível, prometia uma outra matéria, com outro ponto de vista, e está escrita, faltando revisão. Entretanto, novos fatos ocorreram no sentido de corroborar com o que seria a próxima matéria depois da “cidade visível”, ficando está, para depois, desta, que segue.

Estas matérias nunca tem o interesse em difamar pessoas, não na medida mesma em que elas próprias se autodenunciam, como os ‘maus de Durkheim para aquele século (XIX) (**) …, o que não deixa de ser uma prova a seu favor: são primários e não são profissionais, “do crime”. Até ontem, eram cidadãos comuns. Alguns até começaram a faculdade de direito! As necessidades e crises que passam a cidade, o povo da cidade, há décadas, não tem relação com estes valores e nem estas pessoas, que estão iludidas em uma função onde são usadas de forma descarada. Antes, tem relação com a PRIVATARIA, MENSALÃO e PETROLÃO.

O objeto em questão, destes escritos (o próximo), é evidenciar ‘coisas paralelas muito poderosas cujo objetivo e causar danos …, e usam as pessoas para isso. Há um interesse em desestabilizar a ÚNICA ferramenta, que deveria servir de recurso

ao povo, o LEGISLATIVO. E estes que não aparecem e às vezes estão próximos, são os verdadeiros criminosos políticos.

II – Para não ser hipócrita e, em se tratando de luta contra o ‘movimento comunista, Nova Ordem, Globalismo, ONU, o que nos coloca a todos como ‘formigas em formigueiros nas ‘casas caixotes de Kant. (*) Em Foz do Iguaçu, precisamos de aliados, isso, se eles entenderam o que aconteceu com eles.

Se não conseguem ‘enquadrar o “casal 20, tupiniquim”, do PR., acompanhados atentamente pela PF, segundo o jornal Gazeta e dois colunistas, para a mesma matéria. Se não conseguem arrancar “um fio de barba”, do informante de Romeu Tuma, pai …, o sujeito que quer fazer o PT ‘ressurgir das cinzas’, certamente não mais como PT, ‘de massas …. Se causam frouxos de risos, em Renam com mais de 130 processos nas costas ….

…. porque estão tão empenhados em fazer recair sua ira sobre seis vereadores da cidade?, afinal já foram humilhados. Se a maior parte deles tem vergonha na cara, vão dar o seu melhor e não vão permitir que se façam ‘armações com os novos e isso depende mais, dos novos, do que deles.

Veja o lado bom.

Destes tantos vereadores, ‘presos e empossados, uma parte deles, pode se recuperar:

“O homem e imagem e semelhança de Deus”. Eu acredito nisso!

Pode descer ao inferno e retornar, e serão mais fortes. Um terço pode não resistir às tentações. De qualquer forma, é um embaraço à Máfia e ao ‘movimento, que rondam as instituições brasileiras, de câmara de vereadores a STJ. Um estorvo para a Máfia, e também com uma boa vantagem com relação aos iniciantes, sujeitos que estão nas ‘comissões permanentes. O que lembra grupos, células comunistas etc.

Para mim, estes vereadores reeleitos que foram justamente humilhados, já viram “figurinhas” suficientes nestes quatro anos de mandato na câmara; se caírem novamente no mesmo golpe, são idiotas úteis e traidores. Que grande alteração

causará à cidade, se, se corromperem novamente, cidade que já está no caminho da falência? E não por culpa das ‘licitações! Talvez queiram revidar aos seus inimigos e quem sabe, se não pensam em geopolítica e livram o município do estatismo? Ou, dificulta-lhe as ações? Quem sabe não transformam a câmara em algo bom!

Acho que não vão querer isso de novo, na atual conjuntura até 2018 e depois também …, quando o Brasil continuará sofrendo toda sorte de atentados comunistas, ora maquiados de pernilongos, pestes, atentados a bancos, assaltos nas estradas, presídios em guerra, ora em estádios de futebol, esquemas na saúde, na habitação etc. Afinal, não sou obrigado a acreditar na palavra dessa gente, do ‘aquecimento global! Quando?, mostraram os vírus, da dengue, chicungunha, zika? Afinal se o caso é grave, porque ainda não têm as fotos dos vírus? O microscópio eletrônico de Curitiba está à disposição!

Se os vereadores imaginassem o que os espera em um futuro próximo, não estariam tão confiantes. (E, estes ‘treinados pela vida, podem ajudar …, ironias da vida). Eles têm mais a dar, com a experiência, do que se colocar no lugar deles, novos infantes, aprendizes ou, velhos feiticeiros. Bem, não sou nenhum Mister Blavatsky! E também não ‘bato carteira, o que era habitual de madame. E minha opinião vale tanto quanto um latido de cachorro no canil…

III – Quando vi a CNBB levantando bandeirinhas contra os vereadores, fiquei do lado deles imediatamente. A CNBB dividiu a Santa Igreja. Ela está do lado do ‘movimento. Ela quer esfolar os vereadores, por motivos políticos, mas não pronuncia “uma palavra” a respeito do informante de Romeu Tuma, pai. Logo usa um peso e duas medidas.

A CODEFI por exemplo, é outra que não deveria se manifestar. E ainda tem um agravante. A diretoria da CODEFI está direcionando o desenvolvimento de Foz do Iguaçu ao “meio ambiente e sustentabilidade” (ONU), e isso, não faz o menor sentido, para o comércio, hotelaria, e dezenas de milhares de pessoas que lutam todo dia para ganhar o pão. Pois que, a sustentabilidade é um tipo de ‘redoma de economia, ao invés de abrir, fecha. E se ‘fechar significa desenvolvimento há uma contradição, não se pode desenvolver para dentro, exceto se for uma doença.

ACIFI, OAB, são pessoas boas. Seus negócios vão bem. A maçonaria devia ouvir os bons!

_______________________

(*) Kant, dizia que casa era abrigo, nada mais. Disso saiu Brasília. E os pombais.

(**) … quando deixavam a faca cravada na vítima …, Durkheim considerava isso, pedido de socorro, grifo meu, do inconsciente.

A Síndrome de Olívio Stálin

Escrito por Luiz C.S. Lucasy – FozVox / Análise

Creio que Santo Agostinho falou sobre uma <<Cidade invisível>>. Os espíritas falam sobre um mundo invisível. Os gregos também falavam sobre isso.  Dante Alighieri em a Divina Comédia relata a descida ao inferno da alta sociedade de Florença. E lá, nos diversos ‘degraus do inferno, cada um com seu castigo, ele conversa com os apenados eternos. Lá, os apenados continuam a se torturar como em vida, quando torturavam os semelhantes, e fugiam de ‘sua escuridão, nos brilhos dos objetos mais caros e mais raros … Pois que terão uma eternidade para reproduzirem o estado de espírito que cultivaram em vida, desgraçando vidas e sociedades inteiras, em nome de ‘seus interesses e, ao invés dos objetos felizes de outrora, o realismo da evidente maldição material, a começar pelo corpo como uma carcaça temporária.  Uma coisa é ter a elevação de alma de Dante, outra coisa é copiar estas impressões nos dias atuais.  De forma despretensiosa procuro relatar um aspecto disso, sem entrar no mundo invisível, e sondando os aspectos psicológicos e sociológicos de uma sociedade localizada. Quando as pessoas vivem (economia) e falam (mídia) uma situação, que na verdade é outra, diferente. Considerando que a nua realidade, na atual conjuntura no Brasil, ela é fingida. De fingida à conspirativa e é precisamente daí que tiro minha inspiração, no sentido de compreender tantos descaminhos, pois que este enredo, deste realismo de camelô, anunciado ‘aos quatro cantos, todo ele é uma estratégia do mal …. (Que sub-repticiamente, invade a vida das pessoas).

…. A começar pelos objetivos que no começo da cidade eram justos, firmes, quando por exemplo construíram a Santa Casa de Misericórdia e se chamavam as pessoas pelos nomes. Depois com a vinda da Usina (Itaipu), o contrabando de China e o Mercosul – para Foz do Iguaçu – sem considerar as outras alterações nacionais, as coisas mudaram e hoje, se constroem penitenciárias, e fazem isso pensando controlar a insegurança, que destrói o comércio, assalta caixas eletrônicos, assassina jovens, assalta nas estradas federais, trata velhos como tolos e tudo isso veio também com o aumento do número de penitenciárias! Os objetivos iniciais da cidade, foram alterados; como alguém que planeja uma cidade …, a mais bela …, e um tsunami, a destrói em alguns minutos. Algumas classes sociais, antes, estáveis, começaram a tomar relevância: os dominantes empresários, políticos, os dominantes do crime organizado (de licitações, negociatas sindicais com prefeituras, formação de empresas fantasmas a narcotráfico) e, a influência de organizações terríveis de fora da cidade e, de fora do país. Muito próximas de uma ‘invasão.

Hoje, quando vemos as prisões de prefeito, vereadores, empresários, em Foz do Iguaçu, algumas pessoas se assustam. E estão certas. Sua apreensão é certa. Parece surreal, narcotizante, parece ‘coisa arrumada’, como ‘assassinato de reputação. (Matéria futura tratará especificamente sobre isso). Passados os primeiros ‘efeitos cenográficos: homens carecas, barras de cela, transferências de presos, tornozeleiras etc., alguns, pensam que, ‘a partir de agora, as coisas vão tomar um rumo! Mas estão enganados, ou querem enganar, ou se enganar, pois ‘as coisas que levaram a isso, estão inalteradas. Este curso sofrerá uma alteração, quando a estratégia destas forças do mal (do Foro de s. Paulo e Diálogo Interamericano), representada em cada uma destas pessoas no poder, em maior ou menor grau, estiverem próximas de se realizar em 2018. Exatamente por isto, insistem nesta ‘aparência de mudança e algum investimento midiático onde convençam o povo, de que ‘desta vez vai. Quem disse que o povo acredita? Em algo, vindo deste meio? O povo engole a seco! Haverá uma mudança cosmética, com prazo de vencimento!

A falsidade é a linguagem dessa gente (desde os militares no poder), outra, e a mesma, é a língua bifurcada. Budel (PSDB de FHC do DIA), preso, fez uma ‘delação estratégica, sem substância, quando se imaginava (…), que estivesse humilde, reagiu de forma cínica. Tirou o ônus de si, dizendo: “recebi 100 mil reais para repassar um mensalinho a vereadores! Menos de 10 mil reais para cada um? Da forma como fez, poderia ter dito, repassei o dinheiro para ‘catadores de reciclados…, a situação seria outra? Não precisaria dizer o nome de cada catador? Se fosse só uma vez, poderia ser presente de Natal, o que é justo, para os catadores! E seria justo a vereadores também, e a questão seria, de onde vem o dinheiro? Resposta, ‘de uma empresa de fachada! Quer dizer, criada para dar o golpe e envolver vereadores? Disse de fachada, para não confundir empresa privada séria com pantomimas do jogo do poder (Silêncio e Ações).

Se ele realmente repassou o dinheiro a alguém, o que não acredito, pois não há … – da forma como ele diz: ‘vereadores, não escapa um, não obstante, “vereador” é abstrato, sem um nome. Lembrando que estes vereadores tomaram posse em 2012. Entretanto três vereadores, são isentos, não foram chamados, nem na polícia, nem para receberem o ‘mensalinho: mensalinho e o termo usado por Budel, que quer dizer que não é mensalão (do esquema PT), existe uma diferença de quantidade. Agora, se estes três ‘salvos, não receberam mensalinho é porque não sabiam de nada?, nada lhes foi dito, ou sabiam e recusaram? Bem, se sabiam e recusaram, então sabiam e não falaram, nem registraram o fato, para apresentarem depois, como pode ser, o caso de uma investigação …, então, é crime de ocultação, ou simplesmente era uma situação banal …, e única! Se nada sabiam, de nada, são inocentes. Claro que estas pessoas não mataram, na estupraram, não sequestraram e nem fizeram assalto a mão armada, foram comprados.

Bem, o ilícito destas pessoas foi pago com um castigo de mídia. Para mim isso basta, porque, por princípio, estas pessoas foram apagadas da minha existência como políticos. Esperar que elas devolvam o dinheiro …, nem é tanto assim, já que um tornozeleira, custa RS6 mil reais. E com os processos já devem ter gasto ‘os tubos! Como diria Olavo de Carvalho, “eles chegaram no limite de seu horizonte de consciência” …, em termos de honradez. Ao menos para começar a entender, o que isso significa.

Agora, não acredito, que após a anomalia moral do ‘politicamente correto, que cada presidente de partido, de cada diretório: regional, estadual e nacional, não tenham responsabilidade nisto tudo. O que o DEM, por exemplo, tem a dizer, o que vai fazer com o ‘seu preso? Simplesmente, erraram ao escolhe-lo, ou escolheram certo e houve uma falha? O partido os indicou, os selecionou e os acompanhava e também obtinha vantagens, com assessorias e contribuições calorosas? E as assessorias não sabiam de nada? Porque os partidos não se pronunciam ao público que os elegeu? Porque ‘não há nada contra eles? Ao contrário, há tudo contra eles. Pois que os presos estavam seguros demais …, estavam seguros de que seriam protegidos e quem os protegeria, senão aqueles que os colocaram lá e com isso tiveram vantagens?

Por exemplo, o vereador do PMN, ele também é presidente do sindicato do Comércio. Como fica esta situação, do ponto de vista do comerciário que paga imposto sindical (obrigatório) e contribuição assistencial, que estará sob o controle deste senhor? De que forma, o que ele, como sindicalista fez, afeta o próprio sindicato, a confederação e federação sindicais, ligadas à iniciativa privada, onde deve primar a honestidade, aliás existe em função dela?

E as ‘boladas de dinheiro que os partidos recebem a mais, nos períodos eleitorais? É dinheiro de impostos. E estes senhores, presos e soltos; como, se ‘prende abelhas em colmeias artificiais, para continuar produzindo o mel, – ora com cadeia, ora com tornozeleiras, mas uma coisa não muda, não são soltos por ‘inocência. Provar inocência a partir de agora, depois de soltos é um jogo de palavras, com um certo custo. O fato já passou. Há uma conivência com o crime …, quando todos fazem, se torna, normal. Este é um argumento de inocência e irônico. Desta forma posso declarar que partidos e sindicatos, são inimigos públicos número 1. Os, 7 milhões de pessoas que saíram às ruas, rechaçando partidos, estão certas.

Mesmo porque, estes senhores convivem nos partidos e sindicatos por anos em constante ambiente de discussão, uns sabem dos outros e são concorrentes para a mesma causa ou emprego, quando se elege ou se faz eleger, pessoas com propósitos destrutivos, cujo objetivo não é ‘cuidar do povo …, pois que sequer imaginam o que seja geopolítica para uma cidade como Foz do Iguaçu, caso em que não cometeriam tantas tolices estruturais para uma cidade …, – isso …, este descompromisso com a população, já está declarado muito antes, nos programas de partido, que foram engavetados, pelo simples ato ‘do engavetamento …,  mas convenhamos, não é exatamente isso, que quer o comunismo?

Se você tem dúvidas, dispensemos a história de URSS e China e seus milhões de assassinados por motivos políticos à sua vontade e fiquemos próximos: Venezuela, Cuba, Bolívia, Colômbia …, que acabou de colocar no poder as FARC. O Uruguai favoreceu a produção e, os produtores de drogas são os narcotraficantes empresários. Assim nasce um político? Exatamente assim! Se não por vontade própria, então por sedução ‘do meio em que atua. Por isso, são ligeiros (um sindicalista disse do outro), disfarçados, nada falam ao público, não publicam nos jornais, fogem das rádios etc.

Então me pergunto, como será a relação do partido com eles? Pois que eles são o partido! Será uma relação cumplice, solidária, de exclusão ‘dos quadros do partido? Duvido! Foi-se o tempo em havia honradez. Ela acabou quando decidiram rasgar e colocar fogo na bandeira nacional e destruir gradualmente as instituições (um senador acompanhou isso), e colocar o quê, no lugar? V. deve se perguntar.

Se tenho um empregado que rouba, eu o demito. E às vezes, o pobre rouba porcaria. Mas a confiança se perde. Não existe mais a relação trabalho igual salário: agora com esta pessoa que roubou a relação é: trabalho visando roubo igual salário. (Para esta situação, em um caso particular). E, a pena que recai sob este tipo de roubo pode ser pior que cadeia: o desemprego! Que hoje, assola de forma direta (ou ativa, como diz o politicamente correto) 12 milhões de pessoas. Como comparar coisa tão grave, com vereadores aventureiros? Mas não são estes últimos, os políticos que deveriam se preocupar com isso?, com o emprego pleno?

Notastes, por exemplo, que desde FHC, os políticos, partidos, não apresentam mais ‘programa do partido para a cidade? Isso quer dizer que não há programa?, não! Exatamente o contrário há um programa de tomada do país pelo ‘movimento do comunismo internacional (com ONU, Nova Ordem Mundial, etc.).

Voltando. Porque, a mídia apenas se preocupa em criar uma situação ‘cenográfica das prisões, ao invés de analisar com o cuidado a gravidade da situação? Mais grave ainda é ter vereador que foi reeleito, estava preso, e pode tomar posse. Isso é admitir que tudo não passou de brincadeira. Pode ter sito uma tentativa de assassinato de reputação, mas uma ou outra coisa deve ser provado. Como disse antes, a simples cenografia ‘da careca, das grades, da tornozeleira, para mim bastam, eles que arrumem emprego de frentista de posto, nada contra ser frentista, mas absolutamente …, – foram denunciados, foram presos, absolutamente devem ocupar cargo público. Pois, na melhor das hipóteses, se mostraram receptivos aos criminosos econômicos e, máfias. Entretanto, quando isso acontece, isso denuncia algo pior: cumplicidade e continuidade. Eu sinto muito.

