FEIRA DO LIVRO: É HORA DE RAP!

A Oficina de RAP ofertada na 13ª edição da Feira Internacional do Livro traz Bianor Dias Junior, um reconhecido professor de dança na cidade, para mostrar uma outra faceta da arte de rua.

“O que a gente quer não é ensinar fazer, e sim aprender a sentir. O rap pode ser estudado pela sua métrica, pelo flow, pela história, o que define a singularidade e personalização do estilo, para misturar todos os estilos, já que o arranjo musical pega referências diversas, que vão do forró ao samba. Tudo vai da personalidade do rapper”, explicou.

O rap é estruturado por duas partes; sua composição, a métrica, que é a formatação da rima e o flow, que é a interpretação. “O rap nacional mais antigo vem com um flow mais lento e instrumental mais enfático com pianos violinos e baixos. Hoje, vemos a cena da trap music”.

A oficina vai dar essa visão histórica e técnica . “Você pode ser um rapper de improviso como Eminem e Emicida ou compositor como 50Cent e Racionais”.
Para Bianor, um bom rap, como tudo no hip hop, “só é bem feito de dentro para fora”. Por isso a temática a ser utilizada será a de conscientização sobre a sustentabilidade.

Perfil

A história de Bianor com a cultura de rua começou ainda na adolescência quando desenvolveu a arte do desenho. Em seguida iniciou num grupo de dança de rua, passando pelo programa Plugado, e logo em seguida no projeto Jovem pela Não Violência, onde escreveu seu primeiro rap, que mais tarde virou vídeo clip. Participou da grafitagem do viaduto da avenida Tancredo Neves, e a partir daí desenvolveu estudos com o rap.

A oficina de rap acontece neste domingo, às 14 horas. A atividade é gratuita.

 

Com PMFI

Seja o Primeiro a comentar on "FEIRA DO LIVRO: É HORA DE RAP!"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*