CONTROLE E PREVENÇÃO DA DENGUE SÃO DEBATIDOS EM AUDIÊNCIA PÚBLICA EM FOZ

A Secretaria Municipal de Saúde promoveu na Câmara de Vereadores na última terça-feira (29) uma audiência pública para discutir a prevenção da proliferação do mosquito Aedes Aegypti, agente transmissor da Dengue, Zika, Chicungunha e Febre Amarela. 
 
Será instituída no município uma Norma Técnica da resolução SESA N 29/2011 que prevê que os proprietários e responsáveis de estabelecimentos públicos ou privados, comerciais ou industriais citados na norma elaborem um Plano de Gerenciamento para Prevenção e Controle da Dengue (PGPCD). 
 
Proprietários, locatários, imobiliárias, ou responsáveis das seguintes empresas ou estabelecimentos:
 
• Imóveis particulares, comerciais e ou industriais; 
• Terrenos baldios; 
• Laminadoras de pneus, postos de recebimento de pneumáticos e borracharias e qualquer outro empreendimento que armazene e/ou comercialize pneumáticos; 
• Depósitos de material em geral, inclusive material reciclável e de construção, comércios de ferro-velho e sucatas, empresas de veículos sinistrados, leilões de carros e peças, empresas fabricantes e instaladoras de calhas, e comércios similares; 
• Empreiteiras de construção civil; 
• Empresas de transporte de passageiros e cargas, garagens e estacionamento de veículos; 
• Matadouros e curtumes; 
• Cemitérios; 
• Floricultura e paisagismo; 
• Outros estabelecimentos públicos ou privados a critério da autoridade sanitária de interesse em relação ao controle da proliferação do mosquito Aedes aegypti;
 
O plano deve ser elaborado previamente ao início das atividades de funcionamento do estabelecimento, quando houver reforma ou ampliação que alterem o manejo do ambiente e dos materiais e sempre que for solicitado pela autoridade sanitária competente, após solicitado a empresa terá o prazo de 2 meses para elaboração. Os proprietários ficarão responsáveis pelo gerenciamento dos materiais existentes em seu estabelecimento e deverão realizar o manejo adequado do ambiente e materiais, estabelecendo rotinas e procedimentos para eliminação de potenciais criadouros do mosquito. 
 
Depois de pronto o PGPCD deve ser encaminhado para análise e aprovação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria Municipal de Saúde, através do Protocolo Geral da Prefeitura. Os agentes de endemias do CCZ e a Secretaria Municipal da Fazenda serão responsáveis pela fiscalização, em caso de irregularidades encontradas o responsável será notificado, podendo também ser penalizado com uma multa de até 40 unidades fiscais de Foz do Iguaçu (UFFI), o valor da unidade fiscal do município é de R$ 76,80.
 
Em 2017 Foz do Iguaçu registrou 35 casos positivos de Dengue e nenhum óbito foi registrado até o momento, para que a doença continue controlada no município é importante a colaboração de toda a sociedade.  Participaram da audiência pública representantes da Polícia Militar, Polícia Civil, Ministério da Saúde, Secretaria Municipal da Fazenda, Vigilância Sanitária, CCZ e vários empresários. Para Otacílio da Silva proprietário de uma borracharia há 30 anos em Foz a medida tomada pela Secretaria da Saúde é positiva. “Na borracharia já temos todo um cuidado de combate a propagação do mosquito, os pneus ficam cobertos e usamos produtos para evitar que eles se proliferem, mas cuidado nunca é demais e cada um tem que fazer sua parte, esse plano é bom pra todo mundo.”, comentou o empresário.
Com PMFI

Seja o Primeiro a comentar on "CONTROLE E PREVENÇÃO DA DENGUE SÃO DEBATIDOS EM AUDIÊNCIA PÚBLICA EM FOZ"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*