Todos estes vereadores (presos), se sentem no direito de reassumirem o cargo. Um deles o senhor Beni, teve o cinismo, de assumir a ‘comissão de justiça. ‘Aliado ao termo: justiça, ele se sente seguro, ainda mais, se for presidente da comissão de justiça. Em passado recente, ele foi acusado pela UMANFI, com documento, de ‘gato em ligação elétrica em um prédio no caminho da Usina! Na época Kátia presidente da UMANFI, apresentou os dados aos vereadores e nenhum deles, se manifestou publicamente.

Isso, de usar o poder como ferramenta; se aproximar ‘da lei e da ordem, (para este tipo de mentalidade pueril) é pura desfaçatez em alguns casos, mas faz sentido (no contexto do comunismo), pois as FARC –  que soltou bombas contaminadas com fezes misturadas aos estilhaços – em igreja, matando o que estivesse na frente foi ‘anistiada pelo presidente Santos, do Diálogo Interamericano (DIA), que é o mesmo de FHC e Marina, e as FARC vão concorrer às eleições. E vão oferecer tantos candidatos, quantos caibam nas cédulas e nos partidos. Provavelmente ameassem os concorrentes. Fizeram isso contra o ex-presidente Uribe. E quem fez? A afamada Comissão de Direitos Humanos, da ONU! Logo, o crime compensa, no dizer do ‘politicamente correto.

Agora, como e porque eles se sentem no direito de agirem como agem e, estão convictos de que nada fizeram?, além daquilo que ‘todos fazem, ou fariam se lá estivessem? Bem, ou eles ou os promotores de justiça, estão loucos. Ou, ambos. Mas para eles terem sido presos, devia haver um motivo sólido. Não obstante, este ‘motivo sólido, se resume: 1) na ‘abertura de uma empresa por informação privilegiada; 2) informação privilegiada dentro do meio político (início do processo); 3) cálculo de ganhos prévio (acertos); 4) noção exata de onde se ‘maquiar a obra, ou o serviço; 5) quantos entram na folha de pagamento etc., isso caracteriza uma Máfia, segundo a tradição da máfia russa!

Mas se, se sentem ‘livres como pombos em pombais (condomínios de prédios), isso é um indicativo, é uma prova, que ninguém quer ver provada, nem eu …, – de que tem, muito mais gente atrás disto. Incluindo instigadores que chamo de ‘assassinos econômicos, plagiando um agente da CIA, que perdeu o emprego. Assim como, tem gente atrás dos ‘empresários (laranjas, ou não). Aqueles com informações privilegiadas. Empresários que dão caixinha de 240 mil reais? Ora, de quanto falamos, segundo as ‘delações, falamos de 4 milhões? Lembro de Paulo Mac Donald e a dívida da Santa Casa que pulou de um dia para o outro de 4 para 14 milhões e se tornou impagável (…). No final o deputado Kiefer pagou quatro milhões.

Os políticos que procuram ser sinceros, se isso é possível neste meio …, é circundante a um meio bem restrito; em algumas cátedras de alguma universidade, ou escola; em algumas associações; em uma mídia seletiva; na maçonaria e grupos religiosos …, entretanto, estes, se sentem impotentes para começar a resolver estes problemas; primeiro, porque lidam com aprendizes e feiticeiros ocultos, que comandam o show desde fora do parlamento; segundo, porque foram convencidos, portanto estão coniventes, com uma mudança, tendo por princípio o caos, de onde virá a luz, acreditam! (A revolução). Terceiro, porque tudo isso pode ser um teatro de ‘ciganos itinerantes, próprio da função política, que muda a quatro anos …, – e fizeram do que era justo e bom algo de uma trama de conspiração para tomada de poder. E neste momento, interpretam um papel surpresa: de preso temporário.

O objeto em questão, dos políticos municipais e sua mentalidade sujeita a influências, não é fazer ‘política para o povo, não! O objeto em questão é favorecer e ser favorecido, enquanto dure! E pertencer a um grupo, isso é fundamental. Quando o infeliz candidato, não pertence a um grupo (uma célula de esquerda), logo ele é abduzido pelas comissões, na câmara municipal, controladas por estes ‘grupistas profissionais. Os líderes comunistas, ‘do movimento, criaram esta situação – de não discutir questões de reforma social, na prática, pois que podem ajudar e isso …, intervém e protela, segundo eles, o inevitável ‘processo de revolução. E os pobres ingênuos acreditam nisso. Logo, querem enfraquecer a sociedade e suas defesas, como o legislativo, o judiciário, para que a sociedade corra em sua direção e lhes peça ajuda! Uma estratégia óbvia. Mas covarde! E isso define o comunismo! Um regime covarde e assassino!

Chegamos a um empasse, ‘a coisa termina nos políticos e empresários? Na próxima matéria já escrita, a coisa toma outro rumo, o que não exime o fato de que os vereadores que caíram nesta armadilha devam continuar como vereadores. Voltando. Para a cidade é melhor que sim, que a coisa fique entre políticos amadores e empresários famintos. Creio que todos concordem com isso. Bem, concordam errado! Lembre-se que no início falamos dos dominantes (empresários, políticos etc.), pois bem. Agora, apreenda a seguinte situação, o que tem valor nesta cidade de Foz do Iguaçu? Que possa gerar algum extra? Mensalinho etc. Obras? Faróis, parquímetros, lixo etc.? Estes já estão cristalizados. As ‘cataratas, 80% do dinheiro vai para o Governo. O que fica é regateado. Se tivesse uma montadora da Mercedes (privada), que empregasse 10 mil pessoas, aí estaria uma grande parte do poder da cidade. Mas os políticos teriam acesso a ela como tem, por exemplo, com o ‘Consórcio Sorriso? Certamente, não! Eles têm bons advogados, deputados e senadores, mesmo esquerdistas. Olívio Dutra (Trotskista do PT e que ‘encarnava Stálin, quando no palácio do governo) dispensou, a montadora Ford, no RS (Rio Grande do Sul). A Ford, globalista, havia previsto a crise do Sul, mas Olívio queria a crise! A Ford, entendeu o recado!

Em Foz, o que o que sobrou de negócios aos donatários da cidade, além de seus negócios cada vez mais caros, não é mais fruto do movimento de capitais, não! O que sobrou é fruto do dinheiro do governo, quero dizer dos impostos, por isso, não há saúde e educação que sobrevivam em meio à partilha. Além de que a cidade, por uma questão estratégica cresceu de forma errada e atrai outras cidades, para consumo do mesmo produto escasso: saúde e emprego de qualidade. Se mire em Cuba, o que sobra da partilha é o que vemos nos noticiários, favelas e mais favelas e muito fumo. E como diz ‘Frei Beto comunista, é uma opção pela miséria! Esta partilha, do dinheiro de impostos de Foz, é grande, não se resume a 12 vereadores e um prefeito. Por isso, eles estão confiantes …, estão reassumindo, quem ganhou a eleição e, estão tranquilos quanto ao ‘futuro político. Sempre tem uma ‘vaguinha! Toda a cidade – donatária – tem o rabo preso! Por isso, em matéria anterior, https://fozvox.blogspot.com.br/2016/12/foz-do-iguacu-gomorra.html procurava uma pessoa que fosse, uma autoridade moral.

Vamos ver sob outro ângulo. O que aconteceu com os terrenos da cidade, após o plano de habitação do governo fundador do Foro de s. Paulo? Respondo, uma negociação fabulosa para os proprietários de terrenos; troca-troca de terrenos com a prefeitura eu vi isso, no governo de Paulo Mac Donald, quando fazia análise da situação da câmara pelo sindicato, como jornalista. Criou-se uma ‘bolha econômica no setor imobiliário! Tiraram os barracos das proximidades do centro e da Vila Portes. Os preços dos alugueis das lojas subiram, o IPTU subiu, a Vila Portes diminuiu muito, o Centro esta murchando, funciona porcamente, até certa hora do dia. Estamos na rota de Olívio Dutra, para uma parte da cidade, a das periferias pobres, horríveis e, o centro.  Mas Olívio faliu um Estado, Foz é uma cidade. São proporções diferentes. Cresceu a Vila “A”, e o Hospital Costa Cavalcanti, por conta dos salários pagos por Itaipu (Estatal) e das casas da obra e dos cuidados do bairro.

Quer dizer, a cidade econômica da parte dos dominantes, digamos os empresários políticos, neste pedaço da ‘cidade, nesta economia criou-se uma bolha de sabão. Eles próprios estão cada vez mais, pressionadas entre os paredões, aqueles que Trump quer construir na fronteira dos EUA com o carteis do México (cartel de Sinaloa, Gusman etc.) …, a que chamam de ‘condomínio fechado! Ou penitenciária de ricos e famosos: negociantes, mídia e políticos de esquerda!

A ambição desmedida e o aliciamento político ao ‘movimento, os fez cometer, um erro. Com o preço que se pagaram (entre os dominantes) e, venderam para ‘o governo do FsP, os terrenos de Foz. Pensando que estavam tendo grande vantagem! E teriam se tivessem usado o dinheiro dos terrenos superfaturados, para comprarem terrenos fora de Foz e, no rumo de Cascavel. Nunca! Competir com uma cidade semi-estatizada, nunca criar bolha em uma situação limite, para forçar um desenvolvimento sem lastro; usar de forma autoritária, o recurso de impor preços loucos em terrenos, com espaços demarcados por um cruel estatismo: como faz (e quem faz é o Estado e os monopólios): o cachorro mijando …, eles fazem isso de forma mais substancial! (Assunto importante que demandaria um livro e trata de geopolítica).

Acabaram por criar uma situação com limites. A cidade não desenvolve para lado nenhum! De que adiantou demarcar uma ‘área industrial? Um perfeito ‘tiro n’água, fez ondas …, mas esta é a política, lembre-se nada de reforma, nada de desenvolvimento. Quem é o louco para pagar 2 a 3 milhões em um terreno no centro de uma cidade ‘bolha? Especialmente na atual conjuntura a partir de 2018, com a vitória, quase inevitável dos comunistas, ou do Foro de s. Paulo ou do Diálogo Interamericano (DIA). Só lavagem de dinheiro, para comprar um terreno assim, e assim mesmo, neste caso, não se trata de ‘comprar e vender, mas de tomar posse, ocupar, o lugar! E este é o ‘amor que têem pela cidade, pelo país …, entrega-lo ao primeiro aventureiro que aparece? Em nome do multiculturalismo?, do globalismo, do latinismo? Até quando acham que a ‘economia bolha, vai funcionar? Sinais …. Cansei de ver muçulmanos, abrirem ‘negócios no centro, nos bairros …, para moscas! Da Pena! Parece que, o que vale mais é o cartaz, como acontece em França e Inglaterra: Lanches Bin Laden! Os chineses viram que a coisa degringolava, foram para São Paulo. Os outros chineses, estão tomando a América Latina, do Mercosul de Requião. Agora, se os empresários e políticos nativos pensassem no Estado, no país, teriam comprado terrenos no caminho de Cascavel, poderiam pensar em um Trem, (rio, geopolítica), novos vilarejos, novas esperanças etc., mas talvez a questão …, Olívio, seja uma síndrome. A síndrome de Olívio: se pode destruir, porque construir? Talvez Olívio seja mais um Nietzsche, em pior momento.

O Celebro do Defunto!

Escrito por Luiz C.S. Lucasy – FozVox

(Invasão a Patrimônio Público pelo próprio Gestor. – Homenagem a Camile e Estela de Uruguaiana da UNIPAMPA (era da PUC, foi encampada pelo Governo Federal) –, que enfrentaram grevistas a favor de estudantes que queriam, estudar) radiovox.org.

Esta história meus amigos, é verdadeira e fantasiosa e principia entre os anos de 2004 a 2006. É fantasiosa porque os criadores desta ‘situação, destes anos e outros, que lhes vou contar, vivem um mundo imaginário, que só existe na cabeça deles. (É um mundo de Kant, Maquiavel, Nietzsche, Marx, Gramsci, Marcuse, Paulo Freire, Frei Beto etc.) E isso começa pela ingênua amizade; quando um convence outro, outro convence um e assim por diante e, em todas as suas nuances: empregos, garotas, festas, bebidas, drogas, facilitações, ocultações, segredos etc. No entanto, apesar ‘se profissionalizarem nisso e se tornarem homenzinhos e formarem sindicatos e partidos, não se dão conta de como isso começou e quem realmente mexe as

cordinhas …, como aquelas cordinhas que se amarram bonecos e os fazem dançar em um palco de caixa de papelão …, e pior, bem pior, não fazem ideia (os líderes provincianos que acham que outros, são provincianos) de onde isso vai dar e, a quais interesses internacionais é destinado em futuro breve, caso ‘seus sonhos se concretizem. Talvez estejam entregando a pobre nação a alguém que lhes promete a realização dos seus sonhos, como disse Trotsky certa vez, aliás a única vez que disse algo a respeito em trinta linhas e foi vergonhoso: “que um homem, no mundo idealizado de Trotsky, seria ao mesmo tempo, um ‘pintor de quadros, um Beethoven, um Pavarotti etc. O próprio Marx não se arriscou a tanto. Lula abriu a universidade, ‘como se abre um pote de mel em meio à famintas abelhas africanas. Tudo, por simples domínio político. Agora, lhes falta emprego e o único disponível é, na saúde! Que Deus nos acuda!

Isso, de alguma forma deve atormenta-los, entretanto como um sonho pode atormentar? Exceto se não for um sonho, e sim um pesadelo. É verdade que o sonho deles, concretizado, aconteceu na URSS, na China e matou mais de 100 milhões de pessoas (Veja o Livro Negro do Comunismo).

Evidente que isso foi escondido ‘dos sonhadores. Conheces aquele ditado: “o molho saiu mais caro que o macarrão”, pois eu creio que seja referente a esta ocultação. O trabalho que tiveram para esconder isso, ‘o trabalho que a KGB teve para encobrir isso, da humanidade, até que ela (a humanidade por princípio da humanidade, deficiente) estivesse preparada ‘para ver e não acreditar, foi a grande ‘tecnologia de convencimento e de alienação da humanidade, ou de grande parte dela.

Nas grandes guerras, se desenvolveram tecnologias de armamento e comunicação. Nesta guerra de ocultação, que acontece ao mesmo tempo das guerras e continua …, das espionagens, infiltrações, informantes etc., desenvolveram as ciências de comportamento de massas, na área do jornalismo, editorial de livros e psicologia e assim, conseguiram ocultar os crimes de URSS e China, colocando na linha de frente os crimes dos nazistas, de Hitler. Alguns israelitas, como eufóricos escritores, muito ajudaram nisso e se anteciparam e ocultaram a verdade e nunca se desculparam. Escondendo Mao e Stálin. Escondendo também os pactos de Hitler e Stálin. (No dia 23 de agosto de 1939, foi firmado o pacto Ribbentrop-Molotov, entre Moscou com Stálin, e Alemanha de Hitler). O que deu grande poder a Hitler.

Por isso me refiro à fantasia, sob fundamentos equivocados, como ‘luta de classes e o que isso pode causar é precisamente o que está causando hoje, no Brasil: nós contra eles etc. …, e hoje, eles sabem dos crimes de Stálin e Mao Tsé-Tung, o que não se sabe, é como eles conseguem justificar para si, para seus filhos, para seus parentes, para Deus, estes assassinatos, com os quais estiveram coniventes sem o saber e agora, estão coniventes sabendo? Talvez por isso, também queiram destruir a família e a Igreja! Ou seja, eles viram e não acreditaram e alguém ou alguma coisa, ou as duas juntas, fizeram isso, os convenceram ‘a ver e não acreditar no que vêem, mas, no que ouvem na rede globo: plin, plin! Isso é tão tolo, mas é diário! E que tipo de gente é essa? E é este tipo de gente que quer ‘dirigir um país?, ou administrar como um feitor, carrasco, jagunço, cangaceiro, em nome de outros poderes? Quais outros? Aqueles que alimentam esta guerra e tomam pedaços do país?

Este é o governo do sonho do Foro de s. Paulo (doravante FsP), de Lula, Dirceu, Marco Aurélio, Jaques Wagner, Mercadante, de FHC, Serra, ‘do trio ternura: Aécio, Beto e ACM (neto), de Marina, de Luiza Helena, o manso Ratinho pai, etc. Pois que no ‘frigir dos ovos, não há escapatória para a voz divergente …, a eles foram dados poderes irreversíveis e crescentes: por mais que Lula tenha feito, com Mensalão, Petrolão, compra de deputados, senadores, interferência brutal no STJ, STE etc…., apesar de mais de 130 processos contra ele (e, Renan), não conseguem lhe arrancar ‘um fio de sua barba! Todos ‘os principais, estão na ‘folha de pagamento. O poder do Estado só cresce. Isso custa caro, eles aumentam os impostos. Nestes dois meses, dois aumentos de diesel. Eles fizeram isso. Faliram estados (MG, RJ, GO, RG do Sul. DF.), São Paulo está se esgotando, recentemente sofreu a maior das humilhações com Haddad, um psicopata juvenil! O fato de tê-lo como candidato (assim como Marta Suplici, Erundina), era uma ofensa à história de São Paulo, o fato de haverem ganho a eleição, foi uma trama diabólica de ‘curingas e pinguins do filme de Batman. Por isso, mais à frente faço relação desta situação, com sociopatia e psicopatia, mais ou menos agravadas em cada circunstância, se homem comum, se um líder …, entre o povo e suas ‘lideranças, é difícil distinguir, pois se mistura no ‘conjunto da obra. Quem não acha que tudo está um caos, no Brasil, no mundo? Não seria à propósito, uma estratégia? E esta estratégia, não começa no município? Mas quando o povo começa a achar que um populista, é a única coisa a se apoiar, isso parece vingança (sociopatia) e, em sendo ‘vingança, (… dos nós, contra eles?), além de ser burrice é uma doença espiritual.

