EM CRISE, SENADO ADIA ESCOLHA DE PRESIDENTE PARA SÁBADO

Renan e Davi Alcolumbre discutiram; Alagoano chamou Tasso de ‘merda’; Kátia pegou documentos da Mesa; Quase houve agressões físicas

Em uma sessão que teve quase agressões físicas, subtração de documentos da Mesa Diretora por Kátia Abreu (PDT-TO), xingamentos de Renan Calheiros (MDB-AL), o Senado não conseguiu escolher o presidente nesta 6ª feira (1º.fev.2019).

O presidente da sessão, Davi Alcolumbre (DEM-AP), decidiu, após quase 5 horas de discórdias, acatar pedidos de diversos senadores e convocou continuidade da sessão para às 11h de sábado (2.fev).

O demista dividiu os holofotes com Renan Calheiros (MDB-AL). O emedebista queria voto fechado; Alcolumbre, aberto. O amapaense saiu vencedor: 50 senadores optaram por uma sessão não secreta.

A troca de farpas continuou para além do plenário. Alcolumbre disse que o voto aberto representa a “vontade soberana” de 50 senadores.

“Um presidente que, mesmo que interinamente, revogue a decisão de 50 senadores, contra a população brasileira, está fadado ao fracasso”, disse a jornalistas após a sessão.

Antes que o demista terminasse de falar, o ex-deputado federal e atual assessor da Casa Civil Abelardo Lupion interferiu na entrevista, disse “chega de imprensa” e retirou o senador.

(Com Poder360)

Seja o Primeiro a comentar on "EM CRISE, SENADO ADIA ESCOLHA DE PRESIDENTE PARA SÁBADO"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*