Ações da JBS despencam após reviravolta em delação

As ações da JBS despencavam 7,58% no pregão da manhã desta terça-feira, cotadas a 7,93 reais por volta das 11h08. A queda acontece um dia após o procurador-geral da República, Rodrigo Janota afirmar que foram encontrados problemas nas delações de Joesley Batista, um dos donos da empresa, e do executivo Ricardo Saud. Segundo Janot, as irregularidades poderiam anular a delação.

O Ibovespa registrava alta de 0,69%, aos 72.627 pontos, no mesmo horário. Na abertura do pregão, o índice chegou a se valorizar mais de 1%, superando os 73.000 pontos.

VEJA teve acesso às conversas que Joesley Batista e Ricardo Saud entregaram à procuradoria-geral da República (PGR) na última quinta-feira à noite. Na primeira parte dos áudios, os dois delatores, aparentemente sem notar que estão eles próprios se gravando, falam, entre outros temas, sobre como se aproximar de Janot por meio do ex-procurador Marcelo Miller – ex-auxiliar de Janot – e sobre a exigência de eles não serem presos após fecharem os acordos de delação premiada.

Em um dos pontos mais sensíveis do áudio, possivelmente gravado no dia 17 de março, Joesley e Ricardo Saud afirmam que Fernanda, possivelmente a advogada Fernanda Tórtima, “surtou” porque, a depender dos rumos da delação e de qual autoridade citassem em depoimento, os dois poderiam “entregar” o Supremo, em referência a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Com Veja

Seja o Primeiro a comentar on "Ações da JBS despencam após reviravolta em delação"

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.


*