Foi no governo do Fundador do Foro de são Paulo, que aliás, foi eleito presidente da república pelo FsP …, que se criou uma ‘estratégia de Lei, para dar mais médicos ao povo! Usam ‘o povo (em classes sociais), como ferramenta de sua própria desgraça. De fato, isso não era verdade, era o motivo, o pressuposto para aprovar a Lei. E que acabou redundando no vício comunista do populismo (chorão), com a vinda de médicos de Cuba. Estava explicada a Lei: destruir a influência da Igreja na saúde e transplanta-la no sistema comunista de administração, em um misto de empresas criadas pelos próprios políticos, ‘do movimento, com informações privilegiadas.

Cuba é um país pobre, com um governo riquíssimo. Bem, a família do governo é rica. Cuba pelo igualitarismo vive igualmente na miséria; feliz em um ambiente paradisíaco e muito ‘fumo. Entretanto isso não é o suficiente para que outros comunistas venham morar na ilha, como poderia ser o caso do senhor Fernando Morais, que ama Cuba, ama todos os países comunistas, mas de longe. Na verdade, o senhor Morais vive de elogiar ditadores sanguinários.

A faculdade de Cuba (não existe faculdade particular), recebe do governo cubano, aquilo que é próprio dos países comunistas: o que é possível, abaixo da prioridade do exército! Mas nem todos têm vocação para medicina. E, se não existe outros ramos, como engenharia, que pode variar de eletrônica, mecânica, aeronáutica, construção civil etc. e, funcionar como opção …, considerando ainda, que a área de humanidade é a própria praxis marxista nas ruas de Cuba …, é realmente, de se esperar, que todos recorram à medicina, não para ‘ajudar pessoas necessariamente, mas para ter um título ‘universitário (da universidade socialista) e ser usado pelo

governo comunista. Mesmo que em países comunistas, qualquer título, esteja abaixo de qualquer graduação do exército comunista.

De outra forma, estes médicos cubanos são enviados por Cuba a outros países tão miseráveis (e ricos) quanto Cuba …, para expandir a revolução comunista, os médicos nestes locais, fazem o papel dos diplomatas comunistas (estiveram no Brasil nas décadas de 80 a 90). No Brasil Cuba faturou uns seis bilhões de reais, mais um Aeroporto, e mais um Porto, um ótimo negócio para cuba, do fundador brasileiro do FsP, ao seu amigo também fundador do FsP, cubano. Por anos os médicos cubanos estiveram em muitos países de África, provavelmente aqueles dos diamantes. O comunismo quer mostrar sua ‘face internacionalista, evidente ganham algo em troca é o seu papel: conquistar áreas para o ‘movimento do comunismo internacional.

Ou seja, o médico cubano se tornou uma espécie de produto de exportação. Uma mercadoria que fala por si. Claro que em Cuba, não há recursos para a formação de laboratórios, então, usa os países como laboratórios. Os médicos são os ‘reagentes e corantes. Aí, nestes países seus médicos aprendem muito mais que a função de médico. Como disse Chê assassino, em carta, ao pai: “como médico sou um bom revolucionário”. No Brasil, os laboratórios, eles existem em grande número e estão sob o controle das Ong’s. Considere entre os ‘laboratórios, os ‘parques tecnológicos. Laboratórios e parques tecnológicos que não apresentam resultado algum para nenhum tipo de problema, funcionam como ‘fachada de propaganda da ONU, servem a ONU, que sabe inventar, o necessário, para os seus interesses de domínio e controle mundial. Recentemente, pelo viés da ONU, se inventou, ou reinventou uma espécie de vacina da varíola que havia elementos de esterilização e isso é eugenia.

Voltando …, o fundador do FsP, com a lei mais médicos tinha um objetivo em mente. Destruir o penúltimo reduto da Santa Igreja Católica, o último é a própria igreja, abandona pelos fiéis: as Santas Casas de Misericórdia. Este foi um trabalho, não do FsP, mas da ONU. O FsP, assim como o DIA (Diálogo Interamericano de FHC, no Brasil), são extensões, braços da nova Ordem Mundial e daí vem o dinheiro para sustentar Ong’s e seus Laboratórios, meio ambiente etc.

Houve uma ‘invasão na igreja, de falsos padres e de fato, revolucionários. Ora, não duvide disso …, nestas últimas ‘guerras de gangues de presídios, em vários estados do Norte, surgiu o nome de um deles, um destes usados para fazer o papel de padre: Alípio Freitas, que se sabe fundou alguns comandos. Foi cínico, quando contando sua história disse: “O governo, havia prendido alguns líderes de guerrilha (inclusive ele) e queriam humilha-los junto aos presos comuns, entretanto, estes líderes se organizaram no presídio e, entre presídios, e os presos aprenderam como fazer … – e, a partir disso surgiram os comandos etc. Isso me fez lembrar a história dos bárbaros e São Gregório Magno …, mas esta é outra história.

A ONU deve ser destruída, ou ela e os três blocos do mundo: Russo/Chino, Metacapitalistas e Islam (Olavo de Carvalho), destruirão as nações para criar o Estado Mundial. Trump foi eleito, com muita potência, para reverter esta loucura de governo mundial, que inarredavelmente levará ao extermínio de milhões de pessoas. Depois, segundo Gugin (assessor de Putin), guerra dos continentes entre: eurasianos

e atlânticos! Veja os ataques feitos a Trump! Veja o ódio a Trump, destilado pela mídia brasileira! Já fizeram as contas de quantas pessoas devem ser exterminadas! Isso não é novidade. Falaram em 2/3 da população mundial. Estamos lhe dando com criminosos! Alguma dúvida? Então, lembre! A começar pela privatização, mensalão, petrolão, compra de canalhas, entrando pelo curso da apuração secreta, a transposição do Chicão, por simples política (distribuição de dinheiro), seguindo o rumo do narcotráfico e por aí vai. O resultado disto, em escala muito menor, será exatamente o mesmo, conseguido com a destruição das Santas Casas (já haviam destruído as Escolas e controle dos cemitérios, e ninguém se deu conta da enorme perda), e o resultado todos conhecemos….

…. Eles mesmos destruíram, eles mesmos trouxeram médicos cubanos que foram rechaçados pela população que não queria ideologia, queria tratamento médico e isso, eles não podiam oferecer, quando mal conseguiam preencher um receituário …, eles mesmos controlaram a situação, indiretamente, nos municípios através de ‘laranjas políticos, aqueles que são admirados nas cidades, muitos são empresários úteis, que se acham ‘preparados para o cargo político, e seu primeiro erro é ‘tomarem posse, na cidade de uma sigla de esquerda, achando que isso é uma grande vantagem, porque foram aceitos pelos comunistas! “Diga-me com quem tu andas que eu te direi quem és! ”. Nesta fase dos acontecimentos, em muitas cidades e entre empresas grandes e enormes, estes empresários úteis, dirigentes partidários, aliados do comunismo, foram, estão sendo, ou serão ‘fritados. Então, sem ‘laranjas disponíveis nas prateleiras municipais, considerando o atual estágio de dominação, começam a usar a ‘gente da casa, políticos regionais ligados ao ‘movimento, obviamente desconfiados de seu futuro, o que lhes dá um caráter igualmente desconfiado do futuro próximo, e tudo depende de 2018.

Não sei se nós, o povo, somos todos loucos, ou eles acham que somos idiotas, de qualquer forma uma coisa não contradiz a outra, uma afirma a outra. Vindo deste tipo de gente não se pode esperar outra coisa. O fato é que eles tratam as coisas da sociedade: as relações humanas, as relações empresariais, as relações entre empresários e funcionários, entre Estado e povo, entre política e povo etc., como aquele filósofo que para estudar ‘o pensamento humano que acreditava estar dentro do celebro, arrancou a cabeça do defunto, para estudá-la … Claro que não deu certo e além de não descobrir nada, exceto um ‘mapa da formação do celebro, ainda teve que se humilhar ao defunto e devolver-lhe a cabeça, com mil desculpas, assim mesmo, por medo do inferno!

Isso de certa forma, de uma forma prática, lembra ‘a ação dos fundadores do FsP contra a medicina e a Igreja, coincidentemente um dos fundadores do FsP, era o ‘ditador de Cuba …, destruíram a saúde originária, ‘lhe cortaram a cabeça, colocaram um monte de porcarias no lugar, inclusive leis abstrusas …, nada deu certo e agora, ao invés de devolver ao legítimo dono (das fundações, com apoio social), que por décadas se mostrou honrado …, querem tentar salvar as aparências, realmente, com aparências, para tentar resgatar ‘o outro fundador do FsP, que ainda vive e insiste de forma imoral; devido a tantos desastres causados ao país, em ser presidente. E olhe que, ‘sua base universitária socialista, realmente convence os pais neófitos. Uma pequena mudança de planos de ‘bolsa família, para ‘bolsa universitária.

“O Estado brasileiro, foi tomado desde dentro. Foi tomado por partidos em nome ‘do partido; organizações de esquerda, ‘professores marxistas, ‘fiéis da nova era, sindicatos, corporações, associações e empresas viciadas em vantagens, etc. Assim como a Igreja Católica foi tomada, pelo que eles chamam de Confederação Nacional dos Bispos do Brasil e que causou a divisão da Santa Igreja.

Pois bem, no Estado acontece a mesmíssima coisa, que aconteceu em escala menor, mas mundial, na Igreja. Por isso, quando critico o Estado, tenham em mente o ‘Estado tomado. Há interesse, por parte deste ‘Estado tomado, em colocá-lo, ao Estado como o conhecemos (assim como fez com o legislativo em Foz do Iguaçu), contra o povo e, o povo contra o Estado. O que, pela ‘ordem (que todos querem e, como justifica Erick Voegelin), ‘em nome da ordem, depois de causarem os danos necessários para este final, tomam o Estado, que eles próprios transformaram em ‘monstro e então, ‘domam o monstro com o terror do totalitarismo. Que isso fique bem claro. Isso não é uma descoberta.

Este é um tema da alta cultura e, bastante vasculhado por grandes escritores, desde Olavo de Carvalho, Eric Voegelin e outros. O tema presente, que segue abaixo é a própria situação do Estado municipal, sendo tomado por forças estranhas ….

(Subtítulo por empréstimo)

As Vacas Sagradas ….

(Radiovox.org – 06/01/17 – Refere-se a pessoas públicas sob as quais é ‘quase que, proibido falar).

É uma análise baseada na realidade política de Foz do Iguaçu e não serve, necessariamente para outras cidades da federação. Há estado, talvez estados, em que o PT (não mais, partido), ainda seja considerado como algo bom ‘para os pobres …, por total desconhecimento da realidade. Em São Paulo, apenas uma cidade votou em Dilma, em 2014. Este precisamente, é o propósito das análises, investigar e propor, para se desvendar os mistérios do assalto à cultura, há mais de 50 anos, no Brasil.

Sobre amizades. Um assunto que demanda um livro. Tenho que ser sintético. O que acontece no Brasil é luta pelo poder. Quando se luta (…), se forma blocos de luta. O inimigo (e, aliado temporário, é usado) é quem está fora. Aqui a amizade está fora! Ela é substituída pelo ‘compromisso político. No Pará, quando da tentativa de divisão do Estado (2011) e, colocando povo contra povo, fizeram músicas agressivas contra o Sul! Uniram pessoas, ‘em nome da amizade que ainda existia na cidade, e as usaram politicamente contra outros estados. Quando a amizade é usada para fins de agressão, já se constitui em um tipo de organização do mal. Quem faz isso, age para destruir (amizades, cristianismo, família). Referência ao título.

Quem está, digamos, ‘organizado, de alguma forma, está em guerra. A religião tradicional não é organização de tomada de poder, tão pouco o padre é eleito. O Papa é eleito pelos bispos, nos dias que ficam trancados no Vaticano. A igreja sempre cuidou de cemitérios, escolas e hospitais. A igreja perdeu estes domínios – amorosos – que só ela poderia cuidar. Veja ‘a crise na saúde, a má educação e, a insensibilidade nos cemitérios …, é preciso morrer, para ver? O espólio da guerra pode ser o voto (para sindicato, partido, clube etc.), pode ser a filiação etc.

A iniciativa privada tem uma legislação trabalhista, o Estado (normal) tem outra. Pela luta pelo poder, desde fora (invasão do Estado), se criou um abismo entre uma e outra legislação. Isso significa guerra de inveja por um lado, e oportunismo corporativo, por outro. O motivo: a diferença brutal, de qualidade de vida e segurança – estratégia. Reflexos disto, desconfiança, fingimento permanente.

Outro estágio da guerra, violento, está ‘em todo o crime organizado e por se organizar; na relação mórbida que eles têm com o povo, a quem o Estado ‘tomado, abandonou! Estratégias da guerra. Resultado destra destruição, em 20 anos, uma média de 1.200.000 pessoas assinadas de forma ativa, 3.600.000 prejudicados de forma passiva. A guerra fez isso, a mídia (dos negócios), os políticos, os sindicatos, o crime organizado, fizeram isso; os primeiros por atitude passiva, quando deveriam divulgar e denunciar o que viam …, os últimos por atitudes ativas. Uma estratégia de guerra.

Hoje, existem 12 milhões de desempregados ativos, e 36 milhões prejudicados, passivos. Os endividados ativos passam de 61 milhões, os passivos? Chegamos no limite! O Estado murchou as tetas. Milhares de pequenos exércitos do mal: as ONGs (290 mil), MST, Centrais Sindicais e Sindicatos (mais de 19 mil), partidos, Foro de s. Paulo, Diálogo Interamericano, etc. Todos armados, físico e ‘mentalmente, e supostamente organizados em torno de algo, que a maioria deles, desconhecem, de verdade: o comunismo. As amizades aqui, neste estágio de domínio cultural, traduzida pelo signo do ‘politicamente correto, significam bebedeiras, promiscuidade e festas de adesão; pessoas arrogantes, sem saber a que, se arrogam …, mas fingem saber; não se distingue mais, um traficante de um assassino, de um ladrão, de um político, de um militante, de um universitário, é o paraíso do falsários e escroques!

O igualitarismo, outra estratégia! Suas falas se tornaram ‘grunhidos de altos e baixos, para uma classe de pessoa, para outra, ‘emoticons e cinismo. Só conseguem alguma expressão quando falam de outra pessoa e não podem ser ouvidos, por outros. Mas mesmo assim, o que falam …, e pensam falar em segredo …, é previsível em suas faces e expressão

corporal. O Brasil tem um grande número de depressivos em cada município. Este é um cenário, sem o qual é difícil entender os caminhos da guerra no Brasil. E, o porquê, do título. Se v. quer reverter isso, estude, livre-se das ideologias e seja cristão! Que não é ideologia, fala da vida real e, do sobrenatural. Então, tu vais entender o título.

Última observação, para melhor entendimento da análise que segue, onde é importante se saber o ‘estágio humano da amizade, ‘e o tipo de gente louca, com que estamos lhe dando. A maioria das pessoas que aparecem aqui, estão em férias. Estão em outros estados, em suas fazendas. Outros fora do país, visitando seus negócios, de aviação, telefonia, bancos …, outros, comprando joias (500 milhões em joias) e, as trocando em Paris. “Como fez Sérgio Cabral e sua esposa, por longos anos, lavando dinheiro sujo. Outros ainda compram apartamentos para construírem paredes falsas, para guardar dinheiro”. (radiovox.org, Vitor Vieira e Alex Pereira).

Enfim, são pessoas que pelo poder do dinheiro e poder propriamente (em patamares diferentes, pelas ligações que tem: nacionais e internacionais) se sentem além do mundo, o mundo tornou-se um ‘game, para eles: conforme diz Duguin amigo de Putin em muitas páginas de livros, que fala sobre a guerra final dos homens das terras (Eurasianismo), contra os homens das águas (Atlântida) etc. Em suas cabeças eles abarcam o mundo, o mundo tornou-se pequeno; ora, ‘aquece demais (quando querem dinheiro para laboratório) ora, tem gente demais, (querem o controle do mundo, mas a população atrapalha seu domínio). Eles querem mudar o mundo! E é este tipo de gente que governa o Brasil, também! São Loucos varridos!

Sobre as eleições a prefeito em Foz do Iguaçu, em 2017.

Foz do Iguaçu nunca teve uma eleição tão ante-povo e pró-nova ordem mundial como agora. Uma nova eleição para prefeito, provavelmente, em abril de 2017.

Paulo Mac Donald (PTB) é quem mais se aproxima do Povo. O que, não o isenta das burradas que fez. Mesmo que, em tudo, tivesse ‘o dedo do PT e do PCdoB. Mas ele, do PDT de Brizola dos Cieps dos bilhões de reais no Rio de Janeiro, ele Paulo, era o prefeito.

Nanci Rafain Andreola (PTB), não fosse o caráter político vacilante de sua ‘família política, teria chance se tivesse como vice-prefeito, alguém capaz e bravo. Mas sua família, ‘esquerdista, estragaria tudo.

Depois Duso (PT). Ele não tem perfil público. Não salvou o filho das artimanhas do poder.

Paulo, Nanci e Duso, eles têm em comum, o fato de serem capitalistas e proprietários. O ‘foco deles é, a cidade e, ambições pessoais, pelo menos, por vontade deles. Mas quando se aliam aos comunistas, seguem, quem tem mais ‘experiência. Curiosamente o comunismo é contra a propriedade privada, isso não quer dizer que queiram destruí-la. Não são tão loucos! Mas podem criar outras formas de ‘relacionamento. Como estas!

Do lado da diretoria e conselho da usina hidroelétrica, o ponto de vista sobre política, muda. Já não é a cidade o que eles têm em mente, mas o mundo! Friedrich e Samek, fazem ‘uma ponte, entre a ONU e a política estadual (nacional).

