ELEIÇÃO NA ARGENTINA KIRCHNER LIDERA COM 37,2%; MACRI TEM 31,6%

Diferença de mais de 5 p.p.; 2º turno tem empate técnico; Macri é reprovado por 54%

Uma pesquisa realizada pela Synopsis Consultores mostrou a ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner com vantagem de mais de 5 pontos percentuais sobre o atual comandante do Executivo argentino, Mauricio Macri.

Kircher tem 37,2% contra 31,6% de Macri em 1 cenário de 1º turno. Eis a íntegra da pesquisa.

A Synopsis Consultores entrevistou 2.360 pessoas nos dias 3 e 4 de maio em 29 cidades. A pesquisa foi feita por telefone. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais e para menos e o nível de confiança é de 95,5%.

Se por 1 lado a economia do país vem prejudicando o atual governo, por outro, beneficia Cristina Kirchner, que governou o país de 2007 a 2015, após suceder seu ex-marido Nestor Kirchner (2003-2007), que morreu em 2010 vítima de 1 ataque cardíaco.

A pesquisa mostra em 3º lugar o ex-ministro da Economia do governo de Nestor Kirchner, Roberto Lavagna, com 17,1% dos votos.

O outsider Marcelo Tinelli, apresentador de TV, que tem sido visto como uma opção para o governo da Província de Buenos Aires, não foi incluído no levantamento. Em 1 cenário com Tinelli os resultados podem mudar, principalmente pela influência que ele carrega nas redes sociais, onde tem mais de 22 milhões de seguidores.

2º Turno – Cenário 1

A Synopsis Consultores também simulou uma disputa de 2º turno com votos válidos, quando não se considera votos brancos e nulos.

No cenário, a pesquisa indica 1 empate técnico entre Cristina Kirchner e Macri, que alcançaram 50,2% e 48,8%, respectivamente.

No mesmo cenário, considerando os totais, Macri tem 46,6% e Kirchner tem 45,7%. Na metodologia, a pesquisa questionou os indecisos sobre a probalidade do voto.

2º Turno – Cenário 2

Há também 1 cenário onde Macri é substituído por sua correligionária María Eugenia Vidal, atual governadora da província de Buenos Aires.

Nesse levantamento, Kirchner tem 37,7% ante os 36,3% de Vidal. Ou seja, 1 empate técnico.

Já em 1 possível 2º turno entre as duas, Vidal ganharia de Kircher. A governadora teria 50,4% contra 45,9% da ex-presidente.

Macri com recorde de desaprovação

O levantamento pela Synopsis Consultores mostrou ainda que o governo do presidente Mauricio Macri é considerado ruim ou péssimo por 54% dos argentinos.

Em novembro de 2017, a aprovação do governo Macri era de 51,6% –maior que na época em que assumiu o governo, em março de 2016. No período, o presidente também alcançou o menor índice de desaprovação, com 30,2%.

A má avaliação do presidente argentino contribui para a ascensão da ex-presidente Cristina Kirchner nas pesquisas.

Aprovado por apenas 26% da população, Macri começa a enxergar 1 cenário desfavorável para as eleições outubro. O índice de popularidade do governo está em forte queda devido a crise fiscal que se encontra a Argentina.

Economia frágil

Para 62,9% dos entrevistados, os maiores problemas da Argentina são econômicos. Além da inflação alta, a porcentagem está divido com a questão do desemprego. A corrupção vem apenas em 3º lugar, com 15,9%, seguido de criminalidade (7%) e educação (5,2%).

Além da preocupação com a situação atual, o pessimismo para o futuro também se mostra evidente entre os argentinos. Apenas 29,2% dos entrevistados creem que o país se encontrará em melhor situação econômica nos próximos anos.

Mesmo com o lançamento pacote de pacote econômico, em 17 de abril, para conter a inflação, a população não está otimista: 35,7% acham que a economia vai piorar no futuro.

A notícia boa para Macri é que há exatamente 1 ano, desconfiança do povo argentino em relação a economia chegou a ultrapassar os 50%.

(Com Poder360)

Seja o Primeiro a comentar on "ELEIÇÃO NA ARGENTINA KIRCHNER LIDERA COM 37,2%; MACRI TEM 31,6%"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*