Simplesmente, colocaram o senhor Piolla na executiva do Conselho de Desenvolvimento de Foz do Iguaçu, para fazer campanha da sustentabilidade! Amarrando, ‘o desenvolvimento econômico, aos projetos da ONU, para o mundo! De fato, ‘esta estratégia de sustentabilidade, nesta conjuntura de Dilma, visava e visa, formar blocos políticos junto as cidades lindeiras, porque recebem royalties? E para quê?

Agora, neste momento de conjuntura política para eleição municipal primeiro e, presidencial em 2018 …, esta estratégia, acima, ‘unir municípios, tornou-se algo como …, ‘cartas na manga, vetores, que não se sabe ainda, para onde vão estender, suas influências.

Outro foco ‘da Usina, depois da prefeitura é a presidência e, o governo do Estado em 2018 que obviamente, no caso da presidência, se não for Lula, será quem Lula indicar. Até agora, parece isto. Ou seja, antes, Stálin aparecia nas fotos com Trotsky, depois, não mais ….

Mas aqui se abre uma brecha. Hoje …, quem é Lula e Dilma? Agitadores políticos iguais a FHC e, sem imunidade parlamentar, apenas contam com um ‘ranço de histórias suspeitíssima, de privatização às doidivanas …, ao petrolão. Lula, por exemplo, tem cento e tantos processos contra ele, concorrendo com Renan do Senado, e todos os processos, estão em volta do mensalão, petrolão, obras, etc.

Quem é Samek? Diretor de uma binacional, sobre governo do PMDB. Golpista ou não, eleito, ou não é, o Presidente do país. E Samek era do PMDB! Engraçadíssimo. Quantos processos tem contra Samek? (Como diretor da Itaipu). Um, dois, já resolvidos e encerrados, por falta de provas. Em 2014, com a derrota de Dilma em Foz do Iguaçu (40% dos votos), Samek foi ameaçado de forma elegante, por Lula. Em 2014 Lula, já é um aposentado rico. Sua única relação com o poder institucional é Dilma.

Porém, ‘a vitória de Dilma, foi um ato de autoridade sem autoridade alguma, Dilma naquele momento, era candidata. Portanto, o que houve foi, um ato extra-estado, impingido desde fora do Estado, pelo PT e o Foro de s. Paulo, um ato ditatorial, que afunilou a apuração das eleições, em Toffoli e mais 23 petistas. O que se caracteriza como <<apuração secreta>>. A primeira, em toda democracia Ocidental. Mas Aécio, o DIA, e todos os partidos, todas as mídias, relevaram isso. Como disse Lula: ‘todos são de esquerda!

Não é para se desprezar o poder do PT e do Foro de s. Paulo, cujo fundador é Lula e Fidel (1990). Ao menos, até a eleição de 2014. Mas há também, o Diálogo Interamericano, o DIA, de FHC, também de esquerda, que defende o PT, até certo ponto. Afinal, ‘as tetas do Estado brasileiro murcharam e, só existem duas formas de resolver ‘a pendenga: uma pelo viés do ‘meio ambiente e sustentabilidade, daí pode vir dinheiro, mas também significa a entrega de várias regiões do país, como já aconteceu em nome do MST e dos Índios, nas mãos das ONGs (dos metacapitalistas – termo apropriado de Olavo de Carvalho) …, outra forma é pelo viés ‘da normalização, ‘a ordem (Eric Voegelin), para conseguir investimentos, como foi o plano real, ou coisa parecida.

O impedimento a está lógica oportunista, do aquecimento global, foi a eleição de Donald Trump, que começou por abalar, as ‘estruturas do meio ambiente e, do falso ‘aquecimento global. Colocando no seu secretariado, nada menos que presidentes de grandes petrolíferas americanas.

Resta pouco para esquerda …, duas visões: ambiental e institucional, estão em disputa em 2018. De um lado o FSP, de outro o DIA. Isso, ‘a priori. E se refletem, agora, nos municípios. Como se pode ver, na CODEFI, que já embarcou na primeira, com a, sustentabilidade, trazida pela ‘Usina. Trinta e cinco municípios do Paraná também embarcaram nesta onda ‘de sustentabilidade.

Considerando que o poder de Lula …, está em um PT diluído …, em uma CUT, pendurada ‘por um fio de rosca de ferro mole …, – e, um MST treinado pelo venezuelano Elias Jaua …, nas matas, se confundido aos índios de verdade e, aos índios promovidos …, – e ainda, que as ONGs da falecida Ruth Cardoso (mais de 290 mil), são uma espécie de ‘reduto de FHC (marxista e darwinista) e o diálogo interamericano DIA, e a nova ordem mundial (NOM) …, – Lula, ‘está no osso! É carta fora do baralho! Particularmente é difícil acreditar …, mas tudo o que ele ‘invoca, leva à algum tipo de catástrofe: PT, CUT, MST, Congresso, Senado, etc.

A preferência, agora é de FHC, ‘a bola está com FHC, o que não quer dizer que o candidato seja FHC, ou mesmo Serra, ou Aécio, mas …, Marina e no caso de grave acirramento, entre o Estado ‘tomado e, o povo: Ciro Gomes! Pois que representa a violência o oposto de Marina, que de fato, é mais violenta que Ciro, mais fundamentalista. Mas as massas não vêem assim. Isso, mais ou menos, satisfaria, o lulismo, o petismo, o Foro de s. Paulo, o DIA, e o resto (?), seria fácil de convencer. Marina faz parte do DIA (Diálogo Interamericano) e, é a representação das ONGs, dos bichinhos, das matas etc. Uma espécie de ‘Jane do Tarzan.

Evidente que muita gente da diretoria e do Conselho da Usina, ‘devem pedras, ao ‘velho Informante de Tuma, pai. Mas será o suficiente para que se entreguem em suas aventuras, as aventuras de Lula? A prática diz outra coisa, pois que já estão colocando em prática as ‘ações ambientais, por exemplo, na CODEFI, no ‘Água Boa, também na produção de moveis de escritório para as prefeituras, chamam a isso de: ‘sustentabilidade, o que não é verdade, mas é outro assunto. E também cuidando das ‘bacias hidrográficas do Paraná. Isso lembra China e o seu sistema de irrigação e um povo completamente dependente disto. Agora, isso tudo vai pender para que lado: Foro de s. Paulo ou, Fabianismo de FHC? O Fabianismo não se considera ‘dentro do FSP. Ambos estão dentro da ONU! Ambos, comunistas, marxistas, gramscistas. O que difere entre um e outro é a forma de ‘tomada de poder: mais lenta, mais rápida … E quem determina isso é a conjuntura, a partir dos municípios. E ela, é desfavorável a Lula. Mas favorável ao comunismo.

Marina já se define um ‘ser ambiental, encarnou o espírito da (mãe) ‘gaia (deusa da natureza etc.). De outra forma, tem o substantivo ‘gaiato: rapaz, travesso e vadio.

É uma estratégia de propaganda, lembra índios, matas, povo feliz, descobrimento do Brasil (pelo Lula), o povo da terra, ‘a pajelança etc. Por princípio cultural, nada contra. Mas por princípio de estratégia de guerra …, tudo contra!

É bem verdade que (a usina) em Foz do Iguaçu, simularam um candidato para Prefeito em 2017, o Piolla (PT), deixaram entrever isto no jornal eletrônico ‘Oiguassu …, mas as suas exigências, denunciam seu desinteresse …, do seu grupo: apoio de Paulo, Chico Brasileiro e como vice, Mansur. O que quer dizer: não! Paulo pediu apoio a Mansur. E recebeu um não! Logo, há algo de ‘estrambólico nisso tudo, o jovem Mansur é tão arrogante, ou será ordens de Marina a fundamentalista? O que me faz crer, que realmente FHC (e, PMDB), está agindo, por trás das cortinas. Já que Marina também é do Diálogo (DIA). E Lula ‘calou a boca porque é hora de recuar, já causou todo estrago que podia causar, na sequência de FHC, do fabianismo.

E quer dizer, à ‘priori, que se Lula quer ter alguma relevância institucional, vai ter que apoiar Marina, ou Ciro Gomes (uma possibilidade remota). O MST e Cut fariam alguma resistência, porém inútil. O dinheiro acaba, MST e CUT, acabam! Assim como as ONGs!

Vendo desta forma, quem ‘acertou ou alvo, foi o Ceaec. Mas não se arroguem ‘analistas, de fato o Ceaec, segue orientações vindas, lá no fundo, do PT, deste PT de Samek. Pois que lançaram Mansur da Rede, da rede de Marina. Marina, que também, meses atrás, andou sondando a rede da internet. Ciro Gomes, também fez isso. Trabalham em paralelo.

É certo que ‘a usina, não pode ‘fazer festas com o nome de Marina. Mas se Piolla, ‘não alçar vôo talvez, o faça para auxiliar, o candidato de Marina. Tudo indica que tenderão para Marina. É certo que existem outras opções mais próximas a Lula, como Chico Brasileiro, um homem ‘do partido. Realmente Chico Brasileiro, não está distante, das pretensões do grupo: Piolla. No entanto, para Piolla, Chico e Paulo, seriam apoiadores, e, Mansur, o vice. Obviamente há um recado, aí! Piolla, tira fora da política Chico e Paulo! E outro recado é a Lula: “coloque sua barba de molho”, para não acontecer o pior! Prevendo isso, Lula já mandou o filho para fora do país.

Mas as coisas não são tão simples, o Lula, o PT, mesmo arruinando como pessoa e partido de massas, o PT é um partido que tem influência (e, dinheiro) sobre outros partidos. Claro que eles (os partidos de fora do FSP) querem se livrar disso, se livrar

desta dívida ‘(sem) moral. Os escroques e falsários se deliciam. Primeiro, os partidos compromissados, que são os partidos que se declaram comunistas e são ligados ao Foro de s. Paulo: PC do B, PCB, PSOL, PSTU, PCO, PPS, PSB, PT etc. E outros partidos que ‘devem pedras ao PT (mensalão petrolão etc.).

De qualquer forma, tudo o que está junto do PT, hoje, representa uma espécie de ‘erva daninha, na visão do povo em geral; exceto os militantes, pensam assim e, em especial …, e, de forma ‘oportuna, defendendo ‘os direitos de existir do PT …, o fabianismo (FHC), higienista, cientificista, estadista e ‘concorrente de Lula …, que desta vez, diferentemente de 2006 e 2014, quando entregaram a presidência a Lula …, – parece que desta vez, fazem outro jogo, para não perder.

Tudo indica que, tanto ‘a usina, quanto Ceaec, em Foz do Iguaçu, não têem interesse nesta parte obscura do mesmo comunismo, propalada pelo foro de São Paulo (CUT, MST, Lula, Maduro, Evo, Mojica, Raul Castro, O Cara: Obama etc.), o que não quer dizer que não sejam comunistas. Mas estar com o PT, ou não estar com o PT; estar com o PSDB ou não estar, significa apenas uma ‘aparência, enganosa. Daí vem a ‘teoria das tesouras de Lênin: cada um cumpre um papel ‘midiático, ou seja: se o sujeito (vítima, povo), não cai aqui …, cai ali! E de qualquer forma: aqui, ou ali, ‘são nossos domínios, domínio do comunismo.

Agora, se o leitor mesclar isso de F. do I., à assembleia legislativa do estado do PR (Não disse Congresso Nacional, Senado! Não disse América Latina!), ‘a coisa, sofre alterações. Por exemplo, Chico Brasileiro é deputado estadual. Quando perdeu a eleição, foi para Curitiba. Reni, o prefeito preso, quando deputado estadual, foi convidado por Paulo para ser secretário da indústria e comércio. O que pretendia Paulo …, fritar Reni, com uma ficção de indústria? Acabou por lhe entregar a câmara municipal e com isso, Reni ganhou a eleição para prefeito. Chico Noroeste ex-deputado estadual, era secretário de Reni (já, como prefeito), foi preso. Dobrandino de prefeito de Foz, virou deputado estadual. Se afastou da política de Foz. Sâmis depois de prefeito, foi secretário do governador, até o dia da posse da prefeita interina (um mês de mandato, com Joel de Lima na saúde), também estava sumido da política. Vitorassi foi deputado federal, para dar folga ao Paulo Mac Donald. Bernardo marido de Gleisi foi transferido para dar lugar a Vitorassi. De onde se conclui que tudo o que ocorre em Foz do Iguaçu, tem relação direta com a Capital, com a Assembleia Legislativa do Paraná. Onde está o senhor Requião ‘do Mercosul e seu filho. Seu irmão salvo engano tem um pé na Itaipu. E evidentemente, que se considere Beto Richa e os 100 dias de Foz do Iguaçu. Seria uma intervenção ‘branca? Sem falar de Ratinho, pai. Mas isso, é outra história.

Falando em sinceridade, a sinceridade das reações de grande parte das pessoas do município de Foz do Iguaçu com relação aos políticos (no geral e no particular) é negativa. Dessa forma a ‘crítica é uma forma de propaganda. Porque além de não significar nada …, – ainda ser ruim …, negativa, portanto. Desta forma a ‘critica, diária ou de tempos em tempos, a favor nem sempre, mas contra, com certeza, é uma forma de propaganda. Depois de um tempo ou alguns anos, ficam no Imaginário das pessoas, e como todas são ocupadas com a existência não dão importância ao fato e menos ainda, à intenção da ‘propaganda. Então, passado um tempo, elas já não sabem mais, se naquele momento em que toda a política nacional era Vilã, aquela pessoa em especial, que agora lhe aparece ‘implorando voto, ou se fazendo de bom moço, era tão ruim assim, ou foi vítima das circunstâncias da época.

Como disse acima, fale bem ou mal, estará ajudando-os, quando deveriam cair no esquecimento e seus problemas serem resolvidos na justiça comum. O que poderia fazer a diferença nesses casos?

Primeiro, que o povo soubesse exatamente o que quer, o que precisa e, o que não é discutido pelo legislativo. E os políticos, fogem disso, do que interessa ao povo, como o diabo foge da Cruz. Podem ter certeza e sabem porque, porque não dá lucro, não dá propina, não dá licitação extra etc. E preferem se aventurar e, serem chamados de todos os nomes sujos, do que por exemplo, dizer a cidade, ao estado, a federação, e a um mundo, que no município de Foz do Iguaçu não aceitamos interferências de espécie alguma. De fato, dizem o contrário: queremos interferência! Queremos interferência …. Qualquer que seja ela e que venha de onde vier. E que estas questões de <<interferência no município>> devem ser resolvidas pelo <<Governo do Estado>>, na medida mesma de sua relevância e equivalência a <<todos os municípios>> do estado. Mas se o governo também quer interferência, como no caso PM e o governo cala! Então, danou-se.

As greves dos sindicatos do Estado devem ser resolvidas ou não …, nos limites da negociação, sem afetar o público, que não deve ser privado dos seus direitos

elementares de ir e vir (ao trabalho, na saúde, ao cruzar uma ponte etc.), segundo, o que é garantido pela constituição.

Todos os cartéis, trustes, Consórcios, monopólios, privados ou estatais, devem desarmar-se para ampliar outras possibilidades econômicas que eles privaram pela formação de ‘feixes de poder. Isso é o princípio do fascismo. Então, se fechar como Ostras ou, castelos de Príncipes loucos. De outra forma, na medida do possível as pessoas devem se afastar destes monstros.

Espaço

Falácias: racismo e preconceito. Quem é o dono do Brasil? Todas as pessoas todos os brasileiros, têm os mesmos direitos e deveres, são iguais perante a lei maior, a Constituição. Se um homem se juntar a outros dois homens e quiser comprar um ônibus para fazer transporte de pessoas em Foz do Iguaçu, aonde desejar, na linha que imaginar, segundo sua vontade, isso não pode ser impedido. Aliás, porque as ‘garagens de veículos, não oferecem micro-ônibus, como os do Paraguai, Osasco? …. Não aceitar isso, seria admitir que uma ‘trupe de espertos, fizeram da cidade um casino ilegal. E isso, seria um cartel! Isto serve para escolas, hospitais, táxis, motos, terrenos, pontos comerciais, hotéis, aeroportos, usos dos espaços de turismo e etc.

Afinal em uma cidade com 260 mil habitantes cercada entre uma estrada Federal e duas fronteiras, que tipo de investimento se pode esperar, vindo de Fora – do centro dos Estados, para o fim? Do país? Em décadas, quantos investimentos vieram e quantos foram. Ao contrário, no sentido de ‘uso, as pessoas vêm de fora para usar a saúde e a e a saúde deixa de existir, até para alguns, quando não pode suportar todos. Cresce também o número de assaltos e assassinatos. O crime organizado é organizado e apoiado pela fraqueza da Lei. E porque o mal cresce? Ora, porque nada o impede, ao contrário o impele. Ele, o objeto, mal, representado por uma ou várias pessoas, por princípio, está fora da lei. E porque o contrário do mal é, o bem, e o bem, é vigiado perigosamente, pela lei de trânsito, pela lei fiscal etc. Perigosamente, porque pessoas perdem coisas e se desesperam e acabam por concluir que o país as odeia! Isso alimenta o crime. Para a classe média prosperar, todo o resto deve lhe servir? E ela escolhe quem lhe serve! São oportunistas não ideológicos. A classe média é um entrave à economia, ela protege os políticos, os políticos são comunistas e querem seu fim!

Quando a cidade vem decrescendo é a hora de se repensar a organização social e o seu ‘trabalho. Ou sucumbir aos modelos monopolistas e de forma inevitável cair no fascismo de esquerda, e nas mãos do Estado facínora e comunista.

A dedicação dos petistas (líderes) nos municípios, é toda ela …, “uma estratégia, para o passo seguinte da hegemonia e do consenso”, conforme diz o H. de Paola no seu livro O eixo do Mal. O PT em Foz se diluiu em vários partidos. O PCdoB fez o mesmo. O PCB, discretamente assume assessorias de comunicação, secretarias, sindicatos etc. Tudo feito ao mesmo tempo. Isso se desenvolve – com mais intensidade – a partir da eleição de 2014, a eleição da <<apuração secreta>>. Em Foz mudaram a presidência do PCdoB e do PCB. Eles só fazem isso quando ‘promovem o ex-presidente, que passa a ter uma ocupação discreta. Quer dizer, há uma articulação (a única) em andamento visando as eleições de 2018.

É como se o Foro de s. Paulo estivesse preparando a eleição de 2018. Sinto em informar isso, perdemos a cidade, para algo que não se imagina que exista! Uma ‘teoria da conspiração? De quem? Apesar de o povo de Foz ter votado contra o PT (40 contra 60% em 2014), eles se rearticularam e retomaram o poder ‘na marra. As articulações (o dinheiro), foram feitas através de pessoas em diretorias, conselhos e, de fora do estado do Paraná. Agora, se isso acontece em minha cidade, acontece na sua também!

Quero dizer, que não sou e jamais serei candidato. O que faço é ampliar aspectos que não são vislumbrados no dia a dia. É isto o que faço. Não vivo disso, tenho emprego na iniciativa privada. Não sou partidário de coisa alguma. Não acredito em organização de nada. Não quero mudar o mundo. Sou cristão e como tal estudo e participo da Igreja Católica, na medida do possível. Acredito em milagres. Tenho um blog: FozVox. O blog é divulgado no jornal virtual: OIguassu. Não tenho participação no que é publicado no jornal. Respondo pelo que escrevo. Até onde pude ver, o jornal é plural em termos de ‘linha editorial; como, há tempos vem fazendo alguns jornais europeus, cansados, de ‘mudarem o mundo, a cada nova edição.

Tentei um diploma. Cheguei a receber o ‘canudo azul aveludado, em uma festa no Carimã. Depois que receberam as mensalidades, o curso ‘ficou falso, o MEC sabia disso. O MEC (do PT e FSP), havia invalidado o curso, por negociatas dos sindicatos com escolas e o MEC, não há outra explicação. Era minha terceira tentativa e a única que havia concluído. Alguém lá de cima, não queria que me formasse. Hoje entendo porque. O que tinha para aprender, estava ao meu redor. Após minha desistência definitiva de ‘diploma, enviei algumas matérias (de jornal) ao Ministério do Trabalho e recebi um certificado definitivo, de Jornalista. O ‘sindicato de jornalistas, também do PT e FSP, não reconhecem o certificado. É uma questão corporativa. Tudo pela liberdade de expressão.

Você deve estar se perguntando …, o que ‘eu, tenho a ver com isso! Explico, este tipo de coisa, este tipo de interferência, de dificuldade, confusão, tapeação, impedimentos variados, provocados por circunstâncias alheias a você, quando você pensa que está fazendo certo, isso acontece com muita frequência e em muitas outras coisas, muito mais simples, porém, mais importantes, para a vida. Não falo da imprevisibilidade de um temporal. Por exemplo, quem não queria um transporte de qualidade? E certo que depende de espaços e distâncias. Na cidade do Rio foi inaugurado o bonde! Mas deixemos isso de lado. Está bem …, o que é um transporte de qualidade? Acredito que seja aquele, que é seguro, garantido e protegido pelo Estado, com lugares suficientes, confortáveis e climatizado; o mais rápido possível, com horário britânico e cuja velocidade e sinuosidades do trajeto, independam do ser humano, no comando. E que seja praticamente impossível de sabotagem, por

roubo e outros atos de terrorismo, tão comuns em nossos dias. Este, é o Trem! Muito prazer!

Eu quero lhe falar sobre duas coisas apenas: ar condicionado nos ônibus (no verão) e Trem, em uma perspectiva de ligar …, cidades.

Outro dia fiquei observando uma propaganda do ‘parque das aves. Primeiro, mostra um ‘tucano, se refrescando em um trecho de água corrente, depois araras ‘mordiscando sorvete, e todos em baixo de uma chuva artificial. O ambiente era de floresta tropical, mata fechada. Fiquei pensando, ora, como é possível, na mesma cidade, tanto amor pelos bichinhos (o que é justo) e tanto desprezo pelo ser humano? Há algo de anormal, será novamente o PT e o FSP?

Paulo Mac Donald, entrou numa fria …, – sem ar condicionado, também por causa do consórcio Sorriso (um Cartel). E, em nenhum momento, ninguém; nem sindicato, nem câmara, nem empresários da cidade, solicitaram, ‘ar condicionado nos ônibus – pelo menos, no verão. Para dizer a verdade, alguém deve ter dito algo, sobre ventilação, então enfiaram alguns ventilados nos tetos dos ônibus, e isso, custou dinheiro, porque foram vários ventiladores e, a instalação. Alguém se deu bem com isso. Acontece que o ‘ventilador do inferno de Dante, sopra ‘ar quente!

Qualquer sujeito, da área de metalurgia, faria muito melhor do que ‘estes, que enfiam ventiladores no teto …, como amante, pego em flagrante enfia as calças. Se alguém tivesse boa vontade, teria a humildade de pedir uma solução de ventilação nos ônibus. Porque mesmo usando ventilador é possível se ter boa ventilação, bastando que receba ar fresco e isso, em cima de ônibus, só é possível criando outro teto encima do teto e aplicando alguma técnica de refrigeração.

Mas francamente, deviam fazer como a Argentina. Os ônibus argentinos, apesar de ‘quadradões, no seu formato, humilham os nossos ônibus. Dia destes, no ponto, observava um. O motorista, muito educado, vendo que observava, abriu a porta e me convidou a entrar. O clima estava maravilhoso. Percebi, naquele instante, o que aquele motorista já havia percebido antes, em Foz do Iguaçu …, não colocam ‘ar condicionado, não é por dinheiro. É por que não ligam! Desprezam aqueles que pegam ônibus. Para eles, que nunca usaram ônibus, o luxo do ‘ar condicionado é ridículo. É como dar luvas a favelados! Como disse uma empresária da educação, ao mesmo tempo em que dava ácido às funcionárias para limparem o chão.

O seu ponto fraco (do empresário), o seu ‘calcanhar de Aquiles, é a concorrência. Eles odeiam concorrência. E não deixam ninguém entrar. Eles, empresários políticos, políticos e empresários, ‘pensam controlar quem vai se dar bem, quem não vai. Até certo ponto, conseguem isso. Mas as coisas – de uma pedra a um homem, são instáveis: a pedra pode rolar de uma montanha e causar uma avalanche, ou um simples buraco na rua, que arrebenta um carro; o homem, sem amor, pode fazer de seu imaginário uma arma contra si mesmo.

As empresas de ônibus, para se safarem da concorrência, arrumaram um sócio bem pior: O Estado. Mas não qualquer Estado …, um Estado que intervém na economia. Que não se incomoda de construir ‘pirâmides e muros, desde que controle isso. Nisso, os empresários de ônibus de Foz caíram …. O ‘mal vem a cavalo, dizem os antigos. Afinal quem paga a passagem dos idosos? Não é uma intervenção do estado? Em nome de tal ou qual estatuto? Então, sempre que tentam uma solução, para barrar o que é ‘natural, acabam afundando mais, na lama. Há um equilíbrio, que eles poderiam usar, fazendo o que é necessário, a quem não tem, a quem reclamar, isso dá força moral. E precisamente fazem o contrário, se negam a um ‘ar condicionado, sabendo que Foz é uma cidade abafada. É um buraco! Um buraco tão grande que coube um lago artificial e fabulosas quedas d’água, que alguns se consideram donos. Por favor, não estou falando de ‘direitos, estou falando de humanidade! ‘Direitos, é outra enganação …, adivinhe de quem? “A cada direito, são várias obrigações, distribuídas a todos”. E a coisa afunda mais. Estou dizendo isso, para encaminhar o assunto …, da extrema necessidade, de ‘liberdade de ir e vir, ao povo. E logo você vai entender.

E quer saber eles não lavam mais o ônibus com a frequência necessária, às vezes o ônibus cheira mal! Bem, os perfumes, não são perfumes, são colônias e duram o tempo de 10 minutos, o tempo do perfume de quando se faz a barba. Com relação ao ‘ar condicionado, os motoristas foram instruídos …, ou pelo sindicato, ou pela empresa, a dizer que: “o ar condicionado, não funciona com o ônibus abrindo e fechando a porta”. O da Argentina funciona! Ou, que: “todo mundo deve sofrer um pouco”. Essa, ouvi hoje! Obviamente isso é deprimente e desumano.

Quando perguntaram a Paulo Mac Donald sobre o transporte e a falta de ônibus, com desdém, ele respondeu: “a maioria da população já tem veículo próprio”. Estas palavras de Paulo Mac Donald, não foram ao ‘povo, mas aos seus pares: políticos, empresários do transporte, famílias do transporte, que já o haviam usado o suficiente como, ‘prefeito e, sem retorno algum, nem um mísero ar condicionado: para que se dissesse: “isso é coisa do Paulo! ”. A resposta de Paulo era para eles, o ‘jornalista estava na frente e, sem saber de nada, do que realmente acontecia. Claro que se há fumaça, há fogo! De alguma forma, o Consórcio Sorriso (nome irônico, pela própria situação de conflito em que foi formado, isso é outra história), só pensou em benefício próprio e se teve ‘esta opção como recurso desesperado, é porque teve que ceder ao Estado, com a condição, de este, lhe garantir o monopólio do transporte. Uma coisa nunca anda só.

Com relação ao trem. Brincando com um amigo, no trabalho, disse: “Quando for prefeito vou conversar com outros prefeitos e implantar uma estrada de ferro que passe por vários municípios até Curitiba”. – Meu amigo respondeu: – Eu apoio! Agora, sim! Disse.

Voltando ao Trem. Você tem noção do que isso pode trazer de benefício ‘para o povo? Não traz benefício para aqueles que se acastelaram nas cidades e controlam os terrenos, vivem de alugueis, pontos …, a chamada ‘especulação imobiliária. Em uma cidade como Foz, esta ‘especulação, ou ‘bolha, significa: medo, pânico. Não traz benefícios para os psicopatas que querem mudar o mundo. Não traz benefícios para aqueles que querem controlar a população, como gado, ou militante político. Lembram quando Paulo mentiu sobre a população da cidade? Mentiu pela cidade e, ‘com a cidade …, quanto mais gente, mais dinheiro do governo federal. Parece bom, mas não deu certo. O dinheiro acaba. Mas uma coisa é certa; a dependência da cidade aos recursos de fora da cidade, já que o dinheiro arrecadado ‘com milhões de visitações é retirado dela, por ‘mãos do Estado, este tipo de dependência ao dinheiro ‘de fora, é um tipo de ‘claustro de desenvolvimento. E os negociantes locais enlouquecem, e pioram a situação.

Mesmo porque, se não querem quem venham pessoas de fora, com recursos (concorrentes, ou não) …, não querem que as pessoas de dentro, saiam ou melhorem de vida. Isso é psicopático. Isso, está doença nada humanitária, nunca aconteceu na história da humanidade Ocidental. Mas aqui acontece, na saúde! A educação se perdeu de vez! Mas quem quer estudar? A igreja católica se perdeu porque os fiéis à abandonaram. Uma cidade de monstros.

Um trem, por princípio de controle do Estado, é o próprio Estado (antigo), é como um navio, que leva a bandeira do país …, um trem dá a liberdade de novas pequenas vilas (estações, controles etc.), além da própria construção (trilhos, dormentes, parafusos, vagões, locomotivas) …, dá acesso ao transporte barato e certo; com horário britânico, ou quase isso.

As cidades que alcança, mobiliza os mais pobres, que podem procurar outras opções de trabalho, podem criar opções de trabalho. Comprar terrenos onde passa o trem, a preços normais, para um salário. Ou cidades, que os queiram com amor, porque nem todas cidades são iguais.

Entretanto, o que parece, nestes governos comunistas, é que querem escravizar as pessoas … e pior, querem que elas continuem assim para sempre. Simulam aos jovens um futuro, exatamente, virtual. Estão dizendo o que vão fazer! Uma vida de gado. É o próprio modelo comunista de sociedade. Por isso, desde FHC, os políticos não só não prometem nada, como não dizem nada, porque nada farão.

Estão nas mãos dos ditadores do ‘regime popular, de um pernambucano e um carioca, malucos: ora FHC (Aécio, Serra), ora Lula (Marina, Ciro Gomes etc.), e pagaram, aos políticos, por isso: privatização, mensalão, petrolão, estatais, empregos etc. E estes ‘pagos, lhes dão crédito e os empresários que se acham favorecidos (monopólios principalmente), lhes dão créditos. E eles continuam no poder. Mesmo que o povo diga não!, aos políticos, como disse!, com 7 milhões de pessoas nas ruas do país. Quem liga? Com certeza há retorno! O mar devolve os

dejetos atirados nele! Não há mal que prevaleça. Porque v. não exige isso, do ‘seu prefeito? Ou, ele será eleito, pelos seus lindos olhos, a fala mansa e o choro?

Aristocracia de Jagunços e Cangaceiros

(Frase do escritor e psiquiatra Heitor de Paola. Grifo meu, com propriedade moral).

Por Luiz C.S. Lucasy – FozVox

Toda esta parafernália midiática: expositiva e não expositiva – o que dá na mesma, pois que o efeito das prisões e das cabeças raspadas, para os homens …, são inesquecíveis. A mídia se divide, uns insistem com nomes e casos particulares, outros preferem a discrição, o mais possível. Afinal, os presos, como (ex.) homens públicos, tinham algum poder midiático. E em algum momento, direta ou indiretamente, subsidiaram e subsidiam a imprensa, mesmo que seja com uma lei que autoriza a aquisição de exemplares (de jornais etc.) nos órgãos públicos.

Para as pessoas de Foz do Iguaçu, as duas classes básicas: dos ‘letrados: universitários, funcionários públicos (a concorrência interna exige diplomas, o que não quer dizer conhecimento), empresários, autônomos e, dos ‘não letrados …, o que equivale às ‘classes falantes e ‘não falantes, como o tradicional ‘trabalhador da iniciativa privada (nominado pelas esquerdas), quando muito, um leitor de ‘manchetes de jornais …, mas um ávido consumidor de notícias de TV; os desempregados, os que nunca trabalharam, os que vivem de bicos, os que vivem de muamba, e aqueles que apelaram à marginalidade. Para uns, juntando as duas classes, todo este movimento político é ‘um circo, para outros, ‘um teatro de horrores, para outros ‘uma campanha publicitária visando 2018 e para outros ainda, ‘um cenário do qual finge não fazer parte …, mas que calou, quando deveria falar; que procurou não saber quando deveria saber; tudo isso, é um pequeno trecho de uma triste história de corrupção em Foz, acaba este ano. O núcleo, se desgasta por uso intenso e auto-degradante …, neste ano, para o ano que vem, sobram os temas periféricos: as fofocas e ao povo, um imaginário que daria inveja a qualquer pessimista de carreira!

O ‘carnaval de 2017, será o carnaval mais falido, de todos os carnavais do Brasil. Não há lei Rouanet que sustente isso. O carnaval no período Lula/Dilma, mudou de patamar, a partir dos carros elétricos de Bahia, da guerra dos bois do Parintins, e do desfile de ‘personalidades do bumbum no Rio de Janeiro e São Paulo, todas as ‘festas populares, com cantores de alto cache! Mas em Foz haverá outro carnaval, exclusivo, do ‘socialismo tupiniquim …, – com as eleições de prefeitos! Ao invés de ‘escolas de samba …, – ‘baile de máscaras dos políticos. Eles já estão montando seus palanques e carros de som, já fazem suas ‘composições, temas e, muito, muito dinheiro para a festa ‘democrática! Paulo Mac Donald tentou e atentou Mansur, o desejo de Paulo não se concretizou! Mansur e <<Marina da Silva>> têem um papel ‘importante para 2018 e Paulo, não faz parte desta apresentação. Evidente que se Paulo se juntasse à Mansur, isso seria decisivo e não favorável ao PT (em 2018) e Marina não aceitaria isso de forma alguma.

As ‘prisões rapidinhas dos políticos, pois que não são ‘oposição ao sistema, ao contrário, são o sistema …, – ou seja, não são oposição à ‘Lênin, ao contrário, são a favor do ‘Brasil para Lênin (como diz a radiovox.org); todos lamentaram a morte de Fidel, a morte Che, reverenciam Maduro, Mojica e Evo Morales e odeiam Bolsonaro …, claro que alguns não ligam a mínima para nada disso e isso, não quer dizer nada – quando alguém é contra, diz claramente, como estou dizendo aqui. Será que querem ‘se poupar de desgaste, dizendo o que pensam de verdade? Então deveriam pedir auxílio ao ‘supremo. Como disse o Ministro Fux: “há certas leis que o congresso não quer se envolver, para não se desgastar, então, nós do supremo, tomamos a iniciativa”. Grifo meu: e nos tornamos ‘ativistas do aborto!

Este momento político para Foz do Iguaçu, tem dois significados, como veremos neste e n’outros parágrafo: um para o político ‘preso, como é preso um ‘escrevente de cartório, que foi à audiência como o Juiz, bêbado e ‘bate-boca com o Juiz e é recolhido ao xadrez. Vi isso em Osasco – SP, quando, escrevente. Alguns escreventes não suportavam a pressão diária dos julgamentos e, na hora do almoço, depois do expediente e quase, a noite toda, ‘enchiam a cara!

# Voltando. O significado disso para o político, é a desmoralização, mas uma desmoralização solidária, afinal foram todos presos! E todos são cumplices, mesmo os que não foram acusados, pois é óbvio que sabiam e calaram por ‘camaradagem. Pois não distinguiram entre crime fútil de oportunidade e crime social, para uma cidade decadente, especialmente na saúde. E sabem, que muito brevemente isso será esquecido e então …, voltam como candidatos a deputado, ou secretários, ou assessores, realmente não importa o cargo, quem define isso são os partidos, os

diretórios e notem como todos os partidos estão ‘quietos! Todos os sindicatos, estão silentes, mortos. Há uma cumplicidade do tamanho do Estado do Paraná.

# E francamente o povo esquece! É exatamente o que está fazendo ‘a marca, ‘o símbolo: Lula, Esso, Shell! O segundo significado destas prisões de políticos, já que a lei é branda, de fato, são dois significados: um à classe dos letrados, que podem ser ignorantes, quando deviam saber e outro, à classe dos que não sabem nada.

# Aliás, “não saber de nada” é uma ferramenta usada (por Lula). Lula sabe que ‘não saber nada é uma característica da maioria da população brasileira. Há uma intenção maquiavélica de Lula, quando repete isso – ao mundo. Lula pelo oportunismo se junta à maioria. À qual ensinaram (a esquerda ensinou), o ‘não saber nada e, o desprezo à ‘burguesia (luta de classes) …, de fato sabem alguma coisa, o ódio de classe, criado pelos comunistas e repetido hoje, nas universidades! De certa forma não deixa de ser uma ‘deixa (sinal, ou atitude de ator), de igualdade e ‘proletarismo, isso – aos nescientes da própria nesciência – é simpático. Logo …, – sabem, o que acham que precisam saber, pois que são induzidos a isso …, e, se o Lula é igual, então, Lula está sendo injustiçado!

Logo, o segundo significado destas prisões, com um símbolo oculto de ‘injustiça, (da luta do: nós contra eles), é induzir às massas a se envolverem na política e elas o farão <<no voto secreto>>, exatamente nesta medida da nesciência, onde vale mais ‘a marca, ‘o símbolo. E nisso, convenhamos, as classes letradas da esquerda são pródigas em divulgar os seus ‘rebentos: por exemplo, o truque de marketing do deputado ‘Tiririca, mais para ‘cangaceiro, que disse: “eu não sei o que é ser deputado, mas quanto entrar lá, eu digo ‘prá vocês …”, ou coisa assim.

Em: A Aristocracia de Jagunços e Cangaceiros

Por Luiz C.S. Lucasy – FozVox

Trechos

…. A importância do tema: Sindicato, é que o sindicato é o que está mais próximo ao sistema produtivo, ou de serviços na Iniciativa Privada (doravante IP) e também, o sindicato do Estado (doravante SE) ligado, aos professores, bancários e funcionários públicos em geral. No geral, os ‘trabalhadores, buscam um emprego e com isso, levar uma vida em paz. Entretanto, há duas modalidades de emprego conflitantes: uma na IP, outra no Estado. O Estado depende das matérias primas (de graça) e, dos impostos. A IP do setor produtivo depende das matérias primas e paga impostos, a IP do setor de serviços depende menos das matérias primas e paga impostos. Para a indústria que só funciona à base de matérias primas, há o recurso das sucatas (por exemplo, cobre, bronze, alumínio, ferro, nióbio etc.). Para as empresas que não dependem da matéria prima é um recurso a menos.

O presidente do sindicato do Comércio em Foz do Iguaçu também é vereador em Foz do Iguaçu. Acumula funções, formal ou informalmente, assim como o presidente do sindicato dos Rodoviários. Tratam o sindicato como uma extensão de domínio privado. É uma característica do sindicalismo atual. E uma característica das Centrais Sindicais, da Federações e Confederações sindicais. Que viajam o mundo, ainda civilizado, para contarem suas vitórias. Da mesma forma Lula tratou do patrimônio nacional, como se fosse seu, mas …, do ‘movimento (…). Da mesma forma como Fidel Castro, que morreu em ‘sua ilha, de Fidel e, do movimento!

As susceptibilidades deste sistema, deste modo de pensar e agir é instável, quer dizer pode explodir a qualquer momento e os estilhaços atingem o povo. E isso é visível pelo descompromisso moral junto ao povo; quando a ‘instituição passa a ser o foco, quando deveria ser apenas, local de encontro para reuniões de questões de abrangência nacional, que influenciam diretamente na questão do emprego na iniciativa privada, a economia municipal e, as ações da Nova Ordem Mundial, logo teria que se discutir o contrabando Chinês! Discutir também sobre, as influências do ‘socialismo cubano, venezuelano, o lulismo e o fabianismo, o Foro de s. Paulo, Celac, Mercosul etc., que influenciam o Brasil e América, há mais de 50 anos! E até agora, ainda não descobriram isso?

O Foro de s. Paulo existe desde 1990, a grande reunião de FHC e Lula aconteceu em Princeton em 1993. Havia um plano e ninguém sabia de nada? E se v. ainda tem dúvidas, em 2006 o senhor Serra poderia ter tirado Lula do páreo perguntando a ele sobre o Foro de s. Paulo. Em 2014, o senhor Aécio poderia ter solicitado outra eleição, devido a gravíssima ocorrência de <<apuração secreta>> e, o que eles fizeram? Cumpriram o acordo de FHC e Lula em 1993! Não fizeram nada! Qual sindicato, mídia, partido, falou a respeito, ou se pronunciou publicamente? Desde então, vivemos em estado de cinismo, hipocrisia, descrença, ódio etc. E o resultado? Mais de 60 mil assassinatos ao ano, já se vão mais de 6 anos, portanto 360 mil assassinados. Fazendo um paralelo às opiniões da ‘ciência positivista, com relação aos fumantes ativos e passivos …, 360 mil assassinados ativos e 1.400.000 de assassinatos passivos (os familiares). Paro por aqui.

Nada de mais. Tenho um blog o ‘fozvox.blogspot.com, onde faço análises sobre assuntos políticos e, econômicos …, pela oportunidade que o tema político oferece. No ‘rascunho dei início a um tema, cujo título é SINDICATO e, já está na parte 7, cada parte tem uma média de 5 páginas. Meu amigo Cazuza e eu, publicamos isso – ‘3 partes das 7 do tema Sindicato – no site do Jornal Iguassu: Nossa Voz e a ‘coisa ficou extensa. E ainda juntou a outras análises anteriores, tão extensas quanto, e isso aconteceu de forma ‘corrida, tendo como separação uma pequena foto azul de um trecho da Av. Rep. da Argentina, foto que eu tirei antes do ‘horário de verão na primavera, às 5;30 h em frente à distribuidora Max, que fechou um pouco antes, dos três mercados Max. E não constou os títulos de cada matéria. Em se tratando de análise, não só deste tema Sindicato, e outras, que estão ali …, nada de mais, para um leitor experiente, seria como ler um pequeno livro. Porém, para a quase totalidade dos leitores, graus acima do que é comum, os temas como Sindicato, por exemplo, não causam efeito …, porque eles têm a impressão de que é um assunto consumado. E sequer tem a ‘manchete para ler, apenas uma pequena foto azul! Sua visão sobre sindicato é negativa por princípio da ação do sindicato (nacional) e isso eu explico nas matérias. De outra forma próprio sindicalista não questiona suas ações, para ele, o sindicato é (na alquimia), o sal. E continua atuando normalmente como sempre o fez, veja o caso do Sindhoteis, que tem uma coluna no Jornal Gazeta, para ele, o sindicalismo é isso e, é honesto, ao menos está dizendo o que faz, e quando faz isso, publica, se livra de possíveis dúvidas que se possam levantar contra o sindicato, isso é uma atuação política, agora, será que é só isso? Bem, pode ser só isso, se não considerar nenhum dos fatores externos, como por exemplo a atual situação da cidade de Foz do Iguaçu e isso começou de alguma forma e, por pessoas (os presos políticos, os monopólios, os carteis, os consórcios, as corporações, os assassinatos e roubos, o altíssimo nível de ‘barulho [ruídos] na cidade, o desemprego, a qualidade dos empregos etc.). O sindicato, no geral, os partidos políticos passam por tudo isso, ‘como uma nuvem passa no céu! Quando muito um líder político se pronuncia os momentos eleitorais e usa termos mágicos como: ‘mudança, fazer diferente etc., e nunca dizem como! A função da análise é apenas clarear, ‘limpar a área! A proposta disto que estou escrevendo agora, e já levantando uma nova tese …. A proposta (ao Jornal e aos leitores) é fazer um resumo sintético das análises e eventualmente alguma matéria curta de no máximo uma lauda, para que seja publicada no jornal ou site e manter as análises do FozVox, onde as pessoas interessadas no assunto pudessem recorrer. Obrigado.

Segunda parte: O SINDICATO – (Primeira parte fala sobre os sindicatos que estão ligados à iniciativa privava (IP), o sindicato ‘patronal e, o dos‘trabalhadores:  maios ou menos, o policial bom e o policial ruim, dependendo do ponto de vista em que se está. E tudo isso não passa de um fetiche‘revolucionário. No ambiente sindical criaram uma ‘aparência de combatividade, um signo, um símbolo do habitus, que não corresponde à realidade das pessoas que estão trabalhando).

SI – sindicatos ligados à iniciativa privada

SE – sindicatos do Estado e município

….  Neste sentido, fazem congressos, onde reúnem sindicatos (IP) e convidam estes ‘líderes regionais, para dar-lhes algum ‘alimento intelectual de nível político partidário …, ou seja, nenhum! As explicações do ‘mundo sindical e sua ação no movimento, elas não têm convencido ninguém …,

– então, coube ao sindicato SE, com seu poderio econômico e, a ‘garantia de emprego, ativar a chama dos ‘movimentos sem causa alguma, ou causas improváveis, ou simplesmente irritantes; como as greves que envolvem alunos, pais de alunos, outras que envolvem clientes de bancos, caminhoneiros e suas famílias, correios, INSS etc. Se por um lado, isso cria um ambiente de‘agitação por outro, desmascara sua crença na ‘ação revolucionária, pelos viés das greves, onde atacam os concorrentes, por exemplo, no PR, toda greve do sindicato SE, tem como ‘alvo o governador do PSDB. E isso não quer dizer, ao povo, que ele seja bom ou ruim, até por isso, o povo não entende o ‘ataque ao governo, mas quer dizer ao ‘movimento que ele, apesar de esquerdista (ala jovem dos Fabianos: Aécio, Beto e ACM Neto), não está alinhado ao Foro de s. Paulo.

Falamos sobre o sindicado que atua junto à Iniciativa Privada (IP). Mas vamos visitar um sindicato e conhecer as pessoas que estão lá dentro e vamos ver em que medida elas são o que parecem ser, vistos de fora ou …, se o que se pensa sobre o ‘sindicato, tem alguma relação direta com a ação destas pessoas. Ou se, o que se pensa sobre sindicato é autônomo – só o sindicato, uma metonímia: a parte, sindicato, pelo todo as pessoas que trabalham na IP – e, se está ligado a uma ‘propaganda que pode ser a propaganda do ‘movimento(movimento do comunismo internacional).

No sindicato de ‘trabalhadores de hotéis de F. do Iguaçu, tem uma diretoria, que deve se reunir uma vez por mês. São pessoas boas. Pessoalmente, o que você pedir a elas, elas farão o possível para ajudá-lo. Fazem o seu trabalho. E qual é o seu trabalho? Manter um clube, fazer rescisões de trabalho, para‘dividir o trabalho com o Ministério do trabalho: um diretor do sindicato do comércio, disse que ‘ajudava o Ministério do Trabalho, com rescisões; outro, receber ‘trabalhadores que queiram prestar queixas, e uma vez por ano, discutir com o ‘patronal sobre o aumento (real), acima da atualização proposta pelo governo, aumento real que varia de 1 a 4%. Apelam à contribuição assistencial porque a contribuição obrigatória não consegue pagar meio ano de trabalho. Mas nunca tentam conversar com pessoas que estão na posição de empresários, e quando o fazem é escondido da ‘categoria, que a conservam como ‘bibelôs chineses (heranças do ‘movimento). Ainda persiste a ‘visão de que ‘sindicalista, não deve conversar com ‘o opressor. No entanto, o tempo todo, os maiores amigos dos revolucionários da CUT, eram os‘opressores das Indústrias Villares, da FIESP etc.  

Tenho um problema. Fazer isso que foi dito no parágrafo anterior, os torna, às pessoas, boas ou más? Uma empresa que reduz o número de funcionários, reduz a produção, no geral é isso: reduz a produção, deixa de ganhar, perde. Se uma empresa pratica o ‘rodízio de empregados, o faz, não por graça, para conhecer os empregados ‘da praça. Se uma empresa sacrifica o funcionário, com salário, com horário, o faz, porque são condições dadas de fora. A empresa está no universo de poder, do Estado. Por exemplo, sempre estranhei o fato de se cobrar água e luz de orfanatos, conventos, casas de abrigo etc. No entanto, elas fecham, por falta de humanidade. Isto também vem de fora, da sociedade civil. As pessoas que trabalham aí, no Estado, na sociedade civil, são boas, ou ruins. Bem, tudo isso é feito por ‘pessoas, se mandadas ou não, agora, importa pouco, o fato é que fazem. De fato, não háquem manda, há quem cria Leis, por sugestão, por indução ou, o movimento comunista! Mas porque fazem as coisas mesmo sabendo que não são boas …, ou porque deixam de fazer coisas, que deveriam fazer? Porque estão convencidas de que agindo assim estão fazendo o melhor? Talvez pensem que qualquer outro em seu lugar faria o mesmo! Desta forma existe um‘espírito de governo (Estado), na atualidade, e através do meio ambiente e sustentabilidade, criou-se um ‘monstro da lagoa azul; isto é uma espécie artificial de ‘espírito e isso vai intervir na sociedade. No sindicalismo etc. Algumas pessoas entendem este ‘espírito como maligno. Não lhes tiro as razões. Portanto …, vem de fora, do ambiente sindical IP. Agora, se o sindicalista se faz de sonso e não quer ver: talvez não queira ver, e talvez não esteja entendo nada, e por isso corre aos amigos, ao grupo, aos congressos, aos partidos – onde será convencido a ver, do ponto de vista do ‘movimento! É comum, por exemplo, o empresário pedir socorro ao próprio inimigo! Porque ao sindicalista IP, seria diferente? Hoje em dia, não há uma reunião de políticos regionais, por exemplo, ‘de desenvolvimento de Foz do Iguaçu, onde não tenha a palavra ‘chave: meio ambiente, sustentabilidade etc. Caíram na rede da Nova Ordem Mundial! Se isso é bom ou ruim, se deve medir pela atualidade: os crimes (60 mil assassinatos ao ano), o narcotráfico (O Brasil é o maior consumidor), o terrorismo, a depressão (o Brasil bate recorde de depressivos), os assaltos aos caixas eletrônicos; políticos; os que consideram ‘roubo aos cofres públicos, um ato revolucionário etc. etc. etc.

É possível que uma pessoa tenha ‘duas mentes, uma para cada situação? Ou dois cenários distintos para uma só mente? Um cenário fervente do revolucionarismo e um cenário de pessoas que ‘precisam ser convencidas …

…. Um ‘eu, particular, que não é o ‘seu eu profundo, que abarcaria todo o resto…, mas um ‘eu, sobrevivente …, – e, viva, um outro ‘eu, do que considere suas obrigações sociais, políticas?

Bem isto caracteriza um estado de tensões. Assim sendo a pessoa teria que ter o ‘eu família, o ‘eu amigos, o ‘eu sexo e o ‘seu eu seria o arquétipo de Jung. E isso seria uma espécie de desconstrução do caráter, da alma.

…. De outra forma, talvez se possa condensar blocos de tensões iguais e diferentes, isso pode ser caracterizado por uma expressão tensa, nervosa, porém sorridente, quando a alma está doente. As tensões (de Mario F. do Santos), são reais. Então, isso é uma constante. E as tensões são variadas, quando se entra neste estado e todas levam a um tipo de isolamento à humanidade, pois que se luta na humanidade e contra ela. No Egito, Cristãos foram assassinados, por serem, Cristãos!

Talvez isto seja a origem principal do individualismo, do egoísmo, quando as tensões chegam a um ponto tal, que se tornam insuportáveis. E aí entramos na área da psicologia e suas doenças. Será este o caso? Se não for é bem próximo disto, pois já não se trata de a pessoa, ser boa ou má. Nem ela pode distinguir isso. Poderia sim, se os fundamentos de sua existência tivessem uma história para servir de referência moral, como a história de Moisés, de Jesus Cristo, então não haveriam dúvidas, do que é ser bom ou ruim. Não obstante, na sociedade, a referência de humanidade é o Estado! E o Estado diz claramente, que não é referência de humanidade, mas de ‘justiça social! O social agradece! Mas as pessoas continuam ‘na lona! As pessoas fizeram com sua personalidade, o que a ciência fez com suas experiências, isolando-as daquilo que optou por não ver. Como por exemplo, não escutar o seu eu profundo, que distingue mui claramente o certo e o errado.

Concluindo este tema, não há como julgar (pessoas normais: boas e não tão boas, que reagem bem ou mal e com pouca consciência do real)…, isso cabe a Deus, hoje e pela eternidade. Mas é aconselhável apontar erros, quando estes erros afetam a vida de uma pessoa, que seja. Isto é obrigação, quando se nota algo errado. Se os agentes sindicais do município, acreditam que estejam fazendo o que é correto, mesmo que hajam vozes discordantes de sua ação – às vezes processos – e assim mesmo, eles se furtam ao debate, ao esclarecimento da situação, ou mesmo da exposição disso, ao público, que seria sua defesa moral, é porque em ‘vias de dúvidas, considera mais confortável ouvir seus iguais, que por acidente, vivem a mesma situação de apostasia moral e se ‘confortam mutuamente, reproduzindo o de sempre! Portanto, se não pecam por graves coisas, e conscientes, pecam pela arrogância, oportunismo e pânico. E se isso convive com um sistema ‘campeão de oportunismos e crimes econômicos (contra um país), eles podem ser as melhores pessoas no seu ‘eu família, mas na verdade são irresponsáveis chegando ao limite de um Lula da Silva.

Quando vi (na televisão) dois vereadores e um secretário da prefeitura de Foz do Iguaçu; Edilio, Hermógenes e o secretário Beltrame, saírem da audiência no fórum, a respeito da ‘operação pecúlio, onde respondiam três situações diferentes para cada um; uma, a respeito de carro municipal que foi cedido a um juiz, por duas vezes; outra, de dois ônibus fretados para locomover pessoas em duas situações e outro, por ‘distribuição de alguns cargos, fiquei a pensar se isso fazia algum sentido?  Tudo me pareceu tão mesquinho que preferi entender que era um ‘filme de pornochanchada de diretor surreal contando seus causos de realismo banal …, ‘do meio dos conchavos espertos, das licitações, dos encontros noturnos, dos jogos de baralho, das traições, das delações etc., e que o povo da cidade, não tem o menor interesse em saber destas bobagens, que são apenas uma ‘pequena ponta de algo muito maior, que estão ocultando com as acusações recíprocas,  que ocultam sua fraqueza e sua solidão do <<machine man>> e, que é representado pela falência da cidade …, representado pelo crime de roubo, assassinatos; alto índice de depressão, drogados, desemprego; emprego decadente, falência da saúde, educação em transformação etc. Até …, a intervenção branca do Governo do Estado. Quando transfere a sede do governo para Foz do Iguaçu.

Tudo o que escrevo aqui foi visto em um único repórter em horário nobre de televisão.

ATO SOLITÁRIO – Outra reportagem foi sobre a festa de Natal que está sendo oferecida aos bairros de Foz do Iguaçu pela RPC TV. Na festa tem brinquedos para crianças, sorvetes e brindes etc. Devia ter um telão passando filme de desenho animado. A princípio já que é uma ação de ‘alegria, que é um símbolo do Natal, porque não o fazem em conjunto com outras emissoras? Porque este projeto não se uniu – moralmente – aos pobres comerciantes, para confraternizarem nos bairros, ou na cidade? O Sindicato de Trabalhadores de Hotéis (clube atrás da churrascaria Rafain), e o sindicato do comércio (próximo ao teatro Rafain), também fazem festas, sozinhos – para ‘categoria. O Muffato do Morumbi, em sua inauguração, reuniu muita gente. As ‘festas,vem e vão, com a rapidez de um raio. E logo são esquecidas. Antes, ia às festas para encontrar amigos, hoje, vão as festas para mostrar às crianças algumas facetas do que era o humanismo. Causar uma impressão às crianças, precisamente daquilo que os adultos perderam no tempo? Para registrar um fato? Montaram uma barraca para o ‘papai Noel próximo ao Banco do Brasil. Ótimo! Mas porque não usaram a praça do Mitre? A ‘sociedade de Foz, a‘cidade de Foz do Iguaçu, não existe mais, o que existe ainda, vi escrito em uma placa: “Ponto excelente. Vendo! ”.

O PRÊMIO – Alguns promotores, festejavam o apoio dos populares a favor da‘Lava Jato. As pessoas saíram às ruas e fizeram o seu papel. Manifestarem um justo apoio ao Lava Jato. O Lava Jato vem sendo ameaçado para diminuir ou acabar a sua atuação, que leva ao mandante: Lula, o Chefão de Ivo Patarra. Enquanto os promotores agradeciam ao povo, mostravam o prêmio‘Inovare. Um prêmio da área do Direito. Não pude deixar de sentir um ‘frio na barriga, ao ver a euforia. Eram todos jovens. Logo, lembrei do filme do Rambo, quando cerca de trinta soldados do exército, acreditam ter encurralado o Rambo e trocam tiros com ele, e por fim usam uma bazuca e tudo se desmorona, e dão, Rambo como morto. Então tiram fotos para posteridade. E ficam impotentes quando Rambo reaparece! E voltam para casa.

INSEGURANÇA – Também apareceu a reportagem dos caminhoneiros que estão nas proximidades de aduana há mais de 15 dias. Para um caso de greveque já dura meses e parece que sempre foi assim! Finalmente, parece que as diplomacias do Brasil, Argentina e Paraguai acordaram e estão apreensivos com as greves destes ‘sujeitos de classe especial. Toda manifestação é justa, quando não afeta outras pessoas, que estão sujeitas a eles por uma conduta autoritária e distorcida de controle de aduana. Que é a própria cara de um governo autoritário, miserável e burro. O mundo todo consagra o transporte por trem e navio, por ter a segurança do Estado. E, o que acontece agora, nas aduanas é o próprio Estado gerando a insegurança. Os auditores como auditores são ótimos grevistas.

INSEGURANÇA I – Outra reportagem diz respeito a destruição de mercadorias apreendidas pela Receita Federal. Uma quantidade enorme de mercadorias. Sempre achei e acho, que destruição, seja o que for, exceto do comunismo,não é o caminho. No caso do cigarro, bem isso pode virar adubo, porque o cigarro do Paraguai é o resto da matéria prima que nenhuma pessoa, com algum senso de humanidade, usaria. Por isso colocaram estas pessoas em um país estranho, para que seu remorso fosse menor. Mas no caso de eletrônicos, isso é burrice. Individualmente nenhuma pessoa é a favor da destruição de peças eletrônicas. Mesmo que não saibam, o que fazer com isso. Então, deviam perguntar a quem sabe! O Brasil que paga os funcionários públicos que destroem coisas, está carente de alguma atenção especial, ao menos, uma vez na história deste infeliz país: roubado por natureza!

_____________________

Bem meus amigos, em todas estas ações o que há de comum é a ação da classe média. Muitos deles são comunistas, outros são bocós, que não sabem o que fazem. São os funcionários públicos, políticos esquerdistas etc. E também há os políticos oportunistas não ideológicos. Todos são ‘paus mandados, sem o saber, de poderes políticos maiores, que têm o objetivo de sufocar as empresas privadas de todas as formas, uma delas, apreendendo mercadorias, prejudicando o transporte. Pois que raramente o transporte de mercadorias, corre de forma sã. A história da ‘meia nota é uma antiga ‘sujeirainstitucional. Isso me lembra as estradas de terra batida da Idade Média. Mudou muito pouco: antes carroças, agora caminhões; antes, armas iguais, agora, armas diferentes. Antes uniformes improvisados, agora, fardas; antes uma educação sincera e bruta, agora uma educação cínica e traiçoeira. O governo permitiu a muamba da China. Com isso, se achou no direito de brincar de ‘Pirata da Perna de Pau, ou seria cara de pau?

Não há, ‘ar, de vitória em nada que se pense de Brasil, peno menos nas próximas décadas. Há, ‘ar, de desolação moral! Sem qualquer ranço de moralismo! Estamos enterrados na lama negra, gotejante e fervente. Insistem em ampliar a ignorância, e isso é feito de forma ostensiva e nas universidades e meios de comunicação! Contam ao povo …, ‘histórias da carochinha e,histórias dos heróis revolucionários, como Chê Guevara, Fidel, Marighela, Simon Bolívar que era aristocrata e que, nunca fizeram nada de bom …, viveram pela infindável revolução! E é isso o que eles propõem: uma eterna revolução! E nisso vão gerações inteiras! A sua geração! Ao ponto de um Supremo Tribunal do país, ser humilhado publicamente, por um acusado. Isso é mais uma inversão! Na realidade o ‘superior tribunal, não existe mais, seus membros originais, foram lentamente sendo substituídos por agentes.

Nem tudo são panetones e vinhos neste Natal. Entretanto, o Nascimento de Cristo, supera toda esta banalidade sub-humana. A vida curta …, à propósito! Aos homens de bem, não se deixem abater. Aos homens que ainda sofrem um sofrimento inútil, não sofram pelo mal que se abate ao país porque ainda resta muito ‘chão a ser percorrido. Lembram ou, perceberam que a eleição de 2014 <<foi secreta>>, a eleição de 2016 foi um fracasso e teve mais de 30% de abstenções! Será que esperam que em 2018 possa ocorrer um milagre, isso seria ótimo. Mas os milagres acontecem na vida das pessoas. Se houvesse um milagre teria que vir do planeta Marte. E não uma pessoa, mas um grupo respeitável que pudesse ser classificado de ‘governo. Precisamente o que não existe no Brasil para as próximas décadas. A não ser que você aceite o arrependimento, como desculpa! E quem irá se arrepender? Quem subirá na tribuna e dirá:

– Eu recebi dinheiro do Mensalão, do Petrolão. No tempo da privataria também recebia propina. Fiz licitações fraudulentas, fui truculento desonesto e estou aqui para pedir perdão. Ora, o povo não tem este‘poder, de perdoar!

E todos ficam felizes para sempre! Claro que isso não vai acontecer, jamais. Mesmo porque não acreditam que tenham feito o mal ao país, ao contrário, acreditam que tenham investido no ‘movimento do comunismo internacional, na ‘nova ordem mundial.  E aí meu amigo, não há acordo de espécie alguma. E tu continuas sem candidato. Candidato para quê, neste metiê? Já imaginaste o que será em 2018? Não só não imaginastes, como a classe média, entrou em‘ritmo de festa e de festa!

O que senti, o que imaginei, no conjunto destas reportagens, me levou a fazer este comentário. Porque achei um desaforo, aquela bandalheira bidimensional, na tela de televisão. Uma reportagem superficial (no geral – não por culpa da pessoa do jornalista), sem conteúdo, sem um mínimo de sinceridade por parte dos ‘atores: tanto de quem entrevista, quanto de quem é entrevistado. Não aguento isso: “você fez tal coisa ruim? Claro que não! “. – “Você pode falar sobre tal coisa …, – não, a constituição me reserva o direito de não falar. ” – “Você está gostando da festa que estamos lhe promovendo? Ah! Era o meu sonho! ”… Quando era criança em Barbacena …

É como se tudo aquilo – na realidade, para os ‘arquitetos de mentalidade sensível – fosse visto, de forma bidimensional, quando é tridimensional, que é a característica de qualquer objeto. Se não é tridimensional, não é objeto algum.  Todas as reportagens mostram apenas o aspecto sensível, da ação e não dos vários desdobramentos disso em cada pessoa, ou o conjunto delas, que sofre a intervenção.

…. Como intervenção cirúrgica, quando se sabe o que vai acontecer, mas nunca tem a certeza, é imprevisível. Não mencionam órgãos superiores que determinam a ação. De outra forma, será que a ação aconteceu como previsto? Ou foi adaptada segundo a conveniência? Tudo aparece de forma boae má. Boa, quando dá certo, má, quando não. A má tensão é uma constante. E a confusão é o perfil da sociedade atual, ou o perfil da classe média:‘atribulada. E todo o resto da sociedade é esquecida, como se não existisse.

Bem, estou como espectador, dizendo, a você, leitor, a forma como percebi …, a intromissão, deste amontoado de coisas insossas, truculentas e‘insalubres, em minha casa, minha sala, enquanto jantava, após ter chegado do serviço.  Imagino agora, hoje, como será a reação de quem sofreu e sofre a intervenção real, como os caminhoneiros que ainda estão na aduana e sem previsão alguma. Bem, finalmente começaram a se manifestar! Tiveram algum apoio. Quando vejo a quantidade de pessoas em situação ‘instável, sinto que isso vem crescendo ano, após ano e sempre piorando. Estamos fazendo tudo errado e ninguém quer falar a respeito. Estamos nos tratando como inimigos! (…). E não somos inimigos!

Creio que isso não vá para a lugar nenhum, só para o fundo. Basta ver a eleição de Foz do Iguaçu. Toda a eleição foi pensada de forma oportunista, precisamente por descontrole da maioria dos candidatos e partidos (de fora do eixo). O que abriu brecha para o oportunismo, de quem pensa saber o que está fazendo. No final ficaram dois candidatos e os dois estão na justiça. E os dois eram os principais do começo ao fim! Isso no mínimo é estranho! Posso estar enganado, mas a primeira notícia que ouvi da apuração da eleição foi que Paulo tinha mais de 60 mil votos e Chico 48 mil. Depois vieram com os números, que prevalecem até agora: 54 a 50 mil etc. O senhor Mansur cumpriu o seu papel alternativo. O novo político em 2018 e com ele sua ‘trupe. Os outros candidatos desapareceram nas urnas. E isso foi chamado de eleição! A quem querem e precisam enganar … – e, por quanto tempo? Porque não falam com homens? Homens de uma palavra, sem desvios ou intenções ocultas, sem bifurcação, como língua de cobra! Falar o que a estes homens, se querem destruí-los …

Entre 11 e 13 anos de idade, por minha vontade ensaiei uma série de atividades, e em todas elas, achava alguma forma de ganhar dinheiro. No bairro tinha na Feira Livre, toda semana feira era uma ‘deixa, de trabalho. Ali vendia ou trocava gibis, revistas e também fazia ‘carretos; levava as sacolas das pessoas em um carrinho que vovô havia feito para mim. Um carrinho com rodas de madeira maciça e lona de borracha em volta da roda. A caixa do carrinho era feita com madeira onde traziam os bacalhaus de Portugal. Havia um nome impresso a fogo (ferro de marcar), em uma das táboas. Não lembro o nome! Mas servia de decoração.

No bairro também tinha uma fábrica de transformadores pequenos …, quando queimavam sucata, deixavam uma boa quantidade de cobre, que recolhia e vendia. Morava na avenida ‘X’, em frente a um terreno, ao lado da escola Professora Virgília R. A. de Carvalho Pinto. Ali naquele terreno, soltava pipa (quadrado, ‘barrilete, Raia). Logo apareciam em casa, as mães e meus amiguinhos, para encomendar uma Pipa. Bem, era um negociante aos 11 anos de idade.

Isso Acabou quando arrumei um emprego registrado no qual ficaria até próximo de servir a aeronáutica. O que quero notar com esta história de um garoto de 12 anos é que …, para que aquilo acontecesse, foram preciso que existisse cinco coisas, a princípio: a feira livre, um campo aberto uma fábrica, a iniciativa de meu avô e eu próprio.

Bem, a feira, foi substituída por mercados, assim como substituem as ‘lojaspor shoppings; a fábrica passou a queimar sua sucata em fornos internos, devido a ‘lei ambiental, e o campo foi transformado em escola, para ensinar como viver melhor.

Fazia tudo que uma criança podia fazer: estudar, brincar e ainda, ganhar uns trocados, para comprar chicletes Ping Pong, picolés, doces, colas, carretéis de linha 24, papel de seda, pião, bolinhas de gude, revólveres de espoleta, espingarda de rolha, bisnagas, máscaras, e manter alguns álbuns de figurinhas, papai ajudava é verdade. De vez em quando ele trazia cinco ou dez envelopes fechados para que eu abrisse. De um pedaço de bambu tirava dezenas e varetas para pipas, fazia arco e flecha; de madeiras, fazia espadas, e assim passaram-se os anos de infância …, coisas simples que cabiam nas palmas das mãos e alegravam o coração.

Hoje, com 60 anos, quando vejo Grandes projetos em uma cidade média, projetos custeados com dinheiro de impostos, fico a imaginar o poder que algumas pessoas têm sobre a vida de outras pessoas. O poder se define, também com um grupo de pessoas, que decide o que fazer em nome de outras pessoas. Evidente que estes ‘poderes, eles têm vários estágios até ao nível internacional, quando chega às ciências, ‘os cientistas palpiteiros, aos grandes capitalistas, e os blocos de poder. Agora, como sabem o que as outras pessoas precisam de verdade? Eles não sabem, apenas usam o dinheiro, ou os ‘cartões de crédito (acabar com o dinheiro), pelo viés de impostos, destas pessoas …, a quase totalidade da população!

Ora, se as pessoas precisam de emprego, não será ‘este poder que lhes darão emprego, pois o próprio poder, composto por pessoas é um emprego, pago com dinheiro de impostos recolhidos àqueles que trabalham duro, logo, não seria justo e não faria sentido que usando o dinheiro arrecadado, criassem empregos para concorrer com aqueles que ‘os sustentam (…), e menos ainda, criar ‘novos empregos a serem pagos pelos impostos.

Vou retroceder um pouco e falar em bases reais. Foz do Iguaçu é município turístico com 30 mil leitos, um pequeno Comércio e um ‘ex-grande comércio, ao menos popular, de muambas no país vizinho. Foz tem uma população de 260 mil pessoas. Em Foz, foram construídos diversos prédios, barracões, do estado e privados. Foram usados como: ‘mercados, bancos, hospitais etc.

Depois de alguns anos de uso, foram abandonados no tempo, como foram abandonados os prédios e galpões em Detroit, EUA. Por exemplo, o que era o prédio da Caixa Econômica Federal, se tornou, por curto tempo, ‘um não sei que, da Itaipu Binacional. Quando a Itaipu saiu do prédio, ele foi ocupado por indigentes, ao modelo de Haddad, quando prefeito de São Paulo. Outro prédio, que era a Santa Casa, pelo viés de Itaipu (Hemodiálise) também se alugou algumas salas e estas pessoas que alugaram cuidam do patrimônio, outros prédios pagam segurança, para impedir a invasão. São muitos prédios e galpões.

Abro parênteses – Qual foi a atuação do Poder Legislativo com relação à cidade considerando essa realidade? Por exemplo, no sentido de usar esses espaços para criar ambientes de trabalho, no sentido de atrair pessoas para que façam investimentos. Ao invés, de ficar esperando ‘tigres asiáticos, como disse Paulo Mac Donald, quando na realidade …, que ele não sabia, os ‘tigres,eram ‘leões e águias ocidentais que haviam ido para China. Alguma vez, publicamente, o legislativo pensou sobre isso? Porque se pensou a cidade não ficou sabendo. Para que serve um legislativo sem iniciativas? Fecho parênteses.

Explorando o meu Imaginário, vejo que estes ‘espaços em área nobre, pagam impostos altíssimos. Se é que pagam. Em um só galpão no Morumbi, caberiam mais de 200 lojas, oficinas …, – realmente, pequenos negócios <<concretos>>, existentes, reais, não nos papeis de recolhimento de impostos, onde ‘brincam de grande, média, pequena e pequeníssima, empresas. Os galpões também poderiam servir como depósitos, para aquelas pessoas que não tem onde guardar coisas. Entretanto, o preço do aluguel é que faz toda a diferença. O preço do aluguel, este sim tem uma função importante para o desenvolvimento da economia popular, no sentido de abrir negócios. E isto,está <<preso>>. Por quem? Pela classe média e sua ambição sem sentido! Quando se corre o sério risco de falir a cidade inteira.

Voltando à realidade, para a contrapor ao que, acima, parece utópico …, – como seria utópico, contar com a boa vontade do poder econômico sob a tutela do Estado. Para quem realmente necessita digo, necessita, em função da atual circunstância em que o Estado é interventor! A verdadeira utopia, são os ‘grandes projetos para o município. Projetos como como o Beira Foz, o Mercado Municipal, a UNILA, a segunda ponte. Depois, projetos mais realizáveis com reforma da ponte, reforma do marco das três fronteiras. Outro projeto, de uma importante família da cidade era impensável, o projeto pedia um anel viário sobre Rio Paraná. E tudo isso com dinheiro de impostos. Muitos destes projetos eram apenas propaganda política. Que tiveram início em 2004. Por isso se pagaram anteprojetos caríssimos.

Por princípio, o Estado não deve correr os mesmos riscos da iniciativa privada: abrir uma loja a trabalhar alguns anos depois fechar, mudar de ramo, de cidade etc. Desta forma o Estado pensa que precise de ‘infraestrutura,entretanto a infraestrutura, que ele pensa, traz vícios de origem. A únicainfraestrutura que cabe ao Estado, são estradas, iluminação, água e esgoto (trens e navios), menos uma ponte que já existe! O resto é interferência. O que se pretendia com a segunda ponte? O que se pretende com a UNILA? O que se pretende e que efeitos causará um Mercado Municipal, ao mercado já existente e precário. Que efeito causou a construção do novo hospital municipal, após o fechamento da Santa Casa? O que pretendem com um escritório do Mercosul em Foz? O Mercosul tem Requião como um de seus mentores, além do Dr. Rosinha.

Outro exemplo mais concreto é o PTI (de Itaipu), deveria ser de Foz do Iguaçu. Porque o PTI não ocupa o espaço nobre da Caixa Econômica Federal emonta ali um polo de tecnologia e eletrônica, onde teria manuais para montar máquinas atuais, manuais para eletrônicos, manuais de robótica e, vendas de peças, muitas peças e variadas, preciso dizer mais? Uma espécie de feira para quem quisesse. Dou um exemplo. Na Rua Santa Efigênia em S. Paulo, lá pela década de 70, se vendia manuais de eletrônica e peças, isso fez crescer espantosamente, o número de rádio técnicos. Em cada bairro tinha uma rádio. Outros, montavam os princípios da computação, os teclados eletrônicos. Outros, montavam amplificadores etc. Vivi isso! Havia muitas variações do ramo da eletrônica. E com o tempo, foi destruído, por eletrônicos franceses (Gradiente). Talvez por isso, o PTI esteja tão escondido. E não pensa em inclusão. Não neste caso. Apenas manter salários? Será isso? Se for, é doentio!

Porque o legislativo da cidade não se manifesta em nada a respeito disto. Por que os sindicatos de Sorel, o criador dos sindicatos da iniciativa privada, não se manifestam com relação ao motivo de a cidade estar indo ‘para o brejo! Porque não sabem nada! Vivem nas sombras da utopia socialista! Se acham atores de um teatro, cujos ‘diretores também representam, a utopia do comunismo internacional; dos ‘cientistas cósmicos e dos metacapitalistas. Enquanto isso, ganham dinheiro sem trabalhar, pois, seu trabalho, é impedir que as pessoas ‘cresçam, fora de suas escolas, e criem negócios, praticamente, do nada. Pois que eles próprios, mesmo com dinheiro de impostos e bastante escolados, não conseguem fazê-lo!

Porque as instituições estatais, federais, não dizem claramente, a que vieram? Qual é o seu papel ‘no mundo e como o representam no município! Porque tiram o dinheiro da cidade? Porque este descompasso na economia regional, este atraso de anos, uma debilidade sacrificante ao povo, de um miserável dinheiro, que não deixam multiplicar e tão pouco ‘ficar, na cidade. Roubam ‘o tempo, ao povo. Os iludem! Quem? A classe média inteira! Os tratam como zumbis. Quem eles pensam que são? Isso, tu deves responder. Não basta, não votar, não gostar de políticos, isso já não os incomoda. É preciso atitude.

Foz do Iguaçu chegou a bater um recorde de assassinatos, porque nunca fizeram uma estatística sobre os depressivos compulsivos. E outra, sobre os suicídios. Bem, não se falam sobre os assaltos a ônibus. Como uma cidade com 260 mil habitantes, ousa fechar um hospital? E depois abrir outro com osmesmos problemas daquele que foi fechado por primeiro?

Porque não se encontra mais terrenos populares na cidade e, os que existem são invendáveis, são terrenos de ‘ouro dos tolos. Quem não tem no imaginário a história dos terrenos em Foz do Iguaçu? E não sabe que aí teve a interferência do Estado, do governo federal (de Lula)? E que os terrenos foram supervalorizados e enriqueceram seus ‘proprietários? E depois ‘fecharam a bica! E tudo tinha um fundo político da manutenção do ‘poder socialista no Brasil! Ora, um socialismo fruto de negociatas entre suspeitos proprietários de terrenos e o Estado? Depois se ‘descabelam de forma cinematográfica, comTúlio Bandeira? Por conta de mato nos sertões de Mato Grosso, ou coisa pior?

Nada disso que foi escrito é crítico. São impressões e alguma imaginação. Mesmo porque tudo isso, toda esta ‘ação econômica do Estado, do governo (federal, sob as vistas do governo estadual) são uma ‘bolha de sabão, (assim como a eterna construção da segunda ponte – uma inutilidade), que deve estourar em 2018, como estourou a bolha de FHC, em 2002 é um ‘ciclo de misérias socialistas, controlado pelo ‘movimento, enquanto tem dinheiro, para quem não sabe, ‘Movimento do Comunismo Internacional. Fidel Castro não morreu! Hugo Chaves, não morreu! Evo Morales, Cristina, Dilma, Maduro, Raul Castro, José Dirceu, Genoíno, Lula, FHC, Wagner, Scherer, CUT, MST, Temer, Serra, Foro de s. Paulo, PCdoB, PSOL, PSTU, PCB, PPS, Ciro Gomes, Marina da Silva estarão vivos até 2018. E tu esperas o que? Enfim, quem vai pensar isso no município, quem é pago para pensar isso? E pago por quem?

Os vereadores, os sindicalistas, as associações, os professores universitários, o Jornal de Foz, as universidades da UNILA, da UNIAMÉRICA, UNIFOZ, UNE, e o que mais? A Dinâmica? O conselho do Mercosul, com sede em Foz do Iguaçu? E o que será que eles vão pensar, por exemplo, que Foz é uma cidade ‘universitária, que “Foz é a cidade da indústria do Turismo, uma indústria sem chaminés”, e se esquecem das churrasqueiras, dos aquecedores a lenha e óleo, gás, das caldeiras em cada hotel, hospital … Agora, eles precisam pensar? Ou recebem pronto?  Seguem uma agenda, uma cartilha?

Sempre pensei que sustentabilidade fosse uma cidade que se auto sustenta(até um certo limite, do básico, do mais consumido, como alimentos, por exemplo, como o lixo, saúde, escolas, sempre se precisará de algo de fora do município, mas o quanto menos precisar melhor). E sempre achei que cidade é todo o seu povo e não uma classe de gente em especial! Seja como for, até agora, sustentabilidade do ponto de vista de uma classe social é pura ficção. Querem sustentar uma classe social, usando o trabalho forçado de outra classe social e se isso é sustentabilidade, não há nada de novo nisso! Ao contrário é muito velho e ultrapassado …, – basta <<ver com os próprios olhos>>, a situação da cidade! Agora, se tu não acreditas no que vê e acredita no que falam, bem o problema é outro!

(Observação: as recomendações que recebi, de uma redação, duas décadas atrás é que escrevesse por pequenos parágrafos de no máximo 3 linhas …, de fato, seria muitíssimo fácil! A vida por ‘chavões! Como aqueles ‘quadrinhos do facebook, ou as ‘filosofias de L. Espiritual. Mas porque faria isso? Para agradar ao leitor e acostuma-lo a frases vocativas e não respeitar …, aquilo que talvez ele próprio não saiba que tenha escondido, lá no fundo de sua alma e que lhe diz muito mais, do que aquilo que consegue expressar …. Não! Este leitor de parágrafos curtos deve achar o que ler de verdade, ou logo estará restrito à Manchetes! E o resto, ele próprio imagina! Isso é puro subjetivismo. E não posso compactuar com isso!).

As pessoas se perguntam por que o governador trouxe a capital do Estado, para Foz do Iguaçu? Motivos não faltam. Como dizem …, Foz do Iguaçu é uma cidade atípica. ‘Atípico, é o contrário de típico e vai, dá ideia de cada um. É típico nas cidades ter praças, ter as ruas dos comércios, ter os escritórios e consultórios, empresas de ônibus, a rodoviária etc. Não é típico, ter fronteiras internacionais, Aeroporto, ‘mercado negro etc. Para uns Foz é atípica pelo tipo de turismo de resultados e, de ‘corredor de contrabando internacional, com aval do governo federal, que arranca mercadoria às pessoas em nome daquilo que ele permite e ainda, se propôs à construção de uma segunda ponte! Evidentemente, falso! O turismo de resultados são as visitações às Cataratas, onde 80% da renda, vão para a União, passando por cima do Estado. O Estado já mostrou ao público o seu certificado de propriedade das Cataratas …. No entanto, os ‘resultados, o são para fora, do Paraná. Isso também me parece atípico! Para outros, a cidade é atípica pelos, vários momentos econômicos diferenciados (café, madeira, máquinas etc.) e ainda, as discretas, setenta e tantas etnias.

Minha ideia sobre o atipicismo da cidade, são vários fatos conjugados, que atuam na política e economia e que realmente, não é comum em outros municípios de médio porte …, – portanto, não são metrópoles, onde tudo se esconde; São Paulo escondeu o Foro de São Paulo por quase 16 anos! São Paulo escondeu Erundina do próprio PT! Foz é atípica, por exemplo pelo fato de ter uma colônia árabe bastante resoluta e religiosa. Ter uma colônia chinesa que se divide entre o ‘mercado do Paraguai e a igreja Budista. Ambas as colônias se fixam no Brasil e no Paraguai: em Foz do Iguaçu e São Paulo e cidade do Leste (Ciudad del Este). Também é atípica por ter três centros esotéricos (Maçons, Muçulmanos e CEAEC), atuantes na política. A própria igreja cristã começa a ensaiar ‘seus passos no esoterismo, a partir do Concílio do Vaticano II. O ‘excesso de educação foi o erro do concílio. Também é atípica por ser fronteira com dois países. E com um deles, ter forte vínculo Federal, representado pela Usina. A Usina está ligada à ONU, com NELTON MIGUEL FRIEDRICH e, JORGE SAMEK, e ambos atuam na política do ‘meio ambiente e na sustentabilidade, onde tem vários programas, como a ‘água boa e o controle das bacias hidrográficas do Paraná. Pelo viés da ‘sustentabilidade aglutina trinta e poucos municípios que participam dos ‘royalties, criado, pelos militares, como apoio econômico ao caos, nos municípios, com a invasão do lago artificial. Portanto, uma agressão ambiental.  Outro fato, atípico é ter ‘Sindicatos, de professores, bancários e funcionários públicos municipais, inimigos de qualquer governo que não seja do: PPS, PSTU, PC do B, PMDB, PT etc. De outra forma, inimigos cruéis do PSDB, talvez pelo seu símbolo oculto, o da ‘tartaruga. Quando eles, os sindicatos se consideram os ‘fiéis gaviões do movimento. E estes sindicalistas provocam greves sistemáticas sob a orientação da CUT, serva obediente do Foro de São Paulo. As aduanas do Brasil e Paraguai, a do Paraguai pelo silêncio cumplice, causam transtornos, a nível diplomático, e ninguém ousa demitir sumariamente os grevistas, para o bem do serviço público …, enquanto caminhoneiros, pais de família, são tratados como ‘bestas feras e, suas empresas arcam com prejuízos enormes …, por ausência de Estradas de Ferro, que superariam na origem, estes dramas estúpidos vividos pelo comércio legal, na contramão de um mercado ilegal: o mercado negro. De outra forma, também é atípica, a estranha aliança das grandes empresas da cidade e, os monopólios privados e estatais, ao meio político de Brasília, pelo viés da Estatal …, pressionada, a partir de 2014, por Lula, Odilo Scherer, Mercadante, Emerson Wagner, que vieram à Usina em reunião, algumas privadas.

Como consequência desta inusitada ‘aliança …, – convenhamos, que afete para pior a economia e, a sociedade, isso é facilmente provado -, o meio político regional …, todo dedicado aos líderes de Brasília …, no popular: ‘puxa sacos, além de partidários, gestam um modelo ‘atípico de oportunismo político regional, de estranhas amizades e ódios inusitados, como por exemplo, deixar livre, Paulo Mac Donald, que sofreu – calado, protegendo o inimigo (para o povo) e aliado (para Paulo) – as sinistras intervenções petistas no seu primeiro mandato; no fechamento da Santa Casa; no pagamento alucinante aos terrenos, antes sem valor, para construções de casas, muitas, de ‘relocação (…) ; nos acordos cartelizados e corporativos, no transporte, no setor imobiliário, na saúde etc. E, no seu ‘segundo mandato, é abandonado pelo PT (com dinheiro) como, ‘barata que cai de caminhão de mudanças. E depois, ‘todo este amontoado de problemas e dívidas do ‘segundo mandato ‘do Paulo largado à própria sorte (a sorte parecia ser a Itaipu e suas determinações confirmadas em 2014) …, é transferido, ao ilustre parceiro de política dos tempos áureos do PSB (aliado do Foro de S. Paulo), a quem Paulo convidou …, como se convida alguém para ser sócio de uma loja, contando com os clientes que ele pode trazer …, convidou Reni, para ser secretário da Indústria e Comércio, e Reni preferiu, negociar a presidência da Câmara Municipal e com isso, foi eleito prefeito, o que, o seria de qualquer forma. Paulo, com esta atitude, salva a sua candidata a prefeita, a senhora Nanci Andreola. Uma ‘estranha no ninho. Reni Pereira, após a morte de Eduardo Campos (2014), já como prefeito há dois anos, se dá conta de que, ‘todo seu plano de governo foi um embuste! Desde antes de ser eleito! Deixa a barba crescer e a coloca de molho! Este era um ponto de vista de Brasília e dos políticos regionais avisados, que pareciam ‘armar, para Reni. Reni tenta reforçar sua aliança com o Partido de ‘Ratinho Pai e o PSDB, mas eles precisam de tempo, concreto. Elege sua esposa pelo partido de Ratinho, para somar forças. Mas tudo muda a partir da morte de E. Campos …, da fase da transposição do ‘Chicão. O PSB é um partido marcado! E Reni vai para a cadeia, até seu esquecimento político. Por fim ‘deixaram (…) ao PSDB, vice-prefeito de Reni, as ‘soluções na crise da saúde. Desta vez o governo do PSDB se sensibiliza! É o tempo de tomar atitude. Intervém na saúde e avisa que as dívidas não são sua responsabilidade. E mais uma vez é ‘suspenso o julgamento de quem será o prefeito de Foz, se Chico Brasileiro, ou Paulo Mac Donald. Isso parece não ter a menor importância é apenas uma questão de ‘rito. O prefeito é o próprio governador, por 100 dias. Toda ação política em Foz e em todas as cidades, sob o domínio da esquerda, terão apenas um objetivo, as eleições de 2018!

Talvez o governador, tenha percebido que o ‘eixo, da luta política no Paraná, para 2018, não esteja em Brasília ou Curitiba, mas irradia-se, de Foz do Iguaçu. Considerando que a ONU, o Mercosul (com Requião), a Universidade Latino Americana, partem de Foz do Iguaçu. As declarações de Temer, algoz de Requião e vice-versa, são favoráveis ao Mercosul …, dê o nome que se quiser a isso é um acordo político de um mesmo poder, que acredito seja do ‘movimento do comunismo internacional. O fato é que Temer em 88, foi quem aprovou esta ‘integração latina (política), na constituição. Curioso é saber de onde Temer tirou esta ideia, em 1988? Neste período o MDB, ou PMDB estava (e, está) inflado de comunistas, Orestes Quércia era do MR8. Continuando …. O ‘mercado Chino/Árabe, parte de Foz do Iguaçu. As propostas com relação às bacias hidrográficas do Paraná, não se explica. A ‘união de 35 municípios, também não se explica. Mas são blocos de poder. Talvez isso tudo tenha deixado o governador do PSDB – do nada ilustre comunista Fabiano FHC, em parte, criador do PT – de ‘orelha em pé! Francamente, que seus 100 dias, se transformem em 730 dias. Melhor, lagartas, que gafanhotos! A metamorfose da lagarta é um show e depois, bate asas … e se vai! Bem, assim espero!

Seja o Primeiro a comentar on "FOZVOX – Foz do Iguaçu e, os Tri-butos"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*